Como Limpar Nosso Karma?

Como Limpar Nosso Karma?

Pergunta:

Bom dia Sr. Domingos,

Temos muitas coisas para limpar em nossos campos, ao que me parece em todas nossas reencarnações o maior objetivo é realizar esta limpeza (das toxinas), e acho que a melhor maneira de limpar é fazer o bem, perdoar, pedir perdão, ter bons pensamentos, alimentação correta e eliminar anti matéria acumulada, como falamos na física quântica moderna. Como o senhor vê que é realizado esta limpeza? Está correta a minha colocação? Que maneiras o senhor vê que podemos limpar estas toxinas a nível de cada encarnação, nessa vida por exemplo, em nossos tempos?

Uma pergunta a parte, o senhor nos vídeos diz que já veio para a terra nessa encarnação lembrando de quem é, com desenvolvimento de suas capacidades espirituais bem afloradas (vidências e contatos com muitas entidades planetárias). O senhor veio nessa encarnação para uma missão específica para ajudar a terra ou também está aqui no mesmo processo de evolução como centelha? Existem muitas centelhas encarnadas que estão aqui apenas para ajudar e influenciar os caminhos dos seres e o caminho da terra?

Agradeço novamente.

Abraços,
Rogério M.

Resposta:

Prezado Rogério,

Grato por seu e-mail e por suas perguntas.

Com relação a chamada “limpeza” das toxinas e da nossa aura, o ideal seria cada um de nós, saber o que “aprontou” nas vidas anteriores, e assim poder corrigir e não cometer mais os mesmos erros, mas, conforme você poderá ler no capitulo do meu segundo livro “O DNA Do Espírito E Os Extraterrestres“, denominado “O Bendito Esquecimento”, nem sempre isso é possível, pois as Leis Divinas Universais nos dá o privilégio de começarmos tudo novamente da estaca zero, sem sabermos de nada nem mesmo que estamos na frente de um grande inimigo do passado que ora vem nos cobrar ou resgatar o que fizemos com ele. Um exemplo: É claro que não se aplica ao nosso caso, mas digamos que eu tenha sido um inimigo figadal seu, no passado, e você soubesse disso agora, com certeza, você não estaria fazendo perguntas para mim, ao contrário, estaria se afastando o mais longe possível! Certo? Daí. a existência desse hiato no espaço e no tempo entre nossas reencarnações, justamente, para permitir que você não perdesse seu conhecimento e nem eu a minha possibilidade de informar. Desta forma, sim está correto seu raciocínio, ou seja, “fazer o bem sem saber à quem” e perdoar sempre independemente sem saber o que o nosso antagonista nos fez!

Sim, vim para cá, como todos os seres humanos, ou seja, começando da estaca zero, mas, meu DNA Espiritual já continha grandes feitos em prol da ciência e da humanidade. Estou aqui, desde os primórdios da legendária Atlântida, passei por várias reencarnações no Egito Antigo, Grécia, Turquia, Índia, Rússia, América do Norte, França, Bélgica e outros e finalmente aqui no Brasil, com várias idas e vindas ao meu planeta. Toda essa vivência e experiência no campo da vida e em vários ramos do conhecimento humano, entre os quais, a Ciência, a Astronomia, a Medicina, a Magia e muitos outros, foi o que me deu por assim dizer o que os americanos chamam de “background” na vida. Mas, infelizmente, não fui só bonzinho, participei de muitas contendas e por essa razão fui morto em muitas ocasiões e assim, pude “desopilar” minhas toxinas perispirituais. Assim, pude chegar até aqui e poder transmitir o que sei aos meus leitores. Mas, minha missão já estava delineada, como uma espécie de “mapa” com suas trilhas e ramificações, seus altos e baixos e etc.

Abraços.
DYezzi::.

Políticos Eleitos

Votar

Comentário:

A emoção dulçorosa anima meu ser e, contrita, envio ao Senhor uma prece por quem se de mim lembrou, para amenizar-me a velhice, enviando-me esta bela mensagem. Sempre o faço quando os meus belos se lembram da véia Thereza.

Aproveito para pedir, humildemente, aos generosos corações acompanhar-me nas minhas diárias vibrações positivas que envio à Maria e ao Divino Mestre, pelos dirigentes em todos os níveis da gestão pública de nossa nação. Que eles assimilem as intuições do Alto, para bem administrarem a coisa pública. Sei estarem todos assumindo sérias responsabilidades pelas quais se comprometeram antes de reencarnarem.

A Joana do outro lado da vida nos assegura que “o idealista legítimo possui a compreensão de que o êxito do seu empreendimento é conseguido a grande esforço, mediante as demonstrações de sua legitimidade pelo exemplo de equilíbrio de que se faz portador.”

Abraços mil da Thereza.

Resposta:

Querida Yayá Tekinha,

Belíssimo pensamento, belíssimo exemplo deixado pelo médico pernambucano. A melhor definição de Saudade! Aquele Anjo definiu muito bem!

Mas com relação aos nossos governantes e demais dirigentes, penso que deveríamos ter orado e pedido com fervor, antes de tê-los escolhidos desde há mais de 100 anos, de onde eu concluo que o Onipotente Criador — O Núcleo Central Cósmico — criou o livre arbitrio justamente para demonstrar a imparcialidade Dele* em assuntos planetários internos, desta forma, penso eu, juntamente com aqueles que me acompanham de outros orbes, assim como aparentemente Ele* parece não ligar para as monstruosidades cometidas por aqueles que se denominam seres humanos, entre eles, Ele* também, aparentemente, não vai ligar para aqueles que estão sendo consumidos por um CA na garganta ou em outras partes do corpo, pois com certeza, aquilo é fruto de distorções do VERBO ou de Ações desumanas praticadas sobre outrem. (Veja- se o caso dos mais de 70 milhões de mortos na segunda guerra e outro milhões e milhões em outras guerras travadas durante séculos dentro de nosso planeta.)

Óra, se o livre arbítrio existe para se cometer as más ações, ele existe também para colhê-las. Enganam-se aqueles que pensam, que tudo passará desapercebido às LEIS DIVINAS, até os mínimos detalhes escondidos ou camuflados dentro da alma humana, não perceptíveis aos olhos físicos, não passam incólumes sob essa Leis. Portanto, preparem-se aqueles que se desviaram e negligentes se aproveitaram das brechas das leis civis, brechas que eles mesmos deixaram para suas maquinações. Alguém já disse “E o Fogo Virá Do Céu!”, claro, pois essa é a única forma de haver uma punição geral e imparcial. Quando o Mestre-dos-Mestres dizia: “Quem com ferro fere, com ferro será ferido!” eu acrescento: “Quem fere o Espírito, no Espírito será Ferido!” E no meu segundo livro há um capítulo: “O Tempo – A Bactéria do Universo!”, ninguém e nada vence o poder do tempo, seja na Terra ou fora dela!

Abraços,
DYezzi::.

* Aqui, onde a assexualidade de Deus e a sua onipresença e onisciência está em toda parte, fazemos referências à Deus como “Ele”, masculino, somente para acomodações linguísticas.

Mensagem Universal

Vejam Amigos.
Vejam Senhores.
Vejam meus Jovens.
Vejam o nosso Mundo.
Vejam o nosso Cosmo.

São redomas, espirais,
dínamos, reatores,
bombas, urânio, nitrogênio, supersônicos,
o polo dieternizado,
satélites ionizados,
discos, Discos Voadores
de Marte e todo Sistema,
a presença do radar
e da energia nuclear.

Vejam também o passado.
Sáurios anti-diluvianos
de há mais de milhares de anos,
estão todos desvendados.
Esfinges desmascaradas
galáxias estranguladas.

Sabem o que é isso meus jovens?
Isso é a cultura!
Cultura sem culto nenhum.
Culto? … Culto a ídolos pra quê?
A cultura nos superou.
Eis aí meus caros jovens.
Nosso Cosmo de tudo repleto!
Agora uma pergunta:
Que é que falta para ser completo?

Falta paz – Oceano de bondade.
Falta Amor – Apanágio da deidade.
Falta União – Única felicidade.
Faltam Sorrisos – Reflexos de espontaneidade.

Falta em nossos corações
um céu mais fluorescente.
Falta um mundo diferente
com arpejos de doçura
com celestial ambiente.

A tudo saciamos; conforto, sabor material.
Isso é tudo muito natural.
Pois vivemos em um mundo
onde encontramos só duendes,
invejas maquiavélicas,
onde tudo nos enerva.

O homem desde o primate
respira uma atmosfera de medo.
Receia perder a vida, seus bens,
receia perder o amor, seu ar para respirar,
mas nada sabe conservar.
Receia perder uma situação que suspeito não merecer.
O homem receia tudo.
Por medo mata, rouba e mente.
Por medo calunia, bajula, é descrente.
Por medo se humilha, se vinga e odeia.
Por medo é infinitamente desgraçado.

O medo cultiva:
a discriminação, a desconfiança,
o preconceito, a insegurança.
O medo alucina!
Anula qualquer sentimento,
desagrega sensibilidades.
O medo acima de tudo,
favorece a inveja e a vingança.
O medo com tudo isso,
só nos traz infelicidade.

É impossível criar no mundo
Condições de vida em que,
para viver dignamente,
o homem não precisasse sucumbir à corrupção,
aceitar desigualdades
aceitar humilhação.

É impossível, pois o homem
vive eternamente pronto
ao ataque ou à defesa.
O homem, meus caros jovens,
afia eternamente suas garras
para melhor rasgar as carnes
e sentimentos alheios.

O homem é belicoso e mau.
Fecha todos os seus dedos, para,
melhor poder reter
no côncavo das suas mãos
tudo quanto possa recusar
ao próximo, aos seus irmãos.

É impossível criar no mundo
as condições de que falei.
Pois, para isso meus jovens,
Precisaríamos tudo recomeçar.
Mas podemos e devemos
criar dentro de nós mesmos,
em nosso peito, em nosso curacao
um templo de essências fraternas
que se expandam sem barreiras.

Criar grupos uníssonos,
corajosos, bem dispostos,
que exijam de nós mesmos,
compreensão e tolerância,
para fazermos da Terra
um futuro para isso.

Criar harmonização
para estarmos preparados
para enfrentarmos a tranformação
que o Fim desse ciclo nos trará.

Hajam, mexam-se, sejam versáteis.
Não fiquem atolados nas trincheiras,
trincheiras e conflitos mentais.
Se orientem por mentes mais fortes,
mentes mais amplas e abertas.
E, se não puderem agir por si somente,
concentrem-se no Amor, no “Amai-vos uns aos Outros”.

Sois livres, inteligentes,
mas, nunca se esqueçam de
que, sempre mais ali adiante
haverá alguém atolado e,
sem meios de sair,
de sua própria trincheira.

A esse alguém, caros jovens,

deveis dar o beijo fraterno,
o amor despreconceituoso,
a permuta de sentimentos,
pois, esse alguém meus amigos,
também tem para vos dar,
Amor, Sabedoria e Humildade,
mas, estando atolado,
ou melhor, aturdido, confuso,
não sabe como agir.
Terminando caros jovens.
Saibam que não existe
mérito mais louvável
ao deixarem lhes oscular as mãos,
aqueles que desejam receber
o benefício do perdão.

Apenas mais um conselho:
Tenham idéias ou ideais sadios
para que possam produzir
frutos viçosos numa unidade global,
num todo humano, mental e sideral.

Nada existe de mais piegas
do que tumultuações, hipocrisias.
Sejam sempre irmãos
sem se deixarem poluir pelo menos em suas mentes.
Enfim sedes como um grande Coral
que, reunido ou disperso,
possa produzir vibrantes Harmonias,
difundindo cores, sons e sinfonias.

Assinatura de Ludwig Maria Van Beethoven
Ludwig Maria Van Beethoven

Captado em 17.01.78 às 23:30h

Mensagem do Compositor Finlandês Jean Sibélius

Jean Sibélius
Jean Sibélius

Eu Sibélius me identifico inteiramente com vocês amigos.

Ao desencarnar como o compositor Sibélius não mais quis voltar à matéria.

No tempo daquela minha passagem pela Terra, fui um ser triste, profundamente triste, mas era devido ao sentir grande pesar por meus irmãos sofredores da Terra. Achava que ao compor esses tipos de música, me libertava um pouco da matéria, e através da minha música eu enviava a todos os seres, bênçãos, paz, bom magnetismo. Ao mesmo tempo que isso acontecia, alçava maravilhosos vôos pelo Cosmos, me libertava desta podridão e então viajava, viajava.

O que houve comigo ao compor a Sinfonia nº 5, foi que saturado de ver guerra, sofrimento, concentrai todas as minhas forças e, grandes amigos de outros Orbes, vieram-me na buscar para na matéria mesmo, fazer uma longa viagem de nave pelo Cosmos. Não calculas o que senti, o que vi e o que fiz.

Você amigo que aí estás, foi o único que entendeu a minha mensagem que está nesta Sinfonia. Quando voltei, não calculas o bem que senti em minha matéria, em meu espírito e em minha mente.

Como última coisa que eu tenho a dizer a vocês é que me sinto realizado, pois conseguí depois de muitos anos, que alguém, utilizasse minhas músicas para fazer o bem à outrem como fizestes c/ Finlândia, pois no momento de todas as minhas composições, sabia que, um dia isso iria acontecer. Continuem amigos. Neste momento, através desta Sinfonia, muitas bênçãos, muitos alívios, foram distribuídos à àqueles que sofrem.

Mensagem do Compositor Finlandês Jean Sibélius, Página 2 (Figura 12)
Mensagem do Compositor Finlandês Jean Sibélius, Página 2 (Figura 12)
Mensagem do Compositor Finlandês Jean Sibélius, Página 1 (Figura 11)
Mensagem do Compositor Finlandês Jean Sibélius, Página 1 (Figura 11)

02/01/71 – 10 horas da noite

Captada por C. A. Yezzi mentograficamente

Soneto Livre de Ludwig M. Van Beethoven

Deste belo e amplo horizonte
Onde reina absoluto amor
Meu espírito oscula a tua fronte
Inclino-me prestando-te um louvor.

Nasceste nessa estranha Terra
Globo perdido solto no espaço
Onde reina fome, destruição e Guerra
Sempre de tudo o que é bom escasso.

Yezzi amigo, velho companheiro
Espírito forte, bom e querido
Zelo daqui sempre por você.

Zelo também por teu bondoso coração
Imantando-o com muita emoção
DOMINGOS YEZZI meus parabéns a você.

Do seu eterno amigo,
Ludwig Maria Van Beethoven.

Captado por C. A. Yezzi em S. Paulo, 02/dez/1988 às 3 horas da madrugada.

O original manuscrito por Beethoven foi captado por C. A. Yezzi em 22/11/88, dia de Santa Cecília às 1:30 h da madrugada.

Explicações do Autor Sobre Tíner do Planeta Zutener

Um exemplo: Na época da guerra do Vietnã, contatei, ou melhor, fomos contatados por um ser chamado TÍNER do planeta ZUTENER de um sistema solar dentro de Nossa Galáxia a Via Láctea.

Tiner é um ser normal com o biótipo parecido com o do terrestre. Tem os cabelos ruivos meio alongados, parecendo cor de tijolo. Sua nave, gigante, tem o formato de um losângulo horizontal e leva no seu interior algumas naves-mirins do mesmo formato.

Ele contou-nos na época, que pairava a grande altura sobre os palcos de combates no Vietnã e com seus aparelhos assistia a tudo sem poder interferir. Via soldados serem metralhados, seus corpos caírem mas seus perispíritos continuarem em posição metralhando o inimigo. E assim ficaram por dias como se ainda estivessem vivos! Numa das vezes ele veio buscar nosso duplo-etérico e nos levou até lá. Assistimos a tudo consternados. Pedimos ajuda ao Alto e logo em seguida vieram homens e mulheres vestidos de branco, com padiolas, e nos disseram ser socorristas espirituais. Vimo-los colocarem os espíritos dos soldados mortos e os levarem pelo espaço a dentro para serem tratados, enquanto seus corpos permaneciam nos locais em meio a batalha acirrada.

Quando tudo se acalmava, Tíner mostrou o que ele e os seus faziam. Desciam com sua nave em local escondido, apanhavam alguns corpos e levavam para dentro da nave-mirim e desta para a nave-mãe que ficava pairada no Espaço. Descarnavam os corpos e com a carne e seus reagentes químicos faziam uma massa com a qual se revestiam, ou seja, passavam-na em seu corpo todo como uma espécie de proteção ambiental, para seus físicos, e assim, poderem se locomover a pé no solo terrestre. Não só lá no Vietnã mas em todo local da Terra onde eles cismassem de visitar e avaliar.

Tíner e os seus tripulantes faziam aquilo com tanta naturalidade que nos deixou pasmos. Mostrou-nos tudo e falou de seus costumes em seu planeta, os quais, eu tentarei relatar oportunamente . Aquele revestimento que faziam com a carne humana dava-lhes a aparência, mesmo que remota, de um ser humano da terra. Era uma espécie de máscara que se amoldava no corpo todo e que se fossem vistos andando pelo solo talvez não fossem reconhecidos. Tíner nos mostrou também dentro da grande nave-mãe, um enorme instrumento musical “Eólico”, ou seja movido a vento natural. Era composto de lâminas e grandes tubos por onde o vento passava e ele emitia sons coloridos. Viemos a saber através de Tíner que a música, após ser transformada em sons, se transformava em gás colorido e esse gás atingia os nossos poros, plexos, e chakras. Outra experiência que eu e minha esposa tivemos foi em nossa casa de Ribeirão Pires que na época, estava recém construída e havia sido desocupada pelo nosso inquilino e nela fomos morar.

Numa determinada tarde havíamos eu e ela descido à cidade para fazermos compra no supermercado. Na volta, após estacionarmos o carro em nossa garagem que dava entrada para nossa sala de visitas onde havia um grande sofá almofadado de cor bege, qual não foi o nosso espanto ao nos depararmos com um homem esbelto, vestido com um terno “tweed”, aquele tipo de pano enxadrezado inglês, todo sorridente, com um sorriso largo e dentes alvíssimos em formato de meia-pérola, cabelos cor de tijolo (da cor do nosso sofá) que seria talvez cor de âmbar, ou seja entre o bege e essa cor de tijolo comum, cortado à maneira irlandesa, sem pentear, soltos à vontade. Duas mãos enormes, cinco longos dedos e sapatos enormes também, talvez nº 44. Ele estava totalmente sentado encostado no sofá, porém suas pernas eram tão longas que sobrava uma boa parte para fora do sofá, que diga-se de passagem era bem largo, parecia-nos que estava sentado na beira do sofá. Era Jarlós, do planeta Urano ali sentado, materializado, que nos perguntava “- Que tal, estou parecendo um de vocês?”-, nós um tanto surpresos pois havíamos trancado a casa ä sete chaves”, ficamos parados sem saber o que dizer olhando um para o outro. Só depois de entrarmos na sintonia dele respondemos: “- Sim, você se parece com um de nossos estrangeiros, aqueles “gringos” de alta estatura. Ele sorriu mais ainda (sorriu não, gargalhou) e levantou-se quase encostando a cabeça no teto da sala, como se a desfilar para nós. Por coincidência referi-me aqui a dois casos cujos seres tem os cabelos “cor de tijolo”, Tiner e Járlós, são de planetas diametralmente diferentes entre si em tudo e por tudo.

Mas, volto ao Jarlós. Ao ficar em pé vimos como ele é alto. Tem aproximadamente 2,10 a 2,15 metros de altura, é esguio, mas forte. Temo tronco menor que as pernas, que são longas e nos fez lembrar aquele personagem de Monteiro Lobato de suas estórias do Sítio do Pica-pau amarelo, o Visconde de Sabugosa. Braços também longos mas proporcionais ao seu corpo. Cabeça também proporcional, orelhas um tanto pontiagudas mas rentes à cabeça, nariz aquilino e boca proporcional também. O que nos chamou atenção foram seus pés, ele tirou um dos sapatos e vimos porque ele tinha tanta dificuldade de andar com os nossos tipos de calçados. Seus dedos são como pés de rãs ou de patos, ou seja, são interligados por membranas. Ele ficava bem em pé, porém só tinha dificuldade de andar com os sapatos. Perguntamo-lhes por que só os pés eram bem diferentes já que no resto era quase tudo igual a nós e ele nos respondeu “- Porque em meu planeta há muita água, mais água do que solo, e nós vivemos muito dentro d’água. Gostamos da água, nascemos dela como os seus peixes”. Os olhos de Járlós eram do tipo oriental, amendoados, com as pupilas bem verdes e de uma expressão profundamente bondosa, de um poder magnético ou hipnótico incrível. Ele não podia fixar seus olhos muito em nós, pois éramos acometidos de uma sonolência sem termos sono. Járlós contou-nos que naquele momento se encontrava em Manaus, no Amazonas. Estava passeando pela cidade no meio da multidão que nem o notava pois lá havia muitos estrangeiros. Entrava nos ônibus, passava pelas roletas sem pagar, apenas olhando para o cobrador. Sua nave se encontrava estacionada numa floresta próxima da cidade. Disse-nos também que o terno havia conseguido através de seus métodos persuasivos à distância e que para a próximas vezes viria com um sapato que já estava produzindo dentro da nave, feito de uma espécie de malha que deixaria seus pés a vontade e não eram transparentes, quis dizer, que ninguém iria desconfiar dos pés dele.

E assim temos dezenas de casos pitorescos que irei relatar futuramente, bem como, respondendo as curiosidades naturais dos leitores, além das dezenas de casos dentro do Astral terrestre com entidades várias e respectivas mensagens maravilhosas que tocam fundo o nosso coração. Temos mensagens em forma de poema do gênio da Música Ludwig Maria Van Beethoven e de outros grandes. Temos uma mensagem de um humilde preto velho no seu palavreado original dirigida a mim e escrita por ele na forma de sua pronuncia típica.

Temos mensagens do meu grande ídolo virtuosistico Paganini que iniciou a composição de um novo conserto para violino por nosso (meu e de minha esposa) intermédio. Teve que interrompe-lo devido às nossas complicações de saúde, principalmente as de minha esposa que o captava. Stravinsky nos prometera trabalhar conosco na detectação das cores da música. Rachmaninov também nos enviou mensagem. Não temos mensagem de Mozart mas, conversamos muito com ele em nosso astral. Um famoso músico terrestre reencarnou em Plutão e chama-se Vallís II, continua a nos mandar mensagens de lá, juntamente com Klérkur que também reencarnou por lá. Já são dois jovens fortes e simpáticos. Enquanto o ex-músico foi em missão de fazer nascer a música da forma como ele a sentia na Terra, ou seja, tentando aliar o racional ao sentimental e dar maior sensibilidade ao povo plutoniano que pende mais para o lado tecnológico do que para o sentimental e o espiritual; o ex-passivista foi para lá para fazer nascer o mentalismo, o culto dos direitos ao próximo e a espiritualização daquele povo hiper-intelectualizado.

Plutão assim como a Terra, sofrerá mutações drásticas pois são os dois planetas que mais se afinam com o gigante drenador, Sidérius. Em Plutão, o paganismo e a tecnologia eram a mola propulsora daquele povo, diferente do terráqueo que apesar de adotar muitos cultos religiosos é a única humanidade do nosso sistema solar que se mata entre si e fomenta as guerras o egoísmo e outras mazelas, por isso, entrará em choque vibratório com o “quantum” vibratório de Sidérius que aqui fará uma limpeza em regra.

Temos esperança de futuramente poder explanar sobre o desenvolvimento da vida dos seres de cada planeta de seu sistema solar mais especificamente. Procuraremos agrupar todas as mensagens respectivas e em ordem cronológica de captação que permitirá ao leitor ir acompanhando a evolução dos nossos contatos, as características, os acontecimentos do dia-a-dia dentro de cada sociedade humana, os casos curiosos, e principalmente os ensinamentos recebidos.

Assim como, os nossos contatos com os seres “extraterrenos” (entidades espirituais desencarnadas), das antigas civilizações os quais ainda se mantém no Espaço e nos mandam suas mensagens. Civilizações como as da Lemúria, da Atlântida, dos Vedas, Caldeus, Egípcios, Maias e outras. Muitos espíritos milenares, centenários, da idade-média, modernos, que tiveram suas atividades várias na Terra, os quais, por motivos especiais não puderam ou não quiseram reencarnar ainda. Muitos deles com missão, entre outras, de nos acompanhar e nos auxiliar mantendo-se em suas antigas formas biotipicas, quando então conviviam conosco e traçaram suas missões.

Espero que esta resumida obra possa trazer ou levar algum ensinamento novo às mentes panorâmicas e ávidas de conhecimento, e ainda que, essas mentes possam aproveitar de agora para o tempo que se seguir para esta humanidade atual e para suas futuras reencarnações aqui na Terra ou em outro planeta qualquer. Que nada seja perdido, pois foi com a dedicação, o sacrifício de todos nós, a abstenção e até a renúncia a outras metas mais imediatistas, para que estes objetivos fossem alcançados, na certeza de que “O que daqui se leva é o conhecimento que aqui se deixa”!

O Autor

Mensagens de Ramatís

Caro amigo MASRÁCHIMIR, igualmente fundador de um templo de iniciados na Indochina, pela primeira vez contato-me com você através da escrita. Não o fiz antes por encontrar certa dificuldade no modo de entrosamento entre eu e o aparelho. Sua sensitividade (dela) além de ser diversificada é um tanto diferente das demais, mas como tudo tem que ter um começo, aqui estou eu, apenas para dizer-lhe algumas palavras amigas.

Primeiramente quero congratular-me com você, pelo seu livro.

Isso amigo, continue sua obra, pois ela será a conclusão da sua missão junto à Terra. Seu espírito sempre deixou marcas positivas em sua caminhada, agora feche com chave de ouro distribuindo as verdadeiras pérolas de seu livro aos “porcos”, sim, por que não? A estes principalmente, pois são os que mais necessitam, são os mais carentes.

A Humanidade já está entrando para a fase da maturidade, por isso está um tanto perdida necessitando de alguém que lhe ensine a caminhar para a frente e para o alto agora mais do que nunca. É mais do que necessário uma sacudida nos homens, pois se há seitas negativas que retardam o seu próprio progresso a também de outros, há também os positivistas que apesar de serem positivistas encontram-se perdidos. Mentes perdidas, espíritos perdidos, e consequentemente físicos perdidos. Não sabem como devem agir, procuram algo e não encontram e com isso retardam o seu progresso.

As obras que você já deixou para traz serviram para acordar a humanidade, cada qual no seu tempo, é preciso agora, como já falei acima concluir a de agora para a humanidade atual, tenha a certeza de que você terá êxito, pois está assessorado por Plêiades de entidades de alto padrão. Bem meu amigo, por hoje despeço-me, pois o aparelho está bastante cansado. Continuarei um outro dia.

Ramatís

Dirigida a mim. Captada por minha esposa diretamente (psicodatilográfica), como Ramatís faz com seu médium principal, Ercílio Maez . Rib. Preto. 13/03/80, 3:15h.

Conforme explicação mental, dada em seguida, por Ramatís, no século X depois de Cristo, meu nome era MASRÁCHIMIR, um mestre iniciado que liderava uma plêiade de discípulos Homens e Mulheres, entre os quais se encontravam o amigo Dr. Gil Vicente, o Dr. Almeida, o Dr. João Evangelista, e minha esposa. Ramatís liderava outra plêiade de discípulos, somente homens.

Universo Conturbado

Outrora, na bucólica paisagem terrestre, os homens e a natureza harmonizavam-se mais e estavam mais conscientes, eram mais puros, mais inocentes apesar da vida agreste. Eram ignorantes, mas não maldosos.

Foram-lhes dadas chances de progredirem, de elevarem-se e de degrau em degrau chegaram a civilização. de pigmeus tornaram-se gigantes. Para todas essas chances que lhes foram dadas, foi preciso movimentar-se até seres de outros mundos, foi recrutada uma legião de seres prontos a sacrificarem o seu “status” e descerem a Terra afim de tornar o homem mais homem, mais gente, para não ficar sendo apenas rebotalho humano.

O que fez o homem dessas chances? Alçou vôos mais altos, muito mais alto do que sua mente pode suportar. Criou inteligência, sabedoria, avanço tecnológico, etc.

De larva rastejante, tornou-se fênix. Muitos conseguiram sair-se bem, elevaram-se tanto, que essa elevação conseguida, está virando-se como uma arma contra seu próprio peito, pois tornaram-se receosos de baixarem à cata de irmãos necessitados. Colocaram-se em seu pedestais a ditarem normas e fórmulas. Fizeram da Terra o que hoje ela é; fomentou-se guerras, crimes, ódios, etc., daí para se tornar um circulo vicioso, uma bola de neve foi apenas um passo, então surgiu o “karma” para ver se criava um jeito de fazer de certa forma, as pessoas redimirem-se fatalmente de seus erros.

Se hoje o Universo terrestre encontra-se conturbado, a maior parcela de responsabilidade cabe aos “elevados”, àqueles temerosos da contaminação natural do meio ambiente terrestre, pois os demais arriscaram-se a descer e foram envolvidos pelo emaranhado de choques e entrechoques das emanações mentais do homem já então embrutecido, assumiram suas novas posições e conseqüentes responsabilidades. Não fugiram à luta, não se acovardaram e tão pouco permitiram que outros menos evoluídos servissem de cobaias psicofísicas e assim resgatassem indiretamente as culpas ou as responsabilidades que só a eles caberia sanar. Desceram para poderem subir mais firmemente e não fizeram como aqueles outros “elevados” que s e apartaram para não descerem com medo de nunca mais poderem subir.

A conturbação se faz presente também porque existem os que em nada crêem. Não crêem nem na sua própria existência. São desprovidos da faculdade de amar, de criar e de viver.

São negativistas, são céticos, destroem todo o animo daqueles que os rodeiam. São uns infelizes fracassados, não crêem no amor porque nunca o sentiram e nem o inspiraram. Não crêem num ideal porque só tiveram apetites e ainda assim não conseguiram satisfaze-los. São como caracóis humanos, escondidos em sua casca de onde só saem para destruir os brotos novos das plantas, deixando em seu caminho um traço viscoso.

Por outro lado, deve-se dar méritos a muitos homens, pois através de migrações em migrações a Terra transformou-se no único planeta do Sistema Solar que possui versatilidade incríveis. A começar pelas variadas raças e línguas, cada povo trazendo sua arte musical, seus costumes e crenças. A Terra tem honra de ser – pasmem amigos – a escola para seres evoluídos de outros mundos. É aqui que eles aprendem muita coisa, sem se deixarem contaminar.

Enfim, amigos o que quero dizer com tudo isso é que falta pouco tempo para que se complete esse Ciclo, não somente para a Terra, mas para todo o Sistema Solar e parte desta Galáxia.

É preciso dar um basta a essas aberrações, afim de que todos tenham chances de se redimir dentro da mesma existência. É preciso dar um basta ao se cortar abruptamente existências de um Beethoven, de um Mozart, de um Chopin, de um Lincoln, de um Luther King, de um Gandhi e de centenas de outros grandes vultos que muito mais poderiam ter legado à humanidade se não fossem tolhidos pelo “karma”.

O homem quando perdoado dentro da mesma existência, aceita mais corajosamente a luta, às vezes tomba extenuado mas nunca vencido, porque sabe que há sempre duas mãos estendidas, prontas para o erguer. Sabe que o sol consegue sempre, mesmo através de cerrada vegetação, coar um raiozinho de luz que ilumina e aquece. E assim perdoando ele terá mais capacidade de criar um mundo melhor, onde impere sempre o circulo sadio do Amor, e saiba mais convictamente perdoar para ser perdoado.

Ramatís

Mensagem captada por C.A.Yezzi às 23 horas do dia 27/03/1980 em Ribeirão Preto.