Como Sidérius Nos Afetará na Terra?

Como Sidérius Nos Afetará na Terra?

Pergunta:

Olá Sr. Domingos!!!

De acordo com um de seus posts você diz que um planeta chamado Sidérius vai chegar pelo sistema solar e fazer o maior caos com ele (desculpa pelos termos, só estou tentando entender).

Mesmo que ele se choque com o Sol em 2018, que peso isso vai ter em nossas almas terrenas?.

Eu que gosto de calcular o tempo e disponho do conhecimento dos horóscopos, quero saber como isso vai interferir na “medição de almas”, você poderia me explicar?

Muito obrigado,
Uerê

Resposta:

Prezado Uerê,

Sidérius é um planeta gigantesco que está se dirigindo para dentro do nosso Sistema Solar. Ele tem outros nomes como, Nibiru para o povo Maia, Absinto na Bíblia (Apocalipse), e outros nomes como, planeta chupão, planeta higienizador e etc. Ele é tão grande que caberia entre o Sol e o planeta Mercúrio que dista 60 milhões de km. do Sol. Mas, eu nunca disse que ele iria se chocar com o Sol! De onde você tirou essa ideia? Ao contrário, apesar da órbita dele é em sentido contrário a órbita do Sol, ele entrará em órbita obliqua e perpendicular em nosso Sistema, lá pelas proximidades entre o planeta Marte e o planeta Júpiter e agirá como uma gigantesca bola de bilhar espalhando os demais planetas para novas orbitas, dividindo o nosso sistema solar em dois novos sistemas solares, que estarão afastados um do outro por bilhões de quilómetros de distância entre si. Desta forma, esta será a última vez que ele passará pelo nosso Sistema Solar, pois este, após as mudanças, não estará mais no caminho de Sidérius. Cuja órbita milenar é de mais ou menos cada 8 mil anos, tendo sido ele o causador do tão falado dilúvio, da submersão dos continentes da Lemúria e da Atlântida, numa de suas milhares de passagens durante os milênios passados. Portanto, nesta sua última passagem, ele causará grandes alterações geofísicas em nosso planeta, fazendo o eixo da Terra que, atualmente está inclinado em 24 graus de verticalização com as consequentes provocações de inundações de continentes inteiros, maremotos, tsunamis, terremotos e muitas outras alterações, eliminado muita fauna e flora e principalmente muitos seres humanos. Não sou eu quem diz isso, que já vem sendo previsto há milênios por muitas civilizações já extintas, muitos videntes e avatáres, que já deixaram registradas na Terra suas clarividências e suas visões e opiniões que foram motivos de descredito e zombarias, infelizmente! Tudo isso e muito mais, você encontrará nos meus livros, com minúcias e com os desenhos. Tenho um amigo Et, chamado Dornete, que vem acompanhando Sidérius desde quando ele passou pelo sistema solar dele, na década de 1970, com sua nave gigantesca de 400 metros de comprimento por cem metros de altura, com 20 tripulantes e com 20 naves mirins, cada uma para cada tripulante, que saem livremente para fora da nave mãe em busca de informações sobre os estragos que Sidérius vem fazendo por onde ele já passou e vem passando e através de uma aparelhagem sofisticada ele emite uma espécie de eletro cardiograma cósmico sideral que mensura as dificuldades e as facilidades que aquele planeta encontra em sua rota. Comparativamente ao nosso aparelhamento, linhas onduladas, significam que Sidérius está encontrando resistências e uma linha reta, ele não encontra dificuldades, passando sem causar qualquer dano ou alteração, significando, neste caso, que os planetas dos sistemas solar por onde ele passa, são evoluídos! Aqui na Terra, ele já vem interagindo no metabolismo humano, provocando distúrbios emocionais e endócrinos e na atmosfera do planeta, desde a década de 1950, conforme informou o grande Ramatís, e ele foi detectado, conforme eu informei numa entrevista para uma TV de São Paulo, desde o ano de 2005 e a NASA já o fotografou e o vem acompanhando desde então. Penso que já foi o suficiente para você entender! Por favor, divulgue, pois muitas outras pessoas querem saber destas informações e vão necessitar delas.

Abraços.
DYezzi::.

A Terra É Oca?!

Não! A Terra não é oca. Esta é uma afirmação que me atrevo a divulgar sem medo de errar (como as demais faço no decorrer deste volume) pois, além do raciocínio particularmente meu, vai acrescida de respostas que obtive junto aos seres extraterrestres que vasculham o solo e o subsolo terrestre de todas as maneiras, possíveis e imaginárias, visitando pessoalmente os locais em que através de aparelhagens ultra sofisticadas que lhes permite radiografar nosso planeta, como fazemos com nosso corpo para detectarmos possíveis anomalias. “A Terra não é oca e não há civilizações vivendo em seu interior”.

1º) Não é oca em vista da forma pela qual descrevo nos capítulos que se seguem como nascem os sois e planetas, ou seja, do micro para o macrocósmo e não de explosões que depois os transformaram em pedaços ambulantes pelo espaço sideral.

2º) Não é oca, porque não suportaria as grandes pressões externas, tais como: a pressão atmosférica, as forças centrífugas e centrípetas oriundas de sua rotação em torno do seu eixo e em torno do Sol, a pressão dos oceanos, as várias mutações geográficas, terremotos, maremotos, vulcões, além das tremendas vibrações ocasionadas pelas explosões atômicas de experiências subterrâneas que os “gênios” de hoje fazem inadvertidamente. Os que assim afirmam, sempre acham esses buracos sob regiões como o Amazonas, os Andes, e locais de imensa vastidão, nunca dizem que a Terra é oca sob Nova York, São Paulo, Paris, Londres, Moscou, Tóquio!. Por que será?. Será que o advento do trem subterrâneo “o metro”, afastou desses locais o grande oco da Terra?

3º) Não há civilizações subterrâneas e que possuam naves interplanetárias e como afirmam alguns, serem os “discos voadores” de origem do interior da Terra. se tal hipótese fosse verdadeira, há muito tempo essas civilizações já teriam subido à tona ou a crosta e dado um “ultimatum” aos loucos que aqui em cima colocam a vida delas em constante perigo ou as deixam em sobressalto tirando-lhes o sossego, com as experiências irresponsáveis que fazem periodicamente. Se houvesse essas civilizações morando no oco da Terra e possuíssem suas naves tão velozes e tão potentes não iriam racionalmente permanecerem impassíveis vendo o homem pondo fim ao planeta Terra em busca de petróleo e de outras energias. Viriam até ele e o ensinariam a ter “bons modos” para depois ensinar-lhe também como fabricar um “disco voador barato” sem precisar destruir seu “habitat” e o “habitat” deles!.

4º) O que ocorre, são visitas de pesquisadores extraterrestres que por alguns períodos relativos as suas pesquisas adentram com suas naves em algumas formas, cavernas e logo após se retiram para seus planetas. Porém, no campo extrafísico, nas psicosferas, há grande quantidades de seres extraterrestres que lá se projetam com seus corpos astrais e duplo-etéricos permanecendo também por bom tempo em grandes grupos, só que ninguém os vê ou os detecta com aparelhamento ou com olhos físicos, permanecem na 4a. e outras dimensões.