A Fé É Sintonia E Sintonia Pode Ser Baixa, Média ou Alta

A Fé É Sintonia E Sintonia Pode Ser Baixa, Média ou Alta

Pergunta:

Olá Domingos,

Favor comentar nisso: “Qualquer supostos fenômenos ou acontecimentos que não dependem de nós significam que estamos sendo manipulados como fantoches, marionetes, mas os supostos contatados ETs desconhecem que obsessores são energias magnéticas ou espiritos afins que são atraídos por afinidades de vício, gostos ou costumes do individuo, e se este comportamentos forem considerados errôneos, logo estarão acompanhados com essas energias ou espiritos afins que gostan daquele mesmo tipo de costume ou vícios. Só que, como estão desencarnados, vão induzir a vitima a fazê-lo para sugar suas energias dos fluídos ectoplasmaticos que é, digamos, a moeda corrente no umbral. Quanto mais energias sugadas, mais os obscessores ficam fortes e poderosos, entendeu? Os obscessores adoram se disfaçar de ETs, mentores, guias espirituais, mestres de luz e etc. Eles (entidades obsessoras) são especialistas em enganação e manipulação para sugarem as energias da glândula pineal dos contatados, aparelhos, sensitivos, médiuns, etc. A verdade dói mais liberta!”

Abraços,
J.K.M.

Resposta:

Prezado J.K.M.,

Devo lembrar que quem manipula essas inverdades, ou mentiras, são aqueles que se dizem e se acham conhecedores dos campos energéticos totais que envolvem o ser humano ou mesmo todo o planeta Terra. Só são manipulados aqueles ignorantes, irracionais e o que querem ser manipulados, o que tenho certeza de que você não é um deles, pois, aceito que você e outros estejam em patamares vibratórios mais elevados! Entretanto, há muita gente sendo lesada em conhecimento por elementos disfarçados de ETs que “baixam” em centros espíritas, igrejas e seitas de todos os tipos e até falam línguas estranhas! Mas, sua observação é valida e a população comum tem que começar a atinar que fé é sintonia e sintonia pode ser baixa, média e alta e, a cada um conforme suas obras, ou conforme o que sintonizar ou o que pedir!

Abraços,
DYezzi::.

Anúncios

Relatos de Ink – Engenheiro Astrônomo do Planeta Ága e A Nave de Dornete

Incluindo A Nave de Dornete do Planeta Kiont

24/10/67

Ata sobre os relatos de Ink do planeta Ága

Nesta noite aconteceu o que durante vários dias esperávamos, mas que mesmo assim nos surpreendeu pela maneira como ocorreu.

Há vários dias, durante alguns dos nossos trabalhos vínhamos tentando, com a ajuda dos nossos mentores e com a ajuda dos amigos de outros planetas, captar o planeta Metálico que fica entre Saturno e Urano. Planeta estranho onde seres possuem a pele parecendo ser metálica; planeta que completaria para nós o circulo dos 12 planetas que realmente existem em torno do Sol formando o nosso sistema solar.

Durante a noite quando íamos dormir ou mesmo quando já estávamos em pleno sono acordávamos com a sensação da presença de vibrações estranhas ao nosso lado. Inclusive o meu físico e principalmente o físico de minha esposa passavam por descompassos de circulação, pulsações diferentes e o coração disparava, etc. Sabíamos que aquilo se tratava de algum ser fora do nosso sistema solar que estava tentando por-se em contato conosco ou era algum ser do planeta Metálico que se aproximava de nós e examinava nossos organismos durante a noite para uma futura comunicação. Entre as duas idéias optávamos pela segunda, já que vínhamos tentando mentalmente os nossos trabalhos sentíamos a presença de um ser estranho ao nosso lado.

Difícil se torna para nós explicar essa sensação. Mas, pela prática que já temos em vista de termos nos comunicado com quase 50 tipos de seres diferentes um do outro e de planetas ainda mais diferentes e estranhos, nos quais para o homem terrestre, jamais deveria haver vida, pois a ignorância deste homem ainda está limitada dentro de seu coração e do seu cérebro e ainda, por aparelhamentos de ótica, já ultrapassados para os seres de outros planetas, e que coloca sobre suas vistas para poder descobrir alguma coisa e o que descobre é que somente na Terra pode haver vida! o que ainda ele não descobriu no Universo ou que talvez não deseje que isto aconteça é que ele o homem-terra é o mais ignorante e mais agressivo ser do sistema solar. Mas, mudará o seu modo de pensar a medida que inventar novos e mais possantes aparelhos e for descobrindo os outros planeta s e as naves interplanetárias que circulam fora de nossa atmosfera com seus maravilhosos navegantes, aí então compreenderá o que hoje estamos expondo com muita antecedência à ele. Desta forma, é muito difícil para nós, expor ao homem de hoje, incrédulo de tudo e de todos, a sensação pela qual passamos a conhecer um novo ser do Cosmo. É um corpo estranho com pulsações diferentes e temperatura variando para a mais alta e para a mais baixa do que a nossa.

Na maior parte destas aproximações, nas primeiras vezes, há um descontrole total de nosso organismo, nas correntes magnéticas de nosso físico, na pulsação e na temperatura. Há momentos, e conforme o ser que se aproxima, que as sensações não são agradáveis nem um pouco. Isto não que dizer que nos sejam prejudiciais tais aproximações, são apenas desconsertantes e nos deixavam um pouco atônitos a princípio.

Quando isto nos aconteceu pela primeira vez há uns trinta anos, pensamos que íamos morrer e que deveríamos chamar o médico em plena noite. Mas, enquanto isso acontecia nosso cérebro e nossa mente e ainda nosso espírito iam recebendo respectivamente as pulsações magnéticas do ser que se aproximava e nossa intuição nos dizia que não era nada de mal e que um novo amigo queria conversar conosco!. E assim foi sendo feito, e hoje, já estamos acostumados, eu e minha esposa, e nada mais nos deixa preocupados. Nossa única preocupação agora, é fazer estes relatos chegarem às mãos da humanidade terrena e poder ser-lhe útil em alguma coisa.

Naquela noite deu-se a conclusão da aproximação tão esperada. Eu não me encontrava em casa. estava freqüentando o curso computador eletrônico, quando em casa minha esposa recebia telepaticamente mensagem daquele ser maravilhoso do planeta metálico. Quando cheguei em casa encontrei a mensagem escrita com caracteres próprios, explicando tudo sobre as transformações que se darão em nosso Sistema Solar, bem como, o nome do planeta em sua própria linguagem e nome do ser que nos mandava a mensagem.

Pela primeira vez em todo este tempo em que nós nos comunicamos com esses seres, recebemos uma informação mais categórica sobre como ficará o nosso sistema solar após as transformações que o dividirá em dois sistemas tendo Júpiter como o Sol do futuro segundo sistema solar a ser formado. Nos revelou também quais os planetas que permanecerão ao redor do atual Sol e quais os que acompanharão Júpiter e qual o grau de evolução total no qual se encontram atualmente, e em que grau se encontrarão após as modificações e ainda qual será a situação dos habitantes dos planetas que sofrerão mais diretamente os efeitos das transformações que serão provocadas por um gigantesco astro errante que se infiltrará em nosso Sistema e que será avistado lá por meados de 1997 a 1999, quando sua luz se ascenderá e jogará para outras órbitas o nosso Sol e os doze planetas que o acompanham atualmente. Pela primeira vez em toda a história da humanidade terrestre foram feitas tais revelações, inclusive revelações que vem de encontro com as mensagens bíblicas de Cristo quando nos diz que serão separados o trigo do joio ou os da direita e os da esquerda do Cristo.

Aqui nesta mensagem por nós recebida, os da “direita” são representados como sendo os “positivos” com o sinal (+) e os da esquerda, “negativos” com o sinal (-). Pelo que nos foi exposto anteriormente, e agora mais categoricamente, haverá muito sofrimento negativos de ambos os planetas reiniciarão seu progresso individual na “Idade da Pedra” em Plutão que será arrasado e sua civilização quase que totalmente extinguida. Suas maravilhosas cidades serão completamente destruídas, assim como o foram Sodoma-Gomôrra, Atlântida, Lemúria, Pompéia e outras, na Terra. Neste momento pensamos em nosso velho amigo Glonk e em seu povo e pedimos a Deus que como sempre poupe os que não merecem sofrer!

O nome do planeta metálico em sua linguagem é ÁGA e doravante, ao mencionarmos aquele planeta o faremos pelo seu próprio nome. O ser que nos enviou tão maravilhosa e categórica mensagem chamou-se INK habitante de ÁGA.

Relatos de Ínk do Planeta Ága (Figura 22)
Relatos de Ínk do Planeta Ága (Figura 22)
Relatos de Ínk do Planeta Ága (Figura 23)
Relatos de Ínk do Planeta Ága (Figura 23)
Relatos de Ínk do Planeta Ága (Figura 24)
Relatos de Ínk do Planeta Ága (Figura 24)

INK adotou uma circunferência para determinar o grau de evolução total de um planeta, ou seja, o Símbolo de um planeta que atingirá o grau máximo de evolução será ema circunferência fechada em seus 360º graus. Um planeta à medida que vai evoluindo, vai galgando os graus de circunferência e vai fechando o círculo até completá-lo.

Procuraremos reproduzir aqui com a máxima fidelidade de traços, inclusive sobre os caracteres da escrita empregada por Ink e desconhecida totalmente por nós. Mesmo assim conservaremos o original do qual faremos um fac-símile quando da publicação do original.

Nenhuma informação nos foi dada por Ink sobre seu próprio planeta, mas sabemos que o fará brevemente ai então faremos muitas perguntas a ele!

Ink desenhou primeiramente seu planeta Ága fazendo um cone sair da esfera e com duas ramificações uma apontando o nome do planeta  e  outra  apontando  o  seu nome;  como  querendo   dizer que aqueles dois nomes pertenciam aquela esfera ou que aquela esfera deu origem aqueles dois nomes. tentaremos reproduzir abaixo.

Desenho de Ínk do seu planeta Ága (Figura 25)
Desenho reproduzido de Ínk do seu planeta Ága (Figura 25)

 

Ínk desenhou os doze planetas de nosso sistema solar, sem contudo fazer as proporções de cada um, simplesmente desenhou-os em tamanho único.

Desenho de Ínk do Sistema Solar (Figura 26)
Desenho reproduzido de Ínk do Sistema Solar (Figura 26)

A ordem de seqüência demonstrada acima, é exatamente como ficam dispostos os planetas no Cosmos. Após desenhou ao centro da folha o nosso Sol.

Desenho de Ínk do Sol (Figura 27)
Desenho de Ínk do Sol (Figura 27)

 

Determinou ao lado das demonstrações o sinal característico em sua língua com que designou o sol.

Desenho de Ínk de Sua Línguagem Simbólica do Sol (Figura 28)
Desenho de Ínk de Sua Línguagem Simbólica do Sol (Figura 28)

Determinou cada planeta na mesma ordem de seqüência acima com seu sinal característico que tentamos reproduzir aqui (vide Figura 11).

Depois fez uma espetacular demonstração da futura divisão de nosso sistema solar, ou seja, para deixarmos mais clara; INK demonstrou  que o nosso  sistema solar vai  ser dividido em dois  até  o final deste século e que o planeta Júpiter pelo seu volume  tamanho se transformará num outro sol e comandará o seu sistema. Demonstrou quais os planetas que seguirão com Júpiter e quais os que permanecerão com o atual sol e foi a seguinte disposição que foi feita.

Júpiter terá ao seu redor seis planetas que são: Osmem. Marte, Vênus, Mercúrio, Terra e Plutão, na ordem que foram demonstrada por Ink, e também na mesma ordem, o atual Sol terá ao seu redor cinco planetas que são: Netuno, Ága, Saturno, Urano e Fesp .

E os gráficos feitos foram os acima que tentamos reproduzir para dar uma pálida idéia (vide Figura 12).

Após a demonstração feita por INK, ele prosseguiu noutra fantástica demonstração da famosa separação bíblica (para nós) do “joio do trigo”  que nada mais é do que atração de semelhantes por semelhantes, ou a separação dos negativos dos positivos, permanecendo nos planetas evoluídos somente os positivos. Os negativos serão transladados espiritualmente, para os planetas a caminho da evolução.

Com a demonstração categórica feita por INK, concluímos facilmente que, no momento da chegada do Astro intruso “Sidérius” haverão tremendas transformações no sistema solar. Todos os planetas girarão noutras órbitas diferentes das atuais e divididos em dois sistemas solares. Nessa mesma ocasião, nos planetas onde ainda existem os negativos ou os “da esquerda”, haverão grandes catástrofes telúricas com a morte de milhões de seres, no momento dessas catástrofes tais como, a verticalização do eixo planetário, inundações de continentes inteiros, calor intenso vindo de dois sois ao mesmo tempo, o atual sol e o Astro intruso” Sidérius” que se ascenderá ao entrar em contato com nosso sistema, terremotos, maremotos, queda de grandes meteoros dentro do solo planetário, transferência de satélites naturais de um planeta a outro, como por exemplo, um satélite de Marte que virá para a Terra, a Lua que será um planeta, (e que não foi mencionado por Ink mas que perguntaremos na próxima vez) a ativação de glândulas, ou do sistema endócrino dos habitantes, bem como de todos os baixos instintos, etc., etc., ficarão determinados automaticamente os negativos e os positivos, ou ainda os “da direita e os da esquerda” e haverá a transladação de todos similares  para planetas similares correspondente a evolução ou a involução de cada ser. Conforme cálculos previamente feitos por Ink é na seguinte disposição que serão feitas as mutações dos seres.

Os seres negativos da Terra seguirão para Plutão que será quase totalmente destruído, começando estes seres quase que pela idade da pedra novamente.

Os seres negativos de Plutão permanecerão no próprio planeta e juntar-se-ão com negativos terrestres e juntos reiniciarão sua caminhada a evolução.

Os Seres negativos de Fesp também permanecerão no seu próprio planeta.

Seres negativos só existem na Terra, Plutão e Fesp, este último, está no início de sua civilização e portanto só possui seres negativos, no sentido de serem belicosos.

Os seres positivos da Terra seguirão para Vênus e Marte conforme sua disposição.

Os seres positivos de Plutão seguirão para a Terra.

Os seres positivos de Mercúrio (só há positivos) seguirão para Vênus ou Marte ou permanecerão em Mercúrio.

Os seres de Vênus seguirão para Júpiter ou permanecerão em Vênus.

Os seres de Marte seguirão para Júpiter ou permanecerão em Marte.

Os demais planetas, Júpiter, Saturno, Ága, Urano, Oswen, Netuno, permanecerão com seus  seres, mais evoluídos após as modificações, logicamente.

O gráfico feito por INK sobre as mutações interplanetárias foi mais ou menos o seguinte: (Vide Figuras 17 e 18).

Desenho de Ínk das Mutações Planetárias (Figura 29)
Desenho de Ínk das Mutações Planetárias (Figura 29)

 

Desenho de Ínk das Mutações Planetárias (Figura 30)
Desenho reproduzido de Ínk das Mutações Planetárias (Figura 30)

Após o gráfico acima, INK demonstrou em novo gráfico simbolizando o grau total de evolução de um planeta com uma circunferência fechada, e a medida que o planeta vai evoluindo, vai galgando os graus da circunferência e fechando-a gradativamente como veremos na demonstração abaixo, na situação atual dos planetas e na situação previamente calculado por Ink na situação evolutiva dos planetas após as modificações deste fim de século.

Como veremos:

Desenho de Ínk da Evolução Planetária (Figura 31)
Desenho de Ínk da Evolução Planetária (Figura 31)

 

Situação Atual da Evolução dos Planetas do Nosso Sistema Solar

Desenho de Ínk da Situação Atual da Evolução dos Planetas do Nosso Sistema Solar (Figura 32)
Desenho reproduzido de Ínk da Situação Atual da Evolução dos Planetas do Nosso Sistema Solar (Figura 32)

Situação Posterior da Evolução dos Planetas do Nosso Sistema Solar, Aos Acontecimentos do Fim do Século

Desenho de Ínk da Situação Posterior da Evolução dos Planetas do Nosso Sistema Solar, Aos Acontecimentos do Fim do Século (Figura 33)
Desenho reproduzido de Ínk da Situação Posterior da Evolução dos Planetas do Nosso Sistema Solar, Aos Acontecimentos do Fim do Século (Figura 33)

 

Após ter deixado estas estupendas revelações aos terrestres, Ink retirou-se sem escrever mais nada.

Esperamos que no próximo trabalho possamos dialogar com ele e conhece-lo melhor bem como seu povo e seu planeta.

24/10/67

Nave Dornete do Planeta Kiont (Figura 34)
Nave Dornete do Planeta Kiont (Figura 34)

Desenho de Ínk da Situação Posterior da Evolução dos Planetas do Nosso Sistema Solar, Aos Acontecimentos do Fim do Século (Figura 33)

Respondendo Para o Lado de Lá

Perguntas feitas ao autor por várias entidades espirituais, talvez com intuito de testar seus conhecimentos, e que o autor tenta responder imparcialmente e às vezes com cunho pessoal.

06/10/86 às 2h40

1)                 Pode um espírito evoluído como Mozart, Paganini, Beethoven e outros que se conservam desencarnados no Astral, tendo que reencarnar em outros vultos famosos ou não, voltarem à suas formas de músico ou daquela encarnação que os tornaram conhecidos, após um novo desencarne?

RESP.: Para um espírito evoluído nada é impossível, mais ainda, tudo é possível. Sabemos todos que uma entidade desencarnada conserva aglutinadas sobre seu perispirito, as partículas energéticas de sua última forma física quando vivia, porém, ela pode se transfigurar nas personalidades que quiser, mesmo que nestas configurações ela tenha vivido em remotíssimas encarnações, boas ou más; das quais ela necessite fazer uso para ser reconhecida por aqueles que com ela conviveram na época, ou tenha ela que exercer alguma indução psicossomática kármica ou não, sobre alguém vivo ou do seu mesmo plano astral. O Perispírito, no meu conceito, ainda é matéria, mas rarefeita é claro, mas ainda sim, matéria, e sendo assim pode ser moldada ou plasmada pelo Espírito como ele bem quiser, pois, a semelhança de uma poderosa fita magnética comum, ou uma precisa e ao mesmo tempo preciosa memória cósmico-etérea que registra tudo o que se passou ou o que se passa no Cosmos desde a sua criação personalizada, dando ao Espírito um caráter particular, distinguindo-o dos demais que existem no Universo, dando-lhe também uma freqüência vibratória própria e consequentemente uma sintonia adequada. Por vezes, um Espirito evoluído ou não tendo necessidade de se transfigurar ou trasmutar-se em “alguém” que ele tenha sido, faz uso de processos mediúnicos e extrai os fluídos da aglutinação ou de desaglutinação que vão resultar na transmutação de energias de médiuns (intermediários) do campo físico e do campo astral para os efeitos de indução psicométrico-plasmático sobre aquelas a quem ele desejar ser relembrado.

Deve ser levado em conta nesse processo, que para qualquer Espírito evoluído ou não tem tendências lógicas e karmicas de se fixar sempre na sua última reencarnação pois por mais simples ou mais famosa que esta possa ter sido, ela não pode ser desvalorizada, ao contrário, tem tanto ou mais valor que as anteriores pois será por esta última que ele terá sido qualificado para se situar em patamares de progresso evolutivo correspondente a tudo o que ele tenha produzido no decorrer das suas dezenas ou centenas ou ainda milhares de reecarnações passadas.

Todos os registros encontram-se fixados no Espírito e, basta sua simples vontade para que esses registros venham a tona e sejam energizados ou materializados.

2)                 Pode um espírito de um suicída reencarnar sem os defeitos kármicos que seu ato iria deixar sobre ele?

RESP.: Esta pergunta tem muito haver com a primeira, pois se o Espírito for evoluído ele poderá corrigir sobre si próprio as mazelas provocadas por ele ou por outros. A consciência de um ser é uma parte daqueles registros etéricos que podem elevar ou rebaixar esse ser em todos os graus do progresso psicossomático. Quando falo em consciência, refiro-me não só a do suicída que se sentido culpado (mea-culpa) forma sobre o espirito a desarmonia celular do espirito, resultando nas mazelas que deformarão nas futuras regiões físicas as reencarnar-se mas também nas consciências daqueles que convivem com ele ou foram direta ou indiretamente responsáveis pelo ato suicída, os quais, queira o suicída ou não continuam também com o seu “mea-culpa” e desta forma, ao mentalizarem ou apenas ao relembrarem-se dele o verão nas imagens de suicida e isto ajudará a aglutinar as partículas de desarmonia celular do perispírito e do ambiente que “prende” o ser um sofrimento “ad-eternum” no astral inferior até que todos saiam daquele circulo vicioso negativista que atrasa em anos e não raras vezes, em séculos o progresso livre daquele ser.

Porém, se ele for evoluído entrará em sintonia maior e apesar de ter que passar pelas agruras de seu ato por ter provocado o encurtamento de sua própria vida e ter provocado nos que o amavam a dor e o descontrole emocional, físico e social, poderá atrair mentores afeitos a esse mister, conhecedores profundos da ciência espiritual de como corrigir as desarmonias corpusculares do perispírito e assim, aquele infeliz ser evoluído poderá sanar em menos tempo que o esperado os seus defeitos e retornar ao convívio dos demais seres humanos sem qualquer problema físico ou mental.

Como se vê, a lei do karma é implacável, inexorável em quase todos os pontos, mas, na sua exatidão cósmica deixa aberturas também exatas para que qualquer um de nós seres humanos possamos entrar, desde que possuamos os registros essenciais que são a sabedoria, que é o domínio do conhecimento cósmico, a humildade e o amor ao próximo. Com apenas esses três requisitos dentre outros que poderemos optar no momento de nossa necessidade e compormos nosso “quantum vibratório”, poderá um ser atingido por qualquer infelicidade adentrar aos mundos superiores da mente e do espirito, sem qualquer protecionismo vulgar.

3)                 Pode um espírito reencarnado que tenha sofrido um aborto ou morte prematura logo ao nascer, retornar ao Astral em sua forma anterior de adulto?

RESP.: Igualmente ás perguntas anteriores, pode; desde que não adentre aos círculos vingativos, os quais, por conseqüência são penas kármicas.

Há vários fatores que levam o espírito a ser abortado do ventre de sua nova mãe, entre eles:

  1. Ter sido esse espírito um grande praticante de atos abortivos propositais e maldosos, podendo ter sido uma própria mãe, ou um agente abortador, tais como parteiras, médicos ou criminosos passionais ou criminosos acidentais os quais, pelo “mea-culpa” não se auto-perdoaram e nem receberam o perdão de suas vítimas, provocando sobre si e sobre todos os que participaram dos acontecimentos aquelas desarmonias astrais e psicofísicas.
  2. Um espírito evoluído do astral-terrestre, ou seja, um extraterreno que em nova missão regeneradora a favor dos vivos não consiga se fixar no feto devido ao seu alto grau de potencialidade espiritual, e sua “alta voltagem” mental-espiritual não consegue se estruturar ou se “encaixar” no novo e frágil invólucro carnal, matando-o antes mesmo de nascer. Nestes casos, o Espirito reencarnante poderá voltar imediatamente ao seu estado anterior de evolução, mas as vezes, prefere tentar conservar-se em forma de feto no astral mas com a sua consciência adulta vigilante ao lado afim de melhor poder aglutinar sobre si as novas partículas emanadas do físico em formação para facilitar-lhe novo empreendimento à vida física, mas quase sempre esses espíritos muito evoluídos necessitam de várias tentativas infrutíferas as quais ocasionam a morte prematura de seus fetos e às vezes já na tenra idade até que numa delas possa conseguir seu intento, porém, todos esses fatos são realizados em consonância kármica e muitas vezes eles tentam nascer em úteros de mães com passado de provas kármicas cujos espíritos saberão o por que de tanta “infelicidade” material, mas, mesmo assim podem elas estarem recebendo como prêmio em forma de “faca de dois gumes” um novo avatar com uma missão angelical ou técnico-científico.
  3. A entidade reencarnante pode ser oriunda de um outro planeta (extraterrestre) qualquer, mais evoluído ou não que a Terra, deste sistema solar ou de outro sistema solar dentro da nossa galáxia, a Via-Láctea, ou de outras galáxias, o processo é o mesmo e é o mesmo mecanismo, a diferença está no choque vibratório inter-energético de uma matéria composta de partículas e órgãos diferentes para a nossa matéria carnal com órgãos muito complicados como o pâncreas, os intestinos, os testículos e outras glândulas por vezes inexistentes noutros corpos físicos de extraterrestres.

Um ser extraterrestre além de possuir seu físico de conformidade com seu habitat natural tem consequentemente, uma compleição física até anti-natural à nossa e quando “desencarnam” levam para o Astral de seu planeta todas as partículas energéticas que formavam seu corpo físico, as quais, formarão seu corpo astral ou perispírito que posteriormente ao voltar se encarnar lá mesmo em seu planeta ou aqui na Terra interferirá na formação do seu novo corpo no próprio habitat ou em novo corpo físico na Terra.

Nos casos de reencarnes de seres extraterrestres na Terra há de se levar em conta o fator rejeição natural entre as partículas que o compõe e as outras que formarão o novo feto. Além do que há a temperatura corpórea perispiritual para mais ou para menos, e que influirá na pressão e corrente sangüíneas do novo feto ocasionando distúrbios sem conta no metabolismo e no sistema endócrino do novo feto, os quais, fatalmente acarretarão sua morte física. Muitas vezes nesses casos o feto nem chega a ser animado.

Em todos os casos das três perguntas acima, todos podem voltar ao seu estágio de adulto, alguns retornaram àquele estado quase que sob explosão outros precisam permanecer em estado fetal e outros, como espírito permanecem ao lado da futura mãe sem encarnar, apenas pulsando sobre o novo feto e caso haja o aborto eles acompanham tudo e tudo sentirão também e por vezes ficam ainda mais acabrunhados, sem ação, sem nada poderem fazer apesar de ambas as consciências, a do feto e a do espírito reencarnante estarem intimamente ligadas por laços magnéticos firmes e sensíveis. Ambos sofrem quando o nascimento não dá certo.

4)                 Como fica o fator genético frente às sucessivas reencarnações de um espírito, evoluído ou não, e quais seriam as técnicas e mecanismos que os Mentores Espirituais empregam para fazer o “encaixe” de um espírito reencarnante em células físicas cujo gene tenha que vir desequilibrado na sua contextura a fim de dar àquela entidade a oportunidade de resgate? Há preparações prévias desses desvios genéticos ou tudo ocorre naturalmente?

RESP.: Para os Mentores Reencarnacionistas não existem dificuldades ou embaraço para poderem “encaixar” um espirito reencarnante desequilibrado e que tenha que nascer com defeitos físicos externos ou internos e resgatar, drenar ou desintoxicar seu perispírito em uma vida de sofrimento e provas, pois tudo ocorre “naturalmente” dentro de uma programação preestabelecida.

Mesmo que o fator genético seja um fator preponderável através do qual as Entidades Superiores teriam maior ensejo e facilidades em fazer nascer alguém que precisa resgatar suas dívidas consigo mesmo ou com os elementos humanos contra os quais se responsabilizou, nem sempre esse fator é levado em conta, ou seja, aquela ramificação familiar poderá ter sido em milênios um fator genético imutável, sempre perfeito, sem desvios de qualquer ordem, seja ela psíquica, emocional, ou física, se for necessário, será permitido um desequilíbrio genético momentâneo pelo conteúdo vibratório do espírito reencarnado que, por incapacidade de emitir as pulsações adequadas para o útero de sua mãe, no momento da aglutinação das células matrizes que darão origem a seu novo corpo, dando origem as futuras falhas físicas e mentais das quais será portador durante algum tempo de sua vida ou durante sua vida toda.

Alguém perguntará: Mas o que seus futuros familiares tem a ver com as culpas e resgates pelos quais ele terá que passar? Não será uma injustiça para com aquelas pessoas ou descuido das Entidades Superiores para com elas?

Se o espirito reencarnante vai renascer num determinado lar, ou vai ser filho de mãe solteira e pois irremediavelmente, vai causar sofrimentos a todos inclusive ao pessoal médico e paramédico dos sanatórios, hospitais, cadeias e etc., onde ficará internado, é porque eles tem ligações kármicas com ele e entre si. No lar, ele ficou de ser recebido e amparado. A mãe solteira comprometeu-se com ele em colocá-lo no mundo e nosocômios , todo o pessoal aderiu aquela missão socorrista, porque não só quiseram ganhar mais pontos na espiritualidade mas também estão endividados com seus pacientes.

Tudo é conseqüência de uma reação em cadeia prevista e adrede-preparada “naturalmente” para que os fins sejam atingidos.

Mas e quando não há qualquer ligação kármica com qualquer pessoa hoje reencarnada? É muito difícil não haver, pois nas vidas passadas ele não brotou do nada, sempre houve alguém que concorreu para que ele viesse ao mundo. Mas, digamos que não haja, digamos que ele seja um espírito alienígena que necessita nascer na Terra e não tenha alguém para recebe-lo dando-lhe um novo corpo!. Neste caso, as Entidades Superiores procuram e escolhem para ele seus novos familiares, conversam com eles em espírito, normalmente pessoas que precisam e pedem para ter um filho mesmo que seja para cumprimento de resgates. O fato deles não terem filhos até aquele momento também já é karmico, um karma mais psicológico do que social ou de provas; nestes casos, lhes é concedida a benção de ter um filho e lhes é explicado o objetivo do reencarne doloroso. Eles aceitam em espirito durante o sono e ficam felizes em poder contribuir astralmente. Entre os pesquisados e posteriormente escolhidos para serem os futuros tutores do espirito reencarnante, encontram-se os agrupamentos de prostituição, de viciados em drogas, em bebidas, de degenerados de toda a espécie, entre presidiários, entre doentes mentais, entre retardados, os quais, quase todos por si só, devido suas mazelas, já fornecerão naturalmente um físico deteriorado geneticamente e que o espirito reencarnante irá lançar mão avidamente porque necessita nascer. É uma oportunidade imperdível para ele. Quando não são esses agrupamentos, o espirito reencarnante se “incumbirá”, também devido as suas incapacitações de reproduzir um novo corpo são, de deteriorar sobre si próprio o seu ‘meridiano-genético”.

Aí estão então expostas as técnicas e mecanismos utilizados pelos Mentores Espirituais e os fatores genéticos e preparatórios para o reencarne de um espirito evoluído. Seja qual for seu tipo de dívida, sem esquecermos que a medida em que a Ciência fornece novos meios como os nascimentos de provetas, aqueles mentores terão novos mecanismos para serem utilizados, tudo dentro de uma harmoniosa lei de ação e reação universal.

5)                 Por que Jesus não deixou nada escrito quando esteve na Terra?

RESP.: Jesus, um Avatar, um sábio reencarnado entre os homens e com uma missão restauradora da fé e dos costumes entre aqueles homens de conceitos tribais e patriarcais, quase analfabetos, rústicos e de índole selvagem que não acreditavam em nada, de pouca fé, tinha que deixar algo para o futuro, algo que marcasse sua presença inovadora, mas humilde e redentora cujos atos e exemplos teriam que sobreviver ao tempo, às raças e costumes até o fim dos tempos, até nós homens do século XX, e após.

Ele sabia que haveria confusão sobre a sua vida e sobre os seus atos, pois os homens, sendo inconstantes e matreiros iriam deturpar tudo o que ele fez com boas intenções e, se deixasse alguma coisa escrita do próprio punho, esses mesmos homens teriam a justificativa ou o bode expiatório para aquilo que conviesse aos seus maus propósitos. Haveria, como hoje há aqueles e aquelas facções filosófico-religiosas ou não que brigariam entre si e se matariam tendo como motivos justificáveis as palavras escritas por Jesus e que poderiam ser sempre o “pivot” das tragédias religiosas ou de seus desacordos ou litígios, como ocorre assim mesmo hoje em dia apenas por ouvirem dizer muito vagamente sobre o que ele possivelmente dissera ou não dissera, quanto mais se ele tivesse escrito! Desta forma, prevendo, ou antevendo tudo isso até nossos dias o grande Mestre preferiu que os humanos analisassem e se baseassem no “Espirito das palavras” e não nas “ palavras do Espirito”, preferindo “à confusão sobre o que ele teria dito à confusão sobre o que ele teria escrito”- conforme sabiamente nos retransmitiu o grande Ramatis. E, eu confio nessa maravilhosa sabedoria de Jesus que ‘enxergava” longe.

6)                 Como é possível a um espirito desencarnado conservar o seu perfume predileto que usava quando em vida, a ponto de ser reconhecido, ou sua presença sentida no Astral de uma residência mesmo que as pessoas daquela residência não o conhecessem quando vivia?

RESP.: Partindo do principio e da realidade que os campos paralelos ou astrais ou como eu os denomino: Psicosferas são um fato, ou seja, existem, e sendo uma cópia do outro, tudo o que for materializado no campo físico tem seu ‘duplo” ou cópia no astral ou vice-versa e desta forma inclui-se desde as menores as maiores partículas, que vão desde os perfumes, aromas e odores e até o que é muito mais comum entre espíritos inferiores os maus-cheiros em cujos perispíritos ficam agregados e exalam de seus físicos recém-putrefactos ou das regiões abissais e pantanosas do astral inferior. Tudo fica agregado, dependendo muito do grau de evolução do Espirito para que essa materialização ou a indução seja plasmada ou no campo físico ou no campo astral. Sim, porque no campo espiritual tudo é muito mais sensível e mais concreto e até mais perceptível do que no campo físico. Assim como o perispírito conserva sobre si todos os detalhes e pormenores de sua vida física, é claro que um aroma, um perfume, um odor, um cheiro, bom ou ruim, permanece imantado à ele, o resto é indução ou plasma obtidos através do ectoplasma que sem o saber, os circunstantes, ou moradores fornecem para que as coisas se tornem reais, individual (para um único médium) ou coletivamente. Da mesma forma, tudo pode ser desmaterializado utilizando o perispírito e os mentores, do mesmo processo e do mesmo mecanismo psicofísico. Por isso, antigamente causava espanto as casas ditas “mal assombradas” nas quais, via-se personagens, ouvia-se ruídos e sentia-se os aromas e toda a magia ali reinantes. Ainda elas existem, mas em menor número apenas em locais cujas entidades ainda permanecem em estágios de prova e em lenta evolução espiritual, acrescidas ou mantidas por seres vivos completamente ignorantes ou desconhecedoras do funcionamento prático do campo astral e mental.

7)                 Até onde o que vai escrito na Bíblia é verdadeiro? ocorreu mesmo? há alguma coisa que não condiz com a realidade e por que? O que há de verídico entre o Velho e o Novo Testamento, quais os pontos de confronto e de choque?

RESP.: O que aqui vai é a minha opinião pessoal e com total isenção de ânimo a respeito do Velho e do Novo Testamento, apesar de saber, através do fenômeno da psicometria de minha esposa e de mim próprio, além de possuir mensagens de Entidades de Alta Linhagem, termos participado indiretamente na composição de um dos evangelhos do Novo Testamento, penso que tanto o Velho quanto o Novo Testamento são, em última análise, um conjunto de livros históricos que registra toda uma fase do início das modificações sócio-religiosas e filosóficas que presumiram ou anunciaram para todas as gerações que nos antecederam de lá para cá, o começo do fim de uma era e o início de uma nova era para a Terra, após o ano 2.000.

Nesse conjunto de livros denominado Bíblia não foram agrupados todos os livros existentes e de outros autores da época. Houve de certa forma um escolha preestabelecida pelas autoridades clericais da época de sua confecção, para que fossem juntados os livros que hoje conhecemos publicamente. Desta forma, creio eu que muita coisa não ficou publicada ou registrada na Bíblia, e, aquilo que chegou até nós sofreu muitas alterações devido as dificuldades naturais de tradução ao pé da letra ou melhor “ao pé do real significado”, além do que, sofreu grandes interpolações a gosto dos interessados da época em deter em suas mãos o poder e os conhecimentos subjugando a massa popular dentro daquilo que seus interesses escusos exigiam.

Por isso, para mim, todo o conteúdo bíblico só tem valor quando analisado pelo ângulo do Espírito das Palavras e não pelo ângulo das palavras do Espírito. Para mim não importa quem tenha dito tal ou qual passagem bíblica, mas sim, se aquela passagem pode ser útil para todos os seres humanos como um conjunto e não se ela apenas serve para esta ou aquela facção da humanidade. As verdades ou as realidades só são úteis ou boas e servem a toda a humanidade, caso contrário não são úteis. Mesmo para tudo aquilo que na época eu escrevi procurando sempre não colocar em dúvida o que disseram os demais evangelistas. Era mister que assim se fizesse ou desmoronariam todos os conceitos cristãos e todo um trabalho gigantesco de pessoas e entidades que precederam e sucederam a Cristo e o próprio trabalho e sacrifício do Mestre-dos-Mestres seria destruído, seria em vão. Tudo foi feito conforme os designos do Alto, ou seja, de Entidades mais elevadas que nós.

Há na Bíblia passagens marcantes do feito do ser humano dentro das áreas físicas e psíquicas, lógicas e psicológicas e que não podemos desperdiçar. São lições de vida, científicas sob os aspectos mais rústicos e transcendentais ao mesmo tempo, em que várias gerações patriarcais a partir de Moisés nos legaram seus costumes, suas condutas e seus “modus-vivendi”, dos quais muitos ensinamentos podemos extrair ainda, apesar de estarmos adentrando o século XXI e tudo estar mudando, mas, os fundamentos estão ali sem sombra de dúvida.

Por isso, respeito a Bíblia por esse ângulo de ponto de vista, extraio o que puder para servir ao bem geral da humanidade deixando o restante como arquivo da memória histórica dos povos.

Ninguém tem o direito de impor a outros ou a si próprio o que vai escrito na Bíblia, tem isto sim o dever de analisar e procurar absorver sem fanatismo de qualquer espécie e transmitir da mesma maneira para os outros o que aprendeu, sem precondicionamentos.

8)                 Como se explica aquela melhora de saúde que um paciente terminal passa antes de morrer? Ou seja, todos que estão ao lado dele incluindo os médicos juram que ele vai ficar bom, já está bom e, no entanto horas depois ele vem a falecer, deixando todos constrangidos e atônitos?

RESP.: Quando um paciente terminal bem quisto por seus familiares e seus amigos ou, servirá vivo aos interesses escusos de seus inimigos, forma-se ao seu redor tanto no físico como no astral, uma densa camada de fluidos magnéticos e ectoplasmáticos emitidos e exalados pelos pensamentos e sentimentos daqueles circunstantes que atrelam fortemente o espírito desencarnante altamente susceptível e sensível à esses fluidos o que não lhe permite nem “ir” e nem “ficar”, causando-lhe angústias, medos e sofrimentos diversos. Naquele momento, forma-se uma espécie de “circuito fechado” entre as correntes mentais dos vivos, dos desencarnados ligados ao paciente e do próprio paciente, isto da ensejo a uma “ delongada” sobre vida das células físicas alimentadas pelos fluidos ectoplasmáticos semi-materiais e pelo magnetismo que como um forte imã polariza o espirito mais tempo ao corpo que já não tem mais condições clínicas de vida. Diga-se de passagem que esses recursos ou recursos similares que quando encarnados entrem em estado de “catalepsia programada” mantendo seu físico semimorto nas tumbas e saem em busca do alimento energizador para mantê-los naquele estado por séculos; esse alimento é o sangue humano ou não que os revitaliza e permite a continuidade de seus atos diabólicos, mas, este é um assunto para ser tratado à parte com mais detalhes, farei mais adiante.

Quanto ao paciente que da ares de querer sobreviver, isto é feito pelos Mentores que se utilizam momentaneamente de técnicas reencarnacionistas fazendo-o reanimar-se ao mesmo tempo que induzem aos médicos, os quais, são enganados por seus aparelhamentos a pensarem que realmente ele vai sobreviver. Dão a notícia auspiciosa aos circunstantes e o próprio paciente ouve também e aí dá-se aquele alívio total e neste alívio, ocorre quase que automaticamente e naturalmente a quebra daquele circuito fechado de correntes várias. Todos se retiram aliviados e suspirando alegremente, quando então os Mentores sozinhos com o paciente, adormecem-no, e cortam-lhe os fios principais que prendem seu perispírito ao corpo e imediatamente ele se desliga e parte, falecendo.

Quando os circunstantes e médicos retornam sem ativarem os “por quês” o encontram morto e nada mais podem fazer.

Isto é necessário, justamente para evitar outros sofrimentos psicossomáticos ao moribundo, os quais, podem prejudicá-lo na sua saída ou desencarne. Porque o magnetismo pessoal do moribundo que por desconhecimento esteja sofrendo o pavor de deixar o corpo, esteja negativado, e por que o magnetismo de todos os circunstantes tentando “salvá-lo:, esteja positivado. Nestes casos, a Lei dos opostos prevalece e o positivo “prende” como se tivesse ganchos, o negativo e o faz permanecer no corpo já inerte por muito mais tempo que o necessário, ou o faz prolongar seu desligamento alimentando-o com uma espécie de tonus ou energia suplementar, que só vem a prejudicar sua ascensão ou desvencilhamento da crosta terrestre, ou fisiosfera.

A Utilidade do Negativo ou do Não Positivo

Não é minha intenção fazer aqui a apologia do negativo, muito menos do negativismo, que seria o oposto do positivo e do positivismo, assim como a sombra é o oposto da luz, a esquerda é oposta da direita, a cor preta seria o oposto da cor branca, e no fanatismo separatista, o negro é o oposto do branco; o que é uma infantilidade, um retrocesso social, mental e espiritual do homem terrestre.

Na energia elétrica os fotônios que dão origem a luz dentro de uma lâmpada não existiriam sem o fio negativo e penso, dentro do meu humilde conhecimento cósmico, que, a luz sideral que ilumina os mundos, as galáxias, os sistemas solares, do astral superior ao astral inferior passando pelo físico visível, também é fruto de energias ou reagentes opostos.

Já são conhecidas nossas teorias e afirmações sobre a origem da Luz Solar, teorias estas que, já estão “revolucionando silenciosamente” o meio científico e haverão de ser constatadas ao longo dos futuros anos, antes do final do ciclo planetário.

Porém, apesar de ter certeza do que aqui vou analisar, sabedor de que não há efeito sem causa e que, a lei de Causa e Efeito ou Lei Karmica é a Lei que combina ou reconcilia os opostos, interliga o mal que é o oposto do bem, eu afirmo que o bem num planeta em evolução como a Terra não progrediria sem o mal que lhe serve de muletas e muitas vezes de ponta de lança, como obstáculo a ser vencido para aqueles que buscam a ascensão em todos os níveis quer sejam físicos ou espirituais.

Na verdade não há apenas uma dualidade cósmica nisso tudo; a meu ver há pelo menos uma tríade e que algumas religiões chamaram-na Santíssimas Trindade, que figurativamente, simbolicamente foi extraída do Positivo, do Neutro e do Negativo que são três fases magnético-astral que fornecem o movimento rotatório aos mundos e a tudo o que existe sobre eles. Por isso existe o dia, a tardinha, e a noite ou a noite, a alvorada, e o dia, aproveitando dessas faculdades próprias, a Natureza se faz conhecer com seus elementais e elementos que dominam especificamente de acordo com sua formação, cada uma dessas fases e ali Ela é a rainha, a dominadora pois é senhora de sua polaridade natural não interferindo nas demais polaridades, a não ser que se forme um conduto ou um intermediário, que no caso do mal e do bem é o próprio homem com sua mediunidade de várias gamas ou matizes.

Tudo na Terra tem como objetivo a meta do positivo ou do positivismo, tudo que gira sobre si próprio na Terra, gira da esquerda para a direita, isto por que a própria Terra gira também no eixo imaginário, da esquerda para a direita. Então, as tendências internas, todas elas, sejam físicas ou espirituais seguem para o bem, seguem para a direita, seguem do baixo para o alto. As próprias vibrações das coisas e de cada ser a tendência final é seguirem do baixo para o alto, daí as expressões: baixo astral (negativo ou esquerdo ou ainda o mal) e o alto astral (positivo ou direito ou ainda o bem). E todos sabemos que o que é torto não é direito e se não é direito não é bom e se não é bom é porque não serve para a maioria dos viventes ou dos desencarnados.

A vida e a morte; uma se opõe à outra; para as Entidades Astrais a vida é a morte, pois devem morrer no Astral para nascerem no corpo físico ou reencarnarem. Para os Viventes da Crosta Terrestre a morte é a vida pois também devem morrer no físico para renascerem em espírito. Desta forma, tendo-se como a vida física como sendo o meio do espirito resgatar pela dor seus males, e a vida espiritual como sendo o meio do espirito vivenciar e restaurar suas energias para novos empreendimentos, aquela (física) seria a parte negativa e esta (espiritual) a positiva.

Partindo do princípio que a luz é positiva para tudo que é positivo, ela seria então a “célula-mater” da Criação ou de tudo o que é Criado dentro do Universo. Uma das frases que costumo dizer é: “- O Sol não está preocupado se ao amanhecer na Terra ele extermina as bactérias das sombras e da umidade, simplesmente ele nasce e segue para Zênite “queimando” tudo, esquentando tudo dentro do alcance dos seus raios”- O Sol, também, não está preocupado se ao entardecer na Terra, novas bactérias da escuridão, novos fungos da umidade surgirão, esconde-se, para fazer a mesma coisa do outro lado do planeta”. Isto significa que aquilo ou aqueles que querem viver nas sombras, à margem da luz, esconder-se-ão do Sol e formarão um habitat próprio onde os raios solares não os alcançarão.

Penso que os antigos egípcios diziam: “Osiris segue com sua barca iluminada indiferente às fraquezas do homem, entretanto, ele é complacente à essas fraquezas e permite que durante os ciclos mensais, sua companheira Íris (a Lua), vele, iluminando com sua luz magnética o caminho noturno dos mortais”. Assim mesmo há aqueles, os ditos mortais e até os imortais, que vivem nos vários patamares ou biosferas astrais, ou psicosferas, que fazem uso ou mal uso dessas influências magnética lunares, com finalidades destrutivas, negativistas, mal sabendo eles que nesse momento são utilizados como “testas de ferro” ou pontas de lança em atividades regeneradoras karmicas ou não, da qual as entidades da Luz fazem uso em auxilio ao próprio planeta e aos seus habitantes. Por isso, nada se perde, tudo se transforma na Natureza, e, o sábio Lavoisier estava e está até hoje, sempre, certo.

Durante mais de 40 anos de pesquisas sobre o psiquismo humano e no contato direto com os seres extraterrenos (entidades desencarnadas da Terra) e com os seres extraterrestres (entidades encarnadas e habitantes de outros planetas), eu e minha esposa fomos levados a presenciar várias facetas do aproveitamento útil dessas transformações que a Natureza nos oferece e, é claro, procuramos absorver transmitindo a outros tudo o que aprendemos e que nos é permitido divulgar em forma de novos conhecimentos. Numa das sessões fechadas que fazíamos, de 3 a 4 vezes por semana, com esses seres, um fato nos chamou atenção e muito nos comoveu. Passarei a relatar, juntando explicações de entidades desses dois campos (extraterreno e extraterrestre), objetivados e legados tão espontaneamente por seres superiores a nós, no que diz respeito, principalmente, a Utilidade do Negativo suas funções e disfunções e sobre tudo a missão que, sem o saberem, estão encarregados durante milênios na eternidade do espirito.

Há mais ou menos uns 20 anos atrás, conforme nosso relato da época, fomos levados a assistir um quadro dantesco, ou seja, com a possibilidade de projeção do nosso duplo-etérico conservando nosso corpo físico bem instalados em nossas poltronas. Descemos vibracionalmente até as regiões abissais do Astral Inferior da Terra, levados por amigos invisíveis do plano espiritual. Entre eles um antiquíssimo amigo de nome DARMÁTSA que era o principal interessado em ir socorrer sua progenitora, a qual permanecia presa aquelas regiões, perdida que estava em seus “mil e um mea-culpa” numa espécie de circulo vicioso negativo sem fim, baldados os esforços daquele seu filho e de outras entidades mais elevadas.

Ocorria que, ela própria parecia não desejar sair daquela negra situação pois além de querer auto punir-se, ainda alimentava resquícios de mágoas e sobre tudo de vingança, o que a levou à uma tal degeneração de energia tendo conseguido destruir suas formas perispirituais. Ela havia se transformado em ovóide fazendo parte da grande legião de seres em forma de protozoários encrostada nos charcos existentes naquela medonha região.

É simplesmente indescritível o que fomos presenciando durante nossa ida até lá em breve permanência a fim de poder resgatarmos aquela infeliz criatura! Gostaríamos de que houvesse possibilidade de filmarmos aqueles acontecimentos e aquelas regiões e depois termos a permissão de exibirmos aqui em cima, na crosta terrestre, para os viventes tão desleixados, tão remitentes, maldosos, egoístas, corruptos etc., afim de que eles analisassem e vislumbrassem o que os aguardará se não mudarem seu atual “status vivendis”.

Podemos afirmar que Dante foi até suave e ameno quando descreveu suas visões do inferno. É simplesmente horrível, horripilante e não existem palavras que possam traduzir o que presenciamos. Contudo, lá chegamos após passarmos grandes medos e apreensões que nos sufocavam pouco a pouco a alma e não víamos a hora de retornar. A criatura a quem buscávamos era já uma larva mas seus pensamentos eram dilacerantes e tão doidos que nos causavam pena, dor, lástima, horror, e dilaceravam nosso coração, nosso sentimento.

A região era pútrida e exalava um cheiro nauseabundo, afastando todo aquele que de lá tentasse se aproximar, e quanto mais elevado fosse o ser mais longe dali gostaria de estar. Eram gemidos, gritos, uivos, gargalhadas de loucura, insanidades várias, gases tóxicos, escuridão total, a não ser o facho de luz que seguia a nossa frente produzido por uma fonte ou holofote, vindo do alto, sem sabermos a sua exata origem ou por quem era manipulado, apenas iluminava o suficiente para caminharmos enquanto pressentíamos sombras, vultos monstruosos a nos espreitar, e o nosso corpo, no sofá, em semi-letargia, estremecia querendo nos defender e almejando nossa volta imediata, um instinto claro de autodefesa, mas, nós não nos deixávamos levar pelas inquietações e apavoramentos e lá continuávamos persistentes ligados ao nosso objetivo de resgatar aquela alma sofredora.

Como Se Dá a Habitabilidade dos Mundos

Sendo Deus, O Núcleo Central Cósmico, esparge de Si para todos os quadrantes do Universo os seus raios-pensantes que aqui chamarei de Centelhas.

Essas centelhas por diferenciação de micro-pulsações no momento de sua geração levam um “Y” a mais ou a menos para que, quando busquem seus invólucros (corpos) nos seus “habitats” escolham a genética feminina ou masculina. Aqui não me refiro a sexo pois em grande parte dos planetas avançados seus habitantes são assexuados, ou seja, apesar de terem a diferenciação entre homem e mulher, macho e fêmea, masculino e feminino, não possuem sexo, por isso, as centelhas nesses casos, buscam aproximação dos indivíduos cujas cadeias genéticas lhes sejam mais afim. Por que em todos os mundos que avistei e que mantive contato com seus habitantes, distingui sempre o gênero feminino do masculino, tanto pelos trejeitos delicados, linhas de contorno delicadas, e principalmente pelo instinto maternal.

Comparados com as mulheres da Terra, o gênero feminino desses habitantes assexuados são mais delicados, mesmo não possuindo os “contornos esculturais” como as mulheres da Terra. E os homens, apesar de apresentarem uma característica própria são bem mais delicados que os homens da Terra, porém, bem masculinos na acepção do termo.

Há planetas avançados e outros em evolução, habitados apenas por hermafroditas, ou seja, contendo o gênero feminino e o masculino no mesmo corpo, apesar de serem assexuados, e nos planetas em evolução, há os habitados por hermafroditas portadores dos dois sexos, macho e fêmea. Nestes casos, variam muito os contornos físicos e sua estéticas, mas, pude observar a predominância da delicadeza racional e material e bem como o toque e a responsabilidade masculina. São seres ambíguos que, para os terráqueos, suscitariam espanto e incompreensão.

Mas o Núcleo Central Cósmico Deus, composto por milhões de inteligências que vieram se formando ao longo de bilhões e bilhões de anos, através da autotransformação, geração expontânea, auto-deformação, não está preocupado com o Anti-natural que é uma conseqüência do Natural, ou seja, O Núcleo Central age naturalmente expandido-se através de seus raios-pensantes ou centelhas seguem em busca de habitar um “habitat”. O “habitat” ou mundo que naturalmente foi formado antes, adquire características de atração, absorção, repulsão dos seus afins e não afins, assim sendo, cada centelha é atraída para a periferia daquele mundo que a atraiu, ali permanecendo por vários séculos burilando o ambiente físico e as psicosferas ao redor e em seu interior que lhe permitirão o bruxuleio de uma forma de vida física ou energética, tangível ou intangível, com braços, pernas, tronco e cabeça, olhos, ouvidos, aparelhos circulatórios, aparelhos respiratórios, nervos, músculos e veias, intestinos ou bolsas estomacais, ou apenas uma chama, uma forte luz que se alimenta da Fonte Maior, O Plano Divino.

Cada centelha formará com as outras que lhe são afins o seu próprio “habitat” e, enquanto o trabalho de burilamento astral é lentamente elaborado, formado assim as regiões chamadas “espirituais”, onde se situarão os anjos, os arcanjos, os espíritos de grande magnitude que abrirão caminho para as centelhas que habitarão o solo, a crosta planetária vai sofrendo as mutações ambientais que darão origem a um tipo de vida racional e progressista, visando sempre o retorno à sua fonte criadora, O Núcleo Central.

Desta forma, os mundos vão se originando com características próprias e aqueles que por naturalidade forem mais grosseiras terão chances de elevação para os mundos imediatamente superiores a eles, os quais, também se formaram naturalmente e assim sucessivamente.

Quando as centelhas conseguirem habitar seus próprios “habitats” e alcançarem mais rapidamente o progresso servirão de “professoras” para os mais atrasados, estes por sua vez, servirão de expiação ou de expurgo para aquelas centelhas retardatárias que não conseguiram se harmonizar e até desarmonizaram seus “habitats”, estas serão compungidas a irem até os mundos ou “habitats” mais inferiores e darem lá seus exemplos de vida e de conhecimento, porém, muitas vezes, essas centelhas se tornam revoltadas, e negativas e se voltam contra seus superiores e seu Criador, transformando-se nos “tais” “anjos-decaídos”, ou demônios, e outros congêneres de que são chamados pelos que habitam aqueles mundos mais inferiores, e que por serem inferiores passam a adorá-los e serem dominados por eles, que na sua ira e negatividade transformam aquele “habitat” em caos total e obrigando então aos Engenheiros Siderais, centelhas que como eles tiveram a mesma origem mas alcançaram a elevação mais firmemente, coloquem um sistema de drenagem ou de expurgo através de um planeta como o Sidérius, “coletador de negativos” e promovam uma limpeza e higienização dos “habitats” inferiores.

A Terra é considerada hoje um desses planetas inferiores onde haverá uma grande massa de expurgados para “habitats” mais rudimentares ainda que ela.

Após as centelhas se fixarem nas regiões periféricas do “habitat” para o qual foram atraídas e lá durante milhares de anos fomentarem o “status-quo” para habitá-lo, começam a baixar em direção a crosta ou aos mares em busca do futuro organismo com o qual se revestirão (no caso da Terra é com certeza que a primeira origem orgânica foi através de batráquios que tanto vivem na água como na terra e não apenas do macaco que pode ser uma ramificação posterior, Karmática-evolutiva do ser terrestre), encontrando-o dá-se então a “incorporação” da centelha que através de pulsações começa a dar ao organismo escolhido os primeiros indícios de personalidade, racionalidade, direção grupal, de vontade própria, independente daqueles da mesma espécie que não foram incorporados, e após outros milhares de anos de “fusões e confusões” começa a adquirir forma humanoide no caso de planetas como a Terra, e outras formas, no caso de planetas mais sutis ou menos densos e rudimentares. Aí vem o primata, o “homosapiens” e outros. Já nesse estado, começam então os processos morfológicos onde seres de planetas mais evoluídos aportam fazendo os cruzamentos necessários com as fêmeas a fim de fortalecer geneticamente o ser. São as chamadas “injeções-sangüíneas”, dando-se assim a formação do que eu chamo de “meridiano genético”; ramificação onde vamos encontrar vários seres em várias e indefinidas gerações com as mesmas características de traços, costumes, maneirismos, e outros detalhes, os quais não vem a ser apenas a “árvore genealógica” conhecida pela ciência, pois nesta inclui-se de preferência os antepassados e no “meridiano genético” nós vamos encontrar seres de raças diferentes, países opostos em localização, distantes, mas que as pessoas se parecem em tudo e fazem quase que as mesmas coisas, ou os mesmos trejeitos e condutas.

As Centelhas quando saem do Núcleo Central, são ainda embrutecidas, cruas e virgens, por isso necessitam das pré-adaptações nas psicosferas de seus futuros habitats e só muito tempo depois é que “nascem” em seus novos organismos ou invólucros e iniciam a jornada de exploração planetária, a vida propriamente dita e é quando então são regidas pelas Leis Kármicas que medirão suas ações e reações, obrigando-as a permanecerem ou não naquele estágio de evolução, permitindo-lhes sempre o uso de seu livre arbítrio, porém, compungindo-as “a colherem obrigatoriamente o que plantaram”, se positivos colhem positivos, se negativos colhem negativos, e, assim em todos os demais detalhes e nuânces da vida. Sempre buscando-lhes suas lapidações, suas ascensões de retorno ao Núcleo Central, e quando, milhares ou milhões de anos de árdua ascensão chegarem ao Núcleo, voltam a ser Deus, ou Engenheiros Siderais que semeiam e controlam tudo no Universo, mais especialmente o setor, o Meridiano Cósmico por onde passaram, viveram e se tornaram especialistas. Tal como, Gósbolau, que se situa na Galáxia Centrífugas, a cem milhões de anos luz distante nós, mas é responsável pelo Nosso Sistema Solar.

Contrariando o pensamento exclusivista da Ciência, eu diria que em todo os locais do Universo poderá haver espaço para uma centelha racional ou raio-pensante que é espargido do Núcleo Central, portanto, como a própria centelha faz seu “habitat” e o “habitat” faz a centelha, a Terra é apenas mais um entre esses trilhões de locais e por sinal um ínfimo local. Como as centelhas vão para todos os quadrantes, podem muito bem irem também alojarem-se nos mundos dos “quasars”, ou buracos negros e se o local contém energia negativa ou a anti-matéria do Universo, essas poderão ter um imenso potencial negativo e se escapam daqueles locais, promovem o desequilíbrio harmônico do Universo. Portanto, a meu ver, e analisando o que os meus amigos extraterrestres dizem, aqueles com os quais mantenho contato, as centelhas saem do Núcleo, como diamantes brutos a serem lapidados, e as lapidações se dão dentro dos “habitats’ para os quais elas foram atraídas e neles, bruxuleiam a vida e a sua ascensão de volta ao Núcleo Central para de novo participarem da criação do Universo, não mais como criaturas mas já como Criadoras.

Mas, caberia a pergunta: Por que é necessário todo esse trajeto para o círculo evolutivo, como um “moto-perpétuo” se a centelha poderia permanecer dentro do Núcleo e lá mesmo evoluir?

Porque o Núcleo Central Cósmico-Deus, é expansão, criação dinâmica, mutação contínua e a centelha segundos após espargida perde o teor vibratório Central, e vai perdendo mais e mais à medida que avança para o Universo e se distancia do seu Emissor. É como se ela fosse “quentíssima” no Núcleo, ao sair dele fosse gradativamente se “resfriando” até parar no “habitat” para o qual foi atraída.

Um exemplo simples para que o leitor possa visualizar melhor o que estou dizendo, basta pensar numa pedra de radium ou qualquer outro material radioativo ou não, como por exemplo uma lâmpada comum. Seria como se quiséssemos que as radiações ou os fotônios espargidos de cada uma daquelas fontes, voltassem ou não, saíssem do núcleo radioativo ou emissor dos fotônios. Impossível, porque depois de emitidos não tem mais retorno e se puséssemos um espelho refletor revestido de chumbo na frente do Núcleo emissor, as partículas radioativas ou fotonicas bateriam no espelho e retornando se chocariam com as outras partículas que estariam sendo emitidas. Ambas se chocariam e se desviariam uma da outra formando buracos ou manchas, como no Solo, e ao se chocarem, buscariam a periferia do seu Núcleo emissor e iriam nos parecer labaredas devido a grande quantidade e grande continuidade das emissões.

Outro exemplo, um tanto “simplista”, mas que retrata bem o que quero dizer é aquele de se querer fazer o espermatózoide retornar ao saco escrotal depois de ejaculado. Impossível. E, mesmo que o colocássemos de volta lá dentro, por meios artificiais, ele já não seria o mesmo, já se teria resfriado, morrido e poderia disseminar a morte dos demais em seu interior. Busquei este exemplo porque ele faz parte do quotidiano do ser humano.

E os elementais? São centelhas também? Como se originam? De onde vem?

Da mesma forma que as centelhas que saem do Núcleo Central buscam seu “habitat” condizente com seu teor vibratório, os elementais, centelhas racionais que são também, buscam no elemento da natureza, que forma seu “habitat”, a manifestação de seu físico ou do seu veículo biotípico para explorarem seu meio-ambiente. Alguns se formam das árvores e florestas; outros, das águas dos mares, das águas dos rios; outros do fogo, outros dos ambientes mais grosseiros, grotescos e até macabros, outros do ar e etc.

Muitos desses elementais são por assim dizer formas, pensamentos de seres humanos que por ali viveram durante centenas de anos e por ali mesmo desencarnaram. São como se fossem radiações de centelhas mais rudimentares que só mantiveram contato com os elementos e com a natureza do “habitat’ e do seu próprio ser que os leva a procurar seu magnetismo, condizente com seu teor vibratório.

Ainda hoje, os gnomos, elementais das cavernas, das pedras das minas, ainda nos aparecem vestidos ao tempo da idade-média, porque, estes brotaram naquela época e se mantém como se originaram. Outros são de épocas mais remotas, mas pelo que pude avaliar, vão desaparecendo ou sendo transladados para outros locais dentro do planeta ou para outro planeta à medida que os tempos vão mudando em seu “habitat” natural. Eles são frutos do meio-ambiente e do meio-pensante da época e de um povo. Passados esse ambiente, essa época, e esse pensamento conjugado, eles desaparecem. Não morrem, simplesmente passam a viver nas suas respectivas psicosferas que não se alteram ou, são transportados para planetas onde possam se manifestar livremente.

É claro que devem estar surgindo elementais modernos afeitos ao novo ambiente, já completamente alterado, onde impera a devastação do eco-sistema, onde o ser humano mais robotizado, não tem mais aquele cuidado e respeito pelo seu “habitat”, onde também, impera o crime, as drogas, os vícios de toda a ordem. Desse ambiente soturno e às vezes macabro e desumano surgem fatalmente elementais que brotam desse meio e auxiliados pela força mental da humanidade atual e das centelhas embrutecidas se locupletam dessa situação de caos dominante.

Há também os casos, se bem que reduzidos, de centelhas que habitaram corpo humano e que por circunstâncias inóspitas e inesperadas, e desencanto com o mundo do ser humano (o caso daquela entidade de nome ZAIDA que tem a parte superior do corpo mulher e a inferior, uma cauda de serpente), passam a adotar o meio elemental onde tiveram que viver e desencarnar. E, os casos de animais muito inteligentes, que conseguem subir os degraus da centelha dos elementais, para darem prosseguimento a sua evolução.

Mas há também os casos das aberrações kármicas entre as centelhas humanas, que por uma atuação muito negativa em seu passado, vem reencarnadas como seres humanos mas, com a mediunidade de transfiguração, que sob influência do magnetismo lunar transformam-se em animais principalmente em lobisomem, em vampiros e outros, mas estes não são considerados elementais são, isto sim, portadores de um pesado karma tóxico que os obriga a perambular pelas noites como mortos-vivos.

Assim também não são considerados elementais apesar de viverem, vampirizarem os viciados e seus vícios, as entidades do baixo-astral, tais como: Pombas-Giras, Exús, e outros que sugam os fluidos do prazer sexual, da bebida, do tabaco, das drogas, das doenças de modo geral, dos ambientes de jogos e prostituição, dos ambientes mórbidos, dos ambientes de crimes, das artimanhas, dos setores dos lesa-pátria, das cadeias, dos manicômios, enfim, esferas e psicosferas negativas. Apesar de que, detectei vários tipos de elementais perniciosos que também brotam desses ambientes e se alimentam dos fluidos e miasmas ali gerados. Tais entidades, muitas vezes antiquíssimas, possuidoras tanto de grande sabedoria quanto de domínio das forças malignas, nada mais são que aquelas centelhas das quais falei anteriormente que, revoltadas contra tudo e contra todos, principalmente contra o Criador passaram de Anjos Elevados à Anjos Decaídos, carregando seus perispíritos e os de suas pseudo-vítimas, na maior parte das vezes seus antigos algozes, de alto teor de toxinas negativas que não lhes permite mais voltar ao que eram, a não ser através de grandes sofrimentos drenadores pelos quais irremediavelmente, mais cedo ou mais tarde terão que enfrentar. Terão que espontaneamente perdoar, serem perdoados e antes de tudo, se auto-perdoarem.

Por isso, encontramos elementais de toda natureza e todo o tipo de conduta, tais como: conduta bondosa e prestativa, conduta maldosa e negativa, conduta zombeteira que fazem o mal e o bem ao mesmo tempo ou não fazem nenhum dos dois, conduta passiva, defensiva, e neutra, mas, tratando-se de elementais quase todos são puros e produtos do meio, podendo ser controlados por mentes mais poderosas que as deles. Na verdade, muitas vezes são utilizados por entidades maiores como instrumentos de efeitos físicos sobre a natureza humana e sobre o eco-sistema.

Entretanto, é bom salientar que essas entidades são também muito úteis nos trabalhos reversivos ou de correção do mal ou desarmonias praticados por outros ou por elas próprias. É a utilidade racional do negativo empregada pelas Entidades Superiores.

D. Yezzi
S.P., 27/11/95

Ainda Sobre O Triângulo das Bermudas

Triângulo das Bermundas
Triângulo das Bermundas

O chamado Triângulo das Bermudas e outros locais similares situados noutras regiões do globo, as vezes no mesmo paralelo ou próximo a ele como por exemplo aquele do Mar do Japão, onde ocorreram fatos semelhantes, além do que já expliquei acima, caberia aqui mais algumas notas.

No meio esotérico e paracientífico se sabe que o globo terrestre é um organismo vivo em evolução constante há milhões de anos. Com o surgimento da vida animal e da raça humana principalmente, vieram ocorrendo transformações provocadas abruptamente, pelo homem e não naturalmente, como seria o desejado. Consequentemente essas modificações ou transformações provocadas vieram alterando esse monumental organismo, quer na sua contextura telúrica, na aquática, na atmosférica e consequentemente no Astral, ou nas chamadas Psicosferas. Sendo o globo um organismo vivo, seus vórtices de energias que seriam os “chakras e plexos” do corpo humano psicossomático, foram e estão sendo desequilibrados em seus movimentos rotatórios sobre si mesmo, provocando a entrada e a saída de energias indesejáveis, tais como: pulsações alienígenas poderosas e que nem sempre são positivas.

Um dos vórtices em contínuo desequilíbrio é o que se situa no Oriente Médio. Por lá entraram os espíritos das primeiras civilizações terrestres, também ocorreram os chamados dilúvios que alteraram a vida e as regiões. Por lá entraram também as civilizações “inteligentes, cultas, sábias, como a egípcia, a grega, e outras. Posteriormente, por lá surgiu o grande Mestre Jesus que ali teria que ser o único da espiritualização da nova humanidade e quem sabe poderá ser também por ali o início do fim desta humanidade!

Atualmente a desarmonização é tanta devido aos bombardeiros atômicos, a queima dos poços de petróleo recentemente, os gases desintegrando gradativamente o ozônio da atmosfera, a queima e eliminação arrasadora das grandes florestas, a exterminação da fauna e da flora tanto na terra como no ar, as terríveis guerras já travadas pelo homem, a fome e a doença dizimando milhões de seres humanos, tudo isso reunido e mesmo que a Natureza por si só tente reparar esses estragos, não há como evitar o desequilíbrio dos vórtices e expor o planeta a todos os bombardeios dos raios cósmicos, dos raios solares entre eles o ultravioleta, o infravermelho, ficando exposto juntamente com os seres humanos as emissões das aparelhagens e das mentes poderosas de seres extraterrestres que desavisadamente e por vezes perniciosamente vasculham o nosso universo terráqueo a fim de usufruírem de algum benefício do caos em que este planeta está se transformando.

O Cosmos é, mal comparando, como um vasto oceano, onde há seres de todos os tipos e variadíssimos degraus de evolução, porém, são mais belicosos aqueles que só possuem o avanço tecnológico, desprovidos da evolução mental – espiritual. Os altamente espiritualizados fazem parte do lado construtivo do Cosmos ou do Núcleo Central Cósmico – Deus e tem a finalidade de aglutinação, harmonização entre todos os seres do Universo, nunca destroem, não são negativos pois buscam sempre a ascensão evolutiva cada vez maior com objetivos de retornarem ao Núcleo Central e de criaturas já poderosas que são, passaram a ser Criadores e desta forma contribuírem para a expansão infinita do Universo. Já a facção dos seres que conseguiram desenvolver de forma quase absoluta a sua tecnologia não acreditam nessa ascensão evolutiva mas sim no domínio técnico dos povos e mentes menos evoluídas extraindo delas o benefício para si próprio e para seu povo. E a Terra, é um resultado Cósmico Sideral negativo onde existe essa dualidade entre o Bem e o Mal, entre o Positivo e o Negativo. No meio dos estudiosos terrestres deu-se o nome a essas facções de Fraternidade Branca e Fraternidade Negra.

Pois bem, esses vórtices descompensados e desequilibrados da Terra, que como eu já disse, eqüivalem aos Plexos e Chakras e poros do corpo humano estão, a esta altura de grande transição, facilitando a entrada dessas energias negativas que saem dessas Fraternidade Negra, as quais encontrando meio fácil de atração interferem muito na vida e nos acontecimentos funestos aqui na Terra, com tendência em aumentar pois o homem e seu planeta Terra se degeneram a olhos vistos. A sorte que há também as sintonias aqui na Terra em seres que para cá vieram com a missão de regenerar, captando essas energias e assim tentar manter o equilíbrio ainda possível em nosso planeta.

Por isso a existência desse Gigantesco Planeta Sidérius de tamanho quase 30 vezes maior que o tamanho ou o diâmetro do nosso sol e vem decidido colocando as coisas nos seus respectivos lugares, fazendo a separação do positivo do negativo ou do joio do trigo e nenhuma Fraternidade Negra terá força sobre ele, ao contrário, serão sugados e arrastados por ele através daquilo que eu chamo de “cabeleira magnética”, pelo Universo sendo “despejados” em locais afins com suas sintonias negativas para começarem sua nova evolução.

Portanto, todos os seres humanos sem exceção devem cuidar de harmonizarem-se a si próprios, suas casas, seus bairros, seus Estados, seus Países e o Globo de uma forma geral, técnica e espiritualmente caso contrário, sobrará muito pouca gente e nenhum local na Terra durante algumas centenas de anos para terem de volta “seu paraíso perdido”, pois até este gigantesco organismo global ser reciclado levará centenas de anos.

Deste ano de noventa e sete em diante acontecimentos cósmicos e telúricos ocorrerão com maior freqüência, e serão por assim dizer, um aviso drástico de alerta para todos os seres do nosso sistema solar e principalmente para os habitantes dos planetas em estado precário de evolução como os da Terra, atentarem para se posicionarem de forma a cultivarem melhor os valores do espírito e desta forma poderem, pelo menos, serem auxiliados por mentes mais evoluídas e talvez até serem “pescados” para dentro de alguma nave e lá permanecerem até que possam retornar ou mesmo desencarnar naturalmente em seu interior.

Portanto, esses vórtices, deveriam ser analisados pela Ciência e pelas Filosofias e Religiões que deveriam irmanar-se em esforço conjunto para encontrar-se uma forma técnica e espiritual, ao mesmo tempo tentarem demover os governantes e a população em geral a estancarem essa degeneração e desarmonização do nosso grande organismo global que é o Planeta Terra.

D.Yezzi

S. Paulo, 23/01/97 às 21:30h

O Triângulo das Bermudas

O que vem a ser esse tal “Triângulo das Bermudas”?… E as lendas ou fatos ocorridos lá, têm procedência?, são verdadeiros?, e até onde os Extraterrestres estão implicados neles?

O Triângulo das Bermudas ficou assim chamado porque configura-se em um grande triângulo imaginário que abrange a região entre as ilhas Bermudas e o Continente Americano sobre e sob o oceano Atlântico. Como alguns fatos de desaparecimento de navios, aviões e suas tripulações, ocorrem basicamente naquela região, traçou-se linhas imaginárias sobre os mapas da região que assim passou a ser conhecida.

Como e porque ocorrem esses fenômenos?

Antes de mais nada, devo informar também, e que já é de conhecimento dos estudiosos, de que há outras regiões na Terra com as mesmas características do Triângulo das Bermudas e coincidentemente ou não se situam como num cinturão nos mares em volta da Terra, seguindo as mesmas linhas dos paralelos. É famosa também aquela região no mar do Japão onde ocorreram desaparecimentos de embarcações.

Conforme é de conhecimento do leitor, através de expedições, foram encontrados no fundo do mar na região do Triângulo das Bermudas construções antigas, tais como muros extensos, obeliscos e até uma pirâmide similar a pirâmide de Keops, do Egito, pressupondo-se que lá existiu outrora alguma civilização que foi submersa pelas águas.

Conforme sou informado por seres extraterrestres que também se interessam por conhecer o que ocorre nesses locais, já que conforme eles também me afirmam categoricamente, não terem nada a ver com o que já ocorreu ou vem ocorrendo por lá, no fundo dessas regiões que antes estavam à flor da água, está submerso o grande continente da Atlântida e que aquela civilização era bastante adiantada tecnológica e mentalmente e seus membros, tais como, cientistas, sacerdotes, magos etc., já faziam uso da energia magnética e possuíam naves voadoras denominadas Vimanas e, antes de serem totalmente submersos, seguiram para o Antigo Egito, para a Índia (Vedas), levando consigo principalmente os planos das obras arquitetônicas como as das pirâmides, e inclusive das naves e das energias nelas utilizadas, mas, conforme desígnios superiores, algumas coisas eles tiveram que “deixar de lembrar” e outras não, e muitas usinas produtoras dessas energias ficaram submersas com os continentes da Atlântida, da Lemúria e outros, e algumas delas ainda continuam com atividades residuais, ou seja, semi-desligadas, mas ainda emitindo energia magnética, energia esta, conforme a circunstância, muito mais poderosa que a radiação atômica e mais ainda que a eletricidade.

Os fenômenos nessas regiões não ocorrem diuturnamente mas sim, em alguns momentos do dia, da semana, do mês, ou até do ano, ou seja, são acontecimentos esporádicos o que leva aos extraterrestres suporem que em algum momento haja um sincronismo de sintonia entre as energias que estão em atividades submersas, o polo magnético da Terra, os pólos magnéticos dos planetas do sistema solar, o polo magnético do Sol, o polo magnético central do sistema solar e até com outros pontos catalisadores de energia magnética situados no próprio solo da Terra, tais como as pirâmides do Egito e outros.

A convergência desses pontos todos ou de alguns deles com os pontos submersos dá-se o que denominamos (eu e os Ets) de: Ponto Cinético da Matéria, ou Ponto de Cruzamento, ou Ponto de Convergência energética e, quando isso ocorre, abre-se como um portal magnético entre a fisiosfera (terra) e as psicosferas (campos paralelos astrais mentais-espirituais), e naquele momento tudo o que estiver passando ou parado por ali, no mar, na terra ou no ar, é sugado sem se desintegrar passando como está, na forma que se encontra, para o “outro lado”. E se forem seres vivos deverão estar vendo numa esfera especial ou foram pulverizados e desmaterializados no momento da “passagem” energética.

Para que houvesse o retorno daquelas pessoas que passaram para “o outro lado” por aquela espécie de “buraco negro”, ou “quasars”, ou ainda, “sumidouro”, “portal” etc., se porventura não foram desintegradas em sua matéria, seria necessário que o ponto Cinético da matéria, ou de convergência das energias magnéticas, ocorresse novamente com elas na mesma posição e no mesmo local exato, de quando saíram, como isso normalmente não ocorre, pois o desespero leva as pessoas a se movimentarem como alucinadas a procura do que lhes acorrera e o planeta em seu giro sai daquela posição em consonância com o ponto que provocou a “abertura”, então não há a possibilidade de retorno.

A mente do homem é poderosíssima e, tudo o que ele imaginar ou colocar em suas elucubrações fantasiosas ou de ficção científica, já está registrado nos “registros akashikos” do Universo e bem como seu passado em seu planeta de origem e, no momento que haja a possibilidade tecnológica de ser posto em prática aquilo que sua imaginação criou ou gerou, isto ocorrerá com certeza. É questão apenas de tempo e avanço técnico e mental.

Portanto, o que ocorre na região do Triângulo das Bermudas e outras regiões similares, não é produzido pela mente do homem moderno da Terra, nem por seres extraterrestres mais afoitos ou belicosos como é noticiado, mas, há nesses locais uma espécie de técnica-natural de teleportamento, ou a “máquina-do-tempo natural”, e que o homem vem procurando em suas ilações de ficção científica. O Universo já é composto de várias regiões similares, e os extraterrestres os detectam com suas velocíssimas naves e os evitam, desviando-se deles para não serem tragados!

Somente no Espaço Sideral é que esses locais são contínuos e detectáveis pelos instrumentos das naves, e nas regiões submersas da Terra são esporádicos e não detectáveis, por isso eles tentam analisá-los mergulhando e vasculhando-os com suas naves porém, cautelosamente.

Um exemplo típico do uso técnico do ponto de energia Cinética da matéria, ou ponto de convergência dessa energia, são as lutas marciais orientais, mais especificamente os que fazem karatê.

O uso do karatê como hoje em dia todo mundo sabe, é feito com o emprego da parte lateral da mão. Já muitas vezes mostrado em público, quando o ‘karateca”, o lutador que aplica o karatê, quebra pilhas de tijolos, pilhas de telhas ou outros objetos sólidos e volumosos, que uma pessoa qualquer não conseguiria por não ter o treino, a prática e o conhecimento.

O que ocorre é que ao aplicar o golpe apenas com a mão que é de carne e osso, o lutador atinge exatamente o ponto de equilíbrio da matéria, que é o ponto Cinético. Ele não pode errar, nem para mais nem para menos, caso contrário, sua mão é que sairá quebrada. Porque nesses pontos de equilíbrio quando atingido se dá exatamente o desequilíbrio das células e moléculas da matéria, e então ela se parte. A de cima quebra, quebrando as demais e a mão nada sofre, nem uma “dorzinha” sequer.

Nesse golpe quanto maior resistência houver por parte do outro a ser atingido, mais vulnerável e mais quebrado ele ficará. Ao passo que quanto menor for a resistência menos efeito o golpe alcançará. Haja vista que um karateca não conseguirá cortar um peixe com um golpe de karatê, porque o peixe não oferece resistência, não é rígido. Outra forma de se atingir o ponto Cinético da matéria e que ocorre muitas vezes com as pessoas é aquele que com apenas uma folha de papel comum pode se fazer um corte no dedo, ou seja, como isso seria possível com uma folha de papel, material delicado, se não fosse atingido o ponto de equilíbrio da matéria? Com essa mesma folha de papel pode se cortar a veia jugular de um indivíduo e causar-lhe um dano físico irreversível. Outros meios são as vibrações sonoras que podem estilhaçar cristais e outros objetos.

Já fiz um teste com meu violino. Tocando a corda Mi (a mais aguda) numa nota hiper aguda também e, apontando-o para uma teia de aranha na qual a aranha se encontrava próxima ao seu casulo, vi-a cair morta ao chão após eu ter iniciado a vibração. Não sei se as aranhas ouvem os sons, só sei que aquela caiu, despencou de sua teia que se localizava no canto do teto da sala de visitas de minha casa de Ribeirão Pires, há três metros do solo, como se tivesse sido atingida por um raio. Se não foi o som, foi a vibração.

O que me levou a fazer esse teste? Foi por acaso, quando ensaiava o violino em casa notei que quando eu passava por uma determinada nota aguda a aranha se balançava na beira da teia e seguiu para próximo de seu casulo aí então percebi que poderia atingi-la.

O uso do raio “laser” que pode ser regulado para desintegrar pontos de obstrução nas artérias. Não é só o poder da “luz concentrada” mas sim porque é atingido o ponto de equilíbrio, caso contrário, esses locais de obstrução não se desfazem, podendo até acarretar danos na matéria etc., etc.

Outro artefato que pode ser comparado com os fenômenos do Triângulo das Bermudas e locais similares e nos dá uma pálida idéia do que lá ocorre, são as famosas máquinas-caça-níqueis americanas. Quando o jogador consegue atingir ou emparelhar todas as figuras iguais, o ponto é atingido mecanicamente e a máquina se abre deixando cair todas as moedas que contém em seu interior. Enquanto as figuras não se emparelham o “portal” não se abre para o jogador.

No Triângulo das Bermudas, os navios passam com suas tripulações, aviões em esquadrilha. As bússolas de vôo se descontrolam, primeiro sinal da energia magnética se reativando e de repente o piloto não sabe mais onde se encontra, seus companheiros dos outros aviões também falam sozinhos… estão adentrando o “portal para o outro lado’ e tudo se fecha por traz deles desaparecem o mar, os locais de referência e nenhum contato mais com a base… passaram.

Ocorreram casos onde foram encontrados navios com tudo preparado para um almoço ou jantar geral a bordo. Mesa posta, talheres e pratos impecavelmente arrumados, tudo pronto e em seus devidos lugares, porém…, onde estão a tripulação e os passageiros? Sumiram!, simplesmente evaporaram em pleno alto mar, no meio do triângulo. Nada foi tocado. Nenhum vestígio de qualquer tipo de violência. E então o que ocorreu? Como se explica o ocorrido?

Explica-se da seguinte forma: O navio se aproximava do local que naquele momento ia se dar o ponto Cinético ou convergência das energias magnéticas, mas a vibração foi rápida suficiente para dar tempo de passar apenas a tripulação e os passageiros que foram “tragados”, não dando tempo de atingir o navio. Talvez pela polaridade e pensamento dos físicos e das mentes da equipagem. Enfim, passaram para o lado de lá, somente as pessoas e o navio não. Outros casos houve em que desapareceram navio e tripulação e nunca mais foram encontrados!

Os extraterrestres nada têm a ver com os acontecimentos do Triângulo das Bermudas e outras regiões parecidas. Alguns extraterrestres de fora do nosso sistema solar estão implicados em mutilação de animais, queimaduras de pessoas, black-out de cidades como Nova York, São Paulo, rapto de aviões, investida sobre automóveis e casos congêneres, os quais serão fruto de uma explicação especial futuramente.

Há também extraterrestres que caíram com suas naves intactas em solo terrestre e perderam muitas vidas, outros cujas naves explodiram em pleno ar terrestre. Mas para todos esses casos há uma explicação dada por eles mesmos.