Espiritualidade, Ufologia e as Provas?

Espiritualidade, Ufologia e as Provas?

Pergunta:

Boa Noite Sr. Domingos.

Sou fascinado pelo assunto “Espiritualidade e Ufologia” e portanto devoro tudo que me aparece. Ainda não li (mas vou ler) nenhum dos seus livros, portanto, o que vou perguntar talvez seja apenas tolices. Sse assim for, desconsidere minha pergunta.

Assisti algumas entrevistas suas e li praticamente todas as perguntas e respostas feitas do seu website. Mas me chamou a atenção que quando alguém mencionava determinadas linhagens ou raças, desconhecida pelo senhor, sua resposta vinha com uma outra pergunta, (embora não negue a existência) pedindo fotos ou provas palpáveis.

Minha pergunta é: No seu livro há fotos ou alguns indícios de prova físicas da existência dos seres que o senhor tem contacto?

Senti que tudo (ou quase) que o senhor tem de conhecimento veio através da canalização ou intuição que, portanto, não tem como provar. Mas quando alguém fala de suas experiências de contatado o senhor se torna um cientista querendo provas físicas. Eu não preciso de provas de nada disso. Sei que existem naturalmente. Só me intrigou seus comentários neste ponto.

No mais, só tenho que agradecer pelo maravilhoso conhecimento recebido.

Grande abraço,
Eucêbio

Resposta:

Prezada Eucêbio,

Antes de mais nada, grato por seu e-mail e por suas palavras.

No meu primeiro livro, o único que faz isso no mundo, você encontrará as escritas originais de cada extraterrestre (alguns) e a respectiva tradução.

Você se engana ao pensar que eu preciso de provas para acreditar na existência do seres extraterrestres e de outras raças diferentes pelo universo a dentro ou a fora, como você quiser. Estou nisso desde os meus oito anos de idade, ou seja há 70 anos, o que me deu uma experiência enorme e até exaustiva sobre o assunto e principalmente sobre como distinguir algumas fantasias e “criações cinematográficas” de “alguns contados”.

Com certeza, você vai dizer: Então só você diz a verdade? Você se acha dono da verdade? Não, de forma alguma! Mas, penso que você deveria fazer sim alguns questionamentos, como por exemplo, para aqueles que afirmam estarem em contato com seres reptilianos, quais as provas que eles têm, mesmo que seja só como eu, apenas as escritas originais. Portanto, indagar não é pecado, não acreditar também não é. E, você tem todo o direito de não acreditar e me questionar, entretanto, você há de convir que há respostas e respostas, e com certeza, pois eu tenho essa certeza, que as minhas respostas não ficam devendo nada a ninguém! Pois, penso eu, são racionais e podem ser questionadas a hora ao tempo que quiserem. Penso, que você já disse tudo e não será preciso que eu lance um debate com você, ao contrário, eu o felicito por não ser um “São Tomé”, e não questionar nada, o que indica, pelo menos para mim, que você tem a mente ampla em abertura de 360º o que é um sinal de sabedoria e de uma origem muito antiga e talvez até de fora da Terra, o que não quer dizer nada, apenas facilita a você próprio a compreensão mais rápida de assuntos inusitados e inéditos, como são os dos meus três livros, para os quais, peço sua atenção que, sem lê-los você não terá nem uma pálida ideia do meu trabalho. Sem lê-los você não poderá contestar-me! Portanto, amigo, aconselho-o a ler meus livros o mais rapidamente possível. Você, está me cognominando de “cientista” pretensioso quando faço algum questionamento? Engana-se, pois, não preciso ser cientista e muito menos pretensioso, mas, pelo menos me dê o direito de questionar e achar o que devo questionar, assim como, não sei se você sabe, estou sendo questionado até hoje pelas minhas afirmações e não ilações que vão contra o “status quo” da ciência atual! E eu pergunto, será que a ciência teria que ser como você, aprovar tudo sem questionar nada?

Prezado Eucêbio, se eu fosse detalhar, isto iria longe, e me perdoe, estou escrevendo meu 5º livro, o qual tenho certeza, vai chocar muitos “cientistas de gaveta”, estes sim, arraigados em suas verdades primitivas, e mais uma vez me perdoe, como você, sem ler o que escrevi, quer tenha sido por conhecimento ou por captação, não pode e nem deve rotular o que desconhece.

Um grande abraço e, mais uma vez, agradecido.
DYezzi::.

Anúncios