Fenômeno paranormal ou espiritual?

Fenômeno paranormal ou espiritual?

Pergunta:

Olá Domingos,

Eu estive conversando com um espírita sobre parapisicologia e ele me falou que a causa dos fenômenos sobrenaturais são causados por espíritos. Eu já afirmei para ele que não, que são causados muitas vezes pelo próprio ser humano. Como separar um fenômeno paranormal de um fenômeno produzido pelos espíritos? Como saber qual é um e qual é outro? Você acha que não podemos radicar e achar que a parapisicologia já explica tudo?

Obrigado,
Ricardo

Resposta:

Oi Ricardo,

Com já expliquei antes, a parapsicologia se rotula de ciência, mas não explica nada fora do seu curto alcance. Os fenômenos espirituais são produzidos por entidades espirituais, que exercem grande influência sobre o ser humano. Essa influência pode ser benigna (positiva) ou maligna (negativa) e é claro que, as entidades sabem como se aproveitar das energias e dos fluídos ectoplasmáticos que rodeiam os seres humanos, dai a parapsicologia achar que tudo o que de sobrenatural for produzido será feito pela mente e cérebro humano, o que é um grande erro!

Abraços.
DYezzi::.

Os mundos mais evoluídos tiveram também um evangelho?

Os mundos mais evoluídos tiveram também um evangelho?

Pergunta:

Olá prezado amigo!

Como vai? Tenho uma pergunta a te fazer: Gostaria de saber se em mundos mais evoluídos, como em Marte ou em Vênus, no estágio evolutivo que se encontravam, como na Terra, Marte ou Vênus tiveram também o privilégio de ter um evangelho que instruia espíritos que queria evoluir? Se existia ou ainda existe algum espírito responsável por levar um conhecimento superior aos necessitados de conhecimento das verdades da vida?

Obrigado,
Heitor

Resposta:

Prezado Heitor,

Nos Mundos, ou Planetas evoluídos, tais como os que você mencionou, já começaram com uma sociedade positiva na qual todos os elementos são dirigidos para o bem comum, para o bem de todo o planeta, desta forma não tiveram a necessidade de ter um evangelho, mas sim, de instruções técnicas e instrutores que arregimentavam conhecimentos generalizados, para união e construções positivas de uma sociedade elevada, o que veio sendo continuada até agora, pois, após o ser humano tomar conhecimento de verdades não-religiosas ele passa a agir pensando em seu semelhante e não temendo a Deus, que é o escopo de quase todas as religiões terrestres.

Abraços.
DYezzi::.

Avistamento no Morro do Chapéu

Avistamento no Morro do Chapéu | Vista do Morro

Avistamento no Morro do Chapéu | Disco em frente à casa

Comentário:

Oi Mingo,

Esqueci de te contar, eu nas minhas andanças pelo hospital antes de fazer minha cirurgia, conheci uma criatura de nome Lucidy. Ela mora em Morro do Chapéu — interior daqui, onde é considerado a Suíça brasileira de tão frio e onde também tem muitos avistamentos. Com isso, fiz mais uma amizade. Ela estava levando o pai dela para fazer tratamento da próstata, então ela me enviou duas fotos do morro que dá o nome a cidade, onde há os avistamentos, e uma foto que ela diz ter tirado na porta da casa dela ao sair à noite. Disse ela que a nave permaneceu no céu mais ou menos por uns 15 a 20 minutos, tempo que ela correu dentro de casa para pegar a máquina digital e bater esta foto.

Abraços,
Joelvana S.

Resposta:

Oi Vana,

Sua amiga teve o privilégio de fotografar a nave do Planeta OSWEN, cujo líder chama-se Aislan. Eles estavam visitando a Terra e passaram por ai na Bahia e se permitiram fotografar, como uma espécie de recado para nós todos. São seres maravilhosos, assexuados, 2,40 metros de altura, grandalhões, não usam roupas de espécie alguma. Já desceram aqui no vale do Paraíba, colheram bananeiras e levaram-nas para seu planeta e me dizem, que essa fruta é uma das melhores que temos e que para eles, que não possuem dentes, mas apenas uma gengiva saliente como as dos nossos recém nascidos, que facilita sua mastigação, sem necessidade de dissolvê-la. Suas características físicas são peculiares. Não possuem intestinos, possuem orelhas pequenas, olhos redondos e não possuem pilosidades de espécie alguma nem cabelos (são calvos), nem cílios nem sobrancelhas e possuem um inteligência fora do comum. São calmos, bondosos e exercem uma poderosa força no olhar, através do qual dominam qualquer ser vivente da Terra. Suas mulheres são um pouco mais baixas que os homens e geram os filhos através de uma bolsa abdominal, parecida com as dos nossos cangurus, da Austrália, que após darem a luz a bolsa se fecha normalmente. Coisas realmente incríveis, as quais tive o privilégio de presenciar.

OSWEN é o verdadeiro 9º Planeta do nosso Sistema Solar. Sua nave é ultra veloz e maravilhosamente linda quando está voando e bem como quando está estacionada. Mede mais ou menos uns 100 a 150 metros de diâmetro, a menor, mas possuem naves com mais de 1000 metros de diâmetro. Uma destas, ocasionou, sem querer, o apagão geral em Sâo Paulo em fevereiro de 1982.

Já fiz a descrição deles em meu primeiro livro.

Abraços,
DYezzi::.

Universo Dualista

Captado em 1965 , revisado em 08/06/93, acrescido até 18/09/94

Nossa vivência milenar nos mostra através das várias e múltiplas experiências realizadas no decorrer dessas vivências, neste e noutros orbes, a dualidade universal. Ou seja, é sabido que Deus, ou o Núcleo Central Cósmico, se manifesta nos quadrantes siderais nas latitudes, nas longitudes, nos meridianos, nos paralelos, nas várias dimensões conhecidas, nas esferas e nas psicosferas existentes no Universo Visível (sideral) e no invisível (cósmico), pelo Positivo e pelo Negativo, tendo como manifesto mediador o Neutro. Deveria ser denominado certamente de trialista e não dualista, mas, os seres humanos normalmente só mencionam o que conseguem sentir e ver, neste caso, o positivo e o negativo, por isso dualista.

Esse equilíbrio constante de forças se faz sentir desde o Micro ao Macrocosmo, desde os miasmas às bactérias, desde os corpos físicos e energéticos às gigantescas galáxias, seus sistemas solares contrapondo-se aos gigantescos Quasares ou buracos negros que são a antítese do universo positivista.

Verifica-se através dos Tempos, ou melhor através do Tempo e do Espaço, a guerra imemorial entre o Bem e o Mal.

O que é Bem? e o que é Mal? Se o que é bem para uns é mal para outros e vice-versa!?

Muitas vezes há que se aplicar o mal para fazer brotar ou renovar o bem. A dor física, moral, espiritual é um exemplo dessa insólita aplicação. Principalmente entre os seres que habitam mundos como a Terra.

Como então um ser racional poderá optar por este ou aquele lado, ou seja, pelo Bem ou pelo Mal se é sabido que reinos deslumbrantemente belos existem tanto um como no outro?

Há uma pergunta que fica no ar e que muitos gostariam de faze-la: – Como um ser maravilhoso como Jesus e outros avatares conseguiram se nortear e optar por um dos lados, o Bem? E raramente ficarem no Neutro. O que os levou a essa opção? Será que Eles só pertenciam ao Reino dos Positivos como nós também achamos que somos?

Uma lâmpada não se acende sem o concurso do fio negativo e até do neutro!

O príncipe das trevas acha que o verdadeiro reino é o reino que ele habita e domina. E milhões de criaturas no Universo o seguem e ninguém consegue demove-las desse caminho! Será que eles só pertencem ao Reino dos Negativos? E pelo que já foi constatado e demonstrado, essa contenda entre as duas facções negativa e positiva jamais terminará. Exatamente porque Deus ou o Núcleo Central Cósmico assim se manifesta.

Mas, então, existe no Todo Poderoso o lado positivo e o lado negativo diametralmente opostos como o Dia e a Noite, como a Luz e as Trevas? E a ascensão? O retorno glorioso e divino ao Criador se dá nas mesmas proporções para ambas as facções? Se Deus originou a tudo isso, por que Ele só permite a ascensão, o retorno a Ele dos positivos? É uma pergunta racional. E perguntar não ofende!

Vou tentar responder a essa pergunta que é tão complicada que eqüivale àquela outra: – De onde viemos, o que somos e para onde vamos?-

Realmente o Universo é composto dessas três forças primárias, ou seja: A Positiva, A Neutra e A Negativa, e milhões de outras forças secundárias que formam O Todo. Incluindo-se nestas, as forças de Atração e Repulsão, as forças de Ástole e Diástole, as forças Centrífugas e Centrípetas, as forças de Inspiração, as forças de Expiração, as forças do Amor, as forças do Ódio e assim por diante, sendo todas elas componentes daquelas três forças primárias, ou decomposições daquelas.

Entretanto, o predomínio é das forças positivas no final das contas. Mas, por que isso acontece se todas vem do Centro Gerador que é Deus ou Núcleo Central Cósmico?

A Igreja Católica acrescentou a essas forças a tríade: “Pai, Filho e Espírito Santo”, sem dizer que todos os planetas ao girarem em torno de seu eixo imaginário o fazem em movimento ternário ou seja, ou seja 3 por 4 ou seus múltiplos como 6 por 8 etc…, para incluirmos a música, quer dizer, um movimento redondo, circular, valsante.

Dentro desse equilíbrio harmônico sideral e cósmico noto que na parte que toca ao nosso sistema solar e ao nosso planeta Terra tudo se relaciona com o ternário. Por exemplo: São doze planetas existentes no nosso sistema solar, múltiplo de três portanto. A ciência só registra nove planetas até agora mas mesmo assim, múltiplo de três.*

O símbolo da cruz de Cristo obedece o movimento terciário, mesmo o formato da cruz é em quaternário. Por que? Porque ela é fixa e fixadora. Sem sombra de dívida há uma razão para tudo isso existir. E a razão é simples, o Universo gira constante sobre si próprio e isso nos traz a causa terciária de todas essas conseqüências. Disso resulta o equilíbrio entre as três forças Positivo, Neutro e Negativo.

Noto que o negativo explora e vive das mazelas e das falhas morais que campeiam o Universo e o Positivo se alimenta das causas e objetivos progressistas do Universo. O neutro fica sendo sempre o intermediador, assim são as distancias de vácuo que separa os planetas entre si. Sem ele não haveriam as viagens interplanetárias que os extraterrestres fazem. Pois o vácuo sendo neutro, permite velocidades inimagináveis.

Se para cá vieram avatares, mostrando ser melhor o positivo do que o negativo é porque o positivo é mais leve, desintoxicado, mais limpo e é claro, suas tendências pendem para a ascensão mais direta.

Já o negativo carregado de toxinas, mais pesado, mais impuro, mais sujo tende a rastejar, a permanecer na periferia universal, demorando-se ali milênios sem conta e com muita ou toda a dificuldade de se centralizar ou aglutinar para retornar ao núcleo.

Noto também que grande parte dos sistemas solares que se formam na periferia das Galáxias, são mais atrasados e os do centro da Galáxia quase todos mais adiantados, pois estes formaram-se antes são portanto mais velhos, e aqueles “recém formados” apesar de há milhões de anos, são mais novos e caminham para o centro, para o Núcleo da Galáxia.

Desta forma os negativos existem e devem existir para manter o equilíbrio de forças, porém são os positivos que caminham para a ascensão mais rápida pelas suas propriedades intrínsecas já mencionadas.

Os negativos vivem na periferia cósmico-sideral e os positivos já estão ligados por um canal ao Centro Gerador Positivo que é o predominante.

No Universo predomina o progresso não o retrocesso! E normalmente os negativos ficam retroagindo-se no tempo e no Espaço, chegam até o Núcleo mas levam muito mais tempo. No negativo predomina a destruição e não a progressão.

Por isso, a opção de um Jesus e dos demais avatares angelicais pelo positivismo, na crença sempre de um mundo e de um universo melhor com mais progresso, maior domínio do espirito sobre a matéria a qual, por sua natureza “rastejante” inibe o Espirito de galgar degraus mais elevados e, quando essa matéria negativa e, possui um espirito negativo aí então tudo se complica mais.

O ser de mente mais poderosa subjuga e escraviza os demais manipulando-os a seu bel prazer com objetivo de conseguir facilidades sem o mínimo esforço. Mal sabem eles que isso lhes custará uma eternidade inteira e só chegarão aonde os positivos chegaram, com muito sofrimento físico, moral e espiritual. A caminhada para eles será muito penosa. Mas, há os que assim preferem, quando olham o sofrimento de um Jesus, o sacrifício e abnegação de um Akenahton e de muitos outros e acham que sofrer por sofrer, eles permanecem “na deles” que seria mais original. Por essas e outras questões há quem denomine Deus de Grande Engodo ou Farsa…!

Pude constatar que a facção negativa universal tem seus poderes e alcance limitados, assim como seu conhecimento e sua sabedoria, pois, vivem num mundo inócuo, repelente, coberto de mazelas, dores e ranger de dentes, mesmo havendo aqueles que possuem tecnologia avançada, mas há uma grande estagnação espiritual.

A água só chega a ser vapor quando atinge 100º e o vapor só chega a ser água quando se resfria e se condensa. Os negativos, aqui mal comparando, seriam a água e os positivos o vapor já em nível mais elevado que a água. O mundo dos negativos é o mundo onde a luz não chega até lá, é lá onde os fotônios perdem seu poder vibratório e se apagam. É a periferia dos demais mundos onde a sobrevivência se dá com muito esforço e onde predominam a lei dos mais fortes, onde não a Consciência Divina brotada do Núcleo, apesar deles trazerem-na dentro de si.

A luz não chega até os mundos dos negativos porque a emissão, a produção por eles de fluídos deletérios, pegajosos forma uma espessa camada no astral e veda os raios solares. Daí a existência dos locais chamados de Furnas dos Umbrais, Umbral Inferior etc. Que são campos de domínio completo dos “príncipes das trevas”.

Portanto, essas duas facções que formam o equilíbrio Universal tem cada uma sua vida própria e autônoma, e por elas terem saído de Deus, tem seu livre arbítrio parar escolherem que lado querem permanecer. Podemos ter Deus dentro de nós mas não Senti-lo e se formos negativos teremos nosso lugar no mundo negativo, onde seremos utilizados para acender a Luz dos Mundos Necessitados. Não é uma condição de Castigo Divino, mas uma opção daquelas entidades cujas raízes pendem para o lado negativo. São facções ambíguas, diametralmente opostas desde quando foram geradas.

No decorrer dos tempos milenares foram atraindo para si outras entidades, milhares delas, da mesma faixa vibratória e da mesma afinidade. Mas, assim como há leis físicas que circunscrevem o Universo que traçam os limites e barreiras, há leis também que delimitam a aproximação, a infiltração, a repulsão ou a atração entre essas forças.

Nada, mas nada mesmo, ocorrerá se um ou outro lado não quiser, ou seja, só há corruptos porque também existem os corruptores e vice-versa. Esta é uma lei simples mas funciona e só é transgredida com o consentimento consciente ou não, de ambos as partes. Aí funciona o Livre Arbítrio e como conseqüência o inapelável Karma (choque de retorno) que funciona universalmente, apesar de muitas super-inteligências negativas tentarem burlá-la. Conseguem burlá-la durante milênios utilizando-se de artifícios inteligentes e maldosos mas chega o dia de Prestação de Contas “-Dia do Juízo Final”, quando então não poderá haver burla ou tapeações. Deus, tarda mas não falta!

Ser negativo é girar contrariamente ao giro normal do planeta em que ele habita, girar contrariamente ao sistema solar do qual esse planeta faz parte e contrariamente ao giro da Galáxia à qual esses sistema solar pertence. E como os planetas, os sistemas solares as galáxias giram da esquerda para a direita, quem gira em sentido contrário, ou seja, da direita para a esquerda torna-se negativo. Está girando contra as forças maiores.

Por essa razão e os Engenheiros Siderais, conhecedores que são de todas essas Leis, determinam um ciclo para progresso e evolução dos mundos e dos seres que os habitam e para solar e restruturar a periferia de cada galáxia que normalmente é composta por sistemas solares e planetas novos, ou seja, originados a pouco tempo dentro da Contagem Infinita de Tempo e Espaço e necessitam de uma alteração compulsória de sues “habitats”, fazem passar em sentido contrário a rotação da galáxia, dos sistemas solares e dos planetas, um gigantesco bólido negativo que reposiciona todos os astros em regiões mais adequadas no Cosmos e , esse bólido é um gigantesco planeta que percorre um trecho de nossa Galáxia e do nosso sistema solar, chama-se SIDÉRIUS. E vem em sentido contrário a rotação da Via-Láctea e do nosso sistema solar. Provocará uma mudança radical no sistema solar, mudará o órbita dos doze planetas (e não nove como a Ciência diz), verticalizará o eixo de alguns deles, entre estes, a Terra. Muitas hecatombes provocará, entre elas, a divisão do sistema solar em dois sistemas novos.

Um liderado pelo atual Sol que agrupará alguns planetas e o outro liderado pelo atual planeta Júpiter que também agrupará alguns dos doze planetas.

O Nosso Sistema Solar brevemente será avistado** por outros seres de planetas distantes como uma “Super-Nova” que “inchará” ao receber mais um sol aceso que é Sidérius, que, ao penetra-lo, aumentará o tamanho do sistema e ao deixa-lo dividido em dois dará a impressão a distância de que o nosso Sol e seu sistema solar explodiram.

Sidérius passará, seguindo sua missão de higienizador para o próximo sistema solar, seguindo sua milenar órbita. Esses acontecimentos estão previstos e estão sendo monitorados por seres extraterrestres positivos que calculam que ocorrerá entre meados do ano de 1997 a 1999 próximos.

Sidérius planeta gigantesco, um sol negativo com emanações deletérias age como o contraponto na música. É o contraponto e o ponto que formam os acordes harmônicos e a melodia, formando a música no seu todo. Uma música sem contraponto fica vazia, sem vibração, sem movimento, sem encanto, transforma-se em cantochão, o canto primitivo dos monastérios, triste, mórbida, sem começo, meio e fim. Assim também o canto e o contracanto que formam a melodia cantada. A dança e a contradança que formam a melodia dançada.

Nesse concerto cósmico-sideral que se realizará no fim deste século, o contraponto Sidérius, o da esquerda, o negativo, terá uma participação importante e que determinará o fim deste velho ciclo planetário. Sidérius levará consigo milhões de seres negativos em afinidade com ele e os irá descarregando noutros planetas, um início de vida planetária, para que estes seres recomecem tudo de novo, dando-lhes chances de novos progressos, novos ciclos e novos itinerários. E para estes seres, Deus não existirá por muito tempo e por muito tempo Ele será uma aberração, uma utopia, uma farsa. Mas Ele, generoso como a milhões de anos continuará sua criação, gerando novos planetas, novas civilizações novos sistemas dualistas ou trialistas sem dar a mínima importância a não ser aquela de circunscrever as Leis e nelas àqueles que habitam seus mundos!

E quando seres positivos com suas naves maravilhosas aparecerem por lá, levarão à eles que estarão negativados, desiludidos, saudosos de sues paraísos perdidos: o conhecimento sobre Deus, sobre o Universo, sobre suas Leis e as Leis de Convivência Social entre eles. Ai, então, para eles surgirá o dualismo, o Bem e o Mal, o Neutro (o intermediário) o mediunismo. Então, ocorrerão os choques de retorno a Lei do Karma se fará sentir pessoal e coletivamente, e aqueles seres, serão apelidados de deuses, querubins com suas “varias asas e varias cabeças”; e o novo ciclo de retorno ao Pai reiniciar-se-á e novo fim de ciclo chegará, novo contraponto se aproximará e novos expurgos se darão “ad-etenum”. Assim é o Universo Dualista e assim sempre será. Neste momento de transição, de final de ciclo e de final de século, vai parecer que tudo estará sob o domínio dos negativos. Vai parecer que os que trilham o caminho do bem , do positivismo, foram abandonados, parecerá que o nosso barco estará a deriva. E na verdade, a Terra que é o barco de todos terráqueos positivos, neutros ou negativos, estará a deriva no Espaço enquanto passar dentro da órbita do nosso sistema solar o gigantesco planeta Sidérius. Tudo será tragédia, escuridão total no momento em que o nosso querido Sol for afastado de sua órbita para formar novo sistema solar, e enquanto o luminoso planeta Júpiter não atrair para sua órbita parte dos planetas de nosso sistema que formarão com ele um outro sistema solar. Muito choro, muito pavor e muita dor advirão desses terríveis e próximos momentos que esta humanidade terá que enfrentar pois não quis ouvir as palavras suaves e magicas do Avatar Positivo Maior deste globo, Jesus Cristo.

Eu diria, trazendo para o tempo atual, que Ele teria dito: “- Tudo passará mas minhas palavras não passarão ”. Mas, poucos ouviram-no e dos que ouviram poucos o entenderam ou seguiram seus conselhos. E agora no “frigir dos ovos”, aqueles que não fizeram questão de ouvi-Lo, lutam desesperadamente formando novas seitas e religiões no afã de recuperarem os milhões de anos perdidos. É claro que sempre haverá tempo para recuperação, mas não sei se haverá o que recuperar tudo, pois nenhum de nós é perfeito, nenhum poderá “atirar a primeira pedra”. Ele também disse mais ou menos isso!

Mas isso não que dizer que não devemos lutar pelo que é justo e por aquilo que dê ensejo ao progresso da humanidade em geral, a começar pelas pequenas coisas, onde os negativos atuam com maior insistência e maior penetração, qual seja, a família, o direito de cada indivíduo morar em paz, em sua casa sem que seja perturbado por vizinhos barulhentos e sem escrúpulos***. O respeito pelo estilo de vida do semelhante desde que este não interfira maldosamente com a inveja, a cobiça, e outras mazelas. o patrimônio público deve ser zelado como se fosse parte de cada um de nós. O respeito no trânsito e no trato com as coisas alheias.

Por aí que começam as pulsações negativas a tentarem tomar conta e a tentarem reverter em prol de si mesmos os benefícios, os direitos e responsabilidades; esta última, de preferência, só quando forem a favor dos negativos pois eles são inimigos das responsabilidades. Apregoam e vivem da irresponsabilidade alheia e da sua própria. Consequentemente se transformam naquele vírus que sobrevive das infecções e das contaminações. E se esta fosse a conduta Divina correta****, então o Universo deveria existir e coexistir com elas, mas assim não é. O Universo é, por assim dizer, um organismo sadio e nele não predominam micróbios ou vírus destruidores do bem estar geral, este último sim, é que é predominante e deverá continuar, e todos os seres ou criaturas oriundas do Núcleo Central-Deus, almejam viver bem, sem qualquer risco de serem dizimadas ou mesmo perturbados em seu “status de progresso e ascensão maior”.

Tudo está afeito e circunscrito ao seu “habitat” original e nele os seres viventes traçam as suas trajetórias, e quando surgem elementos estranhos ou intrusos à essas trajetórias ai então se iniciam os choques e as destruições e até mesmo as autodestruições. O que vem ocorrendo no planeta Terra desde os primórdios da sua civilização. Entretanto, há alguns paradoxos em algumas nomenclaturas dentro de medicina ou da ciência terrestre, por exemplo: diz-se positivo ao exame do indivíduo que é portador de algum vírus prejudicial à sua saúde ou vírus de contaminação como H.I.V. da AIDS, ou seja, o indivíduo em cujo exame foi detectado aquele vírus é chamado de um portador positivo, quando deveria ser o contrário, ele deveria ser portador negativo pois, vai negativar toda a sua vida e toda a sociedade, assim também com os portadores de outras doenças tidas como perigosas e alarmantes. Mas, é apenas um condicionamento ou jogo de palavras; na verdade, o quadro geral universal já descrito por mim nas páginas anteriores, não se altera.

São Paulo, 08/ 06/ 93, às 23:50 h

* Ainda assim a Terra é o terceiro planeta mais próximo do Sol.
** Já está sendo avistado
*** Aqui refiro ao meu próprio convívio
**** Ou seja, conviver com vírus, infecções e contaminações

O Valor do Uso de Talismãs

O valor do uso de talismãs, colares, correntes, anéis, apetrechos vários oferendas, tais como: flores, comidas, bebidas, velas, rezas e orações e ainda sacrifícios de animais e outras formas. Há necessidade desse ritualismo? Isso é crendice popular, um mal necessário ou um bem pragmatizado?

Nenhum pragmatismo, ritualismo pagão e uso de qualquer apetrecho, objetos ou qualquer tipo de oferenda ou oração, seria necessário para um ser evoluído, cuja humanidade também fosse totalmente evoluída tecnicamente ou espiritualmente ou somasse o conjunto desses dois níveis.

Um ser evoluído, ou melhor, uma humanidade evoluída teria e tem o domínio do conhecimento com sabedoria e sabe, através do uso do seu potencial cerebral e espiritual, fazer uso do controle de todas as energias que a rodeiam e com ela se integram.

Em uma humanidade evoluída o padrão vibratório mental está nivelado nas faixas ultra-elevadas em contato contínuo com os centros ou entidades geradoras de forças. Estas por sua vez, já se situam em níveis de contatos nivelados com a Divindade, ou ainda, estão ligadas diretamente ao Núcleo Central Cósmico Deus. Em razão disso dispensam indutores psicológicos ou transformadores espirituais que seriam as entidades que na Terra, com uma humanidade em evolução, fazem o papel de Guias, para terem o sucesso desejado quer seja de âmbito positivo ou negativo na ajuda a seus protegidos ou pupilos. Infelizmente, a Terra ainda em franca evolução geral, ou seja, técnico-mental e espiritual, e pior ainda, está passando agora pela sua mais difícil fase de transição de transformação, o que permite a ebulição das forças geradas pela Natureza e pela mente humana. Essas forças partindo de várias fontes positivas, neutras e negativas, sãs ou doentias, entram em choque pois são antagônicas entre si, obrigando os contendores ou seja, os próprios seres humanos a temerem-se uns aos outros, a armarem-se e a se defenderem de tudo e de todos, ou contra tudo e contra todos e a produzirem seu imenso e variadíssimo arsenal: arsenal, este composto de armas, físicas, armas mentais (vibrações), armas psicológicas, armas indutoras, armas espirituais (guias ou protetores) e muitas outras “ad-infinitum”, fruto da insegurança, do medo, da ignorância ou da falta de sintonia com as fontes de fé, falta de sintonia com as fontes Maiores Geradoras das energias ou do plasma divino que toda a humanidade evoluída sabe como aproveitar suas emanações para sobreviver cósmica e sideralmente. Mesmo a música que a meu ver, e como ex-compositor numa das minhas reencarnações, é um dos meios mais diretos de contato com as fontes geradoras de energia, quer sejam estas fontes positivas ou negativas, é, assim mesmo, ainda um meio artificial do qual uma humanidade superior faz pouco ou nenhum uso para indução do seu ego grupal, porém, ainda é o melhor e mais neutro intermediário depois da prece.

Felizmente ou infelizmente na Terra o uso desse pragmatismo ou ritualismo é um mal necessário para suplantar, momentaneamente, aquelas falhas e fraquezas já apontadas acima, proporcionalmente ao grau de adiantamento ou de conhecimento alcançado por cada ser humano ou por cada entidade espiritual.

Portanto, dentro dos usos e costumes de uma humanidade como o da Terra é devido disparidade ou desigualdade de nível de evolução de cada um dos seus membros, se faz necessário conquanto seja contraditório, o emprego desses indutores, neutralizadores ou defensores e ainda regeneradores e mantenedores do equilíbrio da vida entre as esferas psicossomáticas ou seja, na física, na mental e na espiritual, sem o qual, toda a humanidade atual atrasada em seus princípios morais e espirituais básicos, estaria toda ela a mercê das forças de maior fluxo e de maior domínio que são as forças negativas devido as próprias falhas do ser humano ainda não espiritualizado.

A plasma resultante das vibrações das mentes espirituais e humanas sobre esses indutores, acrescida dos agravantes proporcionais pelo uso indiscriminado das drogas alucinógenas são de efeito inacreditáveis e devastadores dos usados negativamente pelo ser humano e não menos inacreditáveis, sensacionais e neutralizadores quando usados positivamente.

O Amor é o maior dos poderes humanos que aliado a fé e a princípios nobilitantes elevam a consciência humana aos mais altos níveis de divinização desprezando qualquer outro poder ou dom indutor, pois o amor assim composto, restabelece a aura, regenera as células, promove o equilíbrio endócrino e metabólico e na essência psicossomática da humanidade. Bastaria que o homem tivesse esse conjunto de forças guiado por um grande intelecto com sabedoria para que não precisasse mais de qualquer outro dispositivo pragmático ou ritualistico.

A mediunidade em suas variadas manifestações e tipos, é até agora o melhor conduto entre as várias esferas físicas e psíquicas, mentais e espirituais, e é através dessas variadas manifestações que os médiuns, que são os intermediários vivos entre esses campos, que a humanidade no atual nível kármico no qual se encontra pode e faz uso de todas as formas de indutores, catalisadores, neutralizadores e apetrechos de defesa e de ataque entre as forças do bem e do mal, positivas e negativas que se entrechocam pelo seu natural antagonismo dentro das milhares de esferas que abrangem o todo cósmico sideral do globo terrestre.

Essas esferas existem em proporção a cada degrau evolutivo ou involutivo atingido pelos seres humanos e seres dos demais reinos que são representados e liderados pelos Elementais, seres estes, que tem sob si a manipulação e o controle das forças da Natureza, as quais devem permanecer sempre em equilíbrio entre si, caso contrário, todo o planeta no seu conteúdo psicossomático, se desmorona.

E, sendo esses seres são tão naturais como a Natureza, são tão puros, ingênuos e providos de um altíssimo grau de senso intuitivo do que o senso racional ou sentimental, muitas vezes escapam dos seus primitivos habitats, atraídos pelos condutos indutores utilizados por mentes de grande poder porém com grande má fé e objetivos escusos, fugindo portanto ao controle das entidades superiores. Se faz necessário muitas vezes o uso de outros tipos de indutores, neutralizadores por parte das outras mentes positivas a fim de encaminhá-los novamente às suas psicosferas ou países de origem no Astral terrestre.

Desta forma agem também as mentes negativas, para atraírem entidades negativas, sofredoras, afeitas ao mal e que somente através de indutores usados em sentido contrário, podem ser rechaçados ou mesmo recolocados de volta às suas psicosferas negativas, ou os chamados baixos-astrais. Por isso, apesar de que para nós, aqueles que buscam sempre o sentido mais amplo da evolução da consciência, esse pragmatismo e ritualismo existente parecerem mais folclore, fruto da crendice popular, é necessária sua existência, seu uso e emprego para que não haja acentuado desequilíbrio de forças e não predominem as forças negativas o que levaria o planeta Terra ao caos mais rapidamente, antes até do tempo previsto. São por assim dizer, as vacinas, os medicamentos e os antídotos que a humanidade tem a seu dispor para uso como bem lhe aprouver, porém, sempre sob a responsabilidade kármica, ou seja, “aquele que plantar vento colhe tempestade”!

Não esqueçamos que a humanidade é, por assim dizer, um grande corpo psicossomático, com suas células, moléculas, átomos, elétrons e neutrons, que são representados na figura de cada ser vivente, seja na esfera física -humana, animal, vegetal ou mineral, tendo seus correspondentes diretos nas esferas mentais e espirituais, logo, sofrem solução de continuidade, disseminando todo o tipo de desequilíbrio em todos os reinos da natureza, por isso, a necessidade de indutores profiláticos, preventivos e até exterminadores das “bactérias formas pensamentos” para que estas não venham a se transformar em miasmas e bactérias físicas.

A Utilidade do Negativo ou do Não Positivo

Não é minha intenção fazer aqui a apologia do negativo, muito menos do negativismo, que seria o oposto do positivo e do positivismo, assim como a sombra é o oposto da luz, a esquerda é oposta da direita, a cor preta seria o oposto da cor branca, e no fanatismo separatista, o negro é o oposto do branco; o que é uma infantilidade, um retrocesso social, mental e espiritual do homem terrestre.

Na energia elétrica os fotônios que dão origem a luz dentro de uma lâmpada não existiriam sem o fio negativo e penso, dentro do meu humilde conhecimento cósmico, que, a luz sideral que ilumina os mundos, as galáxias, os sistemas solares, do astral superior ao astral inferior passando pelo físico visível, também é fruto de energias ou reagentes opostos.

Já são conhecidas nossas teorias e afirmações sobre a origem da Luz Solar, teorias estas que, já estão “revolucionando silenciosamente” o meio científico e haverão de ser constatadas ao longo dos futuros anos, antes do final do ciclo planetário.

Porém, apesar de ter certeza do que aqui vou analisar, sabedor de que não há efeito sem causa e que, a lei de Causa e Efeito ou Lei Karmica é a Lei que combina ou reconcilia os opostos, interliga o mal que é o oposto do bem, eu afirmo que o bem num planeta em evolução como a Terra não progrediria sem o mal que lhe serve de muletas e muitas vezes de ponta de lança, como obstáculo a ser vencido para aqueles que buscam a ascensão em todos os níveis quer sejam físicos ou espirituais.

Na verdade não há apenas uma dualidade cósmica nisso tudo; a meu ver há pelo menos uma tríade e que algumas religiões chamaram-na Santíssimas Trindade, que figurativamente, simbolicamente foi extraída do Positivo, do Neutro e do Negativo que são três fases magnético-astral que fornecem o movimento rotatório aos mundos e a tudo o que existe sobre eles. Por isso existe o dia, a tardinha, e a noite ou a noite, a alvorada, e o dia, aproveitando dessas faculdades próprias, a Natureza se faz conhecer com seus elementais e elementos que dominam especificamente de acordo com sua formação, cada uma dessas fases e ali Ela é a rainha, a dominadora pois é senhora de sua polaridade natural não interferindo nas demais polaridades, a não ser que se forme um conduto ou um intermediário, que no caso do mal e do bem é o próprio homem com sua mediunidade de várias gamas ou matizes.

Tudo na Terra tem como objetivo a meta do positivo ou do positivismo, tudo que gira sobre si próprio na Terra, gira da esquerda para a direita, isto por que a própria Terra gira também no eixo imaginário, da esquerda para a direita. Então, as tendências internas, todas elas, sejam físicas ou espirituais seguem para o bem, seguem para a direita, seguem do baixo para o alto. As próprias vibrações das coisas e de cada ser a tendência final é seguirem do baixo para o alto, daí as expressões: baixo astral (negativo ou esquerdo ou ainda o mal) e o alto astral (positivo ou direito ou ainda o bem). E todos sabemos que o que é torto não é direito e se não é direito não é bom e se não é bom é porque não serve para a maioria dos viventes ou dos desencarnados.

A vida e a morte; uma se opõe à outra; para as Entidades Astrais a vida é a morte, pois devem morrer no Astral para nascerem no corpo físico ou reencarnarem. Para os Viventes da Crosta Terrestre a morte é a vida pois também devem morrer no físico para renascerem em espírito. Desta forma, tendo-se como a vida física como sendo o meio do espirito resgatar pela dor seus males, e a vida espiritual como sendo o meio do espirito vivenciar e restaurar suas energias para novos empreendimentos, aquela (física) seria a parte negativa e esta (espiritual) a positiva.

Partindo do princípio que a luz é positiva para tudo que é positivo, ela seria então a “célula-mater” da Criação ou de tudo o que é Criado dentro do Universo. Uma das frases que costumo dizer é: “- O Sol não está preocupado se ao amanhecer na Terra ele extermina as bactérias das sombras e da umidade, simplesmente ele nasce e segue para Zênite “queimando” tudo, esquentando tudo dentro do alcance dos seus raios”- O Sol, também, não está preocupado se ao entardecer na Terra, novas bactérias da escuridão, novos fungos da umidade surgirão, esconde-se, para fazer a mesma coisa do outro lado do planeta”. Isto significa que aquilo ou aqueles que querem viver nas sombras, à margem da luz, esconder-se-ão do Sol e formarão um habitat próprio onde os raios solares não os alcançarão.

Penso que os antigos egípcios diziam: “Osiris segue com sua barca iluminada indiferente às fraquezas do homem, entretanto, ele é complacente à essas fraquezas e permite que durante os ciclos mensais, sua companheira Íris (a Lua), vele, iluminando com sua luz magnética o caminho noturno dos mortais”. Assim mesmo há aqueles, os ditos mortais e até os imortais, que vivem nos vários patamares ou biosferas astrais, ou psicosferas, que fazem uso ou mal uso dessas influências magnética lunares, com finalidades destrutivas, negativistas, mal sabendo eles que nesse momento são utilizados como “testas de ferro” ou pontas de lança em atividades regeneradoras karmicas ou não, da qual as entidades da Luz fazem uso em auxilio ao próprio planeta e aos seus habitantes. Por isso, nada se perde, tudo se transforma na Natureza, e, o sábio Lavoisier estava e está até hoje, sempre, certo.

Durante mais de 40 anos de pesquisas sobre o psiquismo humano e no contato direto com os seres extraterrenos (entidades desencarnadas da Terra) e com os seres extraterrestres (entidades encarnadas e habitantes de outros planetas), eu e minha esposa fomos levados a presenciar várias facetas do aproveitamento útil dessas transformações que a Natureza nos oferece e, é claro, procuramos absorver transmitindo a outros tudo o que aprendemos e que nos é permitido divulgar em forma de novos conhecimentos. Numa das sessões fechadas que fazíamos, de 3 a 4 vezes por semana, com esses seres, um fato nos chamou atenção e muito nos comoveu. Passarei a relatar, juntando explicações de entidades desses dois campos (extraterreno e extraterrestre), objetivados e legados tão espontaneamente por seres superiores a nós, no que diz respeito, principalmente, a Utilidade do Negativo suas funções e disfunções e sobre tudo a missão que, sem o saberem, estão encarregados durante milênios na eternidade do espirito.

Há mais ou menos uns 20 anos atrás, conforme nosso relato da época, fomos levados a assistir um quadro dantesco, ou seja, com a possibilidade de projeção do nosso duplo-etérico conservando nosso corpo físico bem instalados em nossas poltronas. Descemos vibracionalmente até as regiões abissais do Astral Inferior da Terra, levados por amigos invisíveis do plano espiritual. Entre eles um antiquíssimo amigo de nome DARMÁTSA que era o principal interessado em ir socorrer sua progenitora, a qual permanecia presa aquelas regiões, perdida que estava em seus “mil e um mea-culpa” numa espécie de circulo vicioso negativo sem fim, baldados os esforços daquele seu filho e de outras entidades mais elevadas.

Ocorria que, ela própria parecia não desejar sair daquela negra situação pois além de querer auto punir-se, ainda alimentava resquícios de mágoas e sobre tudo de vingança, o que a levou à uma tal degeneração de energia tendo conseguido destruir suas formas perispirituais. Ela havia se transformado em ovóide fazendo parte da grande legião de seres em forma de protozoários encrostada nos charcos existentes naquela medonha região.

É simplesmente indescritível o que fomos presenciando durante nossa ida até lá em breve permanência a fim de poder resgatarmos aquela infeliz criatura! Gostaríamos de que houvesse possibilidade de filmarmos aqueles acontecimentos e aquelas regiões e depois termos a permissão de exibirmos aqui em cima, na crosta terrestre, para os viventes tão desleixados, tão remitentes, maldosos, egoístas, corruptos etc., afim de que eles analisassem e vislumbrassem o que os aguardará se não mudarem seu atual “status vivendis”.

Podemos afirmar que Dante foi até suave e ameno quando descreveu suas visões do inferno. É simplesmente horrível, horripilante e não existem palavras que possam traduzir o que presenciamos. Contudo, lá chegamos após passarmos grandes medos e apreensões que nos sufocavam pouco a pouco a alma e não víamos a hora de retornar. A criatura a quem buscávamos era já uma larva mas seus pensamentos eram dilacerantes e tão doidos que nos causavam pena, dor, lástima, horror, e dilaceravam nosso coração, nosso sentimento.

A região era pútrida e exalava um cheiro nauseabundo, afastando todo aquele que de lá tentasse se aproximar, e quanto mais elevado fosse o ser mais longe dali gostaria de estar. Eram gemidos, gritos, uivos, gargalhadas de loucura, insanidades várias, gases tóxicos, escuridão total, a não ser o facho de luz que seguia a nossa frente produzido por uma fonte ou holofote, vindo do alto, sem sabermos a sua exata origem ou por quem era manipulado, apenas iluminava o suficiente para caminharmos enquanto pressentíamos sombras, vultos monstruosos a nos espreitar, e o nosso corpo, no sofá, em semi-letargia, estremecia querendo nos defender e almejando nossa volta imediata, um instinto claro de autodefesa, mas, nós não nos deixávamos levar pelas inquietações e apavoramentos e lá continuávamos persistentes ligados ao nosso objetivo de resgatar aquela alma sofredora.

Como Se Dá a Habitabilidade dos Mundos

Sendo Deus, O Núcleo Central Cósmico, esparge de Si para todos os quadrantes do Universo os seus raios-pensantes que aqui chamarei de Centelhas.

Essas centelhas por diferenciação de micro-pulsações no momento de sua geração levam um “Y” a mais ou a menos para que, quando busquem seus invólucros (corpos) nos seus “habitats” escolham a genética feminina ou masculina. Aqui não me refiro a sexo pois em grande parte dos planetas avançados seus habitantes são assexuados, ou seja, apesar de terem a diferenciação entre homem e mulher, macho e fêmea, masculino e feminino, não possuem sexo, por isso, as centelhas nesses casos, buscam aproximação dos indivíduos cujas cadeias genéticas lhes sejam mais afim. Por que em todos os mundos que avistei e que mantive contato com seus habitantes, distingui sempre o gênero feminino do masculino, tanto pelos trejeitos delicados, linhas de contorno delicadas, e principalmente pelo instinto maternal.

Comparados com as mulheres da Terra, o gênero feminino desses habitantes assexuados são mais delicados, mesmo não possuindo os “contornos esculturais” como as mulheres da Terra. E os homens, apesar de apresentarem uma característica própria são bem mais delicados que os homens da Terra, porém, bem masculinos na acepção do termo.

Há planetas avançados e outros em evolução, habitados apenas por hermafroditas, ou seja, contendo o gênero feminino e o masculino no mesmo corpo, apesar de serem assexuados, e nos planetas em evolução, há os habitados por hermafroditas portadores dos dois sexos, macho e fêmea. Nestes casos, variam muito os contornos físicos e sua estéticas, mas, pude observar a predominância da delicadeza racional e material e bem como o toque e a responsabilidade masculina. São seres ambíguos que, para os terráqueos, suscitariam espanto e incompreensão.

Mas o Núcleo Central Cósmico Deus, composto por milhões de inteligências que vieram se formando ao longo de bilhões e bilhões de anos, através da autotransformação, geração expontânea, auto-deformação, não está preocupado com o Anti-natural que é uma conseqüência do Natural, ou seja, O Núcleo Central age naturalmente expandido-se através de seus raios-pensantes ou centelhas seguem em busca de habitar um “habitat”. O “habitat” ou mundo que naturalmente foi formado antes, adquire características de atração, absorção, repulsão dos seus afins e não afins, assim sendo, cada centelha é atraída para a periferia daquele mundo que a atraiu, ali permanecendo por vários séculos burilando o ambiente físico e as psicosferas ao redor e em seu interior que lhe permitirão o bruxuleio de uma forma de vida física ou energética, tangível ou intangível, com braços, pernas, tronco e cabeça, olhos, ouvidos, aparelhos circulatórios, aparelhos respiratórios, nervos, músculos e veias, intestinos ou bolsas estomacais, ou apenas uma chama, uma forte luz que se alimenta da Fonte Maior, O Plano Divino.

Cada centelha formará com as outras que lhe são afins o seu próprio “habitat” e, enquanto o trabalho de burilamento astral é lentamente elaborado, formado assim as regiões chamadas “espirituais”, onde se situarão os anjos, os arcanjos, os espíritos de grande magnitude que abrirão caminho para as centelhas que habitarão o solo, a crosta planetária vai sofrendo as mutações ambientais que darão origem a um tipo de vida racional e progressista, visando sempre o retorno à sua fonte criadora, O Núcleo Central.

Desta forma, os mundos vão se originando com características próprias e aqueles que por naturalidade forem mais grosseiras terão chances de elevação para os mundos imediatamente superiores a eles, os quais, também se formaram naturalmente e assim sucessivamente.

Quando as centelhas conseguirem habitar seus próprios “habitats” e alcançarem mais rapidamente o progresso servirão de “professoras” para os mais atrasados, estes por sua vez, servirão de expiação ou de expurgo para aquelas centelhas retardatárias que não conseguiram se harmonizar e até desarmonizaram seus “habitats”, estas serão compungidas a irem até os mundos ou “habitats” mais inferiores e darem lá seus exemplos de vida e de conhecimento, porém, muitas vezes, essas centelhas se tornam revoltadas, e negativas e se voltam contra seus superiores e seu Criador, transformando-se nos “tais” “anjos-decaídos”, ou demônios, e outros congêneres de que são chamados pelos que habitam aqueles mundos mais inferiores, e que por serem inferiores passam a adorá-los e serem dominados por eles, que na sua ira e negatividade transformam aquele “habitat” em caos total e obrigando então aos Engenheiros Siderais, centelhas que como eles tiveram a mesma origem mas alcançaram a elevação mais firmemente, coloquem um sistema de drenagem ou de expurgo através de um planeta como o Sidérius, “coletador de negativos” e promovam uma limpeza e higienização dos “habitats” inferiores.

A Terra é considerada hoje um desses planetas inferiores onde haverá uma grande massa de expurgados para “habitats” mais rudimentares ainda que ela.

Após as centelhas se fixarem nas regiões periféricas do “habitat” para o qual foram atraídas e lá durante milhares de anos fomentarem o “status-quo” para habitá-lo, começam a baixar em direção a crosta ou aos mares em busca do futuro organismo com o qual se revestirão (no caso da Terra é com certeza que a primeira origem orgânica foi através de batráquios que tanto vivem na água como na terra e não apenas do macaco que pode ser uma ramificação posterior, Karmática-evolutiva do ser terrestre), encontrando-o dá-se então a “incorporação” da centelha que através de pulsações começa a dar ao organismo escolhido os primeiros indícios de personalidade, racionalidade, direção grupal, de vontade própria, independente daqueles da mesma espécie que não foram incorporados, e após outros milhares de anos de “fusões e confusões” começa a adquirir forma humanoide no caso de planetas como a Terra, e outras formas, no caso de planetas mais sutis ou menos densos e rudimentares. Aí vem o primata, o “homosapiens” e outros. Já nesse estado, começam então os processos morfológicos onde seres de planetas mais evoluídos aportam fazendo os cruzamentos necessários com as fêmeas a fim de fortalecer geneticamente o ser. São as chamadas “injeções-sangüíneas”, dando-se assim a formação do que eu chamo de “meridiano genético”; ramificação onde vamos encontrar vários seres em várias e indefinidas gerações com as mesmas características de traços, costumes, maneirismos, e outros detalhes, os quais não vem a ser apenas a “árvore genealógica” conhecida pela ciência, pois nesta inclui-se de preferência os antepassados e no “meridiano genético” nós vamos encontrar seres de raças diferentes, países opostos em localização, distantes, mas que as pessoas se parecem em tudo e fazem quase que as mesmas coisas, ou os mesmos trejeitos e condutas.

As Centelhas quando saem do Núcleo Central, são ainda embrutecidas, cruas e virgens, por isso necessitam das pré-adaptações nas psicosferas de seus futuros habitats e só muito tempo depois é que “nascem” em seus novos organismos ou invólucros e iniciam a jornada de exploração planetária, a vida propriamente dita e é quando então são regidas pelas Leis Kármicas que medirão suas ações e reações, obrigando-as a permanecerem ou não naquele estágio de evolução, permitindo-lhes sempre o uso de seu livre arbítrio, porém, compungindo-as “a colherem obrigatoriamente o que plantaram”, se positivos colhem positivos, se negativos colhem negativos, e, assim em todos os demais detalhes e nuânces da vida. Sempre buscando-lhes suas lapidações, suas ascensões de retorno ao Núcleo Central, e quando, milhares ou milhões de anos de árdua ascensão chegarem ao Núcleo, voltam a ser Deus, ou Engenheiros Siderais que semeiam e controlam tudo no Universo, mais especialmente o setor, o Meridiano Cósmico por onde passaram, viveram e se tornaram especialistas. Tal como, Gósbolau, que se situa na Galáxia Centrífugas, a cem milhões de anos luz distante nós, mas é responsável pelo Nosso Sistema Solar.

Contrariando o pensamento exclusivista da Ciência, eu diria que em todo os locais do Universo poderá haver espaço para uma centelha racional ou raio-pensante que é espargido do Núcleo Central, portanto, como a própria centelha faz seu “habitat” e o “habitat” faz a centelha, a Terra é apenas mais um entre esses trilhões de locais e por sinal um ínfimo local. Como as centelhas vão para todos os quadrantes, podem muito bem irem também alojarem-se nos mundos dos “quasars”, ou buracos negros e se o local contém energia negativa ou a anti-matéria do Universo, essas poderão ter um imenso potencial negativo e se escapam daqueles locais, promovem o desequilíbrio harmônico do Universo. Portanto, a meu ver, e analisando o que os meus amigos extraterrestres dizem, aqueles com os quais mantenho contato, as centelhas saem do Núcleo, como diamantes brutos a serem lapidados, e as lapidações se dão dentro dos “habitats’ para os quais elas foram atraídas e neles, bruxuleiam a vida e a sua ascensão de volta ao Núcleo Central para de novo participarem da criação do Universo, não mais como criaturas mas já como Criadoras.

Mas, caberia a pergunta: Por que é necessário todo esse trajeto para o círculo evolutivo, como um “moto-perpétuo” se a centelha poderia permanecer dentro do Núcleo e lá mesmo evoluir?

Porque o Núcleo Central Cósmico-Deus, é expansão, criação dinâmica, mutação contínua e a centelha segundos após espargida perde o teor vibratório Central, e vai perdendo mais e mais à medida que avança para o Universo e se distancia do seu Emissor. É como se ela fosse “quentíssima” no Núcleo, ao sair dele fosse gradativamente se “resfriando” até parar no “habitat” para o qual foi atraída.

Um exemplo simples para que o leitor possa visualizar melhor o que estou dizendo, basta pensar numa pedra de radium ou qualquer outro material radioativo ou não, como por exemplo uma lâmpada comum. Seria como se quiséssemos que as radiações ou os fotônios espargidos de cada uma daquelas fontes, voltassem ou não, saíssem do núcleo radioativo ou emissor dos fotônios. Impossível, porque depois de emitidos não tem mais retorno e se puséssemos um espelho refletor revestido de chumbo na frente do Núcleo emissor, as partículas radioativas ou fotonicas bateriam no espelho e retornando se chocariam com as outras partículas que estariam sendo emitidas. Ambas se chocariam e se desviariam uma da outra formando buracos ou manchas, como no Solo, e ao se chocarem, buscariam a periferia do seu Núcleo emissor e iriam nos parecer labaredas devido a grande quantidade e grande continuidade das emissões.

Outro exemplo, um tanto “simplista”, mas que retrata bem o que quero dizer é aquele de se querer fazer o espermatózoide retornar ao saco escrotal depois de ejaculado. Impossível. E, mesmo que o colocássemos de volta lá dentro, por meios artificiais, ele já não seria o mesmo, já se teria resfriado, morrido e poderia disseminar a morte dos demais em seu interior. Busquei este exemplo porque ele faz parte do quotidiano do ser humano.

E os elementais? São centelhas também? Como se originam? De onde vem?

Da mesma forma que as centelhas que saem do Núcleo Central buscam seu “habitat” condizente com seu teor vibratório, os elementais, centelhas racionais que são também, buscam no elemento da natureza, que forma seu “habitat”, a manifestação de seu físico ou do seu veículo biotípico para explorarem seu meio-ambiente. Alguns se formam das árvores e florestas; outros, das águas dos mares, das águas dos rios; outros do fogo, outros dos ambientes mais grosseiros, grotescos e até macabros, outros do ar e etc.

Muitos desses elementais são por assim dizer formas, pensamentos de seres humanos que por ali viveram durante centenas de anos e por ali mesmo desencarnaram. São como se fossem radiações de centelhas mais rudimentares que só mantiveram contato com os elementos e com a natureza do “habitat’ e do seu próprio ser que os leva a procurar seu magnetismo, condizente com seu teor vibratório.

Ainda hoje, os gnomos, elementais das cavernas, das pedras das minas, ainda nos aparecem vestidos ao tempo da idade-média, porque, estes brotaram naquela época e se mantém como se originaram. Outros são de épocas mais remotas, mas pelo que pude avaliar, vão desaparecendo ou sendo transladados para outros locais dentro do planeta ou para outro planeta à medida que os tempos vão mudando em seu “habitat” natural. Eles são frutos do meio-ambiente e do meio-pensante da época e de um povo. Passados esse ambiente, essa época, e esse pensamento conjugado, eles desaparecem. Não morrem, simplesmente passam a viver nas suas respectivas psicosferas que não se alteram ou, são transportados para planetas onde possam se manifestar livremente.

É claro que devem estar surgindo elementais modernos afeitos ao novo ambiente, já completamente alterado, onde impera a devastação do eco-sistema, onde o ser humano mais robotizado, não tem mais aquele cuidado e respeito pelo seu “habitat”, onde também, impera o crime, as drogas, os vícios de toda a ordem. Desse ambiente soturno e às vezes macabro e desumano surgem fatalmente elementais que brotam desse meio e auxiliados pela força mental da humanidade atual e das centelhas embrutecidas se locupletam dessa situação de caos dominante.

Há também os casos, se bem que reduzidos, de centelhas que habitaram corpo humano e que por circunstâncias inóspitas e inesperadas, e desencanto com o mundo do ser humano (o caso daquela entidade de nome ZAIDA que tem a parte superior do corpo mulher e a inferior, uma cauda de serpente), passam a adotar o meio elemental onde tiveram que viver e desencarnar. E, os casos de animais muito inteligentes, que conseguem subir os degraus da centelha dos elementais, para darem prosseguimento a sua evolução.

Mas há também os casos das aberrações kármicas entre as centelhas humanas, que por uma atuação muito negativa em seu passado, vem reencarnadas como seres humanos mas, com a mediunidade de transfiguração, que sob influência do magnetismo lunar transformam-se em animais principalmente em lobisomem, em vampiros e outros, mas estes não são considerados elementais são, isto sim, portadores de um pesado karma tóxico que os obriga a perambular pelas noites como mortos-vivos.

Assim também não são considerados elementais apesar de viverem, vampirizarem os viciados e seus vícios, as entidades do baixo-astral, tais como: Pombas-Giras, Exús, e outros que sugam os fluidos do prazer sexual, da bebida, do tabaco, das drogas, das doenças de modo geral, dos ambientes de jogos e prostituição, dos ambientes mórbidos, dos ambientes de crimes, das artimanhas, dos setores dos lesa-pátria, das cadeias, dos manicômios, enfim, esferas e psicosferas negativas. Apesar de que, detectei vários tipos de elementais perniciosos que também brotam desses ambientes e se alimentam dos fluidos e miasmas ali gerados. Tais entidades, muitas vezes antiquíssimas, possuidoras tanto de grande sabedoria quanto de domínio das forças malignas, nada mais são que aquelas centelhas das quais falei anteriormente que, revoltadas contra tudo e contra todos, principalmente contra o Criador passaram de Anjos Elevados à Anjos Decaídos, carregando seus perispíritos e os de suas pseudo-vítimas, na maior parte das vezes seus antigos algozes, de alto teor de toxinas negativas que não lhes permite mais voltar ao que eram, a não ser através de grandes sofrimentos drenadores pelos quais irremediavelmente, mais cedo ou mais tarde terão que enfrentar. Terão que espontaneamente perdoar, serem perdoados e antes de tudo, se auto-perdoarem.

Por isso, encontramos elementais de toda natureza e todo o tipo de conduta, tais como: conduta bondosa e prestativa, conduta maldosa e negativa, conduta zombeteira que fazem o mal e o bem ao mesmo tempo ou não fazem nenhum dos dois, conduta passiva, defensiva, e neutra, mas, tratando-se de elementais quase todos são puros e produtos do meio, podendo ser controlados por mentes mais poderosas que as deles. Na verdade, muitas vezes são utilizados por entidades maiores como instrumentos de efeitos físicos sobre a natureza humana e sobre o eco-sistema.

Entretanto, é bom salientar que essas entidades são também muito úteis nos trabalhos reversivos ou de correção do mal ou desarmonias praticados por outros ou por elas próprias. É a utilidade racional do negativo empregada pelas Entidades Superiores.

D. Yezzi
S.P., 27/11/95

Desiderata

Vá placidamente por entre o barulho e a pressa e lembre-se da paz que pode haver no silêncio. Tanto quanto possível, sem capitular, esteja de bem com todas as pessoas. Fale a sua verdade calma e claramente; e escute os outros, mesmo os estúpidos e ignorantes; também eles têm a sua história.

Evite pessoas barulhentas e agressivas. Elas são tormento para o espírito. Se você se comparar a outros, pode tornar-se vaidoso e amargo; porque sempre haverá pessoas superiores e inferiores a você. Desfrute suas conquistas assim como seus planos.

Mantenha-se interessado em sua própria carreira, mesmo que humilde; é o que realmente se possui na sorte incerta dos tempos. Exercite a cautela nos negócios; porque o mundo é cheio de artifícios. Mas não deixe que isso o torne cego à virtude que existe; muitas pessoas lutam por altos ideais; e por toda parte a vida é cheia de heroísmo.

Seja você mesmo.  Principalmente não finja afeição, nem seja cínico sobre o amor, porque em face de toda aridez e desencantamento ele é perene como a grama. Aceite gentilmente o conselho dos anos, renunciando com benevolência às coisas da juventude.

Cultive a força do espírito para proteger-se num infortúnio inesperado. Mas não se desgaste com temores imaginários. Muitos medos nascem da fadiga e da solidão. Acima de uma benéfica disciplina, seja bondoso consigo mesmo. Você é filho do Universo, não menos que as arvores e as estrelas. Você tem o direito de estar aqui. E, quer seja claro ou não para você, sem dúvida o Universo se desenrola como deveria.

Portanto, esteja em paz com Deus, qualquer que seja a sua forma de concebê-lo, e, seja qual for a sua lida e suas aspirações, na barulhenta confusão da vida, mantenha-se em paz com sua alma. Com todos os enganos, penas e sonhos desfeitos, este é ainda um mundo maravilhoso. Esteja atento.

Encontrado na velha Igreja Saint Paul, Baltimore, datado de l692 – 02/12/1988

“Nada podes ensinar a um homem, podes somente ajudá-lo a descobrir  coisas dentro de si mesmo.” — Galileu Galilei