Justiça da Terra e Justiça Divina

Justiça da Terra e Justiça Divina

Comentário:

Despertou-me a atenção a declaração de um dos condenados no julgamento do mensalão, hoje, destacada. em jornal da nossa cidade. — “Ainda que preso, permanecerei lutando para provar minha inocência.” Por que a frase impregnou minha mente de recordações? Sim, atinei que a sentença tinha a ver com algo que li, há muito tempo, sobre a prisão de um honesto homem, na Inglaterra, parece-me, condenado por assassinato. O verdadeiro homicida, prestes a entregar a alma ao Criador, amedrontado, com remorso tardio, fez uma declaração dizendo-se culpado pelo homicídio.

Alguém, crente da justiça de Deus, andou a pesquisar o porquê de um inocente, tenha sofrido as agruras do presídio por tão longos anos. Suas análises prolongaram-se por vários anos, buscando entender tal injustiça. Os sacerdotes de religiões várias, indicavam os mistérios divinos, outros, que se não devia questionar os destinos dos homens…. Certo dia, indicaram um medianeiro que recebia espíritos e psicografava mensagens.

— Senhor, venho buscando uma razão para alguém sofrer uma penalidade, sendo inocente.

— Bem, de mim mesmo, nada posso adiantar. Mas, quem sabe, algum mensageiro não possa nos elucidar sobre a causa? Vamos orar para ver se merecemos receber uma explicação.

Submersos em preces, por dilatados momentos, viram-se seus almejos atendidos. Manifesta-se um ser, através do psicografo e redigi uma mensagem elucidando todo o drama daquele prisioneiro. Em vidas passadas, ele fora, realmente, um homicida, e passara impune pelas leis humanas. A aparente inocência, era um engodo. Em realidade, ele, enquanto ser imortal, era um criminoso. E seus débitos deveriam ser ressarcidos, ou seu espírito jamais encontraria a paz, eternidade a fora.

Em suma, a Justiça Divina nos alcança sempre, sempre. Vivemos na ilusão de que ninguém sabe sobre nossos deslizes morais. Ledo engano. Tudo está registrado nos arcanos divinos — nossos êxitos e nossos males. Simples, assim.

Perdoem-me, mas senti vontade de registrar o que me veio à mente e o fiz.

Abraço fraterno da Thereza.

Resposta:

Prezada Querida Yayá Tekinha,

Adorei seu comentário, uma mulher sempre atualizada e desembaraçada, com opinião própria! Aproveitando a oportunidade e com a sua permissão vou acrescentar alguma coisa, a qual, peço a você que repasse a todos os eus contatos como vou fazer com os meus.

O caso mencionado, vem sendo arrastado há pelo menos sete anos, o que imagino deve ter sido analisado em detalhes pelos juristas do STF, os quais, permitiram todo o tipo de apelação, e mesmo assim os culpados só foram condenados por serem mesmo culpados!

Eu diria, respondendo a pergunta de destinos e de vidas passadas que, “A Bala Perdida Só Atinge Quem a Atirou Antes” (autor DYezzi::.), portanto, não há coincidência e nem injustiça divina, o que há, é aonde de retorno vindo apanhar quem cometeu os mesmos erros ou erros similares, tanto nas vidas passadas quanto nas atuais. Quem foi “preso injustamente e ficou na prisão, com certeza matemática, prendeu ou fez com que alguém também fosse preso injustamente no passado e, mesmo não admitindo, veio colher o que plantou”. Assim, em todos os casos da vida humana aqui na Terra. Eu diria até que quando a natureza pune direta ou indiretamente alguém, algo ele praticou contra ela ou se utilizou dela para prejudicar seu semelhante, que no desespero lançou ao ar seus lamentos, mas não foi ouvido na ocasião, pois, esta é a condição do livre arbítrio e na verdade, sem o perdão, se forma no cosmo, as leis de ação e reação. Então veremos, uma arvore cair sobre alguém, um animal apanhar e devorar alguém ou apenas feri-lo, ou ainda um raio atingir aquela pessoa ou comunidade, enchente, furacões, terremotos, tsunamis, e etc. Em muitos casos, os assassinatos em massa, os latrocínios, as vinganças, as mortes de pseudos inocentes, são manipulados mediunicamente por entidades malévolas que, de cumplicidade com os autores, drogados ou não, vingam-se de seus algozes através de seus antigos comparsas, hoje com sensitivos renegados, criminosos em potencial, que além de cumprirem “uma ordem” mediúnica, torna-se ainda mais criminosos aumentando suas culpabilidades perante o Criador, mas, com toda certeza não escapará do que produziu, quando menos esperar e quando os demais viventes o acharão não merecedores daquele acontecimento, e ainda que Deus é o culpado!

“Quem com ferro fere, com ferro será ferido” — Ele já sabia! Portanto, quem faz guerras, ou aprova as guerras, mesmo que seja apenas por votação, terá guerras. Um avião cai com centenas de pessoas a bordo, só sobrando um, com certeza ele não fazia parte daquela ondem de retorno, ou ele, antes resolveu não tomar aquele avião. Houve um caso, se não me engano, no Rio de Janeiro, que o sujeito não tomou o avião e ele cai matando todos os ocupantes e ele, saindo do aeroporto reclamando por não ter tomado o avião, ao atravessar a rua, morreu atropelado!

Será que sou fatalista? Não. De forma alguma, apenas um estudioso dessas leis e achando que está na hora da verdade, e de se acabar com essas enrolações de seitas e religiões!

Há muito mais detalhes, mas daria um novo livro, vou ficar por aqui, com meus sinceros agradecimentos e pedindo que todos reflitam sobre o enunciado.

Beijos.
DYezzi::.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s