O Que Acontece Após a Morte?

O Que Acontece Após a Morte?

Pergunta:

Olá novamente Sr. Domingos!

Poderia me responder algumas perguntas que me deixam em dúvida dia e noite?

  1. O que acontece quando morremos?
  2. Como é o processo?
  3. Existem seres que ajudam a gente “do outro lado”?
  4. Se existem seres iluminados, como encontrá-los?
  5. Caso não encontrá-los ou caso eles não existirem, o que fazer?

Muito obrigado,
Uerê

Resposta:

Prezado Uerê,

Aqui vão minhas respostas. Quase um livro. Peço a você que divulgue pois, muita gente precisa e vai querer saber desse este assunto:

  1. Não existe desencarne (morte) e reencarne (nascimento) iguais, apesar de aparentemente, parecerem ser idênticos! Ou seja, a morte e o nascimento são diferentes para cada pessoa. O moribundo pode estar sofrendo muito ou não estar sofrendo, mas, seu desprendimento será peculiar, exclusivo para ele, pois, vai depender do grau de adiantamento, de conhecimento e sobretudo, dos níveis de toxidade que ele pode estar carregando sobre si. Entenda-se por toxidade, todos os tipos de vicissitudes que dominam o ser humano, quando em vida, por exemplo, se no momento de sua morte ele estiver, vingativo, invejoso, avarento, odiando, não perdoando, cobiçando, tiver feito mal-uso de seus sentidos, como sexo, voz, olhos, ouvidos, mãos, pés, tiver sido um viciado em álcool, fumo, sexo, drogas, estiver ainda preso aos determinados tipos de alimentação, ter sido criminoso, traficante, desviado o dinheiro público ou de terceiros, mal uso da palavra, mal uso de suas prerrogativas de mando, de poder, seja em que área for, pública ou privada, enfim, ter sido um mal elemento, mesmo que as pessoas não tenham ficado sabendo de seus atos nefandos, e ainda mesmo que aparentemente ele possa não ter qualquer tipo de consciência, tudo ficará registrado nos chamados “Registros Akáshicos” ou seja, registros universais/siderais, tudo, mas, tudo mesmo, será o lastro, ou peso que o manterá por longo tempo dentro do corpo, até que a putrefação das células e moléculas se se desintegrem, arrebentando-lhe o cordão magnético que o prendia ao físico, e após, ele, já com seu teor magnético mesurado, será atraído para as regiões astralinas, tanto no Umbral como nos níveis mais elevados, nos quais, expurgará entre “amigos” comuns, ou seja da mesma afinidade ou como se diz na gíria, (da mesma laia) até que devidamente desintoxicado em seu Períspirito ele possa ser atraído para seu antigo clã familiar, de preferência e lá poder receber seu novo corpo. Devo frisar, que nem sempre o tempo que ele permanecer no astral, até que ele seja atraído para o novo corpo pode ser suficiente para ele se desintoxicar plenamente, daí ele trazer para sua nova vida, todos os sintomas das doenças ou dos vícios (os quais, também podem ser emocionais, mentais e etc.) e desta forma, volta para drenar suas toxinas em forma de doenças graves e de variadíssimos tipos. Teremos então, os elementos com deficiências graves, como câncer na laringe, no estomago, nos intestinos, fígado, baço, pâncreas, órgãos externos e outros órgãos internos, como olhos, voz, ouvido (os surdo-mudo) os aleijados, os portadores das doenças e tumores cerebrais, os portadores de síndrome de down e outras síndromes, incluindo-se as várias manifestações de epilepsia, catalepsia, loucura definitiva, aquela que é incurável, por sérias lesões cerebrais e mentais, de nascimento e por ações externas, tais como, choques, traumas e etc., bem como, as esquizofrenias, as depreções, os medos e tabus, os quais, também poderão estar ligados ao excesso de substância dopamina no cérebro, além dos distúrbios de mediunidade descontrolada ou mediunidade aberta. Todos esses sintomas e doenças, em sua maior parte, o indivíduo traz dentro desi karmicamente, pois ele retornou a vida com esses tipos de deficiência ou de carência, que com certeza, os especialistas das áreas da psiquiatria e psicologia, saberão como atenuar. É preciso salientar que, NÃO EXISTE INJUSIÇA DIVINA, tudo o que o ser humano aqui plantar, aqui ele colherá, mesmo que seja em reencarnações subsequentes. Eu vou mais longe dizendo que ” A BALA PERDIDA SÓ PEGA EM QUEM A ATIROU ANTES”, quer dizer que, não existe vítimas perante o Criador, apesar de no momento do acontecido, quando uma criança inocente é atingida, ela e seus parentes, inconformados, não sabem e não aceitam a fatalidade, mas, o espirito do que foi atingido sabe ou vai saber. O Mestre dizia “Eu Não vim para Mudar a Lei mas sim para cumpri-la” e Ele, sem exceção também foi aparentemente vítima da Lei Universal (veja o capitulo especifico sobre a Morte e a Missão de Jesus no meu segundo livro “O DNA Do Espirito E Os Extraterrestres“! Há outros casos de desencarne como aqueles provocados por acidentes, por assassinatos e outros que ocorrem inesperadamente, mesmo nestes casos, quando o espírito é expulso do físico, repentinamente ou abruptamente, estarão sujeitos ao peso das toxidades e ao tempo de desintoxicação. Há também os casos de suicídio, quando a pessoa, por covardia ou desespero, dá fim a sua própria vida pensando que assim se libertará de seus problemas, ledo engano! Ela, entrará num estágio tão penoso quanto, ou pior do aquele em que se encontrava quando em vida! Terá contra si, todo o peso de suas toxidades, mais uma agravante que é a de ter fugido da vida e a ter encurtado no seu tempo real programado para seu destino. Além de que, sofrer os traumas espirituais ou perispirituais do tipo de morte que provocou sobre si, ou seja, se foi por tiro, por veneno, por ter se atirado debaixo de um trem ou de um veículo qualquer e agora, por terem se utilizado de cartuchos de dinamites em volta do corpo, matado a si e a outras centenas de pessoas, que estarão atrás dela lá nas regiões umbralinas, em locais específicos só para os suicidas.
  2. Respondido acima.
  3. Sim, há seres socorristas do lado de lá que fazem o possível dentro de suas limitações para guiarem o desencarnado em seu novo “status”, bem como, preparando-os para a nova reencarnação, no exato momento para isso. Mas, essa ajuda não livrará aqueles que devem passar ou arcar com seus processos e responsabilidades.
  4. Sim, há seres iluminados do lado de lá, mas, como se encontram em patamares vibratórios mais elevados, só poderão ser encontrados, se o ser humano tiver também sua vibração elevada, ou se eles baixarem suas vibrações, o que é um grande sacrifício para eles, descerem até o ser menos elevado.
  5. Na verdade, a reencarnação é automática, ou seja, o ser desencarnado encontra-se do lado de lá necessitando retornar á matéria, pois essa é uma das cláusulas da Lei Universal, ele será atraído automaticamente para o seio do seu antigo clã, de preferência familiar, mas, para isso ocorrer, será necessário que haja alguém para dar à luz a ele e disposto a recebê-lo. Normalmente, já deverá ter havido um acordo para essa aceitação entre eles. A ajuda dos seres mais elevados Reencarnacionistas se dá no sentido de resguardar o nascimento de intromissões indesejáveis, tais como, inimigos do reencarnante, da futura mamãe e outros, que, por qualquer motivo, até pelo tipo de “habitat” inóspito, colocarem dificuldades várias! Vou dar um exemplo aqui, um tanto “animalesco”, mas, que penso, facilitará o entendimento de todos os que se interessarem pelo assunto. Temos aqui na Terra um exemplo típico que nos mostra como funciona essa questão do reencarne ou renascimento: A humanidade da Terra , é carnívora por excelência, então, assistimos a morte de milhões de animais bovinos, suínos e conforme os países, todos os outros tipos de animais, deveria haver a pergunta: Se existe a Justiça Divina e ela é igual para todos, como permite toda essa matança? Os mais afoitos dirão: Os animais vieram para alimentar o ser humano, consequentemente não há por que ter pena deles: Eu respondo: Sim, de certa forma, o nosso habitat permite e facilita a ingestão de carne de animais, o que não ocorrem em outros planetas evoluídos, sempre salientando, evoluídos, desta forma, aqui, quanto mais os animais são mortos, mais eles se reproduzem e retornam “dentro daquele bendito esquecimento” que já mencionei em capito especial do meu livro e dentro do meu site, e, quando o fazem, não retornam vingativos, ao contrário, voltam mansos, e se sujeitam a serem mortos até cruelmente para serem ingeridos de várias maneiras, quando que se no lugar deles, fossem os seres humanos a serem massacrados dessa forma, com certeza viriam vingativos e o círculo vicioso do kharma se instituiria “ad eternum”, ou seja, para sempre, mas, os animais, logo após serem sacrificados, são imediatamente atraídos para o seu meio, e não lembram do que passaram anteriormente, daí a reprodução continua, o que é uma “dádiva” para os criadores e pecuaristas que se enriquecem cada vez mais com essa indústria da morte de animais! Para evitar isso, conto aqui uma passagem pessoal comigo: tive uma cachorra da raça dogue alemão, grande, toda dourada, olhos dourados, nariz vermelho, de nome DAPHNÉ, em homenagem a suíte Daphnis et Clohé, de Ravel, que estava tocando no meu rádio, no momento exato em que eu a puxava do ventre da mãe dela no ato do seu nascimento. Ela só falta falar e eu aprendi com ela a sua linguagem que era, e é, pelos sopros do nariz, ou seja três curtos, três longos, um curto dois longos e assim por diante. Assim, criei uma afeição por ela e, quando por uma fatalidade, minha casa passou por uma grande enchente, não pude salvá-la, o que foi uma dor horrível para mim, como se eu tivesse perdido um ente da família, então num ato de desespero e para evitar esse “reencarne automático” que já mencionei, pedi ao meus Guias da terra, que não permitisse que ela reencarnasse, pois, gostaria de reencontrá-la quando eu retornasse ao campo espiritual. E assim foi feito! Hoje ela serve de cão guia para os socorristas que adentram ao Umbral para buscar alguns necessitados e eles a trazem para mim que a vejo, balançando sua cauda de contentamento quando me vê! Portanto, a todos aqueles que têm os mesmos princípios, podem fazer o mesmo com seus animais de estimação!

Todas essas informações apesar de eu ter-me alongado, ainda poderiam ser mais profundas, mas, para não ser cansativo e extenuante, pararei por aqui, não sem antes informar que, todas elas eu as recebi de seres mais evoluídos que eu, ou seja eu as verifiquei “in loco”, ou seja pessoalmente, mas, assim mesmo não me dá o direito de ser infalível. E ainda, que em planetas mais evoluídos, tudo ocorre diferentemente, devido ao nosso “habitat” ser um tanto grosseiro e dar margem a todas essas mazelas descritas!

O ser terráqueo não faz ideia nem de longe o que vem a ser a vida e o renascimento entre seres evoluídos!

Um forte Abraço e por favor divulgue sem exceção!
DYezzi::.

A música altera os pensamentos?

A música altera os pensamentos?

Pergunta:

Querido amigo e mentor,

Sobre o que você disse sobre usar a música para alterar seus pensamentos, sempre tive a impressão de que quando ouço determinadas músicas, ocorre uma transformação dentro de mim. Já diz o ditado,”quem canta seus males espanta”, né?

Abraços fraternais!!!
Mantuano

Resposta:

Oi Mantuano,

Cada nota tem uma cor especifica, ela vibra na sua determinada cor. Portanto, um acorde feito de várias notas são várias cores, uma sinfonia, um concerto, uma sonata e mesmo um chorinho, um fox, um boogie, jazz etc. cada um tem sua cor, e de acordo com a necessidade da pessoa, essas cores penetram em seus poros e lexos e chakras, harmonizando ou desarmonizando seu todo psicossomático. Quando uma nota é vibrada e de acordo com o instrumento que a vibra, após ela se transformar em som, logo em seguida se transforma num gás colorido que se espalha por todo o ambiente e segue para o espaço. Esse ambiente pode ser um lar, um teatro e etc. Dai, a sensação que temos de gostar ou não de determinada música, e percebermos que algumas delas nos deixam em baixo astral, depressão etc., e outras nos aquecem, estimulam nossa mente e sentimentos, acelerando nosso metabolismo. Levando-se em conta as músicas que contêm palavras e estas também são indutoras sobre nosso psiquismo.

Abraços,
DYezzi::.

Os Chákras são inerentes somente ao planeta Terra?

Chakras

Pergunta:

Os chakras são inerentes ao planeta Terra ou em outros planetas também existem nos extraterrestes dos mesmos? Havendo matéria os chakas se manisfestam?

Forte abraço.
Mantuano

Resposta:

Oi Prezado Mantuano,

Grato por seu e-mail e por sua pergunta.

Os plexos e chakras são vortices energéticos, pelos quais todo corpo, seja humano ou não, recebe ou expele suas energias. Os primeiros, são pontos palpáveis em cada corpo (eu registrei 12) conforme expliquei no meu primeiro lvro. Estes, a medicina alopática conhece mas, nem sempre se dá conta da existencia deles. Sendo melhor observados pela medicina oriental, a chinesa, a indiana e etc. Os segundos, são em mesmo número (12) e se situam abaixo de cada plexo e estão ligados na parte espiritual ou energética de cada corpo. Ambos (plexos e chakras) devem girar em sincronia e sintonia da esquerda para a direita (no sentido do ponteiro do relógio) e, quando o corpo não está bom, não está em equilibrio, um ou outro ou ambos, se desarmonizam e por serem vortices, atraem para dentro do corpo todas as anomalias existentes externamente, permitindo assim, a descompensação energética daquele corpo, seja só na parte onde estão situados ou no corpo inteiro. Portanto, para que haja equilibrio de forças, eles precisam estar sempre girando hamoniosamante da esquerda para a direita, e para que isso ocorra, se esse corpo for de um ser humano da Terra ou de QUALQUER OUTRO PLANETA, o proprietário desse corpo, nas funções espirito e matéria, (psicossomáticas), tem que estar com seu pensamento positivado, aceso, brilhante e só almejando coisas positivas, caso contrário, atrairá para dentro de si as bactérias do ar ou do ambiente, ou os micro-organismos exalados ou emitidos por outras pessoas, estes são os assim chamados “miásmas”, invisiveis aos olhos humanos e que se encaminham magnáticamente obedecendo a Lei de Atração e Repulsão ou de afinidades.

Dá para escrever um livro só sobre isso, mas, por enquanto fico por aqui, se precisar algo mais, basta escrever.

Um forte abraço a você à sua esposa e filhos.
DYezzi::.

Estilos de música e suas influências

Música

Pergunta:

Estilos músicas como heavy metal tendem a nos deixar “negativos”? Ou a soma de nosso estado mental/espiritual no momento + este estilo de música que pode nos fazer mau? Pois quando de meus 14 – 15 anos eu tinha um vinil do grupo Iron Maiden que eu adorava naquela época e não me causava esse tipo de sensação. Desde já, grato, querido amigo.

Abraços,
Mantuano

Resposta:

Oi Prezado Mantuano,

Não sei se voce sabe, fui um compositor antigo, razão pela qual recebo em meu astral vários compositores ainda desencarnados e alguns deles me mandaram mensagens assinadas que se encontram no meu primeiro livro. Meu terceiro livro, já pronto para ser editado, faltando apenas o patrocinador ($$$$) se chama “Nas Entrepautas da Música”, já registrado, no qual eu explico muitos detalhes da musica para aqueles que querem aprender a ouvir música e conhecer seus detalhes ocultos, como esses que você me pergunta.

Sim esse tipo de música tem coloração de tons escuros e negativistas, que interpenetram pelos poros, plexos e chacras das pessoas e ao invez de elevarem suas vibrações, as faz declinar. Razão pela qual, quem as toca, e quem as ouve, são ligadas às drogas e à bebida, pois, no auge do som ou melhor ruido, seus subconscientes apelam para as “viagens” toxicas e sexuais desvairadamente, o que resulta na grande massa viciada e dependente.

Não sou contra, mas, acho que é fruto do final dos tempos e desta sociedade humana, um tanto desumana e deseperada que já antevê os momentos trágicos que vão ocorrer em nosso planeta.

Aconselharia a você ouvir compositores clássicos e se preferir trilhas sonoras para descansar a mente, escolha compositores como Ennio Morricone, Burt Bacharach, e dezenas de outros mais romanticos e objetivos.

Abraços e disponha.
DYezzi::.

Meditações Para o Terceiro Milênio – Psicoscopia

Hoje, excepcionalmente vou abrir espaço nesta coluna para um texto da maior importância e significação, escrito pelo amadíssimo amigo e milenar irmão no ano de 1965, irmão esse que atualmente tem a sua estrutura energética atômica humanizada e humanizada em “habitat” na forma física do preclaríssimo Dr. Domingos Yezzi, residente na capital de São Paulo onde também atua como primeiro violinista de orquestras sinfônicas. Fala sobre temas do mundo do futuro, como o psicoscópo e mentografia. Este é o oitavo artigo de uma serie que ao seu término estará formando excelente apostila sem nada custar ao leitor – aluno a não ser a aquisição do seu exemplar de O Estado de Goiás na banca da sua preferência na capital ou no interior. Eis abaixo e em próxima edição o texto a que me refiro: PSICOSCOPIA.

“Psicoscopia”: Termo criado por mim em função de um aparelho denominado psicoscópio, existente apenas no campo astral (espiritual), descrito pelo espírito de André Luiz, através do médium Francisco Cândido Xavier, em seu livro “Mecanismos da Mediunidade”. Tal aparelho astral, conforme André Luiz, é utilizado pelas entidades médicas para exames psicofísicos de pessoas vivas, sãs ou doentes, às quais, por qualquer motivo, seja de cunho médico ou de estudos analíticos espirituais, tenham que ser submetidas a um exame minucioso, abrangendo todo comportamento celular do perispírito. Desta forma, todo o conjunto psicossomático de um indivíduo, fica exposto em todos os seus pormenores, quando submetido a um exame através do psicoscópio, ou seja, pela psicoscopia.

Ainda conforme descrição de André Luiz, o exame é feito da seguinte maneira: As entidades médicas espirituais, ao visitarem um lar com intenções de submeterem uma pessoa a tal exame, ligam o psicoscópio astral na tomada de energia sutil ou quintescenciada, da qual, se utilizará para funcionar. As entidades colocam o aparelho sobre o corpo da pessoa que se acende totalmente pondo à mostra todos os músculos, glândulas, veias, todos os órgãos internos enfim o corpo humano e toda sua constituição, até o cérebro, abrangendo o corpo astral, que é o perispírito todos os seus órgãos paralelos são expostos em segundos, como se fossem submetidos a um exame radiográfico, com uma diferença, que na psicoscopia, as entidades podem acompanhar ‘in loco” todo o movimento celular e dos organismos de defesa (anticorpos) e bem como, dos agentes causadores das possíveis anomalias e desequilíbrios psicossomáticos do paciente. Podem diagnosticar as causas, mesmo sendo estas de origem perispirituais do passado ou do presente emocionais ou físicas. assim, com esse maravilhoso aparelho, as entidades podem medicar interferindo magneticamente através de induções várias, corrigir os “circuitos” perispirituais e obtendo assim a correspondente regeneração das células físicas. Podem as entidades através de médiuns curadores indicarem o tratamento adequado se assim for necessário.

Baseado nessas possibilidades e propriedades desse aparelho, que eu, pessoalmente acredito existir no campo astral, e que futuramente poderá vir a existir no campo físico dependendo de uma séria pesquisa dos “experts” em eletrônica e em cibernética e bem como, se possível de um entrosamento intuitivo ou indutivo entre eles e os “experts” inventores do aparelho no campo espiritual, e aqui fica a minha sugestão.

Escrevi este trabalho, extraindo excertos da publicação de André Luiz , sem contudo, copiar “ipses literis” o que ele divulgou, servindo apenas da essência do conteúdo daquele trabalho para composição destas minhas idéias, as quais foram vertidas para o papel na tentativa de “ radiografar psicoscopicamente” o organismo ou o conjunto físico espiritual humano no seu viver quotidiano e que passa por mil e uma situações e induções quer vindas do próprio campo ou espaço físico, quer vindas do campo astral ou espaço espiritual.

Mais atualmente, no campo no qual me especializei, através de extenuantes pesquisas vivenciais de mais de 30 anos, que é o campo cósmico ou Extra-terrestre, em contato com seres vivos de outros planetas, os quais queiram ou não os chamados céticos, atuam direta ou indiretamente sobre o comportamento do ser humano da Terra quer se situe este ser humano no espaço físico ou no espaço espiritual.

Atualmente na Terra, o homem vive buscando os aperfeiçoamentos médico-ciêntíficos que lhe permitam maior longevidade ou, pelo menos lhe assegurem órgãos físicos mais perfeitos que permitam a ele viver a sua irremediável velhice com maior lucidez e menos dificuldade. No curso das atuais doações de órgãos, implantes e transplantes que são feitos ainda com grandes riscos, tanto para os doadores e mais ainda para os receptores.

Os problemas das rejeições nos receptores, já é sobejamente conhecido através dos noticiários médicos e pelos órgãos de comunicação em geral. Por isso vou ater-me aos problemas dos doadores, mais propriamente daqueles que doam seus órgãos ainda em vida para que os mesmos sejam extraídos após a sua morte. E, é aqui que começam os problemas ou dilemas pois nem sempre há tempo suficiente para a espera da confirmação da morte física ou morte clínica para que um órgão seja extraído a tempo de não se deteriorar. Ocorrendo vez por outra grandes falhas daqueles que tem sob sua responsabilidade o dever de atestar a morte, tornando um grave problema das confirmações da morte física ou morte clínica como é denominada.

Não só para aquelas pessoas que são doadoras de órgãos e sua morte, tenha ocorrido naturalmente ou acidentalmente, mas principalmente para aquelas pessoas doadoras ou não que são portadoras de doenças nervosas ou psíquicas e que permanecem durante um bom lapso de tempo em estado de vida vegetativa, em estado de catalepsia, confundindo os médicos que atestam sua morte prematuramente sem que a mesma tenha realmente ocorrido provocando assim as dezenas ou centenas de casos de enterramento de pessoas ainda vivas ou a extirpação de seus órgãos doados com seu físico ainda vivo. Além do que entrando agora na casuística eminentemente espiritual, teríamos os problemas dos espíritos arraigados, ou melhor, imantados à matéria e que não conseguem se desprender do corpo inerte, durante um bom tempo após a morte real deste. São presas através de suas próprias produções mentais negativas formam poderosos fios magnéticos que as permite sentir todas as sensações de uma pessoa viva. Consequentemente, se forem doadoras teriam que ser ajudadas em seu desligamento para que seus órgãos doados, fossem extirpados convenientemente, isentos então de qualquer vibração negativa que o espírito em desespero descarregaria sobre ele.

O psicoscópio se inventado entre nos, poderia detectar através de profunda análise que proporcionaria ao chegar as radiações auricas emitidas pelo corpo ainda vivo ou pelo espírito ainda preso ao cadáver. A tonalidade das cores, as reações mais íntimas físicas, mentais e espirituais indicariam com precisão, se o espírito já estaria ou não desligado ou em vias de se desligar do corpo, e, em caso de premente necessidade ajudaria ou facilitaria seu desligamento, permitindo assim, que a junta médica pudesse extrair a tempo os órgãos a serem doados. E ainda conforme as cores emitidas e as demais reações constatadas e mais, tudo aquilo que se pudesse enxergar através da transparência e luminosidade que o psicoscópio provocaria no corpo, seria esquadrinhado, dando visão total da situação pré e pós mortem. Há o problema da voltagem!

Mas, o cérebro espiritual emissor (mentor), gradua o pensamento e a expressão, de acordo com a capacidade do cérebro humano receptor e do ambiente que o cerca, ajustando-se-lhes às possibilidades, tanto quanto o técnico de eletricidade controla a projeção de energia, segundo a rede dos elementos receptivos.

Cada elemento recebe de conformidade com a estrutura que lhe é própria.

A lâmpada em cujo bojo se faz luz, arroja-se de si mesmos os fotônios, que são elementos vivos da Natureza, a vibrarem no “espaço físico”, através dos movimentos que lhe são peculiares, e a alma, em cuja intimidade se processa a idéia irradiante, lança fora de si os princípios espirituais, condensados na força ponderável e múltipla do pensamento, princípios esses com que influímos no “espaço mental”. Os mundos atuam uns sobre os outros pelas irradiações que despendem e as almas influenciam-se mutuamente, por intermédio dos agentes mentais que produzem.

Assim como existem valiosas observações alusivas à química da matéria densa, relacionando-lhe as unidades atômicas, o campo da mente oferece largas possibilidades ao estudo de suas combinações. Pensamentos de crueldade, revolta, tristeza, amor, compreensão, esperança ou alegria, além dos centros especiais que governam a cabeça, o rosto, os olhos, os ouvidos, e os membros, em conjunto com os centros da fala, da linguagem, da visão, da audição, da memória, da escrita, do paladar, da deglutição, do tato, do olfato, do registro de calor e frio, da dor, do equilíbrio muscular, da comunhão com os valores internos da mente, da ligação com o mundo exterior, da imaginação, do gosto estético, dos variados estímulos artísticos e tantas outras quantas sejam as aquisições da experiência acumulada pelo ser que conquista a própria individualidade, passo a passo e esforço a esforço, inalterando-a pelo trabalho constante para a sublimação integral, a face de todas as vias de progresso e aprimoramento que o mundo lhe possa oferecer através das inúmeras romagens no seio da matéria ao longo de todo o espaço de tempo que lhe aprouver, já que para a centelha, o tempo não se torna obstáculo.

A onda mental possui determinados coeficientes de força na concentração silenciosa, no verbo exteriorizado ou na palavra escrita, tendo natureza diferenciada, com características e pesos próprios, adensando a alma ou sutilizando-a, além de lhe definirem as qualidades magnéticas.

Somos naturalmente vítimas ou beneficiários de nossas próprias criações, segundo as correntes mentais que projetamos, escravizando-nos a compromissos com a retaguarda de nossas experiências ou libertando-nos para a vanguarda do progresso, conforme nossas deliberações e atividades, em harmonia ou em desarmonia com as leis cósmicas imutáveis.

Temos então, o fenômeno da perfeita assimilação de correntes mentais que preside habitualmente, a quase todos os fatos mediúnicos. Para a clareza de raciocínio comparemos a organização humana, ou seja, o corpo humano e a sua alma, a um aparelho receptor, quais os que conhecemos nos domínios da radiofonia. A emissão mental oriunda do cérebro espiritual (Mentor) condensando-lhe o pensamento, envolve toda a organização psíquica e corpórea, em profusão de raios que lhe alcançam o campo interior, primeiramente pelos poros, que são miríades de antenas às quais essa emissão adquire o aspecto de impressões fracas e indecisas.

Essas impressões apoiam-se nos centros (chakras) do corpo espiritual (perispírito), que funcionam à guisa de condensadores, atingem, de imediato, os cabos do sistema nervoso, a desempenharem o papel de preciosas, bobinas de indução, acumulando-se ai num átimo e reconstituindo-se, automaticamente, no cérebro, onde possuímos centenas de centros motores, semelhante a milagroso teclado de eletroimãs, ligados uns aos outros e em cujos fulcros dinâmicos, se processam as ações e as reações mentais, que determinam vibrações criativas, através do pensamento ou da palavra, considerando-se o encéfalo como poderosa estação emissora e receptora e a boca por valioso alto-falante.

Tais estímulos se expressam ainda pelo mecanismo das mãos e dos pés ou pelas impressões dos sentidos e dos órgãos que trabalham na feição de guindastes e condutores, transformadores e analistas, sob o comando direto da mente.

O Martírio de Jesus de Nazareth

São Paulo – Semana Santa de abril de 1995

Dedicado às minhas Queridas Conceição e Regiane

O que aqui vai descrito, foi captado pelo processo que denominei de mentografia, que nos permite assistir as cenas que se passaram há milhares de anos atras (quase uma psicometria), nos permite visualizar os mínimos detalhes dos fatos como se naquela época estivéssemos vivendo, ao mesmo tempo que vamos escrevendo ou descrevendo os acontecimentos. Não é igual a psicografia porque este é um processo mecânico, automático, no qual o médium não participa do que está ocorrendo apenas escreve sem vontade própria, sua mão é dirigida pela entidade comunicante.

Na mentografia, além de ser um processo de escrita direta a longas distâncias Inter-Vivos, nós, os médiuns, ou intermediários, participam de tudo, utilizando-se da Telepatia, da Psicometria, da Incorporação Inter-Vivos, da Materialização Inter-Vivos, da Projeção do Duplo-Etérico às longas Distâncias (Viagens astrais) e outros fenômenos.

Acredito que grande parte daqueles que lerão estas páginas e se afinarem com seu conteúdo, com certeza, serão os remanescentes reencarnados da Atlântida da época de Antúlio de Mah-á-Etel que na linguagem atlante quer dizer: Antúlio da Estrela Platinada (Vênus) de há 50 mil anos atrás naquele imenso continente hoje submerso no Oceano Atlântico entre as Américas e as Ilhas Caribes. Hoje, milhares como nós reencarnados e outras milhares ainda no Espaço, desencarnados, mas que vieram seguindo os passos do Grande Mestre Jesus que, naquela época já era um grande líder espiritual programando suas futuras reencarnações através dos tempos e suas missões sempre em defesa do Bem, dos fracos e dos humildes, e que com sabedoria, humildade e mansidão haveria de nos deixar grandes exemplos, principalmente em sua reencarnação como Jesus de Nazaré. Esse grande contigente que poderá estar em sintonia com o que aqui vai descrito, fez e faz parte daquele Clã de espíritos abnegados, missionários mentalistas, amantes do Bem e da Grande Harmonia Cósmica que para Terra vieram oriundos do planeta Vênus, planeta já evoluído naquela época principalmente no que se refere à evolução espiritual, com uma população, uma humanidade bondosa, pacífica, contrária visceralmente à belicosidade e que ainda não mede esforços em sacrificar a própria vida pelos seus semelhantes mesmo que estes não sejam do seu planeta. Haja visto, os grandes e importantes pacifistas de vários países aqui na Terra que soubemos, com certeza, serem eles de origem venusiana, mesmo que isto lhes custe milhares de anos de sofrimentos físicos, morais, espirituais, psíquicos e venham a prendê-los através do karma num planeta e uma humanidade embrutecida como a terrestre.

Esta imensa dedicação humanistica por parte da humanidade venusiana tem lhe custado um altíssimo preço, pois muitos de seus líderes espirituais, outrora livres pensadores quando lá viviam, acabam permanecendo na Terra por dezenas e centenas de reencarnações de prova e de resgate, pois tendo eles grande força mental acabam atingindo seus algozes através da magia e assim pagam por fazerem mal uso dos seus conhecimentos, que os desciam dos objetivos e ideais traçados há milênios. Jesus conseguiu refrear essas forças mentais e perdoar aqueles que o perseguiram. Foi, talvez entre alguns outros uma exceção.

Milhares dos antigos habitantes dos antigos continentes da Lemúria e da Atlântida, antes desses continentes submergirem, eles subiram para o planalto em busca de outras terras e lá deram origem às civilizações de grandes pensadores, hermetistas, humanistas, mentalistas, magos, pacifistas e outros, mais ligados as áreas do psiquismo humano e foram pioneiros entre os Vedas anteriores ao povo Hindu, posteriormente, entre os Hindus, entre os Tibetanos, entre os Egípcios, os Chineses, os Astecas, Toltecas, Maias, os Incas, os Druídas que por sua vez lideravam os Celtas. Enfim, povos que predominantemente se apegavam à magia, a feitiçaria, entre os Ciganos povo nômade que teve sua origem na Índia e se espalhou pelo mundo conservando seus antigos costumes e é claro, entre as raças pós-diluvianas que foram os Babilônios, os Assírios, os Macedônios e outros que se mesclaram com os reencarnados oriundos da estrela Capela e que formaram as raças do Oriente Médio, os assim chamados arianos e israelitas que redundaram na formação de uma humanidade técnica e mentalmente mais arrojada dando ensejo à miscigenação racial para a acolhida do nascimento da ramificação genética que faria brotar o Mestre-dos-Mestres, Jesus.

Após todo esse tempo e toda essa miscigenação racial e a redistribuição de espíritos pelos quatro cantos do globo, bem como a fusão com outros espíritos belicosos vindos do Capela (o famoso paraíso perdido da raça adâmica) os quais pela sua índole e cupidez, empáfia, malignidade, perversidade, etc., etc., também deram origem à povos guerreiros, conquistadores, usurpadores, vilipendiadores das raças e respectivos conhecimentos, pode Jesus programar seu renascimento de há dois mil anos atrás em Belém na Judéia, e que depois também foi acolhido entre os Essênios que faziam parte daquele seu antigo clã da Atlântida.

Há também a outra parte dos que lerem estes relatos que não concordará com o seu conteúdo por falta da afinidade e da sintonia fina com os fatos e também porque os seus dogmas, preconceitos e fanatismo de toda a sorte inclusive o religioso, não conseguirá admitir ou entender que o Espírito de Jesus é um espírito humano como todos os nossos espíritos ou o espírito de cada um de nós.

Acreditem se quiserem, uma vez Ele nos disse através da telepatia e projeção de sua imagem dentro do astral ou psicosfera de nossa casa de Ribeirão Pires: “- Os seres humanos necessitam sempre temer ou acreditar em algo maior que eles, algo sobre-humano, algo sobrenatural, por isso colocam a mim dentro de uma redoma cósmica de onde eu não possa sair, para que eles dêem vazão às suas faltas através de adorações e promessas, esquecendo-se eles que eu fui e sou ser humano e quero estar junto ao ser humano, meu trabalho no planeta de onde vim e na Terra sempre foi em prol do ser humano. Preciso dialogar com o ser humano e gosto de ser visto como tal, por isso, eles e suas religiões não admitem que eu e outras entidades elevadas possamos descer e entrar em contato com os seres humanos através de outros seres humanos. É uma questão de sintonia e nivelamento de vibrações e isto eu faço sempre. Não gosto de situar-me num pedestal. Sou o que sou hoje, graças a ajuda de outros seres humanos de uma grandeza de alma infinita, sem a qual o Cristo tanto apregoado não existiria; entre estes seres maravilhosos está o aparelho que capta hoje estas linhas (minha esposa), o seu companheiro, sua filha e dezenas de outros”.

Para mim que agora estou compilando aquilo que nos fora dito há anos atrás, é uma dádiva muito especial poder comentar e escrever sobre o Grande Mestre, mas para isto tenho que reportar-me aos “porquês” de sermos nós em fazê-lo e tentar explicar como isto foi possível e através de quais dons e fenômenos conseguimos fazê-lo.

Só após o nosso desenvolvimento psíquico, mediúnico e o desenvolvimento das faculdades paranormais como: a psicometria, as projeções do duplo-etérico (viagens astrais), (saídas fora do corpo conscientes), desdobramentos (saídas do corpo inconscientes (durante o sono mas com lembranças do que ocorreu), (não se trata neste caso, de sonho, que, tenho para ele uma explicação à parte), e ainda outros fenômenos tais como, a vidência, a clarividência, a audição astral, a visão das cores áuricas ou aurividência e etc. Todos esses desenvolvimentos ocorrem no decorrer do tempo e exigem uma dose de sacrifício pessoal muito grande, além de regimes alimentares afim de tornarem o físico se não mais leve, pelo menos mais liberto para transitar ou permitir que seu perispírito transite mais livremente entre os campos físicos e astrais ou entre a fisiosfera (crosta terrestre) e as psicosferas (campos espirituais).

O perispírito liberto do físico e com sua mente já preparada para todos os eventos que lhe surgirem, ou seja, isto eqüivale a dizer que ele tem obrigatoriamente que estar isento dos medos, preconceitos e tabus, dos religiosíssimos de todo o tipo, da obtusidade própria, da falta de cultura espiritual, das mazelas kármicas que o inibiriam para qualquer propósito mais elevado, principalmente aquele de poder avistar-se e dialogar com entidades mais elevadas, entre estas a figura luminosa do Grande Mestre Jesus e outros avatares de outros orbes, ou de outras regiões cósmico-siderais.

Somente após longo treinamento desde a infância e com a ajuda de grandes entidades e do nosso Mestre Jesus, pudemos voltar gradativamente ao passado longínquo de nossas origens. Tudo está registrado em nossa extensa “fita magnética” ou “video-fita”, que fazem parte dos registros akáshicos siderais, mas há a necessidade de se ter conhecimento e a mente aberta para adentrarmos cada fase desses registros a sem barreira de tempo e de espaço.

Voltando ao início da vinda de Jesus para a Terra, Ele próprio nos mostrou com imagens mais nítidas que uma TV moderna que Ele fora Cristi-ien, Governador Geral do Planeta Vênus, portanto Jesus é de origem venuziana. Mostrou-nos sua esposa lá em Vênus naquela época, a belíssima Mah-hára que posteriormente, milhares de anos depois viria a ser sua amada de coração Maria Madalena que o ajudaria, da sua maneira, a levar a cabo sua missão. Hoje tenho o privilégio de ter esses espírito como minha Amada, instrutora e protetora espiritual.

Em Vênus foi feita uma reunião entre as Entidades Espirituais de lá e os Engenheiros Siderais mais os líderes vivos do planeta, entre eles Cristi-ien, Mah-Hára, Maria, José e outros que muito mais tarde acompanhariam a Jesus, decidiram que após o desencarne de todos lá em Vênus viriam para a Terra, na época para os continentes da Lemúria e Atlântida até o apogeu da civilização lá reinante, e ao chegar o declínio e sua conseqüente submersão, esses espíritos subiriam e reencarnariam em outros continentes para juntarem-se em nova plêiade de pensadores e humanistas visando sempre a evangelização dos povos que seriam exilados vindo de outras constelações e trariam uma enorme soma de revoltados, negativos e belicosos. Isso foi levando milhares de anos, com centenas de sucessivas reencarnações daquelas que se propunham auxiliar, e durante todo esses tempo as modificações telúricas foram ocorrendo na Terra, movimentação da crosta, dilúvios, guerras longas e fratricidas.

Jesus e sua clã, ou melhor, Cristi-ien e sua gente foram nascendo, morrendo e reencarnando em várias regiões do planeta, principalmente nas regiões compostas por astrais místicos tais como: a antiga Índia, o Tibete, o Egito, o Alto Oriente onde se inclui a China, a Mongólia, a Ásia Central, o Japão e etc., até que faltando mais ou menos dois mil anos para o fim do novo ciclo terrestre teria que nascer o Avatar Jesus e sua Clã mística.

Eu e minha clã, originamos do planeta Marte, após aquela decisão sideral, viemos nos juntar com os venusianos aqui na Terra, também a partir da Lemuria e da Atlântida, com uma diferença, o povo de Vênus que é essencialmente mentalista, amante da paz e do silêncio restringiu-se à mística, à cabalística, ao amor ao próximo e as causas humanitárias. O povo marciano, igualmente muito evoluído e mais afeito às novas invenções, um povo mais lépido, mais “elétrico” e é claro com “estopim mais curto”, veio também em ajuda aos venusianos amparando-os nas inovações técnicas, contudo serem os marcianos também amantes da paz, do amor ao próximo, do silêncio, tinham e ainda tem mais propensão às defesas físicas através da tecnologia e aparatos bélicos, a música, as artes, aos esportes etc…. Enquanto o venusiano trava a sua batalha silenciosa através dos poderes mentais e da magia, o marciano, muitas vezes extravasou e ainda agora, com menos freqüência, a sua batalha no “tete-a-tete”, no corpo-a-corpo.

Por isso, na época de Jesus, Ele sempre preferiu escolher para estar ao seu lado, pessoas cuja índole fosse mais próxima a índole venusiana, os mansos de coração, como ele os chamava e ao perguntar-lhe “porque Ele com os poderes que tinha não petrificou aqueles que O fustigavam, transformando-os em estátuas para serem contempladas pelas futuras gerações, como lição, para que jamais esquecessem”, Ele respondeu-me: meu querido, eu dizia também que deviam amar uns aos outros e que eu não viera para mudar a Lei, nem a Lei dos homens, nem a Lei de Deus, porém, não me era proibido não sofrer dor; pois eu sabia, e a experiência do tempo milenar em que vivi na Terra ensinou-me como isentar-me o mais possível da dor física, afastando do meu corpo físico o meu espírito e com ele o duplo-etérico que é o agente da dor. Porém, nem sempre isso era totalmente possível devido a falta de concentração interior e o burburinho da turba um tanto enlouquecida ou tomada pela sanha malévola dos fanáticos sacerdotes-políticos e os açoites e estacadas dos carrascos.   Eu sabia também que não seria a minha dor ou meu sofrimento físico que iriam permitir a redenção da humanidade, pois, antes de mim naquele mesmo lugar, dezenas de pessoas foram sacrificadas tanto ou mais que eu, e muitos, aos milhares, seriam ainda sacrificados em meu nome, em guerras e outros acontecimentos nas centenas de anos que se seguiram à minha morte. Portanto, a redenção da humanidade seria feita através dos ensinamentos deixados como coluna mestra da moral, da espiritualidade e do novo comportamento social humano, e foi isso que tentei fazer!

Foi quando assintosamente respondi: “- Ah! se eu estivesse por lá naqueles momentos!(fiquei sabendo que me encontrava na Grécia no momento da crucificação de Jesus). Ao que o Mestre respondeu: “- Eu agradeço ao Pai por você não ter estado lá, pois se estivesse, você poderia ter desviado os acontecimentos para pior, eu não cumpriria o que vim fazer, você acumularia outras culpas e a missão de todos nós estaria arruinada. Esta missão, como você sabe, foi programada há milênios atrás fora do ambiente terráqueo por todos nós em conjunto com os Engenheiros Siderais com vistas à doutrinação e elevação do padrão mental e espiritual da imensa população de exilados de outros orbes que seriam enviados para a Terra, planeta relativamente novo e como forte potencial para o desenvolvimento de novas criaturas já em grau de inteligência avançada. E como os Engenheiros Siderais sabem por experiência em milhares de outros planetas nesta e noutras galáxias, que a maior parte desses espíritos exilados passam de planeta para planeta sem se modificarem, pois entram no circulo vicioso do desamor, do mal e todas as vicissitudes imagináveis e inimagináveis e retornam a estaca zero a despeito do sofrimento a que se sujeitam e mesmo com ensinamentos e sofrimentos de outrem por eles. Por isso, há milênios já estão sendo preparados os locais de nova acolhida para eles em outros locais do Universo e, logicamente, outros espíritos se sacrificarão por eles lá a onde se alojarem. Assim é Deus, assim é o progresso e a evolução dos seres que habitam os milhões de mundos criados e que forem sendo formados.

Sempre haverá chance para todos, porém, o tempo de estagnação e de demora na evolução é por conta de cada um desses espíritos. Poderíamos denomina-los de espíritos afeitos a colonização de orbes e humanidades em evolução, e, como colonizadores que são, pagam seu preço para isso, completou o Mestre. 15/4/95

Nestes dias da chamada “semana santa”, vê-se por todos os meios de comunicação milhares de pessoas revivendo os dias de martírio de Jesus de Nazaré, em alguns locais com a encenação parecida com a que ocorreu há dois mil anos atras. Muitos revivem na própria carne deixado-se chicotear física e moralmente. Há milhares entre essas pessoas cheias de boa fé que tentam lembrar a atual humanidade os ensinamentos do Mestre, mesmo dentro dos dogmas, preconceitos e fanatismo.

  • Aqui faço um adendo, apenas para mostrar que muitos que seguiram Jesus e não são do planeta Dele, hoje se encontram reencarnados no Brasil para futura missão nos dias das transformações finais, alguns conseguimos detectar através da psicometria, é o caso de Marcos o Evangelista, hoje um dileto amigo, outros, sabemos que fizeram parte mas, não nos foi dado saber seus nomes ainda a que são induzidas por suas religiões e crenças. O livre arbítrio continua a prevalecer, pois Jesus nada pediu a respeito e nem deixou algo escrito de seu próprio punho sobre o que Ele fez ou disse, o ser humano sempre culposo reflete grupalmente a sua consciência negativa e de arrependimento de última hora. Porém, há também entre milhares de pessoas aquelas que revivem tudo com escárnio, sadismo, maldade belicosa e maligna e tiram proveito e lucros de toda a sorte, sobre aqueles acontecimentos, deixando bem claro que para eles a lição de nada serviu, continuam aguardando o Messias para eliminá-lo novamente. Mas, o Núcleo Central é magnânimo e vai continuar lhes dando as chances de redenção através dos séculos vindouros, porém, o preço a pagar lhes será alto.

Minha esposa querida que há vinte e oito meses está acamada, em estado quase vegetativo, digo quase, porque ela não se levanta, fala pouco, ouve tudo, enxerga bem, raciocina como criança, não faz suas necessidades fisiológicas sem ajuda e emagrece como se estivesse secando, o que me faz chorar e me lamentar como criança, viveu e participou verdadeiramente naqueles dias de martírio do Querido Mestre e hoje, no leito como se quisesse se auto punir de algo que ficou em seu espirito sofre silenciosa e expurga de si e principalmente de nós as toxinas das nossas mazelas milenares.

Pelo que me foi permitido saber através do fenômeno da psicometria, ela sempre foi mulher em todas as reencarnações na Terra e mesmo em Vênus, por isso, mesmo doente e como quase todo o gênero feminino ainda conserva aquela “pitada” de ciúme e sofre ao ver e sentir que não pode estar por inteira comigo e mais ainda quando alguma outra mulher se aproxima de mim. Isto eu não posso evitar pois é próprio dela. Mas, o que tem isto a ver com este capitulo sobre o Amado Mestre, tem muito, pois ela na época Dele também sentia por Ele a mesma coisa e ainda pelo que nós aqui particularmente sabemos ela que foi ou teria sido um grande amor da vida Dele, então, dentro deste contexto, faz parte do Seu Martírio, também! Um martírio que eu passei e estou passando com muita honra apesar das inconveniências. As mulheres, ou melhor dizendo, o gênero feminino de todos os reinos da Natureza são os seres que mais sabem amar o homem e também são os que mais sabem odiá-lo e odiar aos demais seres quando não conseguem atingir os seus objetivos. Deus – O Núcleo Central Cósmico quando gerou o gênero feminino o dotou de todas as qualidades e imperfeições mais que ao homem. Por isso elas são geradoras também e os homens, ou gêneros masculinos, são unicamente reprodutores. A mulher por ser geradora é a célula-mater da espécie humana e por isso, torna-se martírio, vive em constante martírio e é martirizadora.

Ao meu ver o gênero feminino é a Benção Divina materializada. Consequentemente, pelo que pude deduzir no transcorrer dos meus contatos com o Mestre, Ele além de ter sido martirizado fisicamente, martirizado emocionalmente pois amou muito a humanidade e amou silenciosamente, porém intensamente seu antigo amor e companheira Venusiana Mah-hára que, posteriormente seria a pedra moral de sua missão na Terra, Maria Madalena, hoje um grande espirito que também tem martírio. Martírio, porque sofre na carne, na mente e no espirito o que Ele veio sofrendo. Se apenas sofresse não teria importância mas, não posso vê-la sofrer e nem a minha Querida Filha ou meu Querido genro. Na verdade não posso ver ninguém sofrer, e sem demagogia religiosa, não poderia presenciar nosso Mestre sofrer, com certeza eu interviria com a força nem que fosse para sacrificar minha própria vida. Atualmente, talvez, eu agisse diferentemente!

Mas o Pai, O Núcleo Central Cósmico, através das Inteligências que O compõe, programa tudo com antecipação e dentro das possibilidades normais sem exceder-se, deu a proteção ao Divino Mestre. Digo sem exceder-me pois, o Mestre Jesus nasceu como ser humano comum filho de ventre de mulher, feito de carne e osso, com dores e sentimentos iguais a todos os mortais, poderia ter sido liquidado mesmo antes de dar os primeiros passos.

O Pai Celestial, não o fez vir com uma couraça de aço ou com exercito super armado a fim de que ele pudesse ser defendido e pudesse romper barreiras que iria enfrentar. Contudo, deu-lhe uma proteção indireta, desviando seus caminhos dos caminhos dos seus algozes enquanto era necessário fazê-lo. Haja visto, milhares de crianças mortas a mando de Herodes, em seu lugar, outras milhares mortas antes por Moisés à caminho do deserto em direção a Terra prometida, isso três mil anos antes. Iluminou Seu caminho assim como o caminho daqueles que O queriam ver nascer. É o caso da famosa estrela de Belém que se movimentava nos céus guiando os três reis magos e outros seguidores daquele que seria o Mestre dos Mestres. Conforme fui informado, aquilo era uma nave de Vênus que veio acompanhar o nascimento aqui na Terra de seu Cristi-ien e estava repleta de lideres daquele planeta.

Após todo aquele martírio que Jesus passara, antes de seu desencarne ficou no ar toda a vibração emitida por Ele. Toda a Terra, mas principalmente a região onde Ele se encontrava, foi como que alterada por aquela vibração toda; a Natureza se transformou, o tempo mudou, nuvens foram atraídas pelo intenso magnetismo reinante. Seu corpo foi envolto num simples sudário de linho que depois ficou impregnado como se uma intensa radiação, registrando todas as marcas do Seu suplicio. O corpo desapareceu como por encanto e conforme sou informado, o pessoal de Vênus de dentro de uma nave que pairava a grande altura se incumbiu de pulveriza-lo através de aparelhos com raios desintegradores (a guisa de composição da temida bomba de neutrons que só destroi o físico humano ou outros físicos) fazendo-o desaparecer de sob o manto de linho e sugando as partículas para dentro de um recipiente no interior da nave e, assim, acabando com todos os vestígios humanos de Jesus que poderiam também serem disputados pelos mesquinhos e fanáticos seres humanos e suas seitas, principalmente pela magia negra. Assim, como foram outros objetos que sobraram de Sua missão aqui na Terra, tais como o madeiro da cruz, o cálice da Santa Ceia (o chamado Graal) e outros, inclusive o santo sudário que hoje é motivo de disputa entre a igreja, a ciência e os fiéis. Imagine o leitor se o corpo de Jesus tivesse permanecido em seu sepulcro!

Portanto, o martírio de Jesus de Nazaré foi a pedra angular da filosofia e da religião na Terra. Esse martírio rompeu todas as barreiras físicas, morais, espirituais, mentais, de fisiosfera e de todas as psicosferas planetárias. Houve uma reação de todas forças, negativas, neutras e positivas desta periferia da Via Láctea.

Jesus de Nazaré e Seus feitos foram uma espécie de espelho refratário para a humanidade da Terra e dos demais planetas de nosso sistema solar. Nesse espelho, todos viram refletidas suas falhas e seus acertos, grandes e pequenos, do passado do presente e do futuro. Ninguém, após a vinda Dele, poderá alegar inocência ou ingenuidade a respeito do que é o Bem e ou que é o Mal. O Karma da Terra e de cada habitante foi reforçado, a Lei Universal e seus códigos ficaram mais claros para todos, além do que, sobre essas leis paira a Justiça Divina e não a corrupta e inócua justiça dos homens.

O que Ele mui sabiamente dizia e previa através de suas parábolas, já vem ocorrendo há muito tempo. O mundo caminha para seu estertor que já se aproxima céleremente. Os dois sóis previstos no Apocalipse e o fim da “Babilônia” aproximam-se. A Besta virá dos céus e não será um homem, dizemos nós.

Talvez o mundo não escape de uma terceira conflagração, mesmo com tudo aquilo que Mestre deixou como lição ao ser humano de dois mil anos para cá. Todas lideranças siderais e cósmicas, pelo que eu sei, estão empenhadas para que não ocorra uma terceira grande guerra, mas, as toxinas do planeta Terra estão tão acumuladas e o ser humano tão desumano que poderá haver a necessidade de uma drenagem dessas toxinas através da dor coletiva. Essa drenagem ocorrerá mesmo sem a terceira guerra mundial, pois o gigantesco planeta Sidérius se aproxima e mudará as orbitas dos planetas dos seus movimentos atuais, aí então prevalecerá o que diz o Apocalipse: “E o céu desaparecerá”!

A missão do Grande Mestre Venusiano Cristi-ien foi preparar as milenares gerações que se seguiriam após a Lemúria e Atlântida para o advento final do assim chamado fim dos tempos que agora está bem próximo. Apenas mais uns poucos anos. Sim, porque mesmo a Lemúria, a Atlântida, Sodoma e Gomôrra terem desaparecidos com todas as suas raças e civilizações, dilúvios e hecatombes várias terem ocorrido de 50.000 (cinqüenta mil) anos para cá, ainda assim, não era o fim dos tempos porque não houve mudanças radicais em nosso Sistema Solar e o planeta Terra ora se inclinava em seu eixo, para um lado ou para outro permanecendo na atual posição no espaço.

Agora não. O Sistema solar em seu todo está se transformando numa Super Nova, ou seja, para quem o olhar ou avistar de fora ele estará inchando para logo explodir e se transformar em dois novos sistemas solares eqüidistantes um do outro, tendo o nosso Sol líder de um sistema e o planeta Júpiter como líder do outro. Sidérius o gigantesco planeta que se aproxima passará entre os dois, ou melhor, obrigará o nosso sistema solar a se transformar em dois. O planeta Terra sairá de sua atual órbita solar, rolará no espaço, atrás do seu sol, com ele levará milhões e milhões de vidas. Não haverá como até então, mudanças apenas climáticas e raciais mas sim, planetárias para dar inicio a uma Novas Era, Novos Tempos, encerrando um gigantesco tempo sideral ao qual viemos pertencendo.

Como Ele mesmo, o Mestre, previra, o Joio será separado do Trigo e todas as gerações que compuseram a humanidade atual da Terra e de outros planetas do nosso sistema solar, em fase de evolução, tiveram suas oportunidades de progresso e espiritualização. Se não aproveitarem, recomeçarão do ponto de partida, noutras regiões siderais e em nova ambientação provando assim que até a paciência Divina tem seu limite.

O mestre Jesus veio várias vezes, em centenas de reencarnações, em muitas delas se sacrificando como na sua última missão de Jesus de Nazaré para nos transmitir isso tudo. Felizes aqueles que O compreenderam, pois lhes será reservada a famosa Terra Prometida. Para os que não O compreenderam ou não quiseram compreender, terão seu “habitat” condizente com a sua índole e vocação. Para isto foi o Martírio de Jesus de Nazaré.

Foi necessário esse martírio?. Ele e as altas Entidades Espirituais dizem que sim, pois tinha que haver uma marca indelével, uma passagem inesquecível para a humanidade que seria gerada dois mil anos após.

Houve um enorme trabalho das Entidades Siderais Reencarnacionistas na formação milenar, antes do nascimento Dele, daquilo que eu chamo de “Meridiano Genético”, fruto do Grande Plano Sideral e Cósmico, pelo qual a herança genética resultaria como meta final na geração de um ser especial, hiper-sensivel como Jesus de Nazaré que não se juntaria com mulher alguma, nem com sua própria mãe e nem geraria filho algum. O Meridiano Genético começaria para Ele e terminaria com Ele. Daí o seu Martírio, aparentemente desumano e aparentemente abandonado a sua própria sorte.

Vale a pena lembrar que muitos mártires houveram na Terra e que também foram crucificados, entre eles o famoso Spartacus que foi considerado posteriormente pelo mundo comunista como primeiro “proletário sindicalista” , mas no entanto, não teve a vida regrada e espiritualizada como a Dele e nem a mesma sabedoria e amor pela humanidade, e muito menos a visão de Avatar Clarividente como Ele tinha.

Neste momento (26/04/95), minha Querida Esposa Conceição, Sua antiga discípula Mah-hára, passa um martírio hospitalar doloroso através de agulhas, seringas bisturis, um processo que hoje completa vinte meses, similar ou pior que o Dele, pois pertence ela ao mesmo Meridiano Genético Espiritual, e como Ele, aceita tudo passivamente, pacificamente, nos dando um exemplo de uma grandiosidade espiritual só percebida e vivida por seres de Alta Hierarquia e, eu pessoalmente torno-me tão pequenino frente a ela e a Ele que não tenho outra saída senão a de chorar, chorar copiosamente como um ser ínfimo e de me envergonhar das minhas fragilidades humanas e se pudesse seria reduzido a pó aos Seus pés.

Por isso, este capitulo e tudo o mais que fiz de bom nesta e em minhas vidas passadas, dedico a essa maravilhosa criatura, esse anjo de amor e bondade que Jesus permitiu me acompanhasse durante todos esses milênios pois Ele sabia que eu iria precisar de alguém ao meu lado que fosse mais forte, mais nobre e mais elevado espiritualmente que eu, que essa minha Querida companheira de todas as horas, Minha Esposa Conceição Aparecida Yezzi, para a qual peço a Ele remeter toda a Sua Energia Cósmico Sideral Restauradora, para que Ela se restabeleça, volte a andar e juntos, possamos passar às massas todo o conhecimento que em nossas almas antigas está armazenado e o amor que em nossos corações está palpitando e que juntados ao Dele possam ainda, a tempo reconduzir muita gente ao caminho do Bem e da Verdadeira, assim como a Minha Querida Filha Regianne (Sara) outro Anjo que me acompanha e sofre por mim, sem que eu mereça tanta consideração; tudo é dedicado a Ela também, e agora ao Paulo meu estimado genro, e a minha netinha Giulia.

Tenho certeza de que Jesus lá nas Alturas onde Ele se encontra, está saudoso e martirizado por ter deixado um anjo maravilhoso como esta Minha Amada, aqui na Terra, mas assim mesmo peço a Ele que não a leve de mim, que permita que eu ainda seja capaz de fazê-la feliz e aí então, sim Ela poderá estar ao lado Dele tendo cumprido sua árdua missão aqui na Terra que foi a de me acompanhar e zelar por minha alma e por milhões de pessoas.

O Núcleo Central Cósmico – Deus, através dos Seus Engenheiros Siderais, em um dos quais espero me tornar um dia, mesmo que esteja longínquo esse dia, faz tudo certo, tudo é regido por Leis Naturais, tudo é planificado com margem de exatidão impressionante, que deixa o ser humano comum da Terra abismado, perplexo é sem atinar com a Consciência Maior. Pensa que pode fazer o que bem quer sem que nada lhe aconteça de volta. O choque de retorno é inevitável e como dizia muito bem O Mestre: – “A semeadura é livre mas a colheita é obrigatória”.

Eu devo estar colhendo o que plantei! E, apesar de ter o privilégio de saber muita coisa e estar em contato ininterrupto com seres vivos de outros planetas através das “aberturas” paranormais ou mediúnicas e com Entidades Elevadas da Terra e ainda com dezenas de tipos diferentes de seres Elementais, estou um tanto revoltado e inconformado com o que Minha Querida está passando. Olho-a e choro. Choro e olho-a. Não encontro uma saída de conforto espiritual e mental para o meu ego, apesar de se me apresentarem várias saídas, todas teóricas, mas só de teoria não se pode viver!

O que é bom para os outros pode não ser bom para mim e vice-versa. Por isso, comprovadamente o exemplo dado pelo Grande Mestre serviu, serve e servirá enquanto este ciclo planetário durar que, a dor física é a forma natural que o corpo humano encontrou para expulsar as toxinas dele próprio e principalmente do perispírito que por sua vez as expurga da alma e permite a esta se desprender sem apego as coisas e causas da matéria, libertando-se assim para vôos mais altos em direção de Volta a Fonte Criadora, ao Núcleo Central Cósmico – Deus.

O Mestre pessoalmente não precisava padecer aquele martírio tão doloroso mas, tornou-se passivo a ele assim como Minha Querida o faz agora, porque ambas são almas afins, almas gêmeas e necessitam estarem juntas na Eternidade. Sei que um dia perderei este meu Anjo, quer no físico, quer no Páramo Celestial, pois ela voará com certeza muito mais alto que eu, mas resta-me o consolo de saber que fui considerado pelo Criador quando[1] colocou-a há milênios ao meu lado.

Jesus provou que tudo é perene neste mundo.

Ninguém precisa ou deve apegar-se demasiadamente ao mundo da terceira dimensão, deve sim, conservar o instinto de autodefesa, deve zelar pelo seu vaso de carne e osso que é o corpo, que lhe foi presenteado pelas Entidades Reencarnacionistas e pelos seus ancestrais que zelando pelo corpo deles mantiveram firme o Meridiano Genético para ele nascer da forma como nasceu. Se for perfeito, é porque seu perispírito fez jús a essa perfeição e se não for perfeito é porque tem que passar por uma drenagem de alguma toxina que o iria prejudicar mais ainda no futuro.

Tudo o que Jesus de Nazaré tinha que fazer na Terra parecia obedecer a uma matemática coerente, racional onde o número 12 e seus múltiplos tinham e têm vibração definitiva. Os números múltiplos de 12 são o nº 3, e nº 4 o nº 6 e o nº 9. Então vejamos a titulo de curiosidade esta minha simples pesquisa:

12 são o número de planetas que compõem o nosso sistema solar (três ainda não detectados pela ciência)

12 são as constelações que no Zodíaco exercem influencia na Terra.

12 são os signos correspondentes na Astrologia que são regidos pelo Zodíaco.

12 meses formam o ano terrestre.

12 horas formam o tempo do dia.

12 horas formam o tempo da noite.

12 são os meridianos que formam o dia.

12 são os meridianos da noite.

12 são os trabalhos de Hércules, na mitologia grega.

12 são os Cavaleiros da Tavola Redonda, do Rei Arthur.

12 são os números de sons da Música.

12 são o número de cores correspondentes aos 12 sons.

12 são os “chakras” ou vórtices do campo psíquico.

12 são os “plexos” do corpo humano.

12 são os meridianos do corpo humano catalogados pela medicina chinesa.

12 foram os Ministros do Governo do Brasil Novo que em 25/03/95 (na Semana Santa!), a medida de nº 168 foi aprovada por 39 deputados, numero: 3 + 9 = 12.

12 é o total formado pelas 4 estações climáticas na Terra ou seja 3 meses de primavera, 3 meses de verão, 3 meses de outono e 3 meses de inverno: 3 + 3 + 3 + 3 = 12 ou seja 3 x 4 = 12.

12 são as tribos de Israel que no capitulo 7 do apocalipse de João menciona os 144 mil “selados” ou escolhidos para permanecerem na Terra. Decompondo-se este número 144 ÷ 12 tribos = 12 mil “selados”.

12 é o número que compunha os membros da família direta de Jesus, assim distribuídos:

José com a primeira mulher Débora:

por ordem alfabética os seguintes 5 filhos e irmãos de Jesus:

Cleófas
Eliezer
Jacob
Judas
Matias

José com a segunda mulher Maria:

por ordem de nascimento, os seguintes 6 filhos e irmãos de Jesus:

Andréa (Homem)
Efraim
Elizabete
Hannah
Jesus
José

12 portanto, foram os familiares irmãos de Jesus mais Maria que foi mãe que gerou Jesus.

12 apóstolos foram os escolhidos por Jesus, cada um representado um planeta, uma constelação do Zodíaco e um signo da astrologia.

12ª jornada da Via Sacra – a Caminho da Cruz, morre Jesus,- [ com 33 anos ou 3 x 3 = 9 ou 3 + 3 = 6 + 3 { nº do 3º planeta Terra } ou 3 x 3 x 3 = 27 = 2 + 7= 9 ]

24 é o número de anciãos mencionado no Apocalipse de João capítulo 5 versículo 8 (24, número divisível por 12 e etc.,)

Portanto, Jesus estava circunscrito a uma matemática sideral que rege o nosso sistema solar e principalmente a Terra e a sua humanidade, senão vejamos mais um pouco dessa lógica sideral que eu analisei, ainda sobre a ronda do nº 12 e seus múltiplos, seus enigmas e influencias:

Conforme a Ciência da Astronomia e a futura ciência da Astrologia informam, o Sol leva 25.920 anos na sua passagem pelas 12 constelações do Zodíaco e consequentemente também pelos 12 Signos Astrologicos. Em cada ano, portanto cada 12 meses, passa pelas 12 constelações e 12 signos que segundo a Astrologia exercem influencias várias, positivas ou negativas sobre os seres humanos, os quais são: Áries, Touro, Gêmeos, Câncer, Leão, Virgem, Libra, Escorpião, Sagitário, Capricórnio, Aquário e Peixes.

E eu sou informado que o nosso sistema solar é formado por 12 planetas e que os Magos da Babilônia e Jesus já sabiam disso, por isso, o Mestre escolhera 12 apóstolos, cada um representando uma constelação, um signo e um planeta, três tipos de influencias que somadas e decompostas ficam 3 x 12 = 36 = 3 + 6 = 9[2] . Os planetas que formam o nosso sistema solar são : Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Äga (ainda não descoberto), Urano, Oswen (ainda não descoberto), Netuno, Plutão e Fesp (ainda não descoberto).

Os três planetas ainda não descobertos levam o nome que seus próprios habitantes dão a eles, conforme sou informado.

Como o Sol percorre o Zodíaco nos seus 360º (graus) decompondo-se o nº 360 temos: 3 + 6 + 0 = 9. Este percurso é portanto para cada ano = 12 meses. Atrasa-se 50 segundos em cada ano ou l (um) grau em cada 72 anos, decompondo-se o nº 72, temos 7 + 2 = 9. Isso faz com ele mude de signo com intervalos aproximados de mais ou menos 2.160 anos, decompondo-se o nº 2.160, temos: 2 + 1 + 6 + 0 = 9. Leva pois 25.920 anos para percorrer em sua passagem pelas 12 constelações e 12 signos do Zodíaco, decompondo-se em multiplicação esses números, temos: 2.160 x 12 = 25.920. Decompondo-se em multiplicação também 25.920, temos: 2 + 5 + 9 + 2 + 0 = 18 = 1 + 8 = 9.

Aqui entram dados importantes que incidem na sobrevivência e na permanência do homem sobre o planeta Terra, dificultando-lhe assim as viagens espaciais, caso não haja proteção e compensações vibratórias adequadas.

Comparando-se o homem (microcosmo) com o Universo (macrocosmo), temos: Conforme a Ciência, o homem respira 18 (1 + 8) = 9 vezes por minuto. Multiplicando-se 18 por 60 minutos, temos: 18 x 60 = 1.080 que multiplicando-se 24 horas, temos: 1.080 x 24 = 25.920 vezes por dia, exatamente o percurso que o Sol leva em sua passagem pelas 12 constelações do Zodíaco.

Lembrando que o ano na Terra é de 12 meses e, se dividirmos os 360 graus em que o Sol percorre todo o Zodíaco por 12, temos: 360 ÷ 12 = 30 que seria a quantidade exata de dias de cada mês, decompondo-se os nº 360 e 30, temos : 3 + 6 + 0 = 9; 3 + 0 = 3, e 3 + 9 = 12. No caso de dias estou desprezando as frações de 30 que dariam mais 5 dias do calendário terrestre atual. O correto seria ter o nosso calendário terrestre com 30 dias para cada mês e não 28,29,30 e 31 como até agora; ocorre porém que a contagem terrestre dos dias baseia-se no movimento de translação da Terra em torno do Sol, que dá 365 dias, daí a pequena diferença.

O povo Maia se utilizava em seu calendário de 30 dias para cada mês, baseava-se portanto, no movimento do Sol e não no movimento da Terra.

Se ao invés de decompormos o nº 365, multiplicássemos ele por ele mesmo, temos: 3 x 6 x 0 = 18 que é igual a 1+ 9 = 9 ou 360 x 360 = 1296000 = 1 + 2 + 9 + 6 + 0 + 0 = a 18 = 1+ 8 = 9 = ou 9 x 3 que é o nº do planeta Terra na posição do sistema solar, ou seja, a Terra é o 3º planeta do sistema solar = 27 = 2 + 7= 9 ou 2 x 7= 14 = 1 + 4 = 5 que a diferença entre o nº de quantidade de dias entre a contagem do calendário Maia e o atual calendário em uso. Assim como o nº 360 é o número de graus de uma circunferência.

Se multiplicássemos o nº 2.160 decomposto por 12, temos: 2 x 1 x 6 x 0 = 12 = 1 + 2 = 3 x 12 = 36 = 3 + 6 = 9, ou 3 x 6 = 18 = 1+ 8 = 9.

A Constelação de Sagitário, signo no qual me orgulho de ter nascido é o nono signo do Zodíaco ou signo nº 9 dentro dos 12 signos da Astrologia, decompondo-se esses dois números, temos: 9 +1+ 2 =12 = 1 + 2 = 3 sempre múltiplo de 12!

Penso que com a demonstração acima Jesus não nasceu por acaso no 12º mês do ano terrestre, no dia 25 que decompondo-se é igual a 1 x 2 = 3 x 2= 6 x 5 = 30 = 3 x 0 = 3, ainda o número do planeta Terra! Ele também não escolheu por acaso 12 apóstolos que além do nº 3, é o número da quantidade de planetas do nosso sistema solar que cada um representava e que com Ele, Jesus representando o Sol perfaz a quantidade de 13 astros do nosso sistema solar número este também ligado a magia, ao azar, a cabala como sendo um número diabólico no qual também são baseados os números de jogos de azar da loteria, dos cósmicos e um número que quase todo o ser humano por tradição e também crendice teme e procura desviar-se espavorido. Os americanos a temem tanto que evitam de numerar seus edifícios de apartamentos ou de comércio, com o número 13; exemplificando se o edifício tiver 15 andares a numeração pula do 12º para 14º e assim por diante.

Paganini, que diziam ter parte com o diabo, o que não é verdade! Ele mesmo, hoje ainda desencarnado, nos diz telepática e textualmente que isso não é verdade mas, que ele apenas se aproveitava, para granjear mais fama e popularidade, desse jargão popular, compôs seu 13º Capricho para violino-solo dando-lhe tal conotação melódica que esse capricho é denominado de “o gargalhar sarcástico e zombeteiro do diabo”! Mas Paganini mesmo nos diz que, se o populacho e fanáticos da época tivessem um pouco de senso de observação, notariam que ele só tocava ou preferia tocar no seu violino “Garnérius del Gesú” ou seja Guarnério de Jesus, cujo símbolo no seu interior, marca do liutáio (artífice produtor de violinos) era e é uma cruz! (ver capítulo sobre Paganini)

Quem ler a biografia de Wagner outro grande compositor da música clássica (este de origem venusiana), fez hinos ao planeta Vênus, verá o quanto sua vida foi regida pelo misterioso nº 13!

Com esta singela demonstração desde Jesus a Wagner quis eu dar uma pálida pincelada numerológica e dizer aos leitores que todos somos frutos de uma Alta Matemática Cósmica, Racional, Exata, Divina, que é elaborada no Núcleo Central Cósmico Deus, de onde todos nós originamos!

SP 30/04/95 às 10h31

[hr]

[1] Obs: No momento da edição deste livro quero deixar registrado que Minha Querida Esposa foi para junto do Mestre dos Mestres em 19/03/96

[2] Aqui cabe uma observação: o número 3, o número 6 e o número 9 estão sempre presentes em quase tudo o que se relaciona com os temas siderais ou cósmicos. Talvez porque a Terra seja o terceiro planeta do nosso Sistema Solar e o seu movimento no espaço e tudo que girar é ternário, ou seja 3 por 4 ou 6 por 8. Quem for músico sabe.

O Cérebro, Uma Caixa de Segredos

ENFOQUE DIRETO SOBRE ANOMALIAS PSÍQUICAS E PSICOLÓGICAS, INCLUINDO SUGESTÕES PARA TERAPIAS DO HOMOSSEXUALISMO

Escrito em 1984. Revisado e Copilado em 21-3-93 no aniversário de I. S. Bach.

Desde os meus oito anos de idade venho vivenciando uma gama enorme de fenomenologia espiritualista, mentalista e cerebral. Após ter passado aqueles momentos tão reais, porém, difíceis de serem acreditados por mim ou por quem quer que seja, passei a estudá-los. A princípio em mim mesmo, e após com as entidades que se me apresentavam e indicavam o que eu deveria ir fazendo.

Muita leitura, muita freqüência em um único Centro espirita, do qual mais tarde as mediunidades(1), pude sentir de perto do que realmente se tratava e não contente com isso, enquanto paralelamente seguia cursando as escolas normais da vida para minha formação profissional e individual, incluindo escola superior de música, violino, harmonia, composição etc. Fiz vários cursos de parapsicologia para tentar unir a ciência com o transcendental, pude então isentar-me do tradicional animismo e assim poder deixar fluir sobre mim a vibração Superior que provinha de um cérebro muito poderoso que me acompanha há milênios desde o meu planeta de origem e que na minha atual reencarnação prontificou-se a ajudar-me nas várias missões de final de século e de ciclo deste planeta Terra.

Portanto, estou nisto há mais de quarenta e oito anos(2) estudando o psiquismo humano no trato com entidades espirituais da Terra, as quais, denomino de extraterrenas, e com seres vivos de outros planetas, os assim chamados Extraterrestres.

Para conhecer bem o psiquismo humano e sua parte física-emocional, obriguei-me a freqüentar também as rodas de amigos médicos em quase todas as áreas da medicina geral, alopática, homeopática, cirúrgica e medicina natural, ou alternativa, tudo isso sempre impulsionado pelas entidades espirituais superiores, apenas para conhecer e poder discorrer e saber do que poderia ou não discorrer, falar e até ajudar dentro dos meus limites.

Dentro destas minhas pesquisas pessoais e através da mediunidade de psicometria minha e de minha esposa pude rever no tempo e no espaço algumas de minhas passagens pela vida no planeta Terra, ou seja, algumas de minhas reencarnações , nos registros da minha “fita magnética astral, ou seja meu perispírito, que armazena informações eternas e que compõem os Registros Akáshikos universais, consta varias vidas como médico, astrônomo, astrólogo, mago, índio, lavrador, cigano, e muitas outras e as vezes repetidas que contribuíram para a minha formação espiritual, mental e cerebral que trago para os dias atuais.

Neste meu trabalho procuro traduzir o que pensam e como agem todas as entidades espirituais e extraterrestres nesse campo da medicina psicossomática, abrangendo a psicologia, a psiquiatria, a medicina geral e outros ramos, com o intuito de levar aos estudiosos e praticantes bem como aos enfermos e seus familiares, algum conhecimento extracurricular, paralelo aos conhecimentos já praticados pela medicina comum que os acompanha, via de regra, os postulados de Hipócrates, Jung, Freud e de outros mestres.

É sabido nos meios mentalistas e espiritualistas que a causa de quase todas as doenças tem sua origem no perispírito, que é o agente kármico de quase toda a patologia física humana e principalmente, aquelas de caráter psicossomático. Separando-se alguns casos de traumas extremos causados por acidentes ou atos provocados pelo ser humano sobre si próprio, os quais, mesmo assim, detectei que são de fundo kármico e que mereceriam um capítulo a parte, os demais como frisei, são de causas espirituais e grande parte de origem remota no túnel do tempo e que causam sobre o perispírito uma gama enorme de toxinas perniciosas que são exaladas através do físico ou são, por assim dizer expurgadas dolorosamente quase sempre pelas partes mais vitais do organismo, e desta forma, possibilitando ao corpo astral desintoxicar-lhe sua ascensão a patamares mais elevados na sua trajetória de progresso espiritual e planetário.

Esse processo além de doloroso é lento e gradativo absorvendo-lhe dezenas ou centenas de reencarnações até que esteja pronto para assumir tarefas prazeirosas, isentas de dor expiação, uma só vida é muito pouco para que um espírito adoentado, em curto-circuito perispiritual possa eliminar suas mazelas. Isto se não houverem novas quedas conseqüentes de reincidências negativas produzidas por ele ou por outrem sobre ele, quer no astral ou quando reencarnado. Não há nada que se compare com a memória espiritual, nem mesmo a memória física, a cerebral, mesmo que está última seja o dispositivo humano mais completo e mais avançado que qual quer outro dispositivo moderno e mais sofisticado como os computadores de última geração já inventados pelo homem.

É através da memória espiritual que é uma micro-célula dos Registros Akáshikos ou Memória Cósmico Sideral, que o espírito busco os dados para recomposição de seus estágios em reencarnações ou mesmo de seus estágios nas psicosferas ou campos astrais onde se situará até novo reencarne. Daí adivirão as pulsações para composição do novo feito, da busca de pais patrocinadores de sua reencarnação, se não houver a ligação kármica compulsória entre eles; pois se houver não haverá busca mas sim comprometimento e a reencarnação se dará obrigatoriamente; busca também da ramificação ou cadeia genética, `a qual. ele se ligará e terá que encaixar-se temporariamente até o expurgo de suas mazelas, que permitirá também a demonstração ao mundo visível de seus dons ou dotes de genialidade em todas as áreas de sua afinidade e que vivenciará ou, a contrário, exporá toda sua imbecilidade e carências.

Por isso, os seres humanos desconhecedores dessas leis e de seus detalhes não devem pensar que tudo ocorre por mero acaso, mas, há um grande trabalho científico espiritual reencarnacionista por parte das Entidades responsáveis, por traz de cada reencarne ou desencarne. Nada é por acaso! Eu chamo a isso de Meridiano Genético, pois, vamos encontrar em todos os quadrantes do mundo pessoas nascidas com as mesmas características físicas, ou características similares, quer na estética, na mental, na cerebral, no comportamento social, nos trajetos e em muitos outros fatores, sem contudo, terem qualquer relação de parentesco ou consangüínea. É, justamente, através dessa memória espiritual que nunca se apaga, ao contrário, se acumula sempre através dos séculos, em camadas sobrepostas e ou canais específicos para cada centelha ou ser, que se formam em quantidades infinitas, que me vi ou me revi em dezenas de minhas reencarnações, passadas na Lemúria, na Atlântida, na Índia, no Antigo Egito, na Grécia e em outras dezenas de localidades, e até no meu planeta de origem. E em muitas dessas reencarnações como médico neurocirurgião, mago, cientista, índio americano, sacerdote mentalista e outras; pude rever quando médico em muitas ocasiões fazendo trepanações e abrindo a caixa craniana de pacientes portadores de males psicóticos, loucuras, traumas psicológicos, arritmia cerebral, tumores, a ver se encontrava alguma distorção cerebral visível, causadoras desses males; contudo, afora as lesões físicas como tumores e traumatismo craniano provenientes de quedas ou pancadas decorrentes de conflitos ou guerras, nada encontrava, ao contrário, encontrava isto sim, os cérebros intactos, perfeitos, com todos os fatores físicos em seus devidos lugares, demonstrando claramente que aquelas dissintonias (fora desintonia) ou descompassos cerebrais não tinham suas causas no físico ou na massa encefálica e sim adviriam elas de causas inconsistentes, transcendentais, espirituais, que me obrigavam a longos e extensos estudos através dos tempos.

Pude perceber também que a vesícula, órgão adensado ao fígado era e é um dos co-produtores de algumas sindromes psicossomáticas apesar de aparentemente a vesícula nada ter a ver com o cérebro e a mente , mas, está profundamente ligada ao perispírito que através dela bloqueia ou desbloqueia pelos hormônios que ela produz ou deixa de produzir, seus traumas e síndromes psíquicas várias.

O corpo humano é um mini universo em equilíbrio quando funcionando bem, e o perispírito seu coordenador quando também está equilibrado. Quase sempre um está descompensado quando o outro também está. Para citar um exemplo comparativo dentro da outra área que conheço bem, a música, eu diria que o corpo humano quando bem equilibrado e consequentemente bem formado, seria como um piano bem afinado e, o perispírito também quando bem equilibrado e bem formado seria como um exímio concertista virtuoso. Ambos bem afinados entre si só iria acontecer um bom concerto, um ótimo espetáculo, porém, se o piano estiver desafinado, nem o maior técnica de execução exercida pelo pianista o livrará de um vexame, e, se for ao contrário, o piano afinado e o executante for um péssimo concertista, de nada valerão as lindas partituras a sua frente, o fracasso será total.

Por isso, ambos, o físico e o perispírito devem estar bem, estando em equilíbrio um com o outro e consigo próprio. E, no caso dessas patologias, o físico já nasce desarmonizado devido a herança celular que colhem no seu Meridiano Genético e o espírito também está em desarmonia devido as heranças que herdou para si próprio dos seus registros perispirituais e akáshikos, resultando portanto nas piores e mais complicadas disfunções psicossomáticas do conjunto psicofísico humano ou seja corpo, mente e perispírito; dai surgirem desde os primórdios da civilização de um planeta como a Terra as mais desconsertantes patologias humanas entre elas a loucura inofensiva, a loucura agressiva, psicoses, esquisofrenias, síndromes de vários graus, arritmias cerebrais, paralisias cerebrais, tumores benignos e malignos, disfunções da glândulas principais do cérebro, a hipófise, a pineal, a pituitária, a tireóide, disfunções no hipotálamo que é um centro captador de ondas externas e ponto principal de contato entre o cérebro físico e o cérebro perispiritual. Vem também as anomalias provenientes da demasiada circulação sangüínea ou hipertensão a baixa circulação ou hipotensão que resultam em muita ou pouca oxigenação no cérebro respectivamente causando distorções ou desequilíbrios na alimentação das células e centros nervosos da massa encefálica como um todo.

Com os últimos avanços da ciência, descobriu-se anomalias na produção da química do interior do cérebro, anomalias nos neurocondutores e nos espaços cimáticos entre os neurônios cerebrais, levando a ciência medica e psicossomática a acreditar que sanados esses problemas estariam também sanados as patologias cerebrais e mentais. Mas não é bem assim!

Não devemos esquecer a patologia das febres de causas várias, surtos de meningite e outros que submetem a cérebro a um desequilíbrio elétrico e celular intenso ocasionando-lhe lesões irreversíveis e levando muitas vezes o paciente à morte.

O problema da genética é realmente importantíssimo como mencionei acima, e junto a esse problema há outro muito sério que são os cruzamentos ou casamentos consangüíneos realizações entre indivíduos possuidores de fatores RH opostos que causam as mais graves distorções cerebrais tais como o mongolismo, e outras síndromes, porém, o fundo ou a causa ou ainda, o agente principal é sempre o perispírito, ele é aquele executante exímio artesão ou não que vai saber ou não manipular as “teclas celulares ou genéticas” de seu instrumento que é o físico.

Por isso, a música é uma das terapias mais importantes na cura completa ou na eliminação gradativa dessas toxinas físico-espirituais e consequentemente, dessas patologias humanas. A medicina alopática se utiliza de drogas maciças, poderosas que inibem o paciente causando-lhe mais mal do que bem, além de se utilizar de métodos rudimentares como descargas elétricas, que causam ao doente pavor ou dependência química em relação aos remédios.

Como então promover-se a cura dessas patologias ou sua gradativa amenização sem se utilizar desses métodos e processos tradicionais que além de antigos são dolorosos e prejudiciais ao conjunto psicossomático humano? Primeiramente, temos que saber como funciona a assimilação das correntes mentais e para tanto, interpolo aqui um trecho de um artigo meu publicado em 1963 denominado “psicoscopia” e que dá uma pequena noção sobre o assunto, apesar dele ser um tanto complexo.

A meu ver, o processo de cura deve ser iniciado quando o problema for detectado cedo, quando o feto estiver ainda intra-uterino, ou seja, dentro do útero materno, através de passes magnéticos sobre a mãe e sobre o feto, pelo sistema de ativação dos plexos e chakras. Por indução hipnótica sobre a mãe fazer com que o feto e o espírito reencarnante iniciem o processo de restruturação das correntes mentais. A mãe deve dialogar verbal e mentalmente com o espírito reencarnante através do feto imprimindo-lhe suas forças mentais corretivas(3). O tratamento deve ser acompanhado de fundo musical positivo e suave. Nada de música triste e mórbida, ao contrário, a música deve conter pulsações rítmicas constantes, sem serem barulhentas afim de atingir os ouvidos do feto e do espírito e nessas pulsações controladas e compassadas as correntes cerebrais, aos poucos, irão se normalizando e a química de cérebro entrará em ação(4). A medicação homeopática e através de ervas e da flora (florais de Bach, etc..), pelo estômago da mãe e, após o nascimento diretamente ao recém nascido, serão de grande valia.

A cromoterapia, ou seja o uso dos vários matizes de cores através de lâmpadas luminosas sobre os plexos e chakras da mãe e do feto, e após sobre o recém nascido ativará os centros nervosos em “todos os sentidos”(3).

Todo psicólogo e psiquiatra terão que incluir em seus curriculuns os processos de trabalho como a hipnoterapia, a musicoterapia e a cromoterapia a radiestesia, a sonoterapia e a psicoscopia, esta última, pelo menos na parte teórica, já que ainda não existe fabricado o “psicoscópio”.

Todo esse método utilizado hoje deverá ser substituído gradativamente a médio e longo prazo por esse método mental espiritualista sugerido por mim, acima.

Portanto, quase todos os males físicos vem do espírito, que se for convenientemente trabalhado se harmonizará consigo próprio enquanto estiver se preparando para nascer, harmonizando-se também com o físico através do feto quando for gerado.

As mães e pais deverão participar desses processos recebendo as induções magnéticas quer sejam estas de forma natural através de passes e ambientação apropriada, quer sejam através de aparelhamentos indutores sofisticados que apressarão o processo de cura, porém a meu ver, o contato pessoal entre o psicólogo, o psiquiatra, os pacientes e os pais é mais aconselhado e é o que melhores resultados dará. E nesse processo personalizado também deverá entrar obrigatoriamente o concurso de médiuns de desobecessão, com vidência, clarividência aurividência, psicometria e até de incorporação para poderem receber a assistência dos especialistas espirituais que estão sempre prontos a colaborar.

Em questão de alguns anos essas patologias psicossomáticas serão erradicadas da humanidade terrestre, que abrigará novos corpos e espíritos mais bem harmonizados entre si, com a comunidade e com a Natureza. Mas é necessário que se inicie já esse processo pois, com o advento da aproximação do gigantesco planeta Sidérius, o psiquismo humano será acelerado de tal forma que fugirá ao controle do mais hábil especialista.

A tempo, lembro ainda que, durante o processo de cura, tanto as mães como os filhos pacientes deverão demonstrar suas aptidões e tendências, deverão ser condicionados a uma alimentação balanceada na qual os produtos possuam propriedades estimulativas e naturais e supram as carências energéticas que esses pacientes apresentam.

Mas haverá aquela pergunta: E os que já se encontram pelo mundo portadores de loucuras irreversíveis, criminosos em potencial, portadores de tipos de síndromes várias, psicóticos, maníacos, fóbicos e outras patologias mentais ou psicossomáticas que superlotam os manicômios judiciários, manicômios clínicos, cadeias, hospitais, clinicas de tratamentos, freqüentadores de consultórios psicológicos e psiquiatricos, o que fazer com eles? Há tratamento possível, e que vale a pena ser feito? Milhões de reais ou dólares são gastos sem resultados.

Eu diria que para esses casos aquele ditador alemão pensou ter encontrado uma solução final, que seria o extermínio total desse infelizes. Mas esse não é o meu lema e nem acho que essa é seja a solução adequada. (até porque novos karmas poderão ser produzidos). Teremos que fazer uma triagem para separar os perigosos dos mais mansos, os que possuem lesões cerebrais diretas ou seja, físicas nestes casos fazer as trepanações e cirurgia adequadas e após, o tratamento indicado anteriormente deve ser ministrado.

Em todos os casos que eu e minha esposa examinamos à distância, através da mediunidade de psicometria e pelas viagens astrais que fizemos até os núcleos de tratamentos desses doentes, pudemos constatar que na maioria dos casos além da hereditariedade genética, havia ou há, a defasagem ou desequilíbrio do eixo perpendicular que um espírito reencarnado com seu físico, ou seja, na maior parte tiveram um karma psíquico muito forte que os levou a ultrapassar a barreira zero, ou seja, a barreira que separa uma reencarnação das anteriores.

Nestes casos o espírito vem para o presente como se vivesse em tempos (5)memoráveis ficando em distonia com seu tempo presente, passando a agir, a viver, a falar e a cometer os mesmos atos ou desatinos de quando vivia em suas outras matérias. Ou seja, perdem eles a noção de espaço e tempo. Um exemplo típico: Muitos desequilibrados mentais e que como já disse, se seus cérebros fossem abertos estariam intactos, vivem hoje, dizendo que são Napoleão ou que são Maria Antonieta, etc.

Analisando esses casos pelos processo que já mencionei, constatamos que muito deles são reencarnações de soldados franceses que serviram com orgulho aquele ditador francês, trouxeram para o seu ego toda aquela vivência, a qual, ultrapassada a barreira zero passam a vive-la no momento atual como se vivessem naquela época quando também foram suas vítimas.

Ora, nestes casos e em outros, teria que se fazer a retrogradação (regressão) de memória através a indução hipnótica, faze-lo voltar ao útero da mãe de forma hipotética e lá “reencaixá-los na nova reencarnação” trazendo-os gradativamente ao momento atual com sua nova personalidade e novas características herdadas dos novos pais, os quais, podem ser antigos pais ou companheiros dele e assim faze-lo vir gradativamente vivendo e vivenciando suas novas jornadas.

Essa terapia poderá ser feita em grupo, grupo este que já seria selecionado pela triagem que constatou suas aptidões e tendências.

Assim, deverá ser feito com cada caso isoladamente, de per si, de acordo com a patologia apresentada em cada um.

Na paralisia cerebral, que demonstra um total desligamento do espírito reencarnado com seu novo cérebro, sua nova situação, tem-se que tomar outros cuidados, contudo, com os mesmos ditames e dedicação que se utilizou nos anteriores. Só que aqui a mediunidade de psicometria e de incorporação entram na primeira fase. Isto porque essa patogenia transforma esses pacientes em uma espécie de residência-turistica-viva onde os espíritos obsessores maldosos, negativos, zombeteiros ou inofensivos mas, todos sem exceção, igualmente doentes, fazem o seu “trotoit” ou o “vai e vem” para extensão de suas vontades e mazelas, inclusive fazendo de milhares de outros pacientes os tais “canecos-vivos”, “chamines-ambulantes”, ou “laboratório-carnal de experimentação de drogas de dependência” ou ainda, extensões-vivas de seus descontroles sexuais em vida e que conservam latente após o desencarne.

Pois sendo a morte apenas uma passagem para uma vida mais ativa e ultra-sensível, porém, sem a matéria carnal para dar vazão a essas toxinas agrupadas e continuamente alimentadas pelo espírito, essas entidades doentias não se apercebendo na maior parte dos casos de que já estão “mortos”, dão continuidade às suas afinidades justamente sobre aqueles que lhes abrem os canais psíquicos de entrosamento “graciosamente’ já que todos somos “médiuns” ou intermediários naturais entre os dois campos.

O concurso da mediunidade de cura aqui se faz necessário pois é a única instrumentação que a humanidade possui, desde, seus primórdios, para tratamento, contudo e cura de todas esses pacientes sejam eles do físico-vivo ou do perispírito que seria o físico-enegético. Porém, os dogmas, os preconceitos, a fanatismo religioso, a ciência ortodoxa incrédula, atrasaram e acumularam essas mazelas durante esses milhares de anos que nos precederam.

Agora compete aqueles que estão entrosados nesses conhecimentos promulgarem os estudos e pesquisas diretas nessas áreas sem mais delongas.

Acrescento ainda, a guisa de esclarecimento que durante as viagens astrais que eu e minha esposa fizemos, chamados que fomos ao mais baixo nível astralino às regiões das furnas, cavernas e desfiladeiros tenebrosos; nos deparamos, nós e a equipe de socorristas espirituais à qual seguimos, com espíritos que já não possuíam mais as características humanoides ou seja, cabeça tronco e membros, mas sim, apenas na massa disforme no centro da qual brilhavam dois olhos suplicantes e pensamentos lancinantes de perdão e de pedido de socorro à Deus, à Jesus ou a amigos para que o tirassem dali, daquela situação sofredora.

Os socorristas, então unidos de uma espécie de caçamba, dessas que se usam em construções civis, colocavam aquilo que sobrou de um perispírito totalmente deformado e o levavam às regiões mais próximas à crosta terrestre para prolongado tratamento espiritual.    Ficávamos sabendo então que nestes casos o indivíduo teria que passar por uma série de renascimentos-de-prova vindo a ser até parecido com animais até que conseguisse formar suas novas características humanas e à base de muito sofrimento e desencarnes abruptos lograssem obter um corpo humano com muitos defeitos e muitas doenças e, após, até centenas de anos atingissem um corpo mais ou menos perfeito, pois dependeria de suas pulsações mentais e da ajuda de entidades especializadas em reencarnação o sucesso dele conseguir reviver no seio da raça humana.

É claro que se nestes casos toda e qualquer tentativa de ajuda é válida; porém, antes dele voltar a ser um ser humano dezenas de psicólogos e psiquiatras mesmo se utilizando dos meios que expus acima já terão desanimado!

Por isso, a Natureza é sempre sábia e dá ao ser oportunidades infinitas de se recompor e galgar degraus mais elevados e, lenta e gradativamente se aproximar do Núcleo Central Cósmico-Deus!

As aberrações que o ser humano consciente comete contra seu próprio corpo ou contra o corpo de outrem, custam-lhe muito caro depois da morte física, isto sem contar as que ele comete já desencarnado habitando as regiões umbralinas conscientemente.

É chegado o momento em que todo psicólogo, psiquiatra, médicos de todas as áreas e até os “médiuns” terão por obrigação e meta conhecerem o funcionamento dos plexos e chakras que são vórtices de entrada e de saída das energias físicas e espirituais, elétricas e magnéticas, são os principais pontos de equilíbrio do ser, juntados aos respectivos meridianos nervosos tão bem conhecidos pela medicina oriental milenar, na acupuntura e no “do-in”.

Outro ponto importante a ser lembrado e que poderá auxiliar em muito ao tratamento psicossomático, é a técnica de afastamento do Duplo-Etérico do corpo humano. Sendo o duplo-etérico o agente principal da dor, afastando-se ele o corpo entra em letargia permitindo todo e qualquer trabalho sobre os centros nervosos e sistema nervoso central, deixando o paciente à mercê do seu psicólogo ou psicanalista ou médicos em geral.

Aproveito aqui para entrar num assunto sobre o qual sou muito inquirido durante as palestras que faço. Esse assunto é por demais delicado e ao mesmo tempo abrange toda a sociedade humana e a vem conturbando a séculos sem que ninguém de alguma explicação das causas e origens e formas de tratamento, que são os casos de homossexualismo no homem e na mulher, os travestis, os transexuais, os hermafroditas, etc.

Apesar de que de uns tempos para cá a psicologia, a psiquiatria, as religiões de modo geral tentam, a sua maneira, suavizar o problema, porém sem nada conseguirem pois os casos aumentam assustadoramente enveredando para o campo das drogas-de-dependência, causando uma ruptura nos conceitos da sociedade como um todo, rupturas no convívio familiar e recentemente originando até grupo de extermínio desses indivíduos, não se sabendo até agora com quais intenções, se por vingança, se por pseudo proteção a sociedade, ou se esses grupos são formados por fanáticos desta ou daquela seita ou outro movimento qualquer. A verdade é que o problema está assumindo proporções incontroláveis que, só a concientização humana poderá saná-lo ou amenizá-lo.

Durante as nossas pesquisas astrais, eu e minha esposa, a equipe espiritual e a extraterrestre que nos acompanhou, nos detivemos várias vezes em estudar o assunto, e a conclusão não poderia ser outra: – o fundo, ou as causas dessas distorções fisiológicas e que passam a ser patologias também, devido ao desequilíbrio que causam ao ser humano e ao seu “habitat”, é sempre o perispírito; ele é o agente precursor e detonador dessas anomalias.

E por que anomalias? São anomalias porque o ser humano inicialmente se originou composto de dois sexos opostos e procriadores, o masculino e o feminino, não existe o terceiro sexo como muitos querem afirmar, o que existe são distorções de origem karmica-espiritual que transforma o ser humano antes tido como normal em suas primórdios relações sexuais para fins de procriação, em um ser híbrido que pende para um lado oposto ao seu, sob um título mágico de “opção sexual” quando na verdade o que está ocorrendo com ele é uma fuga do seu “status quo” que por força kármica está sendo imposta a ele por ele próprio, e não por Deus como se imagina. Ou seja, o seu estado atual seria o de ser como ele foi gerado, homem ou mulher, mas no seu interior impera as vontades e tendências da sua vida anterior quando portava o sexo oposto ao seu. Desta forma, quem tenha sido mulher nas vidas anteriores ou na vida imediatamente anterior que é a que vai influenciar, e por motivos vários, entre eles o de ter feito mau uso de seu organismo e consequentemente o sexo, ou de ter extraído vantagens ilícitas e humilhado os homens ou as mulheres, ou por motivos de sua nova missão, ter optado por ser homem agora, ou por achar que por ter sido mulher sempre ficou em desvantagens na sociedade e em relação ao homem, enfim, por mil e uma razões que a própria razão desconhece, lhe são concedidos pais que vão gera-lo homem, porém, sua antiga condição o faz pulsar sobre o feto dentro do útero materno as vontades e as tendências femininas e até o sentido de amor maternal e, mesmo que a genética (aquele piano que mencionei anteriormente) lhe forneça o sexo masculino, este não terá na primeira reencarnação aquela força viril que se haveria de esperar dele, pois as suas pulsações e sua “cópia” perispiritual no astral só podiam transmitir ou pulsar, o que continham? E qual era o seu conteúdo? Continham tudo de mulher, principalmente as energias hormonais. Então ele nasce! Todos gritam é homem! É macho! Era o que eu esperava diz o pai, bem se fosse mulher eu teria gostado mais, diz a mãe. Ouvindo isso ele já se sente “meio-a-meio”, ou seja dividido. No decorrer do seu crescimento seus impulsos femininos anteriores começam a falar mais alto que ele, sua mãe que queria interiormente uma menina e já o castrará dentro do útero começa a criá-lo e a tratá-lo como uma menininha, seus trejeitos vão se sublinhando, na roda dos amiguinhos de escola ele já pende mais para o lado das meninas do que dos meninos. Cresce com toda aquela herança contrária ao que ele viera fazer. Quando na juventude onde os hormônios masculinos deveriam mostrar-se mais à tona, ao contrário, escondem-se e são dominados pelas vontades e tendências femininas. E o que são essas vontades e tendências? São aquelas de gostar do mesmo sexo, no caso do exemplo, gostar de homens. (O mesmo se dá com as lésbicas em número e grau). E em ambos os casos voltam a Terra e se reencontram com antigos amores que permaneceram com o sexo que estavam antes de renascerem, ai vem o amor entre eles novamente, só que agora estão em sexos “idênticos”.

A sociedade grita: – que aberração! O pai quer mandar afogar o filho! O filho entra em luta com ele mesmo, afinal é a vergonha de sua família! Todos riem e caçoam dele. Ele não vê outro remédio, junta-se a outros e que agora são chamados “grupo de risco” pois acha que só assim poderá satisfazer seu ego, ou juntar-se ao seu amor e vão viver sua vida como um casal “extracurricular!” sem contudo, viverem cem por cento como queriam, pois o que lhes serve de “homem” também vem travando uma árdua luta consigo mesmo e com a sociedade. Ele adora, ama aquela criatura “híbrida”! O que fazer então? Aqueles que tem posses entram e saem dos consultórios de psicólogos e psiquiatras sem qualquer resultado e os que não tem dinheiro lançam-se na vida como travestis, em teatros, casas noturnas, e outros diretamente na prostituição a céu aberto e dai para a queda total é um pulo. Lá se vai sua missão! Terá que retornar para poder recomeçar tudo novamente, só que agora já carrega em sua alma muitos desapontamentos, muitos vícios, muita degeneração, os quais, no Espaço vão excluí-lo por um bom tempo de uma nova reencarnação imediata!

Isto vem ocorrendo no mundo inteiro, desde quando o mundo é mundo, mas agora com mais evidência pois é chegado o momento do “vamos ver” ou “ do pega-pra-capar” como se diz na gíria. Tudo vem aflorando de forma espantosa também nas outras anomalias como frisei anteriormente. E o que fazer também?

No que diz respeito ao tratamento, fazer tudo aquilo que mencionei para os casos psicossomáticos mas, dando mais evidência na regressão-de-memória através da hipnose e sonoterapia, fazendo o indivíduo retornar ao útero da mãe e vir conduzindo-o à nova realidade de seu sexo atual, e leva-lo a complementar sua missão. Assim deverá ser feito com o “homem” e com a “mulher” em todos os quadrantes da Terra. Porém, desde já advirto, que com a passagem do gigantesco planeta Sidérius tudo mudará de seu atual lugar, até o nosso planeta Terra que terá um novo “habitat” que abrigará um novo ser humano com características bem diferentes das atuais e, tudo indica que esse novo ser será assexuado, tendo seu sistema de procriação à maneira de outros planetas evoluídos, através do poder de aglutinação genética e celular da mente.

Portanto, o tratamento nestes casos, é aquele que mencionei; mais compreensão, amor e carinho, sobre tudo levar aos envolvidos os quais, forçosamente tenho que chamar de pacientes, pois o são e tem uma sintomática patológica, queiram ou não admitir, a conhecerem e a entenderem as causas de seus problemas e como eles próprios poderão ajudarem-se a si próprios e aos demais do seu convívio social, compreendendo bem as razões técnico-espirituais e assim não viverem se culpando ou culpando a Deus. A Natureza tem suas aberrações mas também tem suas razões e nos fornece as soluções.

Outros casos muito sérios são os epiléticos que devem ser tratados da mesma forma. Tivemos a oportunidade de analisá-los através da vidência, da psicometria e detectamos indivíduos muito endividados espiritualmente e consequentemente seu corpo astral deveras intoxicado e, além de portarem a arritmia cerebral “vimos e sentimos” muitas entidades espirituais negativas vampirizando-lhes o tônus vital, além de os espancarem no lado astral, no momento do auge do ataque epilético gritando-lhes ameaças e cobrando-lhes alguma dívida. Portanto, afastadas essas criaturas através da mediunidade de incorporação e feita a regressão de memória até sua penúltima reencarnação acrescidas de passes magnéticos, musicoterapia, cromoterapia etc., em médio espaço de tempo esses indivíduos poderão viver normalmente.

Não quero dizer com isso que nos casos graves e gravíssimos não se deva fazer uso de medicamentos atenuantes que atuem diretamente no sistema nervoso central. É claro que nesses casos se faz necessário seu uso, porém, em doses reduzidas ou homeopáticas (homeopáticas nos dois sentidos), para pré-indução e alteração do estado patológico agressivo e de rejeição desses pacientes a qualquer aproximação. Mas tudo deve ser feito harmoniosamente sem contra-agressão ou invasão do “status-kármico” do indivíduo. Por isso, o emprego do mediunismo é primordial porque ai haverá a assistência de Entidades Espirituais experientes e ligados diretamente a cada caso.

Cada psicóloga, cada psiquiatra, cada médico clínico ou neurocirurgião deverá ser um canal aberto à coleta das informações advindas do lado espiritual. Penso que ainda haverá tempo para se poder por em prática a curto prazo esse conceito de tratamento psicossomático.

Não podemos esquecer que, na maior parte das vezes, aquilo que para um especialista parece ser um distúrbio psíquico, mental ou cerebral, é na verdade um estado de pré-desenvolvimento mediúnico que causa distorções nas correntes cerebrais e que são acusadas no eletroencefalograma levando-o a cometer erros de julgamento fazendo-o introduzir no paciente uma carga medicamentosa que nada tem a ver com o caso!

[hr]

(1) Tais como: Incorporação, Vidência, psicografia, Psicometria, Aurividência, Audição Mediunica, emuito mais Intuição e mais tarde e a Telepatia, Desdobramento e Projeção do Duplo-Etérico (Viagens astrais)
(2) Tempo calculado durante digitação original
(3) O que passar pelas seis sentidos da mãe passa também pelos seis sentidos do feto.
(4) Bem como o mais recente estudo que é a “Terapia de Toque”
(5) E respondo o planeta também desalinhado ou fora do seu eixo.

Nem tanto ao Mar nem tanto à Terra. Nem tanto ao Mal, nem tanto ao Bem.

Início: São Paulo, 18/ 08/94 às 21:00h

Durante essas mesmas pesquisas vivenciadas sobre o psiquismo humano e sobre a dualidade das forças e energias cósmico-siderais no Universo; muitas dessas pesquisas sobre mim mesmo, sobre fatos ou acontecimentos ao meu redor e ao longo de minha vida.

Notei que quanto mais o ser humano terrestre, friso bem, terrestre, se aperfeiçoa fisicamente buscando a transcendência, a evolução espiritual, mais ele se torna vulnerável em seu contexto físico, em seu corpo material correndo o risco de perder esse físico extemporaneamente sob o inevitável choque sobre si, dessa dualidade cósmico-sideral das energias opostas e ao mesmo tempo paralelas, que são o positivo e o negativo, que resultam para o terrestre quase sempre no Bem e no Mal, impondo-lhe a inexorável Lei Kármica, a Lei de Ação e Reação.

Conclui que se um indivíduo na terra buscar especificamente durante sua vida a pureza física para atingir mais rapidamente o desiderato espiritual, ou seja, sua ascensão mais abrupta, como fizera um Jesus e outros avatares, perderá seu físico também abruptamente ainda jovem e muitas vezes com muito sofrimento, como Ele e outros famosos mártires, isto porque o ser terráqueo fica desguarnecido das forças telúricas, ou seja, as energias que se irradiam do núcleo da Terra, como se ele ficasse desprovido do chamado “fio terra” ou fio de descarga no solo terrestre e, como esse núcleo ainda não se encontra centralizado geologicamente, pois o planeta Terra não está corretamente posicionado, em seu eixo imaginário, em relação ao Sol e ao seu sistema solar; o que vai ocorrer no final deste século, quando então a Terra terá seu eixo verticalizado e depois, então, provocará as irradiações corretas das energias telúricas do centro do globo escoando-as harmônica e homogeneamente, de dentro para fora, sobre a crosta terrestre, os seres, as plantas, a água e até para o ar, protegendo-os de uma ambientação insalubre como está ocorrendo até agora.

Após essa verticalização, todos vibrarão sob e sobre a proteção dessas energias que não mais permitirão a existência de bactérias, insetos nocivos ao “habitat” novo e outros desequilíbrios naturais e psicossomáticos que afetam direta e indiretamente a humanidade desde os seus primórdios.

Desta forma, um ser humano em busca da perfeição desde há milênios atras não encontra respaldo energético em seu próprio “habitat”, o qual, o obriga a ter que manter um equilíbrio constante, contínuo, com as forças por vezes deletérias afim de poder sustentar o equilíbrio físico e espiritual de sua vida, ou seja, esse indivíduo ou ser para poder viver e disseminar suas idéias e ideais por toda a vida quase que precisa ter “um pé na água outro na terra”, “acender uma vela à Deus e outra ao diabo”, o que dentro dos princípios cristãos seria uma aberração, uma heresia, não o é dentro dos princípios cósmico-siderais!

Para o Núcleo Central Cósmico, os princípios e vocações humanas tem valores secundários. O equilíbrio Universal, a harmonia celestial é que são mais preponderantes, pois sem estes, não haverão outros princípios jamais. Durante minhas pesquisas tenho tido que dosar essas forças para poder manter esses equilíbrios e princípios fundamentais.

Mas alguém perguntará: – Então o ser humano necessita ser mundano para poder viver bem? Respondo, não tem que ser mundano pejorativamente, mas sim, tem que ser do mundo onde nasceu e vive. Tem que saber dosar, equilibrar as energias que o circundam ou que fluem sobre ele e que saem de si próprio.

Nos meus contatos interplanetários registrei que os seres de planetas mais evoluídos que a Terra e que ainda possuem seus físicos materiais ou de carne similar ao físico do ser humano terrestre, vivem bem ligados aos seus planetas de origem, ligados as energias oriundas do solo e da natureza planetária, mas, tudo com harmonia e naturalidade, espontaneamente, o que faz daqueles seres ainda dependentes da matéria, viverem como se fossem seres espirituais dentro do próprio físico, o que ;lhes permite absorver melhor as emanações vindas do centro planetário e do sol, astro líder de todo sistema solar, formando assim o binômio vibratório positivo entre o “habitat” e o habitante, entre o “habitat” e seu sistema solar e assim por diante.

Seriam bem apropriados aqueles ditados terrestres populares que dizem: “Se, se está na chuva é pr’a se molhar”, e outros ditados similares. Eu acrescentaria à eles: “Se se vive na Terra, nem tanto ao corpo nem tanto ao espírito e se se está no solo e pr’a se “solar”! Em outras palavras quero dizer que, a vida é um dom emanante de Deus ou do Núcleo Central Cósmico, é um dom divino natural e deve ser usufruída integralmente por todos os serres de todos os reinos, vegetal, animal, mineral e “atmosferical” e não pode e nem deve ser interrompida sob qualquer pretexto.

No planeta Terra, infelizmente, devido a desarmonia de irradiação existente, mais o desleixo, a usura, a belicosidade do ser humano, surgem os insetos e animais daninhos que prejudicam a vida natural sobre o planeta, então neste caso se faz necessário o uso de um controle artificial para o equilíbrio dessas pragas, mas isso não será por muito tempo; pois conforme sou informado pelos amigos extraterrestres, as modificações telúricas se farão sentir há uns dois ou três anos antes do ano 2.000.

Mas, antes disso, haverá distúrbios de toda a natureza e todos os quadrantes do globo como se as forças telúricas e siderais entrassem em choque violento dentro do nosso sistema solar e mais diretamente sobre o planeta Terra, planeta em total desarmonia cósmico-sideral, choque tão violento que todos os seres viventes ou não, e nestes estão incluídos as entidades espirituais de alta vibração pensarão que Deus é o maior inimigo do Universo!

As forças negativas que vibram nos mundos paralelos do baixo-astral e em outras psicosferas serão revolvidas a tal ponto que também entrarão em choque entre si, aumentando e fomentando ainda mais os distúrbios até que a Luz desaparecerá de sobre o planeta o qual, entrará em total escuridão e frio glacial rolando pelo Espaço como seixo perdido até encontrar sua nova órbita solar quando então novo “habitat” se formará sobre ele propiciando a germinação de uma nova e mais avançada forma de vida. Naquele novo estágio, esse dualismo de forças positivas e negativas, ou o bem e o mal, já serão mais controláveis porque os novos seres que surgirão no novo “habitat” já virão mais espiritualizados e o próprio “habitat” já dará condições para a perfeita harmonia telúrica cósmico-evolutiva ansiada e ensaiada há milênios antes.

Tudo tem seu tempo prescrito no Universo, inclusive o fim do ciclo planetário, ou como alguns clarividentes previram, o fim os Tempos, também tem seu momento exato. Os movimentos de sístole e diástole dentro do Universo determinam as modificações, a expansão, o surgimento o desaparecimento dos corpos siderais (visíveis) e cósmicos (invisíveis), desde o microcosmos ao macrocosmos. Esses movimentos são como se fossem o movimento respiratório do Núcleo Central Cósmico Deus. Portanto, o ser humano, seja ele de que planeta for, é muito pequeno, diminuto, frente a esse gigantesco Universal.

Não estou aqui apregoando o materialismo, ao contrário, afirmo que o espírito é a chama divina comandante e manipulador da matéria ou da energia condensada. Sem o concurso do espírito não haveria vida consciente ou inconsciente em qualquer planeta, mas mesmo assim a vida não deve ser interrompida propositadamente a título de fuga do campo material, pois isso acarreta desarmonias psicossomáticas sobre o ser, acarreta desarmonias nas psicosferas ou campos paralelos que rodeia este ser, provocando reações em cadeia intermináveis que o prejudicarão em sua ascensão espiritual, acompanhando-o inapelavelmente nas vidas subsequentes.

E como eu sei que já fui bruxo, mago (que é um bruxo mais alquimista) em vidas passadas, sei que para se denominar as forças dos elementos, a força dos elementais e tudo que rodeia e envolve o ser humano, se faz necessário comunicar-se com elas em todos os campos e momentos, e existem campos e momentos apropriados que obedecem regras simples, porém precisas sem as quais não se obtém os resultados almejados, e se quem lidar com essas forças não estiver com um “fio” na terra e outro na natureza não fará a canalização ou sintonia fina para mentalizar e manipular as energias que exalam desses elementos e elementais. Por isso, quem apenas se dedicar a sua elevação espiritual não terá tanta facilidade, apesar de saber como conseguir reunir e agrupar as forças que estão abaixo do seu nível espiritual terá que se utilizar de sub-condutores de energia. E, os que se dedicarem apenas ao seu enriquecimento material ou apenas viver na matéria no “viver-por-viver’ também não terão tanta facilidade mas estarão mais propícios a serem sub-condutores ou canais transformadores e até geradores dessa energias, principalmente as telúricas que estarão mais próximas de si pela sua natureza comum.

Desta forma, há que se obter o equilíbrio bem dosado sobre si próprio dessas energias, a fim de que elas obedeçam ao nosso comando imediata e simultaneamente para que não ocorram descontroles prejudiciais os quais, inevitavelmente depois de ocorridos voltam-se contra quem os produziu. É o “feitiço virando contra o feiticeiro”!

Volto a enfatizar, não estou aqui querendo dizer que para se poder viver na Terra há que “se acender uma vela à Deus e outra ao diabo”; não é bem assim, mas deve se fazer ou se buscar o equilíbrio das forças predominantes enquanto o planeta Sidérius não chegar e refazer todo o nosso sistema solar.

Com relação ainda a esse equilíbrio de forças ou de energias positivas e negativas, pude constatar através de diálogos espirituais com entidades afins e através de viagens astrais, que, quando há interesses mútuos entre as entidades chamadas do Bem e as entidades chamadas do Mal, ao invés de travarem-se batalhas espirituais, mentais ou mediúnicas formam-se acordos, barganhas e até mesmo conluios para que determinados objetivos maiores sejam atingidos, tais como: proteção de pessoas físicas, pessoas jurídicas locais, cidades, países ou comunidades inteiras, mais ou menos neste sentido: “Mandem retirar aqueles perturbadores de sobre tal pessoa ou de sobre tal localidade que em troca libertaremos tal ou qual entidade, ou tal ou qual localidade”.

E o que é isso senão uma forma astuciosa de manter-se equilíbrio de forças? Pois pude concluir também que assim como o Bem é inquebrantável, o Mal também o é se senão souber como domesticá-lo.

Mas perguntarão: -Noutros planetas evoluídos há a necessidade de se manter esse equilíbrio? Há que se ter esses temor constante?

Não, dessa forma que ocorre na Terra, pois aqui sendo um planeta em evolução é palco de expiações, as mais diversas e é muito mais assolado pelas energias negativas, pois estas fazem parte da lapidação deste “habitat” e de seus habitantes, o qual já pela sua própria constituição física demonstra o grau ainda rústico e inóspito da vida que tem que levar. Sendo o único habitante do sistema solar que carrega em seu complexo físico os intestinos que produzem e necessitam de bactérias (flora intestinal) para se manter vivo.

Nos planetas evoluídos a freqüência ou sintonia é outra, vibra-se ainda em vida nas altas freqüênciais, ou ondas cerebrais ultra-curtas o que não permite a entrada das energias negativas que quase sempre estão situadas nas baixas freqüênciais.

O ser humano extraterrestre, possuindo uma vida mais objetiva e visando mais o todo planetário sem os baixos sentimentos não planetário sem os baixos sentimentos não dá vazão a falhas e doenças físicas e psíquicas vivendo o verdadeiro paraíso que o terrestre já perdeu há milênios e que tão cedo não vai encontrar, ou melhor, só encontrará após sua mudança interior e a alteração do seu “habitat”, dos seus usos e costumes, nada espiritualizados.

O planeta Terra sendo um planeta relativamente novo comparado com os demais planetas do sistema solar e devido a isso atraiu para si civilizações desarmonizadas psíquica e espiritualmente de outros planetas longínquos que para cá vieram em busca da desintoxicação karmática para seus espíritos.

Contudo recrudescentes no negativismo, voltaram a repetir seus atos nefastos e desarmonizantes para consigo mesmo e para com as civilizações que aqui brotaram dando ensejo assim a formação de um “habitat” essencialmente negativo com a predominância das chamadas forças do mal que por sua vez deram origem ao satanismo e do qual fazem parte os também assim chamados “anjos decaídos”, os demônios e afins.

Nesse “habitat” negativo foram sendo formados os campos de atuação propícios as maquinações de domínio do mal sobre o bem e só não ocorreu a dominação total do mal devido a ajuda ou interferência de forças positivas, oriundas de outras esferas cósmicas e siderais poderosas e o concurso de avatares evoluídos, como um Jesus e outros bem antes Dele, milhares e milhares de anos antes que com grandes sacrifícios, sofrimentos e abnegações pessoais foram germinando aqui e ali no orbe as sementes do bem, do – “amai-vos uns aos outros” – até chegar aos nossos tempos atuais com alguns resultados enobrecedores. Porém, ainda assim, nota-se pelos acontecimentos maléficos gerais que aquele domínio inicial do mal continua a querer prevalecer. Ele arregimenta milhões de criaturas vivas e desencarnadas na prática da desarmonia astral vibratória, nos usos e costumes do ser humano terráqueo que tende a cada dia que passa a se degenerar mais e mais.

Como a sombra é o oposto da luz, o negativo é o oposto do positivo, forma-se então o campo de atuação das forças malignas que agem nas sombras, na escuridão e nos campos magnéticos onde a incidência da luz solar é quase nula. A luz solar age sobre as sombras e sobre a escuridão como uma imensa guilhotina que corta toda e qualquer atividade negativa. No caso da Terra, a luz refletida pela Lua durante a noite é um forte magnetismo condutor, sendo luz fria proporciona um campo ainda maior para interação do negativismo e das forças malévolas que se alimentam desse “status-quo” vigente naquele período, para assim interpenetrarem os “chakras” e plexos dos seres vivos e desencarnados sejam de que natureza forem.

(5/9/94 às 22 horas).

Jesus, quando de sua passagem pela Terra na Sua reencarnação de Cristo, nos legou uma grande e eterna lição que é o dom de perdoar.

Ele enfrentou e foi morto pelas forças negativas, as quais, naqueles terríveis momentos estavam bem afloradas e personificadas nas figuras de seus algozes Caifás, Anás (sogro daquele), os fariseus fanáticos, judeus relapsos conspurcadores da boa fé do povo, além daquela sociedade romana degradada e corrupta!

Tudo estava contra Ele. Mesmo muitos dos seus seguidores o abandonaram nos momentos mais difíceis, traíram-no, mudaram de lado acusando-o e pedindo a sua morte na cruz.

Fico aqui imaginando que força interior maravilhosa Ele teve para vencer a mágoa e o desapontamento que aquela gente lhe causava. Isto para um espírito superior com Ele deve doer mais profundamente que as dores dos flagelos físicos.

Eu, que nada sou perto Dele, não consigo administrar essas desditas, fico impulsionado para dar a esses tipos de pessoas o devido corretivo, numa punição fria e calculista. Então, realmente Ele, Jesus, é e sempre será o maior de todos!

Não levantou um dedo contra ninguém, nem sequer emitiu um pensamento vingativo o que poderia ter feito como qualquer ser humano, mas ao contrário, acendeu-se mais interior e exteriormente, formando em torno de si uma aura protetora, um campo-de-força poderosíssimo que fez com que as ondas de choque negativas retornassem a quem as produzia, e ainda agora, quase dois mil anos depois, e após dezenas e milhares de reencarnações daquela turba, ainda retorna à ela em forma de doenças, as mais atrozes, fazendo a devida drenação purificadora das toxinas de seus espíritos.

Jesus, não agrediu ninguém, mas não pode interromper a colheita obrigatória do que foi plantado pelas mentes belicosas e insidiosas da época..

Portanto, com o sacrifício Dele, formou-se no Astral e na Crosta terrestre uma espécie de gigantesco espelho global kármico, dentro do qual o planeta Terra gira como uma *esfera concêntrica, que faz refletir e retornar sobre todos os seres e coisas os reflexos dos raios mentais e das ações negativas ou positivas de todos que produzem, e como este planeta é um vale de lágrimas – dito pelo próprio Mestre – os reflexos que retornam desse espelho são distúrbios, desarmonias, dores, aflições doenças novas e arrasadoras, catástrofes, hecatombes e episódios negativos inusitados, havendo pouquíssimos reflexos positivos.

Por isso, volto a frisar que quem quiser conseguir viver razoavelmente equilibrado neste planeta desequilibrado, deve viver “nem tanto ao Espírito e nem tanto à Matéria”, falo em nome da “racionalidade vivencial”, pois só esta poderá levar o ser humano a atingir algumas metas até o final do ciclo planetário que se aproxima celebre.

E, sabendo como sei que nada sou para julgar os atos de quem quer que seja, muito menos de um Jesus, que considero Meu Abençoado Mestre; apesar de saber também que vivi naqueles momentos e fui um dos narradores bíblicos que teve a oportunidade e a Graça de ter entrevistado pessoalmente a Maria-mãe de Jesus, acho que se Jesus assim tivesse tentado agir, ou seja, como se diz muito hoje em dia, tivesse Ele atraído contra si o ódio, o despeito, o ciúme daquelas mentes pervertidas, talvez Ele conseguisse “dobrar” aquelas mentes sujas, sórdidas e “domesticá-las”, traze-las para Seu lado e assim invertendo-lhes a polaridade, do negativo para o positivo, das sombras para a luz, da cegueira cultural para a visão clara do saber. Mas, a sabedoria Dele é muito maior que a nossa e com Ele integravam-se as Inteligências Cósmico-Siderais dos Anjos e Arcanjos, dos Senhores Celestiais que guiam os Destinos, ou o karma do planeta Terra e, se tudo aconteceu como aconteceu, é porque assim deveria ser. Seria o Maktub -”assim estava escrito”, dos árabes.

A leva de espíritos negativos e super inteligentes que foram atraídos para a Terra é maior que as forças positivas que por elas zelam, razão pela qual somente os acontecimentos de fim de ciclo fará as acomodações necessárias expurgando para outros orbes afins esses espíritos que deverão recomeçar seu aprendizado através da dor e do sofrimento desde a idade-da-pedra ou antes ainda. Se os milênios que esse novo período durará para eles não for suficiente, haverão novos outros milênios a disposição deles e milhões de outros orbes que os receberão de “braços abertos”, aguardo-lhes o plantio do solo, a semeadura da espiritualidade e do progresso tecnológico. Serão, como estão sendo na Terra, os “colibris” transirrigadores do pólen das flores Divinas, nem que para isso, continuem sendo negativos e belicosos.

Essa é a Lei Maior – a Lei Cósmico-Sideral – formada naturalmente, dentro do Universo pelo Núcleo Central Cósmico Deus!

São Paulo, 18/9/94 às 11:40 h

* Como se fosse uma esfera sólida (Terra) dentro de outra ôca (espelho)

Explicações do Autor Sobre Tíner do Planeta Zutener

Um exemplo: Na época da guerra do Vietnã, contatei, ou melhor, fomos contatados por um ser chamado TÍNER do planeta ZUTENER de um sistema solar dentro de Nossa Galáxia a Via Láctea.

Tiner é um ser normal com o biótipo parecido com o do terrestre. Tem os cabelos ruivos meio alongados, parecendo cor de tijolo. Sua nave, gigante, tem o formato de um losângulo horizontal e leva no seu interior algumas naves-mirins do mesmo formato.

Ele contou-nos na época, que pairava a grande altura sobre os palcos de combates no Vietnã e com seus aparelhos assistia a tudo sem poder interferir. Via soldados serem metralhados, seus corpos caírem mas seus perispíritos continuarem em posição metralhando o inimigo. E assim ficaram por dias como se ainda estivessem vivos! Numa das vezes ele veio buscar nosso duplo-etérico e nos levou até lá. Assistimos a tudo consternados. Pedimos ajuda ao Alto e logo em seguida vieram homens e mulheres vestidos de branco, com padiolas, e nos disseram ser socorristas espirituais. Vimo-los colocarem os espíritos dos soldados mortos e os levarem pelo espaço a dentro para serem tratados, enquanto seus corpos permaneciam nos locais em meio a batalha acirrada.

Quando tudo se acalmava, Tíner mostrou o que ele e os seus faziam. Desciam com sua nave em local escondido, apanhavam alguns corpos e levavam para dentro da nave-mirim e desta para a nave-mãe que ficava pairada no Espaço. Descarnavam os corpos e com a carne e seus reagentes químicos faziam uma massa com a qual se revestiam, ou seja, passavam-na em seu corpo todo como uma espécie de proteção ambiental, para seus físicos, e assim, poderem se locomover a pé no solo terrestre. Não só lá no Vietnã mas em todo local da Terra onde eles cismassem de visitar e avaliar.

Tíner e os seus tripulantes faziam aquilo com tanta naturalidade que nos deixou pasmos. Mostrou-nos tudo e falou de seus costumes em seu planeta, os quais, eu tentarei relatar oportunamente . Aquele revestimento que faziam com a carne humana dava-lhes a aparência, mesmo que remota, de um ser humano da terra. Era uma espécie de máscara que se amoldava no corpo todo e que se fossem vistos andando pelo solo talvez não fossem reconhecidos. Tíner nos mostrou também dentro da grande nave-mãe, um enorme instrumento musical “Eólico”, ou seja movido a vento natural. Era composto de lâminas e grandes tubos por onde o vento passava e ele emitia sons coloridos. Viemos a saber através de Tíner que a música, após ser transformada em sons, se transformava em gás colorido e esse gás atingia os nossos poros, plexos, e chakras. Outra experiência que eu e minha esposa tivemos foi em nossa casa de Ribeirão Pires que na época, estava recém construída e havia sido desocupada pelo nosso inquilino e nela fomos morar.

Numa determinada tarde havíamos eu e ela descido à cidade para fazermos compra no supermercado. Na volta, após estacionarmos o carro em nossa garagem que dava entrada para nossa sala de visitas onde havia um grande sofá almofadado de cor bege, qual não foi o nosso espanto ao nos depararmos com um homem esbelto, vestido com um terno “tweed”, aquele tipo de pano enxadrezado inglês, todo sorridente, com um sorriso largo e dentes alvíssimos em formato de meia-pérola, cabelos cor de tijolo (da cor do nosso sofá) que seria talvez cor de âmbar, ou seja entre o bege e essa cor de tijolo comum, cortado à maneira irlandesa, sem pentear, soltos à vontade. Duas mãos enormes, cinco longos dedos e sapatos enormes também, talvez nº 44. Ele estava totalmente sentado encostado no sofá, porém suas pernas eram tão longas que sobrava uma boa parte para fora do sofá, que diga-se de passagem era bem largo, parecia-nos que estava sentado na beira do sofá. Era Jarlós, do planeta Urano ali sentado, materializado, que nos perguntava “- Que tal, estou parecendo um de vocês?”-, nós um tanto surpresos pois havíamos trancado a casa ä sete chaves”, ficamos parados sem saber o que dizer olhando um para o outro. Só depois de entrarmos na sintonia dele respondemos: “- Sim, você se parece com um de nossos estrangeiros, aqueles “gringos” de alta estatura. Ele sorriu mais ainda (sorriu não, gargalhou) e levantou-se quase encostando a cabeça no teto da sala, como se a desfilar para nós. Por coincidência referi-me aqui a dois casos cujos seres tem os cabelos “cor de tijolo”, Tiner e Járlós, são de planetas diametralmente diferentes entre si em tudo e por tudo.

Mas, volto ao Jarlós. Ao ficar em pé vimos como ele é alto. Tem aproximadamente 2,10 a 2,15 metros de altura, é esguio, mas forte. Temo tronco menor que as pernas, que são longas e nos fez lembrar aquele personagem de Monteiro Lobato de suas estórias do Sítio do Pica-pau amarelo, o Visconde de Sabugosa. Braços também longos mas proporcionais ao seu corpo. Cabeça também proporcional, orelhas um tanto pontiagudas mas rentes à cabeça, nariz aquilino e boca proporcional também. O que nos chamou atenção foram seus pés, ele tirou um dos sapatos e vimos porque ele tinha tanta dificuldade de andar com os nossos tipos de calçados. Seus dedos são como pés de rãs ou de patos, ou seja, são interligados por membranas. Ele ficava bem em pé, porém só tinha dificuldade de andar com os sapatos. Perguntamo-lhes por que só os pés eram bem diferentes já que no resto era quase tudo igual a nós e ele nos respondeu “- Porque em meu planeta há muita água, mais água do que solo, e nós vivemos muito dentro d’água. Gostamos da água, nascemos dela como os seus peixes”. Os olhos de Járlós eram do tipo oriental, amendoados, com as pupilas bem verdes e de uma expressão profundamente bondosa, de um poder magnético ou hipnótico incrível. Ele não podia fixar seus olhos muito em nós, pois éramos acometidos de uma sonolência sem termos sono. Járlós contou-nos que naquele momento se encontrava em Manaus, no Amazonas. Estava passeando pela cidade no meio da multidão que nem o notava pois lá havia muitos estrangeiros. Entrava nos ônibus, passava pelas roletas sem pagar, apenas olhando para o cobrador. Sua nave se encontrava estacionada numa floresta próxima da cidade. Disse-nos também que o terno havia conseguido através de seus métodos persuasivos à distância e que para a próximas vezes viria com um sapato que já estava produzindo dentro da nave, feito de uma espécie de malha que deixaria seus pés a vontade e não eram transparentes, quis dizer, que ninguém iria desconfiar dos pés dele.

E assim temos dezenas de casos pitorescos que irei relatar futuramente, bem como, respondendo as curiosidades naturais dos leitores, além das dezenas de casos dentro do Astral terrestre com entidades várias e respectivas mensagens maravilhosas que tocam fundo o nosso coração. Temos mensagens em forma de poema do gênio da Música Ludwig Maria Van Beethoven e de outros grandes. Temos uma mensagem de um humilde preto velho no seu palavreado original dirigida a mim e escrita por ele na forma de sua pronuncia típica.

Temos mensagens do meu grande ídolo virtuosistico Paganini que iniciou a composição de um novo conserto para violino por nosso (meu e de minha esposa) intermédio. Teve que interrompe-lo devido às nossas complicações de saúde, principalmente as de minha esposa que o captava. Stravinsky nos prometera trabalhar conosco na detectação das cores da música. Rachmaninov também nos enviou mensagem. Não temos mensagem de Mozart mas, conversamos muito com ele em nosso astral. Um famoso músico terrestre reencarnou em Plutão e chama-se Vallís II, continua a nos mandar mensagens de lá, juntamente com Klérkur que também reencarnou por lá. Já são dois jovens fortes e simpáticos. Enquanto o ex-músico foi em missão de fazer nascer a música da forma como ele a sentia na Terra, ou seja, tentando aliar o racional ao sentimental e dar maior sensibilidade ao povo plutoniano que pende mais para o lado tecnológico do que para o sentimental e o espiritual; o ex-passivista foi para lá para fazer nascer o mentalismo, o culto dos direitos ao próximo e a espiritualização daquele povo hiper-intelectualizado.

Plutão assim como a Terra, sofrerá mutações drásticas pois são os dois planetas que mais se afinam com o gigante drenador, Sidérius. Em Plutão, o paganismo e a tecnologia eram a mola propulsora daquele povo, diferente do terráqueo que apesar de adotar muitos cultos religiosos é a única humanidade do nosso sistema solar que se mata entre si e fomenta as guerras o egoísmo e outras mazelas, por isso, entrará em choque vibratório com o “quantum” vibratório de Sidérius que aqui fará uma limpeza em regra.

Temos esperança de futuramente poder explanar sobre o desenvolvimento da vida dos seres de cada planeta de seu sistema solar mais especificamente. Procuraremos agrupar todas as mensagens respectivas e em ordem cronológica de captação que permitirá ao leitor ir acompanhando a evolução dos nossos contatos, as características, os acontecimentos do dia-a-dia dentro de cada sociedade humana, os casos curiosos, e principalmente os ensinamentos recebidos.

Assim como, os nossos contatos com os seres “extraterrenos” (entidades espirituais desencarnadas), das antigas civilizações os quais ainda se mantém no Espaço e nos mandam suas mensagens. Civilizações como as da Lemúria, da Atlântida, dos Vedas, Caldeus, Egípcios, Maias e outras. Muitos espíritos milenares, centenários, da idade-média, modernos, que tiveram suas atividades várias na Terra, os quais, por motivos especiais não puderam ou não quiseram reencarnar ainda. Muitos deles com missão, entre outras, de nos acompanhar e nos auxiliar mantendo-se em suas antigas formas biotipicas, quando então conviviam conosco e traçaram suas missões.

Espero que esta resumida obra possa trazer ou levar algum ensinamento novo às mentes panorâmicas e ávidas de conhecimento, e ainda que, essas mentes possam aproveitar de agora para o tempo que se seguir para esta humanidade atual e para suas futuras reencarnações aqui na Terra ou em outro planeta qualquer. Que nada seja perdido, pois foi com a dedicação, o sacrifício de todos nós, a abstenção e até a renúncia a outras metas mais imediatistas, para que estes objetivos fossem alcançados, na certeza de que “O que daqui se leva é o conhecimento que aqui se deixa”!

O Autor