A Dor, A Desgraça, A Saúde, A Alegria, A Sublimação

Olho para mim mesmo, olho para minha mulher em estado quase vegetativo em seu leito, imóvel há quase três anos após um derrame cerebral agudo, olho para minha querida filha agora recém casada, olho para meus irmãos de sangue, e vejo um passado de grande labuta e sofrimentos vários. Chego até meus finados pais, meus finados sogros, todos sem exceção sofredores, que nada tiveram em vida a não ser dor, desgraças e sofrimentos e lamentos, e agora choro muito mais ao tentar ajudar minha querida companheira.

Tenho ímpetos de revolta interior e exterior, chego a dar murros nas paredes, erguendo os punhos para o Alto e blasfemando em alta voz contra tudo e contra todos. Ninguém escapa de alto a baixo e vice-versa. Culpo a tudo e a todos.

Sinto-me completamente abandonado mesmo vendo-me cercado por Entidades Extraterrestres Superiores e Entidades Espirituais da Terra, tidas como angelicais.

Mesmo assim não me conformo. Acho que estou semeando na pedra ou dando pérola à porcos. Vejo que optei pelo mais difícil “o querer ser bom”, e de pouco me valeu. Só aumentou ainda mais meus sofrimentos e o sofrimento dos entes que eu amo.

Apesar de saber as causas desta luta para a sobrevivência digna, causas registradas em vidas anteriores e que me foram mostradas através da psicometria na minha tela mental-astral, acho que as coisas poderiam ter sido mais facilitadas e proteladas “sine-die”, mas justamente agora que nos propusemos disseminar o conhecimento por nós acumulado no decorrer de milênios de nossas existências, justamente agora quase não nos é permitido faze-lo.

Mas alguém mais elevado, do “lado de lá” nos “cutuca” os ouvidos mentais dizendo: – “Olhe para traz e para baixo e você se sentirá bafejado pela sorte. Você verá que há casos bem piores que o seu”! E eu respondo acintosamente: – “Por que só devo olhar para baixo? Por que não para cima? Será que é para que não veja os que estão melhores que eu?”

Logo vem a resposta: – “Cada um tem exatamente o que merece. E você deve agradecer pelo que recebe, pois é exatamente o que esta merecendo no momento. Você mesmo poderá melhorar seu padrão de merecimento”.

Tenho é que me conformar e continuar lutando para melhorar minhas vibrações e as vibrações de toda a humanidade terrestre, através do meu positivismo e dos conhecimentos que tento trazer até ela. Passados alguns momentos de reflexão e de relaxamento, entrei em movimento de projeção astral e psicométrica, quando me foi mostrado o seguinte:

A parte emotiva, emocional, sentimental de uma humanidade, que abrange todo e tipo de sentimento, negativo ou positivo. Sentimentos esses que podem ser controlados e dirigidos, só são produzidos por seres irracionais, pois estes apenas possuem o ato de sobrevivência que consiste em defesa e ataque, emitindo as emoções mentais da dor física. As emanações resultantes dessas dores físicas vão se aglutinando nas psicosferas rústicas de cada planeta, mais próximas às crostas desses planetas, como se fossem uma camada rarefeita de matéria deletéria, invisível a olho nu. Portanto, compondo uma espécie de amálgama poderoso para o interior do qual retornam os perispiritos desses animais após seus desencarnes, para posteriormente, recompostos energicamente serem atraídos para o renanscimento em novos corpos físicos.

Isto é feito quase que mecanicamente, instintivamente, dando prosseguimento a manutenção de cada espécie e para aquisição do progresso ascensional lento, mas sempre em direção ao aperfeiçoamento físico e espiritual.

Portanto, as regiões umbralinas, ou as psicosferas negativas , ou chamadas também de baixo astral, em inglês “undergrownd”, só começaram a existir após o advento do ser humano na crosta visível de cada planeta. O próprio ser humano tido como ser racional ao emitir seus pensamentos negativos e atos correspondentes dirigidos contra si próprio, contra seus semelhantes, contra a natureza, resultam como conseqüência, a formação do mesmo tipo de amalgama, psicosferas ou bolsões de matéria deletéria, quintessenciada e dando origem aos chamado mundos paralelos compostos de campos em afinidade ou em sintonia direta com aquele tipo de ser, dentro dos quais esse mesmo ser irá “habitar” após seu desencarne. Para lá seu perispirito será atraído e reenergizado, desintoxicado à semelhança dos reagentes homeopáticos, ou seja “o semelhante com o semelhante se cura”.

No inicio da existência da vida na Terra, quando o “habitat” terrestre era rústico e o ser humano vivia em cavernas, furnas, na floresta, e outras habitações bucólicas, quando este ser humano desencarnava quais eram as suas “formas pensamento”? Quais eram suas emanações mentais?

É claro que só podiam ser aquilo que avistavam antes de morrer, ou seja : seu “habitat” inóspito, com suas cavernas, furnas, lodaçais, animais monstruosos, seus semelhantes humanos peludos, belicosos, horrendos, medrosos e a total falta de conhecimento do que o esperava do lado de lá. Nem sabia se havia o “outro lado”.

Desta forma, tudo que ia se formando na psicosfera condizente a ele era de conformidade às suas plasmias mentais. Após seu desencarne ele ia sendo atraído para aquela região e nela, como se ainda estivesse vivo, dava continuidade ao seu ciclo de vida animalesca.

Já em sua respectiva psicosfera o ser “homo-sapiens” ou o primata “contruia” em seu novo habitat o que imaginava ser bom para ele e lá ia “vivendo”, até ser novamente atraído para novas reencarnações. Assim, durante milênios, tudo ia sendo forjado tanto do lado de cá da vida, como do lado de lá. Essas regiões não foram desfeitas e serviriam, como servem hoje em dia, para receber os espíritos que apesar de serem mais modernos, vivem mental e fisicamente à maneira dos seres primitivos.

Porém, outros seres foram surgindo, mais avançados espiritualmente, vindo de outras orbes e suas emanações mentais foram resultando no aparecimento de outras regiões paralelas, outros bolsões astrais condizentes com cada grupo que ia desencarnando e automaticamente para lá atraídos.

Foram surgindo as esferas dos suicidas, dos viciados em álcool, viciados em sexo, em drogas, os que ficaram presos a determinadas doenças, os que se dedicaram as curas dessas doenças, as esferas dos socorristas, dos médicos, dos políticos, dos militares, dos religiosos, dos magos, dos místicos, dos hipócritas, dos criminosos, dos afetados pelos dolos culposos, e milhares de outras regiões.

Foram surgindo as esferas dos músicos, dos mentalistas, dos místicos, dos elementais , dos angelicais e sublimando cada vez mais de conformidade com seus novos habitantes, até chegar ao mais alto cosmo, as esferas dos engenheiros siderais e assim por diante. Não é difícil de se entender do porque de haver tantas regiões no “céu” como na Terra.

O grande Mestre Jesus dizia: – “O que se liga na terra será ligado no Céu”, o que se desliga na Terra também será desligado no “Céu”. Ele, melhor que ninguém sabia disso tudo e também dizia: -”Na casa de meu pai há muitas moradas”.

Como definiria visualmente essas esferas e as denomino psicosferas? Trazendo as imagens para o leitor moderno diria que elas são como gigantescos “compact-discs” ou “Cds” uns sobrepostos aos outros em sentido horizontal e outros em sentido vertical, outros ainda intercalando-se ou sobrepondo-se a eles em sentido diagonal, sendo o orifício central desse CD imaginário, seria o globo terrestre. Para que o leitor visualize um pouco melhor é como se Terra fosse o planeta Saturno e tivesse centenas de gigantescos anéis uns sobre os outros horizontalmente, verticalmente e em diagonais. Esses anéis ou psicosferas são invisíveis a olho nu, só são visíveis mediunicamente ou através das aparelhagens super sensíveis e sofisticadas dos seres extraterrestres, super evoluídos.

A passagem de uma esfera inferior para as superiores se dá através de ligações energéticas ou vórtices cuja entrada só é descoberta ou conhecida pelos seres que habitam as psicosferas mais adiantadas, caso contrario, todo e qualquer ser inferior, malévolo, diabólico ou mesmo doente psiquicamente, invadiria as esferas que não lhes dizem respeito e não lhes são afins, Isto evita a desarmonização entre as psicosferas que passam a ser mundos estanques com seu “Modus – Vivendi” próprio. Entretanto, dentro de sua respectiva psicosfera o ser inferior poderá se locomover como quando em vida na terra.

Essas locomoções se fazem através da mente, das vibrações de volitação ou de projeção do pensamento para os espíritos superiores, cuja vontade é suficiente para os levar para onde quiserem ir. Entretanto, mesmo os mais poderosos tem dificuldades pois necessitam baixarem suas vibrações para poderem descer as psicosferas inferiores e mesmo até nós na crosta terrestre. Cada psicosfera possui os veículos adequados para trafegarem de uma esfera à outra, conforme as necessidades.

Por isso cada forma pensamento tem endereço certo, chegam ou não ao objetivo de quem as pensa, dependendo da força e vontade inerciais imprimidas ao pensamento. Se, o alvo a ser atingido por outra pessoa do mesmo quilate e teor mental negativo do “remetente”, o alvo será atingido, inapelavelmente, tendo os feixes vibratórios e ondulatórios mentais “engrossados” por outras emissões negativas de outros inimigos daquela pessoa.

Porém, se a pessoa visada for positivo, tiver seus pensamentos sempre com tendências elevadas, sua aura, que é o seu campo de força, estará acesa e continuamente alimentada pelas correntes mentais de seu pensamento positivo, queimará, destruindo por completo as emanações negativas contra, ou as rechaçará de volta aos seus emissores pegando-os de surpresa pois estarão com seus campos de força abertos, desguarnecidos e neste caso, absorverão todos os miasmas emitidos por eles próprios. Assim, também, funcionam os campos de força das naves extraterrestres que volitam no espaço sideral sem nada temerem.

Devo lembrar que as formas pensamento adquirem o formato que idealizamos, ou seja um punhal, um revolver, um chicote, uma espada, ou apenas faiscas com ondulação potente, enfim, tudo aquilo que imaginarmos a nossa mente plasmara e remeterá para onde quisermos, assim como, quando fazemos nossas orações, se as fizermos bem dirigidas pensando nas palavras que estamos dizendo e no mentor à quem solicitamos, elas atingirão o alvo, seremos ouvidos e o retorno será sempre favorável a nós.

O ser humano ainda não avaliou o seu potencial mental. Se esse potencial for alguém como um mago, que esta acostumado a lidar com essas energias, elas serão mais potentes ainda, e atingirão o alvo na região certa e com precisão, mesmo que ele seja negativo, pois é necessário que o alvo ou pessoa em questão seja mais potente e positivo que ele, para não ser atingido. Daí, haver muita feitiçaria e muita desarmonia entre os vivos, pois, o mago, ou feiticeiro não precisa estar entre os vivos, pode estar entre os desencarnados e se aliar aos canais redivivos (médiuns e pessoas malignas) aqui na Terra para dar soluções e maquinar suas más intenções juntamente com quem o invocou.

Mas, a Lei de Reação é implacável, para quem faz o mal uso de seus potenciais ou poderes, colherá de volta o que lançou, se houver tempo colherá na própria existência ou então irremediavelmente nas próximas, quando estiver indefeso.

As entidades desencarnadas além de sofrerem a auto punição (as vezes sem que se dêem conta) permanecendo em seu estado negativo por dezenas, centenas de anos não usufruindo do maravilhoso progresso cósmico sideral, receberá de volta também quando retornar ao corpo físico, corpo este que já nascerá sob as mais dolorosas situações e mazelas.

Portanto, a dor física e moral, as desgraças, as desarmonias gerais, a saúde, a felicidade, a sorte, a alegria, a sublimação e todos os demais fatores e sentimentos que movem o ser humano ou o imobilizam em situações várias, são resultado do “quantum” vibratório e da força mental de cada um, pensamento ruim resultado, péssimo, pensamento bom, resultado ótimo.

O pensamento além de poder ser controlado e dirigido, têm um predomínio sobre os demais requisitos de um ser humano, porque além dele poder ser lançado, pode ser captado e sobre tudo ele pode ser sintonizado sem que hajam barreiras para impedir que as emanações irradiantes possam ser impedidas de seguir em seu curso inicial, a não ser pelo próprio ser emissor das ondas mentais.

São Paulo, 24/ 02/ 96 – 13h53

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s