Realidades Multidimensionais … Mundos Paralelos

Realidades Multidimensionais ... Mundos Paralelos

Pergunta:

Oi Domingos!

Eu tenho lido sobre realidades (mundos) paralelos e li que somos (todos) seres multidimensionais, podendo assim criar essa e outras realidades simultaneamente. Por exemplo, se eu receber um convite para um encontro com alguém e um lado meu decidir ir, digamos por desejo, mas um outro lado meu decidir não ir, digamos por impossibilidade (suponhamos que eu já tenha outro compromisso), eu crio a realidade onde não vou, para atender o meu outro compromisso, mas o meu desejo de ter ido cria uma outra realidade onde eu fui naquele encontro. Li também que temos o nosso Eu-Superior (aquela parte de nós “desconectada” do nosso ego, a nossa essência espiritual) cuja consciência viaja para passados e futuros, criando assim realidades nesses dois tempos, que na verdade acontece no eterno presente.

Adoraria ouvir seus comentários sobre esse assunto de realidades multidimensionais.

Muito obrigada,
Christina Breault

Resposta:

Prezada Christina,

O Núcleo Central Cósmico, mais comumente chamado de Deus, ao se originar, originou também suas Leis Universais que regem tudo o que ocorre dentro dele! Portanto, aquela frase um tanto popularesca e bem como, um tanto rústica e fanática-religiosa, que diz: “O ser humano foi criado à sua imagem e semelhança”, não deixa de ter seus fundamentos, só que os animais, ou seja, a fauna, a flora, os vegetais e os animais também o foram! Sendo assim, quando se diz: Que Ele está em toda parte, em todos os lugares, está mesmo! Pois Ele abrange todos os quadrantes universais com requintes de Sua perfeição, dando ou transferindo a cada ser vivente e, não devemos esquecer que até as pedras (minerais) também são seres viventes, (veja por exemplo, as pedras que se movem no solo dos desertos do Vale da Morte no U.S.A, e noutros desertos do mundo) e ainda que para cada elemento, brota um ser Elemental que a guisa de uma Webmaster, desenha, administra e dá vida ao seu elemento, como a terra, o mar, a água e o ar e, consequentemente, tudo o que se origina desses elementos. Com a diferença de que O Núcleo Central Cósmico não possui rosto, corpo, braços e pernas e muito menos os “status fisiológicos” como haveria de pensar o ser humano comum da Terra. Isso não ocorre com os seres mais evoluídos de outros planetas, pois, sabem que cada um deles e cada um de nós, está atrelado ao seu “habitat” original, e cada um desses habitats dentro de suas dimensões próprias e particulares e que proporcionará a seus originados, seus “poderes”, suas locomoções astrais, ou viagens astrais e desdobramentos para fora ou para dentro do espaço e do tempo, vivendo o continuo “Eterno Presente”, libertando-o ou não, dependendo de suas constituições psicofísicas ou psicossomáticas, que o deixarão mais ou menos a vontade, mais ou menos leves e flutuantes para caminhar ou voar nas linhas magnéticas, aparentemente invisíveis, que percorrem o Universo em todos os seus quadrantes. Diga-se de passagem, que, as Naves Extraterrestres ou como eles, os ETs, as chamam: Volitores, fazem esse mesmos percursos durante seus vôos, e quando por infelicidade ou casualidade, essas linhas magnéticas sofre interrupções abruptas em consequência da péssima composição vibratória do “habitat” que visitam, como por exemplo o planeta Terra, ocorrem os atritos com as atmosferas e as consequentes explosões e desintegrações dessas naves e suas tripulações. Desta forma, cada ser humano, dentro de seu habitat e dentro de suas limitações de vivência e experiência, pode sim estar em vários locais ao mesmo tempo, pois, sua mente e seu duplo etérico são multidimensionais e elásticos e, mesmo que seu original, que seria o físico e o perispirito presentes, ou seja, onde ele está atuante no momento, não consegue impedir essa dualidade, pois, mesmo eles estando ocupado ou se dedicando aos seus afazeres, completamente opostos de onde ele está sendo chamado, ele seguirá para para lá para atendimento, quase sempre em uma de suas especialidades anteriores, como por exemplo, se ele tenha sido médico várias vezes, místico ou músico ou outras atividades, como político e etc. Seguirá e atenderá com precisão, mesmo que ele não atine ou esteja inconsciente com aquela atividade, pois, as pessoas que o conheceram antes e em suas formas biofisicas ou espirituais anteriores, as quais permaneceram registradas e intáticas nos Registros Akhashikos, sempre poderão ser buscadas e contatadas aleatoriamente ou em linguagem cibernética, “randomicamente”. É o meu caso, por exemplo, que me vejo em outros lugares atendendo a vários pedidos e, no entanto, meus afazeres atuais, não me permitiriam estar neles de corpo presente! Vou dar um exemplo aqui que você, como eximia Webmaster e os que se utilizam dos atuais computadores, vão compreender melhor: “Quando recebemos um e-mail e queremos repassá-lo, poderemos fazê-lo repassando-o para milhares de contatos, que receberão suas copias “ipsis litereis” com os mínimos detalhes, mas no entanto, o original permanece conosco em nosso computador e intático e pronto para “viajar” se desdobrando para outros locais e paragens, independentemente, do original querer ou não, estar disposto o não!”

Será que me fiz entender? Caso contrário, por favor volte a perguntar ou a acrescentar algo mais! OK? Devo acrescentar que quanto mais antigo for o ser humano, quanto mais experiência e vivencia e se por ventura ele for um ser originário de outro planeta, mais “gigabytes” ele terá e mais procurado ele será!

Abraços,
DYezzi::.

Os ETs que você tem contato se materializam?

Os ETs que você tem contato se materializam?

Pergunta:

Obrigada Domingos, pela resposta

Preciso fazer outra pergunta: Os seres extraterrestres que você mantém contato se materializam? Eles foram fotografados? Estão nos seus livros?

Abraços,
Carmizeth M.

Resposta:

Prezada Carmizeh,

Sim, se materializaram várias vezes, tanto aqui em S. Paulo como em outras cidades onde morei. Mas, nunca tivemos o objetivo de fotografá-los ou desenhá-los, pois eram momentos especialíssimos para nós que, quando nos contatavam, a primeira preocupação de ambas as partes, nossa e deles, era que desse tudo certo, não houvessem falhas que pudessem nos prejudicar. Escreveram mensagens na escrita original deles, com a respectiva tradução para nossa linguagem. Você as encontrará no meu site. Diga-se de passagem que, nós, nos utilizamos de um meio criado por nós que denominamos de “mentografia”, que é a escrita de vivo para vivo, que difere da “psicografia” que é a escrita de mortos para vivos.

Na materialização, eles não fazem uso dos fluídos ectoplasmáticos, que é rejeitado pelos físicos e respectivos campos-de-força (aura magnética) deles, que queima tudo o que for estranho a eles. Uma das condições para quando fazíamos essas recepções, ou materializações, era de que fizéssemos um regime, de um ou dois dias antes, de qualquer substância que eles denominam de tóxicas, como carne, álcool, fumo e finalmente, que ficássemos livres, o que era comum para nós, desse tipo de alimentação, pois havia e há o perigo de todas as vibrações emitidas por eles trazerem de volta contra nós aquilo que estivéssemos expelindo na hora. Portanto, eram momentos seríssimos que vivíamos. Agora não muito mais, pois perdi minha primeira esposa que era, por assim dizer, meu braço direito nessas questões. Agora eles surgem para mim, no meu astral, sem corrermos, ambos os lados, qualquer risco de ficarmos intoxicados em dobro.

Leia meu primeiro livro, onde faço algumas narrações daqueles momentos.

Abraços,
DYezzi::.

Experiências de Quase-Morte (EQM)

Experiências de Quase-Morte (EQM)

Comentário de um leitor:

Um dos casos mais intrigantes de experiência fora-do-corpo ocorreu quando um homem, Al Sullivan, foi operado às pressas, após uma obstrução de uma de suas artérias coronárias. Sullivan foi anestesiado, porém durante a operação teve uma clara sensação de deixar seu corpo físico.

Al Sullivan relatou que durante a experiência viu três figuras humanas, além de um túnel de luz e a sensação de sair do corpo, o que corresponde aos casos de experiências de quase-morte (EQMs). A EQM ocorreu em 1988; dois anos depois ela é descrita pelo paciente que, ao dar detalhes sobre a cirurgia, acaba por descrever um comportamento peculiar do cardiologista, de movimentar os braços, o que pôde ser confirmado com entrevista posterior aos médicos e enfermeiros do hospital (1998). Atualmente, não há explicação neurocientífica para o caso. Ele, entre tantos outros, está fazendo os cientistas reverem seus conceitos a respeito da natureza da consciência humana, assim, o cérebro passa a ser visto como um receptor da consciência, e não mais como um produtor ou causador desta.

O caso está disponível neste vídeo:

Resposta:

Dentro de minhas longas experiências com projeção astral à longa distancia, pude constatar e também recebi explicações dos meus superiores, tanto extraterrenos (entidades desencarnadas) e extraterrestres, seres vivos de outros planetas, que essas experiências fora do corpo ocorridas em momentos cruciantes da vida, como cirurgias coronárias, e cerebrais e outras criticas, como ingestão de alta dose de entorpecentes, sejam drogas licitas (as astisias), e as ilícitas como LSD, cocaina, e outras pesadas, quando o paciente fica entre a vida e a morte, “seu duplo etérico” e seu perispírito, são por assim dizer, expulsos do corpo físico, momentaneamnete e, conscientemente e vêm tudo ao se redor, viajam para locais distantes e sempre avistam esse túnel que é o portal para a passagem entre o campo físico e o energético! Há milhares de casos assim no Brasil e em todo mundo. Só que a Ciência ainda não despertou para o lado espiritual e psíquico dos fatos e apenas registra em casos inexplicáveis.

Abraços,
DYezzi