O astro Sidérius é um planeta morto, sem atmosfera?

Planeta Sidérius

Pergunta:

Sr. Domingos Yezzi, tudo bem?

O astro Sidérius que se aproxima do nosso sistema solar é um planeta morto, sem atmosfera? Pode me informar de onde vem, o que houve com ele no passado? O Sidérius não está aqui por um acaso, ou seja, foi a humanidade do planeta Terra que o atraiu com o padrão vibratório inferior? Neste caso, as humanidades dos demais planetas vizinhos também serão afetadas sem “culpa” nenhuma? O Sidérius só vai passar entre os planetas sem colisão e depois vai continuar seguindo para rumo desconhecido? Se nós mudarmos a vibração poderíamos evitar a aproximação, teoricamente? Desculpe, embora simples intelectualmente, mas, muito detalhista, tudo isso me despertou muitas perguntas.

Agradeço pela atenção.
Hissachi

Resposta:

Prezado Hissachi,

Devo dizer que todas essas informações você as encontrará no meu site e mais ainda nos meus livros, os quais você obterá em PDF através do site, basta fazer o pedido e pagar pelo PayPal, mas, eu não poderia deixar de responder a você, um leitor tão interessado e que poderá divulgar a seus contatos.

Sidérius não é um astro morto, é Astro Gigantesco com mais ou menos 40 milhões de kms de diâmetro, portanto, bem maior que o Sol que tem aproximadamente 1 milhão e 300 mil kms de diâmetro. Ele possui uma atmosfera deletéria, com gazes venenosos, ainda não apropriada ao tipo de vida igual ao da Terra, mas, servirá para atrair os espíritos recrudescentes, malignos, da Terra e de outros planetas por onde ele já passou e passará após passar por Nosso Sistema Solar. Ele é tão pesado magneticamente que atrairá àqueles espíritos. Após desencarnarem em seus planetas, os carregará “colados” em seu astral e os despejará sobre planetas com afinidades negativas com aqueles espíritos. O que vale dizer que cada um receberá e viverá conforme suas obras e sua vibrações intrínsecas. Pelo que sou informado e pelo que me é mostrado por Dornete e sua equipe que o vem acompanhando desde 11º sistema solar mais próximo do nosso, dentro de nossa galáxia, todos os seres que tentaram escapar as ações de Sidérius, mesmo tendo naves avançadas, foram atraídos e seguem presos com suas naves, na “cabeleira” magnética de Sidérius e dela, só sairão, quando forem despejados em outros planetas mais atrasados e carentes de uma nova civilização. Portanto, se a civilização ou seres tiverem afinidades com o tônus vibratório de Sidérius, não escaparão de terem que recomeçar tudo novamente desde a estaca zero.

Agora, para melhor compreensão sobre a formação e origem do Gigante Sídérius, vou levar você, e os demais leitores a uma viagem mental racional, através do Espaço Cósmico e Sideral, lá junto aos Engenheiros Siderais, responsáveis pela habitabilidade dos mundos e pela criação desses mundos.

Há milhares de anos passados, tais Entidades, que tudo prevêem e conhecem dentro do Universo, fizeram deslocar-se de sua órbita dentro da Galáxia, uma órbita gigantesca que circunda milhares de sistemas solares, girando em sentido contrário desses planetas. Ou seja, enquanto a Terra e nosso Sistema Solar giram da direita para a esquerda no sentido dos ponteiros de um relógio, Sidérius gira da esquerda para a direita, o que provocarão uma total remodelação de todos os sistemas e planetas por onde ele teria que passar, já passou e ainda passará.

Por quê isso. justamente, contrariando o pensamento retrógrado da Ciência terrestre e de milhares de seres humanos, de que vida só há na Terra, ao contrário, vida há em todos os planetas de todos os sistemas solares e e galáxias em todos quadrantes do Universo. Entretanto, mesmo aqueles seres, ou humanidades, que atingiram um patamar de progresso técnico, mental, cerebral e espiritual inconcebíveis para o ser comum, eles se acomodam em seus estágios grandemente evoluídos e não se lançam a busca de novos e incríveis conhecimentos á sua disposição no Universo, e permanecem em seus planetas cultuando seu próprio progresso, sem descerem para auxiliarem civilizações mais atrasadas, como as da Terra, por exemplo, pois todas as vezes que aqui tentaram foram repelidos ou causaram danos irreparáveis, o que, dentro da Lei Universal, significa culpabilidade e resgate kármico pela ação e reação inerente a vida nos mundos. Desta forma, Sidérius, já alterou nosso sistema solar por várias ocasiões, uma delas quando, na Terra, ocasião há mais ou menos onze ou doze mil anos atrás, o famigerado Dilúvio, que submergiu vários continentes na Terra e, enquanto trazia para dentro do nosso sistema solar, novos planetas e satélites naturais, com suas respectivas civilizações. Razão pela qual, ele também é chamado de planeta higienizador, chupão e na Bíblia, de Absinto. Portanto, com a passagem de Sidérius, tudo será movimentado dentro do sistema solar, e só serão afetados, planetas que tiverem sintonia com as emanações vibratórias dele, aqueles que não tiveram, serão afastados de sua órbita atual com suas próprias atmosferas e respectivas civilizações intactas.

Quero dizer que o planeta que sofrerá mais com a presença de Sidérius será a Terra, e penso, que não será necessário eu explicar a causa ou os porquês. E neste caso, não dará mais tempo para se evitar as hecatombes previstas, pois elas foram anunciadas milenarmente por avatares, pela Bíblia, por videntes e clarividentes, mas ninguém deu ouvido, preferiram ouvir a Ciência cega e insensível e se dedicarem a belicosidade, a maldade, a negatividade e outros sentimentos vis!

O que poderá ser feito, é uma tentativa rápida de mudança de costumes e aumento das vibrações mentais e espirituais de cada ser humano, sem fanatismo ou religiosismo barato, para ou durante os próximos 10 ou 15 anos anos, tempo esse, que meus amigos calculam que Sidérius será mais sentido.

Ele entrará em sentido contrário ao Sol, ou seja, enquanto o Sol se põe, ele, imediatamente, surgirá no poente, para na manhã seguinte aparecer no Zênite (no Céu), como o segundo Sol e durante alguns meses os dois sois nos queimarão inapelavelmente, até que ele se afaste, dividindo nosso sistema solar em dois, tendo o Sol atual como líder de um novo sistema e Júpiter como líder do outro, levando consigo alguns dos atuais planetas. Vejam as páginas e capítulos específicos nos meus dois livros, agora também em PDF pelo meu site.

Sidérius entrará em nosso sistema solar pela proximidades do planeta Júpiter em órbita perpendicular as orbitas dos planetas.

Abraços.
DYezzi::.

Anúncios