Mensagem do Compositor Finlandês Jean Sibélius

Jean Sibélius
Jean Sibélius

Eu Sibélius me identifico inteiramente com vocês amigos.

Ao desencarnar como o compositor Sibélius não mais quis voltar à matéria.

No tempo daquela minha passagem pela Terra, fui um ser triste, profundamente triste, mas era devido ao sentir grande pesar por meus irmãos sofredores da Terra. Achava que ao compor esses tipos de música, me libertava um pouco da matéria, e através da minha música eu enviava a todos os seres, bênçãos, paz, bom magnetismo. Ao mesmo tempo que isso acontecia, alçava maravilhosos vôos pelo Cosmos, me libertava desta podridão e então viajava, viajava.

O que houve comigo ao compor a Sinfonia nº 5, foi que saturado de ver guerra, sofrimento, concentrai todas as minhas forças e, grandes amigos de outros Orbes, vieram-me na buscar para na matéria mesmo, fazer uma longa viagem de nave pelo Cosmos. Não calculas o que senti, o que vi e o que fiz.

Você amigo que aí estás, foi o único que entendeu a minha mensagem que está nesta Sinfonia. Quando voltei, não calculas o bem que senti em minha matéria, em meu espírito e em minha mente.

Como última coisa que eu tenho a dizer a vocês é que me sinto realizado, pois conseguí depois de muitos anos, que alguém, utilizasse minhas músicas para fazer o bem à outrem como fizestes c/ Finlândia, pois no momento de todas as minhas composições, sabia que, um dia isso iria acontecer. Continuem amigos. Neste momento, através desta Sinfonia, muitas bênçãos, muitos alívios, foram distribuídos à àqueles que sofrem.

Mensagem do Compositor Finlandês Jean Sibélius, Página 2 (Figura 12)
Mensagem do Compositor Finlandês Jean Sibélius, Página 2 (Figura 12)
Mensagem do Compositor Finlandês Jean Sibélius, Página 1 (Figura 11)
Mensagem do Compositor Finlandês Jean Sibélius, Página 1 (Figura 11)

02/01/71 – 10 horas da noite

Captada por C. A. Yezzi mentograficamente

Anúncios

Mensagem de Wórléns, líder do Planeta Saturno

Como foi recebida …

Mensagem de Wórléns, Página 1 (Figura 8)
Mensagem de Wórléns, Página 1 (Figura 8)
Mensagem de Wórléns, Página 1 (Figura 9)
Mensagem de Wórléns, Página 2 (Figura 9)

Konalkit miens disreile momteikl eisvat natius bienszip conteim nirten uriaust vouskla, marast mompit mimukat naint vast dormklakl brestskl

– x –

Gorges amigo, devo informá-lo que estou de regresso a Clarion = 2a. Lua da Terra e pretendo dentro em breve fazer desta vez pra valer uma visita a você, estou de nave nova mais pequena e veloz aderi também a campanha do combustível, a nave continua do mesmo formato ou seja uma esfera, mas difere no tamanho sendo menos desengonçada, com reduzido número de anéis, espaço suficiente para 5 pessoas só que não possui compartimento de banho, acho que se você quiser dar uma volta nela, terá que levar algo portátil ( sabe o que é não? ) mas tudo é piada, possuímos alimentos eficazes, capazes de parar por tempo determinado suas funções fisiológicas.

Os escritos de cima na minha fala, não tem nada a ver com o que escrevi em baixo na sua fala.

Aguarde meus pronunciamentos até que eu possa achar dia, lugar, hora, e um certo regime de s/ parte, aí então eu o avisarei. Mais um pouco de paciência.

Teu amigo e irmão Wórléns (planeta Saturno) (Tólls).

As palavras dizem mais ou menos isso:

Domingos dorme tranqüilo em seu leito enquanto aparelho escreve morrendo de sono, desculpe hora tardia esse seu amigo não tem horário para dizer a vocês que também sei amá-los.

Mensagem de Adoniran Barbosa

TREM DAS CINCO

(Adoniran Barbosa 28/11/82, 23:30h)

23/11/82 às 17:15h

Mensagem de Adoniran Barbosa (Figura 7)
Mensagem de Adoniran Barbosa (Figura 7)

Eu já estou aqui meus amigos
Cheguei no trem das cinco
Estou no céu entre os amigos
Feliz, muito feliz eu me sinto

Encontrei o formigão
o Orlando, a Elis,
Vinícius sempre esnobando
com sua pinta de poeta
mas um grande coração

Gostei de ver meus amigos
Na hora do enterro do meu corpo
Onde o samba imperou
Nem choros, nem tristezas, nem lamentos
Onde até o último momento
A multidão toda cantou

Eu não podia ficar nem mais um minuto aí
E fiquei seis horas a mais
Perdi o trem das onze
Mas, no das cinco parti

Nosso Senhor permitiu
que eu perdesse esse trem
porque dessa vez meus irmãos
a viagem era sem volta
e não tinha mais solução

Recebido mediunicamente por C. A. Yezzi em 28/11/82 as 23h30 – D.Y.

Mensagem do Espírito de Emanuel

Abaixo o texto mentografado pela médium C. A. Yezzi

Mensagem do Espírito de Emannuel, Página 1 (Figura 5)
Mensagem do Espírito de Emannuel, Página 1 (Figura 5)

Tradução:

Amigo, procura fazer dessa tua existência o constante otimismo que até agora o tem feito suportar tudo. Sei que te devo muitas explicações sendo a primeira delas a tua tão malfadada ida a Uberaba para encontrares com meu médium e lá encontrastes coisas totalmente diferente do que esperavas. Me perdoe, nisso tudo não tivemos culpa, nem meu médium e nem eu, mas foram as circunstâncias que nos levaram a falhar, mas sendo você meu espírito luminoso e inteligente compreenderá o porque de tudo isso ter acontecido.

Prossigam, amigos enfrentando a vida com mais otimismo, pois tudo se alcança quando temos persistência e mente limpa.

Estamos todos com vocês, não esmoreçam, virei outras vezes falar-vos.

Que Jesus vos abençoe e a todos nós e também a todos nossos irmãos sofredores, encarnados e desencarnados.

Emanuel

Ribeirão Pires, abril, 76

Darmátsa – Um Antiquíssimo Mago Terrestre

Eram exatamente 23 horas e 50 minutos quando intensa vibração penetrava nosso lar. O amigo Glonk do Planeta Plutão estava presente e junto dele um ser que havíamos avistado da última vez que Glonk também nos visitara. Parecia que com seu intenso e puro magnetismo Glonk o havia imantado a ele ou aquele ser havia magnetizado Glonk e pareciam ambos interligados entre si e a nós.

A nossa sala da casa de Ribeirão Pires, no seu astral, se modificou, se transformando numa grande sala redonda com uma imensa abóbada côncava e no centro da sala, a nossa frente, aquele ser majestático vestido com um belíssimo manto branco aveludado. O ser era calvo e estava com os braços erguidos aos Céus como se solicitasse alguma graça divina.

Sentíamos, eu e minha esposa, que ele se esforçava para que o entendêssemos, mas, parecia-nos que ele estava isolado em si próprio, não conseguia fazer-se entender… Seus olhos giravam desesperadamente. Eram espiralados, pareciam saltados e presos a espécie de mola, passavam da cor vermelha forte para o azul claro e entre estas várias outras matizes. Após grande esforço; esforço exageradamente sobre-humano e espiritual conseguiu que o entendêssemos mentalmente.

Nesse exato momento em que ele começava tentar dialogar conosco, ouvíamos no astral com uma nitidez impressionante um toque de órgão[1] executando o Intermetzo da ópera “Notre Dame”, de Franz Schmidt (essa melodia belíssima passou a ser daquele momento em diante até hoje, o tema de chamada e da presença entre nós do querido Darmátsa). Víamos estarrecidos aquele ser humano transformar-se naquele lendário cavalo voador o Pégaso e voar até a nossa Lua e voltar. Fez isso várias vezes durante aqueles minutos. Realmente a cena era espantosa e inacreditável para nós, e, sabemos quão difícil será para outros acreditarem apenas por nossas palavras mas, isto não nos importa porque o que nos foi dado presenciar e fazer só a nós interessa e achamos que só aquelas imagens maravilhosas e ainda o que irei relatar abaixo, foi uma das maiores dádivas que um mortal poderia ter recebido.

Tudo se passava para nós como se estivéssemos num grande cinema tridimensional.

A muito custo ele conseguiu nos transmitir seu nome: Chamava-se DARMÁTSA. Disse-nos que fora um mago ou místico com grandes poderes sobrenaturais. Contou-nos que quando em vida havia feito um grande mal a sua mãe, involuntariamente, é verdade mas, para ela foi proposital e, desgostosa, indignada e ao mesmo tempo com grande rancor e possuidora que era também de grandes dons de magia negra, lançou sobre ele uma grande maldição que inutilizou-lhe todos os pontos de comunicação de seu ego com o exterior.

Darmatsa desencarnara sob aquela maldição terrível, seu espirito desde então, a centenas de anos atrás vem com esse terrível estigma espiritual de cego, surdo e mudo sem ser, envolto pelas próprias energias poderosas e impressionantes que o mantinha recluso dentro de uma cadeia energética. Não poderia nem ter contato com outras entidades. Veio sofrendo e perambulando até esta data dentro de um circulo vicioso poderoso.

Sua mãe chama-se VOLTJA e o que aconteceu entre eles foi tão marcante e tão revoltante naqueles milênios atras, que originaram todo aquele cataclisma psíquico que os dois passaram. E o que realmente aconteceu entre eles?

Pelas imagens que pudemos captar, levados que fomos até a época, percebemos que houve um torneio tipo medieval mas o fato se deu centenas e centenas de anos antes, mais oportunamente falaremos da data e do local exatos; nesse torneio o vencedor ganharia para si a principal mulher do local e essa principal era Voltja, mãe de Darmátsa, porém, ele não sabia que ela era sua mãe. Mas Voltja sabia que Darmátsa era seu legitimo filho.

Vencido o torneio por Darmátsa que lhe deu entre outras coisas o direito de posse sobre aquela bela mulher, cujo marido chamava-se Janos, e Darmátsa de posse de Voltja manteve relações sexuais com ela , contra a gosto dela é claro que a revoltou e a colocou vingativa pois para ela tudo fora feito de propósito (ou seja o filho ter relações com a mãe) mas, para Darmátsa somente bem posteriormente é que veio a saber do grave erro cometido, mas já era tarde demais, já havia sido terrivelmente amaldiçoado e pior de tudo, maldição da mãe que também conhecia os ritos da magia.

Esses enganos e erros clamorosos levaram muitos mortais da antigüidade a passarem milênios no umbral inferior, mas no caso de Darmátsa, ele além de qualquer ação, ficou impossibilitado até de pedir socorro. Suas próprias forças se transformaram em forças negativas e juntadas as forças de sua mãe selaram por completo milênios de sofrimentos atrozes para ambos.

Como então nós simples mortais agora, se bem que também grandes magos do passado, eu e minha esposa, poderíamos ajuda-los sem comprometermos nossas vidas, nossa família?

Decidimos então ajudá-los a qualquer custo. Recebemos aprovação dos nossos amigos espirituais e amigos extraterrestres, habitantes de outros planetas.

Penetraríamos naquele núcleo chamando Darmátsa que se encontrava intransponível há milhares de anos, o que nos tocou de perto não só pelo padecimento e desespero do nosso querido amigo, mas por sabermos que ele ali se encontrava em nossa frente, tendo Glonk como testemunha, era porque alguma ligação kámica haveria entre nós. Foi confirmado pelos demais mentores da Terra e os demais amigos extraterrestres, incluindo-se o magnifico ser Ink do planeta Ága que deu uma ajuda enorme a Darmátsa e mais tarde ambos ficaram ligados e se comprometeram conosco a fornecerem todos Os detalhes sobre o planeta que se aproxima do nosso sistema solar e outros detalhes de cosmosofia ou formação dos mundos, e que viriam a fazer posteriormente.

Invocamos então todos os grandes poderes do Universo até o mais alto ser que conhecíamos até aquele momento; veio até nós Gosboláu que se situa na galáxia que ele denominou Centrífugas distante de nós mais ou menos 100 milhões de anos-luz, e outros como Rosmeian e muitos outros altamente poderosos que coordenam , criam ou manipulam as energias que interpenetram os mundos e seus habitantes.

Com grande surpresa vimos cair do Alto uma gigantesca agulha que penetrou na parte posterior (nuca) da cabeça de Darmátsa, o qual, após alguns segundos começou a ficar mais calmo e a irradiar menos agitação e menos desespero.

Enquanto ele levantava os braços e agradecia aos Céus por ter se livrado de sua própria couraça energética negativa, nós, eu e minha esposa e os guias apropriados éramos auxiliados para “descermos” até as mais baixas regiões do umbral terrestre. Ela foi localizada pelas Entidades Superiores que “viajavam” conosco. Sua localização se deu através de vários meios, inclusive seus lancinantes gemidos e ondas mentais entrecortadas pela dor da alma, pela dor psíquica que sofria sobre si mesmo a milênios. Era estarrecedor!. 0 perispírito ao perder suas formas estéticas ficou reduzido a uma massa disforme com dois orifícios arredondados que pareciam as regiões dos seus antigos olhos. Aquela massa, pegajosa, pútrida, não tinha mais que 50 cm de altura por 50 cm de largura, era mais ou menos um cubo com resquícios de vida. Entidades socorristas que nos acompanhavam , a colocaram numa espécie de caixa tipo caçamba aberta em cima medindo 50X50cm, e trazida para cima ou seja, levada até a nossa sala e colocada a frente de Darmátsa.

Ela, aos poucos como se fosse sendo inflada com alguma energia desconhecida, uma espécie de “ar magnético”, com ajuda daquelas grandes Entidades foi tomando forma de mulher. De repente, uma forte explosão ocorreu entre os dois mãe e filho, enquanto nós solicitamos a Eles, com docilidade e com muito amor, pelos dois que eles se perdoassem de coração, que o passado já estava distante e agora em fins do século XX era o momento de reconciliação de reconstrução espiritual para o advento do novo homem do século XXI, onde não haverá lugar para mágoas, rancores, vinganças e negatividades. E eles assim o fizeram!. Quebrara-se o encanto de milhares de anos!

Mesmo após ter sido acalmado por aquela injeção cósmica, ou seja, quando qualquer um de nós se sentiria “grogue”, Darmátsa continuava bem lúcido, e dominando seus grandes poderes que por serem tão potentes o separaram de tudo e de todos até mesmo de uma ajuda natural e expontânea do Alto.

Foi necessário que se reunisse grandes forças de vários pontos e de várias nuânces para que se pudesse penetrar naquele campo de força que o estava aniquilando no decorrer do tempo e o deixaria completamente louco se ele não fosse quem era, ou seja um ser conhecedor e manipulador das forças da magia e da natureza. Aquilo era a sua “autodefesa” a qual ele tanto se dedicara e cultivara durante sua vida quando encarnado.

Ouvimos nitidamente quando ele falou em tom bem sereno – “Eu voltarei para vocês”!, e nos agradeceu a todos comovidamente.

Os dois juntos foram levados pelas Entidades Superiores para as regiões de recuperação no Espaço ou na Psicosfera da Terra. Antes porém, de retirar-se, respondendo a uma indagação mental nossa, Darmátsa nos explicou que seus olhos ficaram daquela forma espiralada e com aquela cores, porque havia já muitas centenas de anos que nem mais chorar ele podia, havia ele extravasado até os dons miraculosos do pranto, tal era o desespero milenar que o assolara.

Vimos também ao nosso lado, muito atônito, extasiado, com tudo o que acabara de presenciar, o nosso querido e jovem amigo Glonk, do planeta Plutão; estava completamente abismado com que viu e ouviu, o que nunca antes tivera oportunidade de saber, mesmo pertencendo a um povo tecnicamente muito adiantado. Assim, naquela noite cumpríamos mais uma etapa de nossa missão na Terra, graças a ajuda dos Altos Poderes nos quais incluímos os nossos queridos pais marcianos Héclóss e Zanácla e sobretudo à minha querida e inseparável esposa e companheira, excelente médium Conceição Aparecida Yezzi.

Ficamos aguardando a volta de Darmátsa já recuperado para nos contar as novidades e sabermos todos os detalhes de sua vida, sua origem, sobre sua mãe Voltja para completarmos estas narrativas.

Numa primeira vez depois daquela noite Darmátsa nos apareceu e nos mostrou através da psicometria, quando nosso espírito retorna ao passado e os quadros mentais se desenrolam em nosso cérebro como se fosse um cinema, um acontecimento constrangedor que se passou quando ele, Darmátsa, era moço, maduro, e o fato havia ocorrido no seu país.

Vimos uma estrada coberta de neve e uma carruagem puxada por belos cavalos brancos que corria e ao fazer uma curva capotou desprendendo-se dos cavalos, rolando ribanceira gelada abaixo e deixando no caminho uma criancinha de meses, enquanto seus pais e cocheiro pereciam no acidente. Darmátsa recolheu aquela criancinha que era uma linda menina morena, criou-a em sua casa como sua irmã mais nova e dera-lhe o nome da Karinna Marítsa e, aquela menininha era ou é nada mais nada menos que a minha querida esposa de hoje!

Assim ele, aos poucos vinha nos mostrando os laços de ligação entre nós e ele. Disse-nos Darmátsa que o pai dele chamava-se Janos.

O por que da Utilidade do Negativo e o que isso tem a ver com o caso de Darmátsa?

Antes porém, aquela minha frase que diz: “Ai de ti ou feliz de ti quando o teu passado encontrar o seu presente!”- Sim, porque se o teu passado foi composto de positivismo, feito da somatória de boas ações não tendo deixado lastro nem rastro negativo e o teu presente, a sua vida atual, seja ela encarnada ou desencarnada, também foi composta de positivismo, o seu presente, ou seja, o presente, o prêmio ou presente-tempo será somado àquele passado e tudo transcorrerá às mil maravilhas; não haverá doenças, dores, nem desafetos.

Poderá até “a quina da loto”, os 13 pontos da loteria esportiva, ou bilhete do grande prêmio será todinho para ti que, aparentemente já tem tudo! Mas, se ,se deu ao contrário, ou seja, teu passado foi negativo, mais negativo que sua vida atual (teu presente), tudo virará negativo, mesmo que tenhas tentado algumas boas ações, as quais não serão perdidas, contarão pontos na Eternidade, o teu presente será o que se costuma dizer por aqui “presente de grego” e, o presente-tempo, será funesto e cheio de percalços mesmo que a tua fé esteja acima de qualquer dúvida.

Por que isso ocorre? Estarei sendo tão fatalista e descrente no poder de Deus? Não, absolutamente não!. Isso ocorre porque a somatória negativa do teu passado, degenerou na mesma proporção tuas vidas, presente e futura, até que seus atos atuais e futuros tenham conseguido zerar positivamente aquele negativismo.

Até que chegue o momento caro leitor de tudo estar positivo espontaneamente. Posso dizer isso por experiência própria pois tive conhecimento dos meus atos negativos do pretérito e hoje, sei porque colho alguns frutos amargos.

Neste caso, nem as mais altas patentes espirituais da Terra ou os extraterrestres com toda a sua tecnologia avançada, poderão ou quererão interferir, pois se assim o fizessem estariam incorrendo em erro cósmico e à um protecionismo típico dos “pistolões políticos” da Terra, e aqueles que por desventura foram minhas vítimas reclamariam da inexistência da imparcial Justiça Divina.

Elas diriam: – “Como é possível isso? Quando necessitamos de ajuda Divina ninguém nos socorreu, prevaleceu o livre arbítrio do nosso algoz, Agora ele pede ajuda porque as coisas se voltam contra ele, e a Justiça Divina o protege, que Deus é esse? As leis não são iguais para todos? E as Leis Cósmicas não seriam mais imparciais que as dos homens?”

E no dizer das Leis Mosaicas? Que dizem: “Olho por Olho, Dente por Dente”, dando aos homens um instrumento quase divino para exercerem seus atos de vingança imediata.

Penso não ser essa a conotação que Moisés quis dar as Leis recebidas por ele. O que tencionava dizer foi que: A lei é precisa sem ser vingativa, tampouco é relapsa, contemplativa e protecionista, ela age naturalmente, através dos tempos, nas causas e efeitos, ou nos choques de retorno inapeláveis. As leis Cósmicas são justas e imparciais.

O mesmo se dará se o seu passado foi todo ele positivo e hoje, por mil e uma razões e revoltas, quedas e tropeços ou desilusões o seu presente é negativo, mas se ele for em menor extensão que o seu passado positivista, haverá atenuantes, possibilidade de ajuda e a sua fé removerá montanhas e até milagres poderás fazer!

E muita gente perguntará com estranheza : “-Como um sujeito ruim desses recebe tantos benefícios ou beneplácitos divinos? Como não há punição imediata para uma pessoa dessas? Que Justiça Divina é essa, e assim por diante”. Entretanto, a Lei está sendo cumprida nos seus mínimos detalhes. Poderá ocorrer coisas fantásticas como; sendo hoje um bandido e em meio a um tiroteio com a policia são metralhados todos os seus comparsas e só ele escapa!

Num grande acidente aéreo, por exemplo, morrem todos os passageiros e tripulantes mas escapa apenas uma criancinha de colo! Lá está incólume, intacto e com toda a proteção divina a que tinha direito, para mais tarde transformar-se em traficante ou um político lesa-pátria ou num mau patrão ou mesmo num mau cidadão. Ainda assim, eu digo que a lei está sendo cumprida, não houve erro algum em morrerem todos naquele acidente menos ela!

Assim, a utilidade do negativo está na proporção de reversão para o bem ou para o positivo que ele provoca.

Se aqueles que agem na negatividade, sublinarmente, clandestinamente, longe dos olhos dos mortais humanos, soubessem como estão sendo utilizados por outros “gênios” da mesma afinidade e por entidades de vibração elevada que impossibilitados de baixarem suas vibrações por vários motivos, se utilizam deles como muletas ou alavancas, ou ainda molas propulsoras ou pontas de lança, para atingirem suas metas e propósitos alvissareiros, para poderem elevar outrem à patamares mais altos na psicosfera terrestre e cósmica, e que aqueles negativos tinham e tem como figadais inimigos, sem perda de um segundo sequer, eles se reverteriam ao bem, ao perdão porque perceberiam que na sua ânsia de vingança, desamor e ódio estão nada mais nada menos proporcionando aos outros uma ascensão mais rápida apesar de mais dolorosa.

Desta forma pudemos eu e minha esposa, constatarmos no caso de Darmátsa, que foi um entre dezenas de casos que cooparticipamos na solução de que no umbral inferior da Terra, no Astral paralelo à crosta terrestre e mesmo na crosta entre os assim chamados vivos, há muito ser negativo sendo utilizado não como “ inocentes úteis” pois inocentes não o são mas, como “culpados úteis” se assim pudermos denomina-los. E , quanto mais acionados eles sejam, mais úteis serão para as duas facções, a das Entidades Negativas e a das Entidades Positivas – as do mal e as do bem!

Pudemos detectar em nossa rápida “descida” até um dos mais baixos níveis do umbral indivíduos sombrios que se postavam como sentinelas, guardiões daquelas tenebrosas regiões. Eram vales, precipícios, grutas, cavernas cheias de seres disformes imundos, que gemiam se lamentavam amaldiçoavam a si e a outros. Poucos eram aqueles que ouvíamos pedirem misericórdia divina ou perdão para seus atos. “Tipos de vários tipos”, de várias linhagens de uma ex-sociedade falida de todos os recantos do mundo, todos misturados como um bolo de serpentes, muitos suicidas que repetiam seus atos tresloucados, crimes horrendos sendo repetidos, sendo repetidos, sendo engendrados em forma de vingança.

Outros seres sendo fustigados pelos seus algozes que os massacravam perispiritualmente com requintes de sadismo. Outros ainda, as tais Entidades Negativas dominadoras das regiões que se colocavam como reis poderosos e inatacáveis, desafiando a tudo e a todos. Gritos pavorosos, gargalhadas infernais e um mau cheiro horrível. Eles mais pareciam animais acuados, maltratados com requintes de perversidade e de sadismo. Legiões de seres tido como humanos abandonados à sua sorte. Enquanto aqueles guardiães em grande número incansavelmente dificultavam a vida vegetativa daqueles infelizes desgraçados. Eram capangas dos senhores dos abismos e das trevas. Uma escuridão tenebrosa nenhuma luz se fazia entre eles, entretanto aquela sentinelas armadas com armas rústicas, tipo lança, faca e outras de tão acostumadas pareciam prescindir da luz pois enxergavam todos os seus algozes no escuro, apenas não nos enxergavam devido a nossa proteção espiritual, a nossa luz própria originária de nossa aura e a luz artificial que nos acompanhava.

Era horrível a avalanche de seres que queriam se desprender dos seus locais pegajosos para fugirem e virem de encontro a nós o ponto de luz, ou ainda, aquela luz na boca do túnel.

Minha opinião sempre foi de que a despeito do diretor de qualquer prisão possuir nas imediações uma bela casa com todo o conforto, junto de sua família, está preso igualmente aos seus detentos pois não poderá sair dali enquanto não vencer o seu mandato e até lá terá que conviver e expor a sua família às revoltas e tumultos criados pela população carcerária. Quero dizer que mesmo sendo bem pago e tendo muitas regalias estará o diretor preso e bem preso!

Assim vimos aquelas sentinelas e verdugo e seus “diretores” presos nas regiões abissais juntamente com aqueles de quem tomavam conta por ódio ou por sadismo, apenas eles é que não sabem pois são cegos são surdos e mudos para o Bem, pois por serem assim são usados pelos seus maiorais e estes se utilizam de todos os recursos para manter o seu reinado das trevas, mas estes são usados também pelas entidades superiores para promoverem o bem indiretamente e também não o sabem! Pensam que agindo à sua maneira é que estão certos e assim tentarão permanecer para sempre.

Vimos grandes falanges de seres ferozes tentar atrapalhar nossa caminhada no que foram impedidos pela luz e pelas armas magnéticas que as entidades elevadas e os socorristas traziam para nos proteger a todos e aquela que fomos buscar que já era presa passiva de vampirizadores.

A escuridão nessas regiões é monstruosa e se dá por que os raios solares não conseguem atritar com aquela camada pegajosa, nodolenta, como uma neblina gordurosa que reveste e separa o baixo do médio astral, e sem o atrito dos raios solares, não há luz. Pois a luz se faz de forma natural mas obedece uma técnica de choques e entrechoque de elementos contrários (e aqui mais uma vez “a utilidade do negativo”) produzindo a luz e o calor de acordo com o habitat e aquele habitat realmente a luz não é possível pelos meios naturais, só artificiais e criados por entidades mais elevadas, caso contrário nós mortais mesmo dotados de uma luminescência maior do que aqueles sofredores despencaríamos por aqueles vales horrendos, charcos e pântanos asfixiantes.

Penso que aqueles infelizes ou felizes no modo de pensar deles, fizeram daquelas regiões seus eternos domínios, fizeram dali sua morada e seu meio de vida, enfim se habitat e só o deixarão no momento da hecatombe total, na virada do ciclo e talvez do século pois o novo planeta Terra os expurgará do seu seio para outros locais de aprendizagem até lá eles continuarão sendo negativos úteis.

Agora falarei de um assunto importante dentro desse tópico de utilidade do negativo baseando-me no caso de Darmátsa que é justamente do porque da utilização por entidades elevadas de elementos totalmente negativos. E posso afirmar que aqui na Terra eles são tão necessários quanto o fio negativo da eletricidade para se obter luz. Todos sabemos que sem ele não haveria a luz comum em nossas casas e sem os elementos negativos que vivem no umbral e se encontram também entre os vivos não teríamos na Terra a elevação e a luminescência de espíritos de luz. Ah! Mas eles então devem continuar existindo? Nunca poremos fim a essa guerra entre o Bem e o Mal? Não é bem isso! O fim deles está próximo bem mais próximo do que eles imaginam, se é que imaginam!

Acontece que um planeta como a Terra sua população só se purifica, só ascende à degraus mais elevados, pela dor, pelo sofrimento, por mil e um padecimentos. As toxinas agregadas ao corpo físico e ao corpo perispiritual só se desprendem com grande esforço próprio ou pela dor ou sofrimento na carne e um ultimo caso em espirito. Por isso os reencarnes são necessários para aqueles que desvirtuaram o curso normal de uma vida sadia e do respeito as funções orgânicas suas e dos seus semelhantes. Mesmo aqueles seres que somente mandaram produzir uma degeneração ou poluição climatérica também ficarão intoxicados em seus corpos físicos e espirituais e vão arcar com todas as mazelas por ele mandadas produzir, quer no ar, na Terra, na água, na mata, nos alimentos ou no próprio corpo. Não escapará a lei.

Veja-se o caso acima de Darmátsa e sua mãe Voltja, e, por analogia, eu pediria que os leitores comparassem com outros casos, com outras conotações e verão que vem a dar no mesmo, ninguém escapa as desarmonizações que tenha provocado sobre si ou sobre outrem. Então vejamos: Mesmo sendo Darmátsa uma mago ultrapoderoso no seu tempo, não conseguiu safar-se da maldição da mãe dele (talvez aquele ditado que diz que praga de mãe ninguém escapa, esteja certo !) que detonou uma terrível força por ele mesmo cultivada a qual, aliada as forças negativas da mãe e dos próprios inimigos de Darmátsa induziram-no a uma autodestruição lenta e gradativa que poderia atingir suas finalidades caso ele não fosse um grande conhecedor das forças neutralizadoras que mesmo ajudando-o a defender-se deixavam-no mais desesperado como um peixe preso num aquário ou pássaro preso numa gaiola, ou seja, sabe nadar, saber voar mas não sabe como sair daquele enclausuramento. Ah ! se as pessoas que gostam de fazer essas coisas com os animais pudessem passar apenas cinco minutos no lugar deles, sentindo as mesmas reações… veriam quão doloroso e criminoso é o ato de restringir cercear a liberdade de quem quer que seja, mesmo de minúsculo bichinho!. Com Darmátsa ocorreu quase a mesma coisa, induziram-no a utilizar-se sobre si mesmo as suas potentes qualidades. Já com Voltja, sua mãe que era conhecedora também, porém, mais fraca, mais passiva, mais negativista, se auto-destruiu dentro de seu ódio e de seu “mea-culpa”, sua própria consciência entrou em pane total, destruindo-lhes as células metafísicas do seu perispirito.

A verdade, é que, apenas o conhecimento da verdade (como preconizou o grande Mestre Jesus) é que libertará o homem, nada mais… e dentro dessa verdade há o fato inconteste que é nas forças energéticas como o Magnetismo pessoal ou artificial, na Eletricidade pessoal ou artificial e outras formas de forças congêneres. “Os Afins se Repelem e os Contrários se Juntam” é, na parte Espiritual, Mental, Emocional, Física e mesmo na Estética se dá justamente ao contrario: “Os Afins se Juntam e contrários se Repelem”. Desta forma somente o conhecimento integral dessas verdades é que libertará o homem para seu grande e radiante futuro. Futuro Físico ou Futuro Espiritual. Futuro Planetário ou Futuro Cósmico!

Por isso, o Maior dos Sábios da Terra disse, “A cada um de acordo com suas obras e eu acrescento: “Quem não deve não teme”.

Partindo dos princípios acima cada um de nós só será vitima de suas próprias ações se quiser. Pelas Leis da Verdade que mencionei anteriormente, cada um acumulará para si partículas negativas (toxinas) no decorrer do infinito tempo e virá a ser um Negativo-Útil e possivelmente descartável. Se quiser, se não fizer questão de conhecer a Verdade Racional-Cósmica, se não “tiver ouvidos de ouvir e olhos de ver”, permanecerá no seu circulo sofredor vicioso durante milhares de séculos até que amadureça suas razões, seus sentimentos e realmente raciocine em bloco, pensando sempre coletivamente e não pessoalmente de forma egoísta e exclusivista, pois todos nós dependemos e dependeremos do bem estar dos demais seres, sejam estes vivos ou desencarnados, habitantes da Terra ou de qualquer outro planeta dessa imensidão sideral.

Todos saímos da mesma Fonte Criadora, O Núcleo Central Cósmico, portanto, todos trazemos dentro de nossa centelha primária, a tríade composta pelas forças Negativas, Positivas e Neutras e serão estas forças, quando bem direcionadas, bem dosadas dentro de nós, que nos colocarão nos devidos degraus ou patamares e principalmente nos colocarão em ascensão direta no canal de retorno ao nosso Criador, após termos cumprido a missão redentora de nossa centelha individual que é a de povoarmos e reciclarmos os mundos, os universos paralelos que o Criador fez surgir antes de nós e que neles nos colocou a fim de não permitir interrupção na Sua Obra criada e permitir a evolução constante, continua de volta a Ele, que contém tudo e que Seu Absolutismo prevê que suas criaturas devem ter as mesmas qualidades Divinas Dele, mesmo que essas criaturas levem milhares de milênios para passarem de um degrau à outro e outros milhares de milênios para recompor a Consciência Divina, recompor O Núcleo Central Cósmico de onde num momento partiam espargidas, de forma natural, sem qualquer determinismo, decaída ou punitiva para habitarem os mundos a seus pés, nas formas estéticas que cada “habitat” lhes permitisse ou lhes coadunasse construir!

Dentro dessa imensidão Sideral poderão existir civilizações compostas somente de seres negativos, por que não? Se essa força é necessária para composição dos mundos ? Se essa força também vem de Deus, do Núcleo Central Cósmico? Como surgiria a Luz Cósmica Física que ilumina as galáxias e as mantém distantes uma das outras pela repulsão, se não houvesse esse elemento de repulsão, que para nós teria o nome de negativo? O que é um Quasars ou Buraco Negro se não uma região altamente negativa ou alternadamente positiva no Universo? E de onde são extraídas outras forças componentes que juntadas a distancia dão a origem a outros mundo, a outras regiões?

O que é ser positivo ou ser negativo ou Neutro? A energia elétrica que é composta dessa tríade é positiva ou negativa?

É positiva quando fazemos uso dela para iluminação, aquecimento ou refrigeração, mas é negativa quando usamos contra nós próprios, quando inadvertidamente colocamos as mãos nos fios ou nas tomadas de força? Não é assim? Ela é neutra quando não faz nenhuma dessas coisas, quando ela fica sendo gerada na usina e não é distribuída!. Depende do ponto de vista e do raciocínio de quem esta de fora!, pois para os empregados da usina ela contém as três forças e poderá matá-los se não souberem como manipular seus ingredientes.

A Energia de Deus, de Jesus e de outros grandes avatares são, mal comparando, a grande Usina de Força contém a Tríade, podem nos beneficiar ou até nos matar se não soubermos como escoar sobre nós e sobre os demais seres e seus mundos, suas poderosas energias. Por isso, se faz necessária a existência de outros tipos de transformadores dessas energias, que são as Entidades Elevadas, as menos elevadas e as negativas, até que o homem consciente surja e saiba se beneficiar delas, qualificando, quantificando, dosando enfim, para os canais equivalentes e adequados as respectivas voltagens transformadas. Caso contrario, teremos sempre um fio que só comporta 110 volts e jogamos sobre ele 440 volts ou 1000 volts fazendo-o torrar-se desintegrar-se. Teríamos outros Darmátsas outras Voltjas, como já temos e esse descompasso ou desarmonia, só prejudicará a evolução a curto prazo e o “habitat” que é composto pela somatória dos elementos estará aparentemente prejudicado nesse espaço de tempo. Veja-se a Terra!

A verdade é que para Deus não há espaço nem tempo, nem passado, nem presente, nem futuro separadamente, o que há é o Eterno Presente que abrange tudo, e nos dá a todos a certeza de chegar aos píncaros das Encarnações do Criador !, mas nem por isso, ou talvez por isso mesmo eu esteja relatando estas idéias ou realidades.

Gostaria também de acrescentar aos leitores como simples informação, pois não possuo a “receita” completa de que as naves extraterrestres conforme informação que é transferida pelos suas tripulações e com as quais mantemos contato de “vários graus” a mais de 40 anos, se utilizam das polaridades positivas, negativas e neutras da energia magnética, aliadas as polaridades positivas, negativas e neutras dos planetas ou sóis que desejam visitar, aliadas, todas elas, a uma energia poderosíssima, que armazenada dentro de catalisadores especiais no interior das naves; composta por ingredientes ou elementos químicos opostos ou polarizados, energia esta, que lançada para fora das naves em forma de raios cruzados, se transformam na denominada “anti-matéria”. É claro, que, esses componentes químicos são armazenados separadamente e só produzem o efeito “anti” quando cruzados e, aí sim, não há força física mais poderosa que ela, pois desintegram tudo o que for matéria ou que possa atravessar em sua rota, menos outra nave que tenha o mesmo potencial ligado. Desviam-se uma da outra instantaneamente. E se houver erro e essas energias forem cruzadas dentro da nave, ela explodirá inexoravelmente juntamente com a sua tripulação, ou se ela cair em solo terrestre com as energias ligadas explodirá e desintegrará tudo ao seu redor. Há casos já comprovados dessas quedas e explosões em vários locais da Terra.

Conforme sou informado pelas tripulações dessas naves, a convulsão de energias é tão grande dentro desses catalisadores no interior das naves que qualquer um deles que tentasse abri-los sem o devido cuidado seria desintegrado ou pulverizado instantaneamente. Assisti, durante uma viagem que fiz dentro de uma nave para Plutão, com meu duplo-eterico, pelas grandes telas de TV internas da nave, vários planetóides de tamanho bem maiores que ela, eram gigantescas, serem cortadas ao meio ou desintegrados totalmente pelo potente campo de força da nave. Elas passaram para traz da nave aos pedaços quando sobrava algum. Se essa energia é “anti”, eqüivale a dizer também que é energia negativa, pois no caso, energia positiva seria a matéria condensada. Essa energia jamais poderá ser armazenada composta, em recipientes de matéria, a não ser isoladamente em seus componentes.

Oportuno seria questionar: Como fica a genética nesses casos?

Vou tentar explicar o mais simplesmente possível. O gen é a partícula de célula física humana, depositária do futuro do físico que ele alimentará. Isto quer dizer que quase tudo que o corpo humano conterá, defeitos ou qualidades físicas, tamanho, órgãos, mãos e pés com cinco dedos e para depois de gerado, o gameta lhe vai acrescentar o sexo, se vai ser masculino ou feminino.

Mas para um espírito sofredor com o de Voltja, a coisa complica de tal forma que passarão muitas gerações para que ele possa adquirir um corpo perfeito. Até lá, ela terá que se sujeitar a receber e trabalhar sobre qualquer tipo de gen, ou seja, gene que carrega sobre si mesmo doenças hereditárias, tais como a loucura, a hemofilia e muitas outras, contudo ela terá que aceitá-las pois é quase certo que nem chegará a sair do útero de sua futura mãe, a qual, também por motivos kármicos tem que aceitar o espírito reencarnante. Voltja nascerá morta muitas vezes até que seu perispírito readquira a forma da estética humana, e assim mesmo, na juventude, na maternidade e na velhice precoce poderá perder várias vezes o corpo para ter que recomeçar tudo de novo e dar valor a vida e ao seu corpo. De outras vezes um espírito assim, colhe um gene de débil mental ou de esquizofrênico, ou tenha vários ataques epilépticos perdendo a vida ainda jovem, de outras vezes entra numa família sadia com uma genética ótima em sua linhagem, mas, inexplicavelmente não chega a sair viva do parto ou morre minutos depois, quer seja, por um descuido da mãe ou do médico ou um acidente qualquer, mas era necessário para que aquele espírito criasse ou aglutinasse sobre si um novo corpo com estética de funcionamento de todos os órgãos.

Esses terríveis acontecimentos são previstos pelas altas Entidades e muitas vezes são utilizados Atos negativos como um aborto apenas para dar ao espírito reencarnante a oportunidade de aglutinar suas novas células e moléculas, e ao mesmo tempo resgatar o karma de uma mãe solteira ou não, outras vezes de uma parteira ou médico praticante de aborto. Esses elementos são os tais Negativos Úteis, pois sem eles nenhum espírito como o de Voltja poderia ou teria chance de reencarnar.

O gene, mesmo que mal comparando seria como um instrumento, um piano por exemplo, que na mão de um mal escutante, toda a sua sonoridade seria mal aproveitada mesmo que esse piano venha de um fabricante famoso de linhagem e experiência em fabricar somente instrumentos perfeitos, mas nas mãos de um executante medíocre o instrumento consegue mostrar um pouco da sua sonoridade. E, nas mãos de exímio concertista, um virtuoso, seus sons se espalham esplendorosamente pelo ar sem qualquer defeito mesmo que o piano traga dentro de si “fatores negativos de hereditariedade” na fabricação de seus componentes. O exímio executante com sua técnica magistral tendo a colaboração de um exímio afinador, outro artista, neutralizarão todos possíveis defeitos e a peça a ser executada nascerá maravilhosamente bela.

Assim é o gene na manipulação espiritual. Não ocorre nela sem um motivo justificado dentro da matemática kármica celeste e tudo e acompanhado pelas entidades responsáveis pelos nascimentos. Mesmo na selva, uma choupana indígena ou isolados por quilômetros de seu próprio povo, o casal e o nascituro estão sendo assistido por essas entidades e quase há por trás daquele aparente fortuito nascimento daquele indiozinho, ou lá na África em meio as grandes secas e até entre os canibais, ou entre os esquimós nos iglús rodeados da imensidão gelada lá estarão as Entidades e em todas as casas sempre haverá uma milenar história kármica parecida ou não com a da nossa querida Voltja, mas tudo será feito rigorosamente dentro da Lei da Verdade a única Lei que libertará o homem de sua patrimonial ignorância.

Como se vê, as coisas que aparentemente estão erradas seriam negativas, mas, no contexto cósmico estas estão corretas, corretíssimas, sem as quais não haveria o progresso humano em todos os sentidos, nem o progresso planetário.

Porém não é por que temos o conhecimento desses fatos que devemos aceitar passivamente todos os reveses da vida, devemos isto sim, procurar aprimorar nosso “quantum” vibratório interior, vermos e sentirmos nos outros, esse mesmo aprimoramento a fim de que nivele em alta o mais possível o “modus vivendis” da humanidade da Terra. Só assim não haverá utilidade o negativo e suas ramificações. Ninguém vai desejar mal à outrem se estiver aceso com sua aura que o campo de força do homem em plena atividade positiva com mil e uma cores vivas interpenetrando e ativando as auras ou psicosferas das demais pessoas incluindo seus possíveis inimigos. Só assim se conseguirá o “Amai-vos uns aos Outros” e o resto virá automaticamente, ou melhor, naturalmente!

Esse aprimoramento vai desde o simples pensar, agir, gesticular, andar, olhar, respirar, movimentar e sobre tudo, saber o que falar.

Não é só o peixe que morre pela boca, o homem também morre duas vezes pelo menos, as outras não há necessidade de se pesquisar aqui, mas, as principais são o comer sem parar e o seu baixo linguajar.

Esse linguajar mundano onde prevalece os palavrões, ou seja as palavras ou frases de baixo calão, é no teatro e no cinema e agora mais assintosamente no rádio e na televisão. Talvez pensem que eu estou aqui na defesa dos bons costumes e do chamado conservadorismo hipócrita!. Hipócrita pois os muitos que defendem esses bons constumes publicamente na sociedade, porém, particularmente, são os maiores precursores dessas anomalias, dessa febre pornografia. Até parece que o homem moderno ou mulher moderna querem se afirmar como gente como personalidade promulgando tais festivais de “besterol” nome atualmente em voga para sincronizar as almas negativas, apáticas, sem motivação qualquer, e pior, sem cultura ou com uma cultura medíocre do “sei lá bicho”, “to numa boa”, “pá dali pá de cá”, etc. além dos palavrões. Há um conhecido humorista de teatro ficando rico com uma peça de palavrões do começo ao fim! É uma lástima mas a população só procura isso, só dá valor para as inversões de valores.

Eu estou aqui como conhecedor e defensor do psiquismo humano positivo, saber que do peso vibratório das palavras e lanço um alerta à Sociedade que restrinja esses palavrões inconseqüentes e que nada trazem de útil ao homem, ao contrário, elas são os “mantras” ou palavras chaves dos magos hindus, ou dos sábios místicos do passado, utilizadas no sentido negativo. A cada palavra dessas vibradas no ar na hora errada atraem sobre quem falou e sobre o ambiente, entidades do mesmo nível que se agarram aos indivíduos e os levam cada vez mais para próximo do baixo astral. Ao ser examinado, um ser que fazia muito uso desse tipo de expediente, via-se saírem larvas horrendas de sua boca e ouvido. Um horror!

[hr align=”left” size=”1″ width=”33%”]

[1] Esta ópera é baseada no conto de Alexandre Dumas “O Corcunda de Notre Dame”

Mensagens de Ramatís

Caro amigo MASRÁCHIMIR, igualmente fundador de um templo de iniciados na Indochina, pela primeira vez contato-me com você através da escrita. Não o fiz antes por encontrar certa dificuldade no modo de entrosamento entre eu e o aparelho. Sua sensitividade (dela) além de ser diversificada é um tanto diferente das demais, mas como tudo tem que ter um começo, aqui estou eu, apenas para dizer-lhe algumas palavras amigas.

Primeiramente quero congratular-me com você, pelo seu livro.

Isso amigo, continue sua obra, pois ela será a conclusão da sua missão junto à Terra. Seu espírito sempre deixou marcas positivas em sua caminhada, agora feche com chave de ouro distribuindo as verdadeiras pérolas de seu livro aos “porcos”, sim, por que não? A estes principalmente, pois são os que mais necessitam, são os mais carentes.

A Humanidade já está entrando para a fase da maturidade, por isso está um tanto perdida necessitando de alguém que lhe ensine a caminhar para a frente e para o alto agora mais do que nunca. É mais do que necessário uma sacudida nos homens, pois se há seitas negativas que retardam o seu próprio progresso a também de outros, há também os positivistas que apesar de serem positivistas encontram-se perdidos. Mentes perdidas, espíritos perdidos, e consequentemente físicos perdidos. Não sabem como devem agir, procuram algo e não encontram e com isso retardam o seu progresso.

As obras que você já deixou para traz serviram para acordar a humanidade, cada qual no seu tempo, é preciso agora, como já falei acima concluir a de agora para a humanidade atual, tenha a certeza de que você terá êxito, pois está assessorado por Plêiades de entidades de alto padrão. Bem meu amigo, por hoje despeço-me, pois o aparelho está bastante cansado. Continuarei um outro dia.

Ramatís

Dirigida a mim. Captada por minha esposa diretamente (psicodatilográfica), como Ramatís faz com seu médium principal, Ercílio Maez . Rib. Preto. 13/03/80, 3:15h.

Conforme explicação mental, dada em seguida, por Ramatís, no século X depois de Cristo, meu nome era MASRÁCHIMIR, um mestre iniciado que liderava uma plêiade de discípulos Homens e Mulheres, entre os quais se encontravam o amigo Dr. Gil Vicente, o Dr. Almeida, o Dr. João Evangelista, e minha esposa. Ramatís liderava outra plêiade de discípulos, somente homens.

Universo Conturbado

Outrora, na bucólica paisagem terrestre, os homens e a natureza harmonizavam-se mais e estavam mais conscientes, eram mais puros, mais inocentes apesar da vida agreste. Eram ignorantes, mas não maldosos.

Foram-lhes dadas chances de progredirem, de elevarem-se e de degrau em degrau chegaram a civilização. de pigmeus tornaram-se gigantes. Para todas essas chances que lhes foram dadas, foi preciso movimentar-se até seres de outros mundos, foi recrutada uma legião de seres prontos a sacrificarem o seu “status” e descerem a Terra afim de tornar o homem mais homem, mais gente, para não ficar sendo apenas rebotalho humano.

O que fez o homem dessas chances? Alçou vôos mais altos, muito mais alto do que sua mente pode suportar. Criou inteligência, sabedoria, avanço tecnológico, etc.

De larva rastejante, tornou-se fênix. Muitos conseguiram sair-se bem, elevaram-se tanto, que essa elevação conseguida, está virando-se como uma arma contra seu próprio peito, pois tornaram-se receosos de baixarem à cata de irmãos necessitados. Colocaram-se em seu pedestais a ditarem normas e fórmulas. Fizeram da Terra o que hoje ela é; fomentou-se guerras, crimes, ódios, etc., daí para se tornar um circulo vicioso, uma bola de neve foi apenas um passo, então surgiu o “karma” para ver se criava um jeito de fazer de certa forma, as pessoas redimirem-se fatalmente de seus erros.

Se hoje o Universo terrestre encontra-se conturbado, a maior parcela de responsabilidade cabe aos “elevados”, àqueles temerosos da contaminação natural do meio ambiente terrestre, pois os demais arriscaram-se a descer e foram envolvidos pelo emaranhado de choques e entrechoques das emanações mentais do homem já então embrutecido, assumiram suas novas posições e conseqüentes responsabilidades. Não fugiram à luta, não se acovardaram e tão pouco permitiram que outros menos evoluídos servissem de cobaias psicofísicas e assim resgatassem indiretamente as culpas ou as responsabilidades que só a eles caberia sanar. Desceram para poderem subir mais firmemente e não fizeram como aqueles outros “elevados” que s e apartaram para não descerem com medo de nunca mais poderem subir.

A conturbação se faz presente também porque existem os que em nada crêem. Não crêem nem na sua própria existência. São desprovidos da faculdade de amar, de criar e de viver.

São negativistas, são céticos, destroem todo o animo daqueles que os rodeiam. São uns infelizes fracassados, não crêem no amor porque nunca o sentiram e nem o inspiraram. Não crêem num ideal porque só tiveram apetites e ainda assim não conseguiram satisfaze-los. São como caracóis humanos, escondidos em sua casca de onde só saem para destruir os brotos novos das plantas, deixando em seu caminho um traço viscoso.

Por outro lado, deve-se dar méritos a muitos homens, pois através de migrações em migrações a Terra transformou-se no único planeta do Sistema Solar que possui versatilidade incríveis. A começar pelas variadas raças e línguas, cada povo trazendo sua arte musical, seus costumes e crenças. A Terra tem honra de ser – pasmem amigos – a escola para seres evoluídos de outros mundos. É aqui que eles aprendem muita coisa, sem se deixarem contaminar.

Enfim, amigos o que quero dizer com tudo isso é que falta pouco tempo para que se complete esse Ciclo, não somente para a Terra, mas para todo o Sistema Solar e parte desta Galáxia.

É preciso dar um basta a essas aberrações, afim de que todos tenham chances de se redimir dentro da mesma existência. É preciso dar um basta ao se cortar abruptamente existências de um Beethoven, de um Mozart, de um Chopin, de um Lincoln, de um Luther King, de um Gandhi e de centenas de outros grandes vultos que muito mais poderiam ter legado à humanidade se não fossem tolhidos pelo “karma”.

O homem quando perdoado dentro da mesma existência, aceita mais corajosamente a luta, às vezes tomba extenuado mas nunca vencido, porque sabe que há sempre duas mãos estendidas, prontas para o erguer. Sabe que o sol consegue sempre, mesmo através de cerrada vegetação, coar um raiozinho de luz que ilumina e aquece. E assim perdoando ele terá mais capacidade de criar um mundo melhor, onde impere sempre o circulo sadio do Amor, e saiba mais convictamente perdoar para ser perdoado.

Ramatís

Mensagem captada por C.A.Yezzi às 23 horas do dia 27/03/1980 em Ribeirão Preto.

Querida Humanidade dos Tempos Atuais

Vicente de Paula
Vicente de Paula

Convido a todos para que, juntamente comigo e com Jesus, comunguemos em um único ideal. O ideal da contribuição, da participação urgente e necessária afim de conseguirmos amenizar as grandes catástrofes que irão abalar os alicerces do Universo e muito mais da Terra.

Vocês que hoje vivem no século XX já trilharam longos e longos caminhos através dos séculos. Muitos foram anônimos pesquisadores que gastaram várias de suas existências a reunir dados que muitos na época consideraram inúteis, mas que foram essenciais aos trabalhos daqueles que os sucederam, “muitos deles são vocês próprios”.

A Terra gerou uma plêiade de inteligências que foi construindo uma fantástica plataforma aos conhecimentos humanos que se prolongaram através do Cosmo, até planetas e humanidades hoje considerados super evoluídos. Desta forma, o homem Terra ou os espíritos que para cá vieram não permaneceram inativos ou estagnados, ao contrário, foram ativos e ativados ao bem comum, não só deste planeta mas do Universo todo. A contribuição e participação de que falei acima, já foi dada por todos vocês, uns em maior outros em menor escala, mas todos cooperaram. As luzes dessas contribuições continuam chegando até nós, iluminando novas gerações de espíritos.

Não devemos deixar interromper esses elos tornando-os inativos pelo simples fato de que muito já demos e agora só nos resta receber. Não devemos deixar de nos alimentar na constante pesquisa da verdade. Não devemos desanimar ante um frágil corpo que se apaga – frágil externamente – porque sua frágil luzinha continuará a brilhar através dos séculos, iluminando com seu Amor, inspirando nobres sentimentos.

Não esqueçamos que nossos vidas dependem de outras vidas, somos tripulantes do mesmo barco. Junto recebemos as dádivas da natureza. Temos todos o mesmo estágio embrionário no seio materno. E partiremos todos um dia. Nos desligaremos todos, um dia, da corrente humana que se agita sobre a Terra.

VICENTE DE PAULA

Mensagem captada por C. A.Yezzi , Ribeirão Preto, 22/abril/1980 às 22h
Paz Amigo

Meus Queridos

Mensagem de uma Entidade Espiritual Superior em 23/05/1980 às 23h40 em Ribeirão Preto.

Após algum tempo volto a comunicar-me com vocês. Não pensem que, pelo simples fato de não ter enviado mensagem, eu estive afastado de vocês, ao contrário, estou bem mais perto de vocês do que imaginam.

Meu amigo, irmão, pai, Domingos, não esmoreça, mais uma vez venho até você para levantar-lhe o animo. Prá frente amigo que você vencerá tudo e todos. Perdoe de coração os seus algozes. Eles são mais dignos de pena do que de rancor. Eu, como regente da Terra lhe digo que, o número de pessoas negativas é em maior número do que os positivos, mas, esses poucos positivos possuem força bastante para não deixar o mundo virar um caos total.

A miséria mental em que vivem esses seres é de cortar o coração. Eu choro por eles amigo, choro sim, porque não? Procuro amainar um pouco  suas más condições. Por isso eu peço a você, a sua e minha companheira e a todos que possuem mentes sadias, conhecimentos elevados, mente aberta, que me auxiliam, aceitando esses infelizes, dando-lhes amor, dando-lhes pensamentos positivos para que eles possam ao menos se libertarem dos que os perseguem. Acontecendo isso, automaticamente eles deixarão, também, de perseguirem suas vítimas e a reação em cadeia se quebrará e haverá mais harmonia neste tão conturbado planeta Terra.

O fim desse ciclo está chegando, estão havendo mudanças em tudo: na clima da Terra, nas calamidades, enfim em tudo. Pois, ainda há tempo de se mudar a mente humana. Graças aos Engenheiros Siderais, de 100 por cento da população terrestre, considera-se que 80 por cento é constituído de seres de outros orbes que aqui vieram no intuito de melhorar a vibração terrestre. Nenhum, mas nenhum ser que tenha vindo de outro orbe, veio porque foi “espirrado” do seu planeta de origem, isso eu garanto, eles vieram com essa determinada missão, e hão de cumpri-la até o fim.