Viagem Astral

Viagem Astral

Pergunta:

Oi Domingos tudo bem? Eu quero muito aprender a fazer viagem astral. Quero muito mesmo. Eu preciso para eu poder saber quem eu sou, da onde eu vim, o que eu estou fazendo aqui e se tenho alguma missão aqui na terra, pra eu poder me guiar aqui nesta vida para que eu poça evoluir positivamente meu espirito, minha mente. Minha intuição me diz que com a viagem astral eu vou conseguir tudo isso que eu disse e quem sabe eu poça até ajudar os outros se Deus permitir. Esses dias sonhei com Jesus. No sonho eu tinha pedido pra ele me ajudar a fazer viagem astral. Daí ele tocava seu dedo indicador no meio da minha testa e eu sentia uma energia muito forte, principalmente no local onde ele tocava. Daí ele pega e coloca suas mãos, uma de cada lado da minha cabeça, e eu senti a mesma energia. Eu sentia uma alegria que não tenho palavras pra descrever o tamanho da minha felicidade no sonho. Eu queria sua opinião sobre este sonho e se ele tem algum significado. E eu queria te perguntar se você conhece algumas técnicas para fazer viagem astral, técnica de respiração, ou concentração, ou alguma outra técnica? Eu já ouvi falar de algumas mas não sei se realmente funciona. Eu queria sua opinião e se você puder me ajudar serei muito grato há você. Obrigrado pela atenção e fica com Deus. Abraços, Fernando S.

Resposta:

Prezado Fernando, A viagem astral, no meu caso, é uma consequência, ou um resultado, de minhas ações de vidas anteriores, onde eu já a praticava, que registraram em meus DNAs físico e espiritual. É uma espécie de válvula de escape para meu duplo etérico e meu perispirito, mas, mesmo assim, devido as minhas ocupações desta vida, consegui voltar a fazê-las ajudado pelas Entidades Espirituais e Extraterrestres que me acompanham; com muito sofrimento e muita dificuldade e muito a contra gosto, pois, ao contrário de você, eu queria jogar meu futebol, nadar, caçar passarinhos, tocar meu violino e jamais entrar nesse campo. Entretanto, as coisas não ocorrem conforme nossas vontades atuais, mas sim conforme o que ficou registrado e designado como nova missão. Não serão as viagens astrais que vão informar a você quem você foi ou quem será no amanhã, mas sim, uma preparação e e uma designação além da propensão a sensibilidade de psicometria, que é um tipo de mediunidade um tanto rara. Essa volta ao passado, poderá ser obtida através de uma hipnose regressiva ou até por um trauma físico grave, que obrigará o espírito a retornar ao seu passado, ultrapassando a “barreira zero”, ou seja, a divisão, dentro do útero da mãe, que separa o ser de uma reencarnação da outra. No caso de uma hipnose regressiva, precisa ser feita com profissional especializado, baseado cientificamente, para permitir o retorno do espírito e sua mente aos seus dias atuais, caso contrário, ele poderá ficar retido em uma de suas encarnações e voltar dizendo “que é Napoleão”, como muitos pacientes dos Hospitais Psiquiátricos, que apesar de serem tidos e tratados como loucos, não são loucos, apenas perderam a noção de tempo e espaço, “vivendo” em outros tempos que marcaram suas vidas e consequentemente, seus DNAs. Sou de opinião, pela minha vivência e experiência total, de que não se deve mexer em “time que está ganhando”, ou seja, deve-se deixar as coisas ocorrerem ao sabor da Natureza, pois muitas vezes ao forçarmos uma situação que não foi prevista, vamos desencadear outras séries de acontecimentos e possíveis infortúnios, dos quais vamos nos arrepender e não teremos as chances de consertá-los! Abraços, DYezzi::.

Anúncios

Tudo no plano físico tem cópia, ou "duplo" no Astral

Everything on the physical plane has a copy, or "double" in the Astral

Pergunta:

Sr. Domingos,

Estou lendo o seu primeiro livro e no capítulo sobre o violinista Paganini o senhor cita um detalhe que há muito tempo tinha curiosidade em saber. Por favor, me explique melhor: “Vimos Paganini no Astral em nossa casa … e seu inseparável Guarnérius …” se referindo ao violino. Pergunta: Um espírito recria no astral um objeto seu preferido com as mesmas características do original ou ele por algum processo desconhecido leva o objeto com ele e deixa aqui uma cópia? Obrigada.

Abraços,
Rosa

Resposta:

Prezada Rosa,

Grato por sua pergunta.

Conforme sou informado e pelas vivências que tenho tido em constante contato com o Astral, ou seja, o campo espiritual, ou o mundo paralelo energético, que circunda a Terra e que consequentemente nos envolve a todos, tudo o que existe em nosso plano físico tem sua cópia, ou “duplo” no Astral, principalmente, objetos ou coisas que nos acompanham ou acompanharam quando em vida. É o caso de Paganini, o grande virtuoso que não se separava do seu violino Guarnérius Del Gesu. Ele deixou o original dele aqui e que se encontra no museu relativo a ele em sua cidade natal na Itália.O instrumento original é utilizado ainda hoje por grandes concertistas que o tomam emprestado do museu, para gravações e concertos públicos.

Devo lembrar também, que o espírito humano quando deixa o corpo físico não se desintegra com a morte e se torna uma cópia “viva” com todos os seus detalhes de anatomia e de personalidade no astral, ou seja, é uma copia verdadeira do que ele era quando em vida. Não é só Paganini, mas se aplica a qualquer um de nós. Eu também digo no livro, que o Espírito, quando desencarnado, em estado perispiritual é semi-material, apesar de ser invisível aos olhos comuns, é matéria rarefeita, ou quintessenciada, podendo se tornar visível e tangível em determinadas situações. Portanto, o Espírito ainda é Matéria, mesmo que algumas religiões digam o contrário. Leva para o lado de lá todos os resquícios de sua vida na carne, tais como, vicios, vontades, desejos, doenças e maldades.

No caso mencionado, ele, Paganini, leva consigo, energizado, o seu violino em sua essência, o qual, pode ser tocado e ouvido até melhor do que seu original, pois ambos, Paganini e seu Guarnérius se encontram no mesmo plano vibratório, portando, estão interligados vibratóriamente “ad perpetuum”. Entretanto, se faz necessária aqui uma explicação pessoal, particular: Enganam-se aqueles que, pensando que tudo será encontrado no mesmo patamar vibratório após sua morte física, exemplo, perdem um ente querido e se suicidam pensando que irão se juntar a ele após a morte, raramente se juntarão imediatamente, pois cada um tem seu teor vibratório peculiar, uns vibrando mais alto, outros mais baixo e, após cometerem esse desatino, verificam que seu ente querido não se encontra onde ele esperava encontrá-lo, se desesperam e até enlouquecem espiritualmente, exigindo um longo tratamento energético no campo espiritual por parte das entidades espirituais afeitas socorristas, afeitas às tais situações, que não são raras, ocorrem desde que o ser humano começou a ordenar sua razão.

Espero ter esclarecido, caso contrário, volte a escrever.

Abraços,
DYezzi::.

[box type=”note”]Translation: Everything on the physical plane has a copy, or “double” in the Astral[/box]

Doação de Orgãos e Sangue

Doação de Sangue

Pergunta:

Bom dia DYezzi, estou no finalzinho do seu livro. Você fala sobre o tema doação de orgão… Eu nunca tinha pensado sobre as consequência deste ato. Mas sobre a doação de sangue nos bancos de sangue, eu fazia muito isto. Mas parei pelo lance do controle dos orgãos de governos mundiais de usarem este setor para implante de controle de chips, enfim. Mas para o perispiríto e para sequência evolutiva da alma, é desaconselhado a doar, por questões de energia/campo vibratório? E os que já fizeram doações?

Obrigado, amigo, mais uma vez.
Ronney E.

Resposta:

Prezado Ronney,

As doações de orgãos devem continuar sendo feitas por aqueles que desejarem doar ou receber, pois são um bem para a humanidade, assim como as doações de sangue. Há meios técnicos e espirituais de controlar seus efeitos. Mas, a medicina, antes de tudo, deve mandar fazer os exames laboratoriais para evitar contaminações inesperadas. Apenas isso.

Abraços,
DYezzi::.

O Espírito do Natal

24/12/95 às 18h

Um forte ruído batendo na parede de meu quarto e ricocheteando no chão, chama-me a atenção para informar-me que os extraterrestres estão conosco. Este é o sinal típico da onda magnética emitida pela aparelhagem de Glonk, do planeta Plutão. É um ruído intrigante e até assustador se quem o ouve, não esta acostumado a ele. Conforme informou-me Glonk das outras vezes, ele não poderia aumentar a intensidade dessa onda e nem focaliza-la sobre as matas ou diretamente sobre as pessoas pois poderia queima-las. Ele o faz com fraca intensidade diretamente de Plutão de dentro de um sistema de aparelhagem complicado para nós, pelo qual ele observava-me, ouve-me a voz e o meu pensamento, e assim pode dirigir a onda sobre a parede ou sob o teto dos cômodos da casa, sem atingir-me diretamente ou atingir qualquer outra pessoa ou animal que estiver por perto. Toma ele o cuidado também de não atingir qualquer aparelho elétrico eletrônico para não danifica-los irremediavelmente.

Hoje é véspera de Natal, domingo, acabei de sair de uma crise de desespero, chorando alto e blasfemando após ter ido fazer a limpeza de higiene intima e fisiológica de minha Querida Esposa, a qual, alheia a tudo o que eu me lamentava e chorava por ver todos os lençóis sujos de fezes e de medicamentos pediu-me para ligar a televisão e desligar logo em seguida e assim um moto-contínuo desesperador. E eu fora de mim, sentindo-me só e abandonado, enquanto a vizinhança com seus burburinhos característicos da alegria reinante prepara-se para as festividades da ceia noturna de natal de hoje a noite.

Quanto disparate, quanta descompensação juntas. Enquanto um ri o outro chora! Enquanto um festeja de alegria outro grita de dor! Dor na alma, dor moral, dor da humilhação, dor sem dor; é a dor da dor!

Estou sozinho com ela, minha querida filha e genro, estão em sua casa ou na casa dos parentes dele preparando-se para as festas. Com muita justiça e merecimento, pois agora é o tempo deles; eu já tive o meu. Aproveitei o que pude dentro da minha parca possibilidade. Nada reclama do Criador! Pois sou grato a Ele por tudo o que tenho recebido, pois é também o que mereço.

O que lamento é ver e sentir que uma maravilhosa criatura como minha querida tenha que passar por isso, tenha que se sacrificar para a elevação de outros e de nós próprios. Este espirito, que não viu Jesus nascer, mas viu-o morrer, esteve ao lado Dele o tempo todo.

Conforme um pesquisador, esta data de 25 de dezembro, foi estipulada pelo evangelista Lucas após ter ele próprio pesquisado e conversado com Maria e tê-la pintado em quadro, o qual, se encontra hoje na Iugoslávia ou Checoslováquia.

Nos dias que antecedem esta data e nesta própria data, a humanidade terrestre fica acometida de um sentimento de bondade, compreensão, amor e caridade, o que não ocorre durante os outros meses do ano, pois o Espirito do Natal paira no ar do globo terrestre, em todos os quadrantes, e assim disseminando o amor infantil puro, ingênuo sem preconceitos de raça ou de religião, de política ou guerra. O espirito maravilhoso de Jesus conseguiu tudo isso apenas com a sua lembrança, com a sua presença.

Os dias que antecederam ao seu nascimento, ao contrario de hoje em dia, foi o terror para muita gente, principalmente para os varões que nasceriam na época e que tiveram suas cabeças cortadas a mando do impiedoso Herodes, que temia o que chamavam de o rei dos judeus que nasceria em breve e poderia tomar o lugar daquele potentado ignóbil e ignorante pagão!

O Espirito do Natal também pairava no ar na época, de forma contrastante e os pais daqueles inocentes ou pseudo-inocentes levando-se em conta a Lei do Karma, pela qual nada ocorre por acaso, viviam momentos de terror, de dor e angustia pela perda de seus primogênitos. E o Espirito do Natal pairava no ar. Assim como hoje, quando milhares de inocentes morrem de fome pelo mundo todo, enquanto outros tem a sua mesa farta, para logo em seguida jogarem grande parte no lixo num tremendo descaso para com o resto da humanidade sofrida.

Jesus, um Espirito Higienizador, desde quando pisou neste planeta Terra pela primeira vez, há 50.000 anos atras no continente hoje submerso da Atlântida, veio para higienizar a aura deste planeta e de sua humanidade da época e futura pois, o planeta fora escolhido pelos Engenheiros Siderais para expurgo e correções morais e espirituais karmáticas de civilizações que para cá viriam para receber seu aprendizado cósmico – sideral afim de reassumirem seu patamar evoluído já adquirido em seus orbes de origem, mas, que por revolta e resistência haviam perdido e decaído por milênios. Assim que Ele surgiu começaram a vir a tona as mazelas humanas dos habitantes da época até a submersão total da Atlântida.

Como já me referi em oportunidades várias em Vênus, planeta de sua origem, onde sua civilização já na época bastante evoluída ligada as coisas da mentalização e onde Ele ocupava a posição do líder geral, chamava-se Cristi-i-en, na Atlântida chamou-se Antúlio de Maha-ethel que na linguagem do povo atlante quer dizer: Antulio da Vênus Platinada, e após muitas reencarnações em vários pontos do planeta sempre exercendo a função higienizadora, moral espiritual e filosófica, veio nascer há dois mil anos atras como Jesus Cristo ou Jesus de Nazaré, de lá para cá deu-se então a sua missão higienizadora final, de fim de ciclo, pela qual, afloraram todas as mazelas humanas acumuladas durante milhares de séculos atras e assim, vem ocorrendo até hoje, quando Ele se encontra no Espaço como Regente Espiritual Maior do planeta Terra, planeta este que Ele adotara para si.

Antes, milhares de anos antes de Seu nascimento iniciaram-se as degladiações filosóficas e o assentamento dos códigos morais e religiosos para unificação das massas, primeiramente de cunho patriarcal, mais tarde com grandes avatares como o faraó Akhenaton, Moisés, Confúcio, Buda, Zaratrusta e profetas gloriosos, vieram as leis morais e as previsões de Sua vinda, e mais degladiações e disputas entre os poderosos da época. Mas mesmo com toda aquelas previsões e ações funestas não conseguiram impedir o Seu nascimento que foi acompanhado pelos Mentores de seu planeta e por uma nave daquele planeta (a Estrela de Belém) que volitava lentamente sobre a região onde Ele nasceria higienizando magneticamente o astral protegendo-o de qualquer atitude intempestiva de seus surdos e ocultos milenares inimigos.

Ele assim nasceu, e brilhou desde pequenino, e Sua aura poderosa higienizava tudo a grandes distancias, de onde Ele humildemente se encontrava. Do cosmo os Engenheiros Siderais que com Ele planejaram Sua missão renovadora, tudo assistiam e o protegiam também.

Ele conseguiu, através de suas parábolas e sermões contagiantes arregimentar multidões, que o seguiram e o adoraram até a Sua morte na Cruz. Após Sua morte, novas degladiações recrudesceram e milhares de seus seguidores, denominados cristãos foram sacrificados. Adeptos se formaram em torno de Seu nome. Religiões e legiões de fanáticos apareceram para novamente se digladiarem entre si em nome Dele. Cruzadas fratricidas e “guerras santas” foram realizadas em nome de Cristo, como desculpas para os déspotas religiosos estarem de posse da poder da Igreja, poder esse carregava para essa mesma igreja toneladas de ouro, tesouros e propriedades de valor incalculável e que granjeavam mais poderes aos seus lideres, os quais até hoje exercem esses poderes ficticiamente em nome de Jesus, e no natal, em nome de Jesus Menino.

Em contra partida, novos avatares vieram surgindo cheios de boas intenções e que conseguiram pouco a pouco firmarem as bases sólidas do cristianismo e de uma filosofia de vida voltada a espiritualidade. Grandes compositores compuseram livros e louvores em nome de Jesus. Musicas sacras e as tais chamadas profanas porque não eram compostas por membros da Igreja ou porque pertencessem a outras facções religiosas como as de um Bach, foram compostas para Jesus e por Jesus, com um único propósito de engrandecer o Seu nome e levar a meditação seus seguidores e não seguidores.

Portanto, o Espirito do Natal veio seguindo todos os acontecimentos na Terra, os acontecimentos bons e maus . O espirito do Natal sempre pairou no ar, sempre higienizando o astral, as mentes, os sentimentos, e se fazer presente as pessoas e as situações que cercam o ser humano da Terra. Fazendo convergir para os crédulos e incrédulos as energias restauradoras superiores, mesmo que estas durem apenas alguns dias por ano. É como uma injeção de esperança, renascimento do ser superior que existe dentro de cada um de nós.

O Menino Jesus que hoje nasceria há 1995 anos atras e que seria o Mestre dos Mestres anos mais tarde, veio para mudar para melhor o ser humano e se não conseguiu, na sua totalidade, fez com que milhares sentissem a existência do Reino de Deus e procurassem a sua elevação espiritual.

No dia de Natal, infelizmente o que menos é lembrado é o aniversário de Jesus! O que ocorre é uma espécie de síndrome pantagruélica e síndrome da compra e venda, mas, se isso faz com que a humanidade seja mais unida, menos beligerante, menos maldosa, menos egoísta, que assim seja! Em nome do nosso Líder Espiritual Maior e do planeta Terra, juntamente com outros grandes lideres espirituais tais como : Maomé, Khrishna Murti, Buda, Confúcio, Jeová e outros.

Que o Espirito do Natal paire sempre no ar! Mesmo que dentro desta atmosfera espiritual e magnética eu sofra como hoje estou sofrendo por amor a uma criatura maravilhosa que Deus pois no meu caminho e que se tornou minha esposa.

S . Paulo, 25/12/95 às 00.37 h

Meditações Para o Terceiro Milênio – Psicoscopia

Hoje, excepcionalmente vou abrir espaço nesta coluna para um texto da maior importância e significação, escrito pelo amadíssimo amigo e milenar irmão no ano de 1965, irmão esse que atualmente tem a sua estrutura energética atômica humanizada e humanizada em “habitat” na forma física do preclaríssimo Dr. Domingos Yezzi, residente na capital de São Paulo onde também atua como primeiro violinista de orquestras sinfônicas. Fala sobre temas do mundo do futuro, como o psicoscópo e mentografia. Este é o oitavo artigo de uma serie que ao seu término estará formando excelente apostila sem nada custar ao leitor – aluno a não ser a aquisição do seu exemplar de O Estado de Goiás na banca da sua preferência na capital ou no interior. Eis abaixo e em próxima edição o texto a que me refiro: PSICOSCOPIA.

“Psicoscopia”: Termo criado por mim em função de um aparelho denominado psicoscópio, existente apenas no campo astral (espiritual), descrito pelo espírito de André Luiz, através do médium Francisco Cândido Xavier, em seu livro “Mecanismos da Mediunidade”. Tal aparelho astral, conforme André Luiz, é utilizado pelas entidades médicas para exames psicofísicos de pessoas vivas, sãs ou doentes, às quais, por qualquer motivo, seja de cunho médico ou de estudos analíticos espirituais, tenham que ser submetidas a um exame minucioso, abrangendo todo comportamento celular do perispírito. Desta forma, todo o conjunto psicossomático de um indivíduo, fica exposto em todos os seus pormenores, quando submetido a um exame através do psicoscópio, ou seja, pela psicoscopia.

Ainda conforme descrição de André Luiz, o exame é feito da seguinte maneira: As entidades médicas espirituais, ao visitarem um lar com intenções de submeterem uma pessoa a tal exame, ligam o psicoscópio astral na tomada de energia sutil ou quintescenciada, da qual, se utilizará para funcionar. As entidades colocam o aparelho sobre o corpo da pessoa que se acende totalmente pondo à mostra todos os músculos, glândulas, veias, todos os órgãos internos enfim o corpo humano e toda sua constituição, até o cérebro, abrangendo o corpo astral, que é o perispírito todos os seus órgãos paralelos são expostos em segundos, como se fossem submetidos a um exame radiográfico, com uma diferença, que na psicoscopia, as entidades podem acompanhar ‘in loco” todo o movimento celular e dos organismos de defesa (anticorpos) e bem como, dos agentes causadores das possíveis anomalias e desequilíbrios psicossomáticos do paciente. Podem diagnosticar as causas, mesmo sendo estas de origem perispirituais do passado ou do presente emocionais ou físicas. assim, com esse maravilhoso aparelho, as entidades podem medicar interferindo magneticamente através de induções várias, corrigir os “circuitos” perispirituais e obtendo assim a correspondente regeneração das células físicas. Podem as entidades através de médiuns curadores indicarem o tratamento adequado se assim for necessário.

Baseado nessas possibilidades e propriedades desse aparelho, que eu, pessoalmente acredito existir no campo astral, e que futuramente poderá vir a existir no campo físico dependendo de uma séria pesquisa dos “experts” em eletrônica e em cibernética e bem como, se possível de um entrosamento intuitivo ou indutivo entre eles e os “experts” inventores do aparelho no campo espiritual, e aqui fica a minha sugestão.

Escrevi este trabalho, extraindo excertos da publicação de André Luiz , sem contudo, copiar “ipses literis” o que ele divulgou, servindo apenas da essência do conteúdo daquele trabalho para composição destas minhas idéias, as quais foram vertidas para o papel na tentativa de “ radiografar psicoscopicamente” o organismo ou o conjunto físico espiritual humano no seu viver quotidiano e que passa por mil e uma situações e induções quer vindas do próprio campo ou espaço físico, quer vindas do campo astral ou espaço espiritual.

Mais atualmente, no campo no qual me especializei, através de extenuantes pesquisas vivenciais de mais de 30 anos, que é o campo cósmico ou Extra-terrestre, em contato com seres vivos de outros planetas, os quais queiram ou não os chamados céticos, atuam direta ou indiretamente sobre o comportamento do ser humano da Terra quer se situe este ser humano no espaço físico ou no espaço espiritual.

Atualmente na Terra, o homem vive buscando os aperfeiçoamentos médico-ciêntíficos que lhe permitam maior longevidade ou, pelo menos lhe assegurem órgãos físicos mais perfeitos que permitam a ele viver a sua irremediável velhice com maior lucidez e menos dificuldade. No curso das atuais doações de órgãos, implantes e transplantes que são feitos ainda com grandes riscos, tanto para os doadores e mais ainda para os receptores.

Os problemas das rejeições nos receptores, já é sobejamente conhecido através dos noticiários médicos e pelos órgãos de comunicação em geral. Por isso vou ater-me aos problemas dos doadores, mais propriamente daqueles que doam seus órgãos ainda em vida para que os mesmos sejam extraídos após a sua morte. E, é aqui que começam os problemas ou dilemas pois nem sempre há tempo suficiente para a espera da confirmação da morte física ou morte clínica para que um órgão seja extraído a tempo de não se deteriorar. Ocorrendo vez por outra grandes falhas daqueles que tem sob sua responsabilidade o dever de atestar a morte, tornando um grave problema das confirmações da morte física ou morte clínica como é denominada.

Não só para aquelas pessoas que são doadoras de órgãos e sua morte, tenha ocorrido naturalmente ou acidentalmente, mas principalmente para aquelas pessoas doadoras ou não que são portadoras de doenças nervosas ou psíquicas e que permanecem durante um bom lapso de tempo em estado de vida vegetativa, em estado de catalepsia, confundindo os médicos que atestam sua morte prematuramente sem que a mesma tenha realmente ocorrido provocando assim as dezenas ou centenas de casos de enterramento de pessoas ainda vivas ou a extirpação de seus órgãos doados com seu físico ainda vivo. Além do que entrando agora na casuística eminentemente espiritual, teríamos os problemas dos espíritos arraigados, ou melhor, imantados à matéria e que não conseguem se desprender do corpo inerte, durante um bom tempo após a morte real deste. São presas através de suas próprias produções mentais negativas formam poderosos fios magnéticos que as permite sentir todas as sensações de uma pessoa viva. Consequentemente, se forem doadoras teriam que ser ajudadas em seu desligamento para que seus órgãos doados, fossem extirpados convenientemente, isentos então de qualquer vibração negativa que o espírito em desespero descarregaria sobre ele.

O psicoscópio se inventado entre nos, poderia detectar através de profunda análise que proporcionaria ao chegar as radiações auricas emitidas pelo corpo ainda vivo ou pelo espírito ainda preso ao cadáver. A tonalidade das cores, as reações mais íntimas físicas, mentais e espirituais indicariam com precisão, se o espírito já estaria ou não desligado ou em vias de se desligar do corpo, e, em caso de premente necessidade ajudaria ou facilitaria seu desligamento, permitindo assim, que a junta médica pudesse extrair a tempo os órgãos a serem doados. E ainda conforme as cores emitidas e as demais reações constatadas e mais, tudo aquilo que se pudesse enxergar através da transparência e luminosidade que o psicoscópio provocaria no corpo, seria esquadrinhado, dando visão total da situação pré e pós mortem. Há o problema da voltagem!

Mas, o cérebro espiritual emissor (mentor), gradua o pensamento e a expressão, de acordo com a capacidade do cérebro humano receptor e do ambiente que o cerca, ajustando-se-lhes às possibilidades, tanto quanto o técnico de eletricidade controla a projeção de energia, segundo a rede dos elementos receptivos.

Cada elemento recebe de conformidade com a estrutura que lhe é própria.

A lâmpada em cujo bojo se faz luz, arroja-se de si mesmos os fotônios, que são elementos vivos da Natureza, a vibrarem no “espaço físico”, através dos movimentos que lhe são peculiares, e a alma, em cuja intimidade se processa a idéia irradiante, lança fora de si os princípios espirituais, condensados na força ponderável e múltipla do pensamento, princípios esses com que influímos no “espaço mental”. Os mundos atuam uns sobre os outros pelas irradiações que despendem e as almas influenciam-se mutuamente, por intermédio dos agentes mentais que produzem.

Assim como existem valiosas observações alusivas à química da matéria densa, relacionando-lhe as unidades atômicas, o campo da mente oferece largas possibilidades ao estudo de suas combinações. Pensamentos de crueldade, revolta, tristeza, amor, compreensão, esperança ou alegria, além dos centros especiais que governam a cabeça, o rosto, os olhos, os ouvidos, e os membros, em conjunto com os centros da fala, da linguagem, da visão, da audição, da memória, da escrita, do paladar, da deglutição, do tato, do olfato, do registro de calor e frio, da dor, do equilíbrio muscular, da comunhão com os valores internos da mente, da ligação com o mundo exterior, da imaginação, do gosto estético, dos variados estímulos artísticos e tantas outras quantas sejam as aquisições da experiência acumulada pelo ser que conquista a própria individualidade, passo a passo e esforço a esforço, inalterando-a pelo trabalho constante para a sublimação integral, a face de todas as vias de progresso e aprimoramento que o mundo lhe possa oferecer através das inúmeras romagens no seio da matéria ao longo de todo o espaço de tempo que lhe aprouver, já que para a centelha, o tempo não se torna obstáculo.

A onda mental possui determinados coeficientes de força na concentração silenciosa, no verbo exteriorizado ou na palavra escrita, tendo natureza diferenciada, com características e pesos próprios, adensando a alma ou sutilizando-a, além de lhe definirem as qualidades magnéticas.

Somos naturalmente vítimas ou beneficiários de nossas próprias criações, segundo as correntes mentais que projetamos, escravizando-nos a compromissos com a retaguarda de nossas experiências ou libertando-nos para a vanguarda do progresso, conforme nossas deliberações e atividades, em harmonia ou em desarmonia com as leis cósmicas imutáveis.

Temos então, o fenômeno da perfeita assimilação de correntes mentais que preside habitualmente, a quase todos os fatos mediúnicos. Para a clareza de raciocínio comparemos a organização humana, ou seja, o corpo humano e a sua alma, a um aparelho receptor, quais os que conhecemos nos domínios da radiofonia. A emissão mental oriunda do cérebro espiritual (Mentor) condensando-lhe o pensamento, envolve toda a organização psíquica e corpórea, em profusão de raios que lhe alcançam o campo interior, primeiramente pelos poros, que são miríades de antenas às quais essa emissão adquire o aspecto de impressões fracas e indecisas.

Essas impressões apoiam-se nos centros (chakras) do corpo espiritual (perispírito), que funcionam à guisa de condensadores, atingem, de imediato, os cabos do sistema nervoso, a desempenharem o papel de preciosas, bobinas de indução, acumulando-se ai num átimo e reconstituindo-se, automaticamente, no cérebro, onde possuímos centenas de centros motores, semelhante a milagroso teclado de eletroimãs, ligados uns aos outros e em cujos fulcros dinâmicos, se processam as ações e as reações mentais, que determinam vibrações criativas, através do pensamento ou da palavra, considerando-se o encéfalo como poderosa estação emissora e receptora e a boca por valioso alto-falante.

Tais estímulos se expressam ainda pelo mecanismo das mãos e dos pés ou pelas impressões dos sentidos e dos órgãos que trabalham na feição de guindastes e condutores, transformadores e analistas, sob o comando direto da mente.

O Martírio de Jesus de Nazareth

São Paulo – Semana Santa de abril de 1995

Dedicado às minhas Queridas Conceição e Regiane

O que aqui vai descrito, foi captado pelo processo que denominei de mentografia, que nos permite assistir as cenas que se passaram há milhares de anos atras (quase uma psicometria), nos permite visualizar os mínimos detalhes dos fatos como se naquela época estivéssemos vivendo, ao mesmo tempo que vamos escrevendo ou descrevendo os acontecimentos. Não é igual a psicografia porque este é um processo mecânico, automático, no qual o médium não participa do que está ocorrendo apenas escreve sem vontade própria, sua mão é dirigida pela entidade comunicante.

Na mentografia, além de ser um processo de escrita direta a longas distâncias Inter-Vivos, nós, os médiuns, ou intermediários, participam de tudo, utilizando-se da Telepatia, da Psicometria, da Incorporação Inter-Vivos, da Materialização Inter-Vivos, da Projeção do Duplo-Etérico às longas Distâncias (Viagens astrais) e outros fenômenos.

Acredito que grande parte daqueles que lerão estas páginas e se afinarem com seu conteúdo, com certeza, serão os remanescentes reencarnados da Atlântida da época de Antúlio de Mah-á-Etel que na linguagem atlante quer dizer: Antúlio da Estrela Platinada (Vênus) de há 50 mil anos atrás naquele imenso continente hoje submerso no Oceano Atlântico entre as Américas e as Ilhas Caribes. Hoje, milhares como nós reencarnados e outras milhares ainda no Espaço, desencarnados, mas que vieram seguindo os passos do Grande Mestre Jesus que, naquela época já era um grande líder espiritual programando suas futuras reencarnações através dos tempos e suas missões sempre em defesa do Bem, dos fracos e dos humildes, e que com sabedoria, humildade e mansidão haveria de nos deixar grandes exemplos, principalmente em sua reencarnação como Jesus de Nazaré. Esse grande contigente que poderá estar em sintonia com o que aqui vai descrito, fez e faz parte daquele Clã de espíritos abnegados, missionários mentalistas, amantes do Bem e da Grande Harmonia Cósmica que para Terra vieram oriundos do planeta Vênus, planeta já evoluído naquela época principalmente no que se refere à evolução espiritual, com uma população, uma humanidade bondosa, pacífica, contrária visceralmente à belicosidade e que ainda não mede esforços em sacrificar a própria vida pelos seus semelhantes mesmo que estes não sejam do seu planeta. Haja visto, os grandes e importantes pacifistas de vários países aqui na Terra que soubemos, com certeza, serem eles de origem venusiana, mesmo que isto lhes custe milhares de anos de sofrimentos físicos, morais, espirituais, psíquicos e venham a prendê-los através do karma num planeta e uma humanidade embrutecida como a terrestre.

Esta imensa dedicação humanistica por parte da humanidade venusiana tem lhe custado um altíssimo preço, pois muitos de seus líderes espirituais, outrora livres pensadores quando lá viviam, acabam permanecendo na Terra por dezenas e centenas de reencarnações de prova e de resgate, pois tendo eles grande força mental acabam atingindo seus algozes através da magia e assim pagam por fazerem mal uso dos seus conhecimentos, que os desciam dos objetivos e ideais traçados há milênios. Jesus conseguiu refrear essas forças mentais e perdoar aqueles que o perseguiram. Foi, talvez entre alguns outros uma exceção.

Milhares dos antigos habitantes dos antigos continentes da Lemúria e da Atlântida, antes desses continentes submergirem, eles subiram para o planalto em busca de outras terras e lá deram origem às civilizações de grandes pensadores, hermetistas, humanistas, mentalistas, magos, pacifistas e outros, mais ligados as áreas do psiquismo humano e foram pioneiros entre os Vedas anteriores ao povo Hindu, posteriormente, entre os Hindus, entre os Tibetanos, entre os Egípcios, os Chineses, os Astecas, Toltecas, Maias, os Incas, os Druídas que por sua vez lideravam os Celtas. Enfim, povos que predominantemente se apegavam à magia, a feitiçaria, entre os Ciganos povo nômade que teve sua origem na Índia e se espalhou pelo mundo conservando seus antigos costumes e é claro, entre as raças pós-diluvianas que foram os Babilônios, os Assírios, os Macedônios e outros que se mesclaram com os reencarnados oriundos da estrela Capela e que formaram as raças do Oriente Médio, os assim chamados arianos e israelitas que redundaram na formação de uma humanidade técnica e mentalmente mais arrojada dando ensejo à miscigenação racial para a acolhida do nascimento da ramificação genética que faria brotar o Mestre-dos-Mestres, Jesus.

Após todo esse tempo e toda essa miscigenação racial e a redistribuição de espíritos pelos quatro cantos do globo, bem como a fusão com outros espíritos belicosos vindos do Capela (o famoso paraíso perdido da raça adâmica) os quais pela sua índole e cupidez, empáfia, malignidade, perversidade, etc., etc., também deram origem à povos guerreiros, conquistadores, usurpadores, vilipendiadores das raças e respectivos conhecimentos, pode Jesus programar seu renascimento de há dois mil anos atrás em Belém na Judéia, e que depois também foi acolhido entre os Essênios que faziam parte daquele seu antigo clã da Atlântida.

Há também a outra parte dos que lerem estes relatos que não concordará com o seu conteúdo por falta da afinidade e da sintonia fina com os fatos e também porque os seus dogmas, preconceitos e fanatismo de toda a sorte inclusive o religioso, não conseguirá admitir ou entender que o Espírito de Jesus é um espírito humano como todos os nossos espíritos ou o espírito de cada um de nós.

Acreditem se quiserem, uma vez Ele nos disse através da telepatia e projeção de sua imagem dentro do astral ou psicosfera de nossa casa de Ribeirão Pires: “- Os seres humanos necessitam sempre temer ou acreditar em algo maior que eles, algo sobre-humano, algo sobrenatural, por isso colocam a mim dentro de uma redoma cósmica de onde eu não possa sair, para que eles dêem vazão às suas faltas através de adorações e promessas, esquecendo-se eles que eu fui e sou ser humano e quero estar junto ao ser humano, meu trabalho no planeta de onde vim e na Terra sempre foi em prol do ser humano. Preciso dialogar com o ser humano e gosto de ser visto como tal, por isso, eles e suas religiões não admitem que eu e outras entidades elevadas possamos descer e entrar em contato com os seres humanos através de outros seres humanos. É uma questão de sintonia e nivelamento de vibrações e isto eu faço sempre. Não gosto de situar-me num pedestal. Sou o que sou hoje, graças a ajuda de outros seres humanos de uma grandeza de alma infinita, sem a qual o Cristo tanto apregoado não existiria; entre estes seres maravilhosos está o aparelho que capta hoje estas linhas (minha esposa), o seu companheiro, sua filha e dezenas de outros”.

Para mim que agora estou compilando aquilo que nos fora dito há anos atrás, é uma dádiva muito especial poder comentar e escrever sobre o Grande Mestre, mas para isto tenho que reportar-me aos “porquês” de sermos nós em fazê-lo e tentar explicar como isto foi possível e através de quais dons e fenômenos conseguimos fazê-lo.

Só após o nosso desenvolvimento psíquico, mediúnico e o desenvolvimento das faculdades paranormais como: a psicometria, as projeções do duplo-etérico (viagens astrais), (saídas fora do corpo conscientes), desdobramentos (saídas do corpo inconscientes (durante o sono mas com lembranças do que ocorreu), (não se trata neste caso, de sonho, que, tenho para ele uma explicação à parte), e ainda outros fenômenos tais como, a vidência, a clarividência, a audição astral, a visão das cores áuricas ou aurividência e etc. Todos esses desenvolvimentos ocorrem no decorrer do tempo e exigem uma dose de sacrifício pessoal muito grande, além de regimes alimentares afim de tornarem o físico se não mais leve, pelo menos mais liberto para transitar ou permitir que seu perispírito transite mais livremente entre os campos físicos e astrais ou entre a fisiosfera (crosta terrestre) e as psicosferas (campos espirituais).

O perispírito liberto do físico e com sua mente já preparada para todos os eventos que lhe surgirem, ou seja, isto eqüivale a dizer que ele tem obrigatoriamente que estar isento dos medos, preconceitos e tabus, dos religiosíssimos de todo o tipo, da obtusidade própria, da falta de cultura espiritual, das mazelas kármicas que o inibiriam para qualquer propósito mais elevado, principalmente aquele de poder avistar-se e dialogar com entidades mais elevadas, entre estas a figura luminosa do Grande Mestre Jesus e outros avatares de outros orbes, ou de outras regiões cósmico-siderais.

Somente após longo treinamento desde a infância e com a ajuda de grandes entidades e do nosso Mestre Jesus, pudemos voltar gradativamente ao passado longínquo de nossas origens. Tudo está registrado em nossa extensa “fita magnética” ou “video-fita”, que fazem parte dos registros akáshicos siderais, mas há a necessidade de se ter conhecimento e a mente aberta para adentrarmos cada fase desses registros a sem barreira de tempo e de espaço.

Voltando ao início da vinda de Jesus para a Terra, Ele próprio nos mostrou com imagens mais nítidas que uma TV moderna que Ele fora Cristi-ien, Governador Geral do Planeta Vênus, portanto Jesus é de origem venuziana. Mostrou-nos sua esposa lá em Vênus naquela época, a belíssima Mah-hára que posteriormente, milhares de anos depois viria a ser sua amada de coração Maria Madalena que o ajudaria, da sua maneira, a levar a cabo sua missão. Hoje tenho o privilégio de ter esses espírito como minha Amada, instrutora e protetora espiritual.

Em Vênus foi feita uma reunião entre as Entidades Espirituais de lá e os Engenheiros Siderais mais os líderes vivos do planeta, entre eles Cristi-ien, Mah-Hára, Maria, José e outros que muito mais tarde acompanhariam a Jesus, decidiram que após o desencarne de todos lá em Vênus viriam para a Terra, na época para os continentes da Lemúria e Atlântida até o apogeu da civilização lá reinante, e ao chegar o declínio e sua conseqüente submersão, esses espíritos subiriam e reencarnariam em outros continentes para juntarem-se em nova plêiade de pensadores e humanistas visando sempre a evangelização dos povos que seriam exilados vindo de outras constelações e trariam uma enorme soma de revoltados, negativos e belicosos. Isso foi levando milhares de anos, com centenas de sucessivas reencarnações daquelas que se propunham auxiliar, e durante todo esses tempo as modificações telúricas foram ocorrendo na Terra, movimentação da crosta, dilúvios, guerras longas e fratricidas.

Jesus e sua clã, ou melhor, Cristi-ien e sua gente foram nascendo, morrendo e reencarnando em várias regiões do planeta, principalmente nas regiões compostas por astrais místicos tais como: a antiga Índia, o Tibete, o Egito, o Alto Oriente onde se inclui a China, a Mongólia, a Ásia Central, o Japão e etc., até que faltando mais ou menos dois mil anos para o fim do novo ciclo terrestre teria que nascer o Avatar Jesus e sua Clã mística.

Eu e minha clã, originamos do planeta Marte, após aquela decisão sideral, viemos nos juntar com os venusianos aqui na Terra, também a partir da Lemuria e da Atlântida, com uma diferença, o povo de Vênus que é essencialmente mentalista, amante da paz e do silêncio restringiu-se à mística, à cabalística, ao amor ao próximo e as causas humanitárias. O povo marciano, igualmente muito evoluído e mais afeito às novas invenções, um povo mais lépido, mais “elétrico” e é claro com “estopim mais curto”, veio também em ajuda aos venusianos amparando-os nas inovações técnicas, contudo serem os marcianos também amantes da paz, do amor ao próximo, do silêncio, tinham e ainda tem mais propensão às defesas físicas através da tecnologia e aparatos bélicos, a música, as artes, aos esportes etc…. Enquanto o venusiano trava a sua batalha silenciosa através dos poderes mentais e da magia, o marciano, muitas vezes extravasou e ainda agora, com menos freqüência, a sua batalha no “tete-a-tete”, no corpo-a-corpo.

Por isso, na época de Jesus, Ele sempre preferiu escolher para estar ao seu lado, pessoas cuja índole fosse mais próxima a índole venusiana, os mansos de coração, como ele os chamava e ao perguntar-lhe “porque Ele com os poderes que tinha não petrificou aqueles que O fustigavam, transformando-os em estátuas para serem contempladas pelas futuras gerações, como lição, para que jamais esquecessem”, Ele respondeu-me: meu querido, eu dizia também que deviam amar uns aos outros e que eu não viera para mudar a Lei, nem a Lei dos homens, nem a Lei de Deus, porém, não me era proibido não sofrer dor; pois eu sabia, e a experiência do tempo milenar em que vivi na Terra ensinou-me como isentar-me o mais possível da dor física, afastando do meu corpo físico o meu espírito e com ele o duplo-etérico que é o agente da dor. Porém, nem sempre isso era totalmente possível devido a falta de concentração interior e o burburinho da turba um tanto enlouquecida ou tomada pela sanha malévola dos fanáticos sacerdotes-políticos e os açoites e estacadas dos carrascos.   Eu sabia também que não seria a minha dor ou meu sofrimento físico que iriam permitir a redenção da humanidade, pois, antes de mim naquele mesmo lugar, dezenas de pessoas foram sacrificadas tanto ou mais que eu, e muitos, aos milhares, seriam ainda sacrificados em meu nome, em guerras e outros acontecimentos nas centenas de anos que se seguiram à minha morte. Portanto, a redenção da humanidade seria feita através dos ensinamentos deixados como coluna mestra da moral, da espiritualidade e do novo comportamento social humano, e foi isso que tentei fazer!

Foi quando assintosamente respondi: “- Ah! se eu estivesse por lá naqueles momentos!(fiquei sabendo que me encontrava na Grécia no momento da crucificação de Jesus). Ao que o Mestre respondeu: “- Eu agradeço ao Pai por você não ter estado lá, pois se estivesse, você poderia ter desviado os acontecimentos para pior, eu não cumpriria o que vim fazer, você acumularia outras culpas e a missão de todos nós estaria arruinada. Esta missão, como você sabe, foi programada há milênios atrás fora do ambiente terráqueo por todos nós em conjunto com os Engenheiros Siderais com vistas à doutrinação e elevação do padrão mental e espiritual da imensa população de exilados de outros orbes que seriam enviados para a Terra, planeta relativamente novo e como forte potencial para o desenvolvimento de novas criaturas já em grau de inteligência avançada. E como os Engenheiros Siderais sabem por experiência em milhares de outros planetas nesta e noutras galáxias, que a maior parte desses espíritos exilados passam de planeta para planeta sem se modificarem, pois entram no circulo vicioso do desamor, do mal e todas as vicissitudes imagináveis e inimagináveis e retornam a estaca zero a despeito do sofrimento a que se sujeitam e mesmo com ensinamentos e sofrimentos de outrem por eles. Por isso, há milênios já estão sendo preparados os locais de nova acolhida para eles em outros locais do Universo e, logicamente, outros espíritos se sacrificarão por eles lá a onde se alojarem. Assim é Deus, assim é o progresso e a evolução dos seres que habitam os milhões de mundos criados e que forem sendo formados.

Sempre haverá chance para todos, porém, o tempo de estagnação e de demora na evolução é por conta de cada um desses espíritos. Poderíamos denomina-los de espíritos afeitos a colonização de orbes e humanidades em evolução, e, como colonizadores que são, pagam seu preço para isso, completou o Mestre. 15/4/95

Nestes dias da chamada “semana santa”, vê-se por todos os meios de comunicação milhares de pessoas revivendo os dias de martírio de Jesus de Nazaré, em alguns locais com a encenação parecida com a que ocorreu há dois mil anos atras. Muitos revivem na própria carne deixado-se chicotear física e moralmente. Há milhares entre essas pessoas cheias de boa fé que tentam lembrar a atual humanidade os ensinamentos do Mestre, mesmo dentro dos dogmas, preconceitos e fanatismo.

  • Aqui faço um adendo, apenas para mostrar que muitos que seguiram Jesus e não são do planeta Dele, hoje se encontram reencarnados no Brasil para futura missão nos dias das transformações finais, alguns conseguimos detectar através da psicometria, é o caso de Marcos o Evangelista, hoje um dileto amigo, outros, sabemos que fizeram parte mas, não nos foi dado saber seus nomes ainda a que são induzidas por suas religiões e crenças. O livre arbítrio continua a prevalecer, pois Jesus nada pediu a respeito e nem deixou algo escrito de seu próprio punho sobre o que Ele fez ou disse, o ser humano sempre culposo reflete grupalmente a sua consciência negativa e de arrependimento de última hora. Porém, há também entre milhares de pessoas aquelas que revivem tudo com escárnio, sadismo, maldade belicosa e maligna e tiram proveito e lucros de toda a sorte, sobre aqueles acontecimentos, deixando bem claro que para eles a lição de nada serviu, continuam aguardando o Messias para eliminá-lo novamente. Mas, o Núcleo Central é magnânimo e vai continuar lhes dando as chances de redenção através dos séculos vindouros, porém, o preço a pagar lhes será alto.

Minha esposa querida que há vinte e oito meses está acamada, em estado quase vegetativo, digo quase, porque ela não se levanta, fala pouco, ouve tudo, enxerga bem, raciocina como criança, não faz suas necessidades fisiológicas sem ajuda e emagrece como se estivesse secando, o que me faz chorar e me lamentar como criança, viveu e participou verdadeiramente naqueles dias de martírio do Querido Mestre e hoje, no leito como se quisesse se auto punir de algo que ficou em seu espirito sofre silenciosa e expurga de si e principalmente de nós as toxinas das nossas mazelas milenares.

Pelo que me foi permitido saber através do fenômeno da psicometria, ela sempre foi mulher em todas as reencarnações na Terra e mesmo em Vênus, por isso, mesmo doente e como quase todo o gênero feminino ainda conserva aquela “pitada” de ciúme e sofre ao ver e sentir que não pode estar por inteira comigo e mais ainda quando alguma outra mulher se aproxima de mim. Isto eu não posso evitar pois é próprio dela. Mas, o que tem isto a ver com este capitulo sobre o Amado Mestre, tem muito, pois ela na época Dele também sentia por Ele a mesma coisa e ainda pelo que nós aqui particularmente sabemos ela que foi ou teria sido um grande amor da vida Dele, então, dentro deste contexto, faz parte do Seu Martírio, também! Um martírio que eu passei e estou passando com muita honra apesar das inconveniências. As mulheres, ou melhor dizendo, o gênero feminino de todos os reinos da Natureza são os seres que mais sabem amar o homem e também são os que mais sabem odiá-lo e odiar aos demais seres quando não conseguem atingir os seus objetivos. Deus – O Núcleo Central Cósmico quando gerou o gênero feminino o dotou de todas as qualidades e imperfeições mais que ao homem. Por isso elas são geradoras também e os homens, ou gêneros masculinos, são unicamente reprodutores. A mulher por ser geradora é a célula-mater da espécie humana e por isso, torna-se martírio, vive em constante martírio e é martirizadora.

Ao meu ver o gênero feminino é a Benção Divina materializada. Consequentemente, pelo que pude deduzir no transcorrer dos meus contatos com o Mestre, Ele além de ter sido martirizado fisicamente, martirizado emocionalmente pois amou muito a humanidade e amou silenciosamente, porém intensamente seu antigo amor e companheira Venusiana Mah-hára que, posteriormente seria a pedra moral de sua missão na Terra, Maria Madalena, hoje um grande espirito que também tem martírio. Martírio, porque sofre na carne, na mente e no espirito o que Ele veio sofrendo. Se apenas sofresse não teria importância mas, não posso vê-la sofrer e nem a minha Querida Filha ou meu Querido genro. Na verdade não posso ver ninguém sofrer, e sem demagogia religiosa, não poderia presenciar nosso Mestre sofrer, com certeza eu interviria com a força nem que fosse para sacrificar minha própria vida. Atualmente, talvez, eu agisse diferentemente!

Mas o Pai, O Núcleo Central Cósmico, através das Inteligências que O compõe, programa tudo com antecipação e dentro das possibilidades normais sem exceder-se, deu a proteção ao Divino Mestre. Digo sem exceder-me pois, o Mestre Jesus nasceu como ser humano comum filho de ventre de mulher, feito de carne e osso, com dores e sentimentos iguais a todos os mortais, poderia ter sido liquidado mesmo antes de dar os primeiros passos.

O Pai Celestial, não o fez vir com uma couraça de aço ou com exercito super armado a fim de que ele pudesse ser defendido e pudesse romper barreiras que iria enfrentar. Contudo, deu-lhe uma proteção indireta, desviando seus caminhos dos caminhos dos seus algozes enquanto era necessário fazê-lo. Haja visto, milhares de crianças mortas a mando de Herodes, em seu lugar, outras milhares mortas antes por Moisés à caminho do deserto em direção a Terra prometida, isso três mil anos antes. Iluminou Seu caminho assim como o caminho daqueles que O queriam ver nascer. É o caso da famosa estrela de Belém que se movimentava nos céus guiando os três reis magos e outros seguidores daquele que seria o Mestre dos Mestres. Conforme fui informado, aquilo era uma nave de Vênus que veio acompanhar o nascimento aqui na Terra de seu Cristi-ien e estava repleta de lideres daquele planeta.

Após todo aquele martírio que Jesus passara, antes de seu desencarne ficou no ar toda a vibração emitida por Ele. Toda a Terra, mas principalmente a região onde Ele se encontrava, foi como que alterada por aquela vibração toda; a Natureza se transformou, o tempo mudou, nuvens foram atraídas pelo intenso magnetismo reinante. Seu corpo foi envolto num simples sudário de linho que depois ficou impregnado como se uma intensa radiação, registrando todas as marcas do Seu suplicio. O corpo desapareceu como por encanto e conforme sou informado, o pessoal de Vênus de dentro de uma nave que pairava a grande altura se incumbiu de pulveriza-lo através de aparelhos com raios desintegradores (a guisa de composição da temida bomba de neutrons que só destroi o físico humano ou outros físicos) fazendo-o desaparecer de sob o manto de linho e sugando as partículas para dentro de um recipiente no interior da nave e, assim, acabando com todos os vestígios humanos de Jesus que poderiam também serem disputados pelos mesquinhos e fanáticos seres humanos e suas seitas, principalmente pela magia negra. Assim, como foram outros objetos que sobraram de Sua missão aqui na Terra, tais como o madeiro da cruz, o cálice da Santa Ceia (o chamado Graal) e outros, inclusive o santo sudário que hoje é motivo de disputa entre a igreja, a ciência e os fiéis. Imagine o leitor se o corpo de Jesus tivesse permanecido em seu sepulcro!

Portanto, o martírio de Jesus de Nazaré foi a pedra angular da filosofia e da religião na Terra. Esse martírio rompeu todas as barreiras físicas, morais, espirituais, mentais, de fisiosfera e de todas as psicosferas planetárias. Houve uma reação de todas forças, negativas, neutras e positivas desta periferia da Via Láctea.

Jesus de Nazaré e Seus feitos foram uma espécie de espelho refratário para a humanidade da Terra e dos demais planetas de nosso sistema solar. Nesse espelho, todos viram refletidas suas falhas e seus acertos, grandes e pequenos, do passado do presente e do futuro. Ninguém, após a vinda Dele, poderá alegar inocência ou ingenuidade a respeito do que é o Bem e ou que é o Mal. O Karma da Terra e de cada habitante foi reforçado, a Lei Universal e seus códigos ficaram mais claros para todos, além do que, sobre essas leis paira a Justiça Divina e não a corrupta e inócua justiça dos homens.

O que Ele mui sabiamente dizia e previa através de suas parábolas, já vem ocorrendo há muito tempo. O mundo caminha para seu estertor que já se aproxima céleremente. Os dois sóis previstos no Apocalipse e o fim da “Babilônia” aproximam-se. A Besta virá dos céus e não será um homem, dizemos nós.

Talvez o mundo não escape de uma terceira conflagração, mesmo com tudo aquilo que Mestre deixou como lição ao ser humano de dois mil anos para cá. Todas lideranças siderais e cósmicas, pelo que eu sei, estão empenhadas para que não ocorra uma terceira grande guerra, mas, as toxinas do planeta Terra estão tão acumuladas e o ser humano tão desumano que poderá haver a necessidade de uma drenagem dessas toxinas através da dor coletiva. Essa drenagem ocorrerá mesmo sem a terceira guerra mundial, pois o gigantesco planeta Sidérius se aproxima e mudará as orbitas dos planetas dos seus movimentos atuais, aí então prevalecerá o que diz o Apocalipse: “E o céu desaparecerá”!

A missão do Grande Mestre Venusiano Cristi-ien foi preparar as milenares gerações que se seguiriam após a Lemúria e Atlântida para o advento final do assim chamado fim dos tempos que agora está bem próximo. Apenas mais uns poucos anos. Sim, porque mesmo a Lemúria, a Atlântida, Sodoma e Gomôrra terem desaparecidos com todas as suas raças e civilizações, dilúvios e hecatombes várias terem ocorrido de 50.000 (cinqüenta mil) anos para cá, ainda assim, não era o fim dos tempos porque não houve mudanças radicais em nosso Sistema Solar e o planeta Terra ora se inclinava em seu eixo, para um lado ou para outro permanecendo na atual posição no espaço.

Agora não. O Sistema solar em seu todo está se transformando numa Super Nova, ou seja, para quem o olhar ou avistar de fora ele estará inchando para logo explodir e se transformar em dois novos sistemas solares eqüidistantes um do outro, tendo o nosso Sol líder de um sistema e o planeta Júpiter como líder do outro. Sidérius o gigantesco planeta que se aproxima passará entre os dois, ou melhor, obrigará o nosso sistema solar a se transformar em dois. O planeta Terra sairá de sua atual órbita solar, rolará no espaço, atrás do seu sol, com ele levará milhões e milhões de vidas. Não haverá como até então, mudanças apenas climáticas e raciais mas sim, planetárias para dar inicio a uma Novas Era, Novos Tempos, encerrando um gigantesco tempo sideral ao qual viemos pertencendo.

Como Ele mesmo, o Mestre, previra, o Joio será separado do Trigo e todas as gerações que compuseram a humanidade atual da Terra e de outros planetas do nosso sistema solar, em fase de evolução, tiveram suas oportunidades de progresso e espiritualização. Se não aproveitarem, recomeçarão do ponto de partida, noutras regiões siderais e em nova ambientação provando assim que até a paciência Divina tem seu limite.

O mestre Jesus veio várias vezes, em centenas de reencarnações, em muitas delas se sacrificando como na sua última missão de Jesus de Nazaré para nos transmitir isso tudo. Felizes aqueles que O compreenderam, pois lhes será reservada a famosa Terra Prometida. Para os que não O compreenderam ou não quiseram compreender, terão seu “habitat” condizente com a sua índole e vocação. Para isto foi o Martírio de Jesus de Nazaré.

Foi necessário esse martírio?. Ele e as altas Entidades Espirituais dizem que sim, pois tinha que haver uma marca indelével, uma passagem inesquecível para a humanidade que seria gerada dois mil anos após.

Houve um enorme trabalho das Entidades Siderais Reencarnacionistas na formação milenar, antes do nascimento Dele, daquilo que eu chamo de “Meridiano Genético”, fruto do Grande Plano Sideral e Cósmico, pelo qual a herança genética resultaria como meta final na geração de um ser especial, hiper-sensivel como Jesus de Nazaré que não se juntaria com mulher alguma, nem com sua própria mãe e nem geraria filho algum. O Meridiano Genético começaria para Ele e terminaria com Ele. Daí o seu Martírio, aparentemente desumano e aparentemente abandonado a sua própria sorte.

Vale a pena lembrar que muitos mártires houveram na Terra e que também foram crucificados, entre eles o famoso Spartacus que foi considerado posteriormente pelo mundo comunista como primeiro “proletário sindicalista” , mas no entanto, não teve a vida regrada e espiritualizada como a Dele e nem a mesma sabedoria e amor pela humanidade, e muito menos a visão de Avatar Clarividente como Ele tinha.

Neste momento (26/04/95), minha Querida Esposa Conceição, Sua antiga discípula Mah-hára, passa um martírio hospitalar doloroso através de agulhas, seringas bisturis, um processo que hoje completa vinte meses, similar ou pior que o Dele, pois pertence ela ao mesmo Meridiano Genético Espiritual, e como Ele, aceita tudo passivamente, pacificamente, nos dando um exemplo de uma grandiosidade espiritual só percebida e vivida por seres de Alta Hierarquia e, eu pessoalmente torno-me tão pequenino frente a ela e a Ele que não tenho outra saída senão a de chorar, chorar copiosamente como um ser ínfimo e de me envergonhar das minhas fragilidades humanas e se pudesse seria reduzido a pó aos Seus pés.

Por isso, este capitulo e tudo o mais que fiz de bom nesta e em minhas vidas passadas, dedico a essa maravilhosa criatura, esse anjo de amor e bondade que Jesus permitiu me acompanhasse durante todos esses milênios pois Ele sabia que eu iria precisar de alguém ao meu lado que fosse mais forte, mais nobre e mais elevado espiritualmente que eu, que essa minha Querida companheira de todas as horas, Minha Esposa Conceição Aparecida Yezzi, para a qual peço a Ele remeter toda a Sua Energia Cósmico Sideral Restauradora, para que Ela se restabeleça, volte a andar e juntos, possamos passar às massas todo o conhecimento que em nossas almas antigas está armazenado e o amor que em nossos corações está palpitando e que juntados ao Dele possam ainda, a tempo reconduzir muita gente ao caminho do Bem e da Verdadeira, assim como a Minha Querida Filha Regianne (Sara) outro Anjo que me acompanha e sofre por mim, sem que eu mereça tanta consideração; tudo é dedicado a Ela também, e agora ao Paulo meu estimado genro, e a minha netinha Giulia.

Tenho certeza de que Jesus lá nas Alturas onde Ele se encontra, está saudoso e martirizado por ter deixado um anjo maravilhoso como esta Minha Amada, aqui na Terra, mas assim mesmo peço a Ele que não a leve de mim, que permita que eu ainda seja capaz de fazê-la feliz e aí então, sim Ela poderá estar ao lado Dele tendo cumprido sua árdua missão aqui na Terra que foi a de me acompanhar e zelar por minha alma e por milhões de pessoas.

O Núcleo Central Cósmico – Deus, através dos Seus Engenheiros Siderais, em um dos quais espero me tornar um dia, mesmo que esteja longínquo esse dia, faz tudo certo, tudo é regido por Leis Naturais, tudo é planificado com margem de exatidão impressionante, que deixa o ser humano comum da Terra abismado, perplexo é sem atinar com a Consciência Maior. Pensa que pode fazer o que bem quer sem que nada lhe aconteça de volta. O choque de retorno é inevitável e como dizia muito bem O Mestre: – “A semeadura é livre mas a colheita é obrigatória”.

Eu devo estar colhendo o que plantei! E, apesar de ter o privilégio de saber muita coisa e estar em contato ininterrupto com seres vivos de outros planetas através das “aberturas” paranormais ou mediúnicas e com Entidades Elevadas da Terra e ainda com dezenas de tipos diferentes de seres Elementais, estou um tanto revoltado e inconformado com o que Minha Querida está passando. Olho-a e choro. Choro e olho-a. Não encontro uma saída de conforto espiritual e mental para o meu ego, apesar de se me apresentarem várias saídas, todas teóricas, mas só de teoria não se pode viver!

O que é bom para os outros pode não ser bom para mim e vice-versa. Por isso, comprovadamente o exemplo dado pelo Grande Mestre serviu, serve e servirá enquanto este ciclo planetário durar que, a dor física é a forma natural que o corpo humano encontrou para expulsar as toxinas dele próprio e principalmente do perispírito que por sua vez as expurga da alma e permite a esta se desprender sem apego as coisas e causas da matéria, libertando-se assim para vôos mais altos em direção de Volta a Fonte Criadora, ao Núcleo Central Cósmico – Deus.

O Mestre pessoalmente não precisava padecer aquele martírio tão doloroso mas, tornou-se passivo a ele assim como Minha Querida o faz agora, porque ambas são almas afins, almas gêmeas e necessitam estarem juntas na Eternidade. Sei que um dia perderei este meu Anjo, quer no físico, quer no Páramo Celestial, pois ela voará com certeza muito mais alto que eu, mas resta-me o consolo de saber que fui considerado pelo Criador quando[1] colocou-a há milênios ao meu lado.

Jesus provou que tudo é perene neste mundo.

Ninguém precisa ou deve apegar-se demasiadamente ao mundo da terceira dimensão, deve sim, conservar o instinto de autodefesa, deve zelar pelo seu vaso de carne e osso que é o corpo, que lhe foi presenteado pelas Entidades Reencarnacionistas e pelos seus ancestrais que zelando pelo corpo deles mantiveram firme o Meridiano Genético para ele nascer da forma como nasceu. Se for perfeito, é porque seu perispírito fez jús a essa perfeição e se não for perfeito é porque tem que passar por uma drenagem de alguma toxina que o iria prejudicar mais ainda no futuro.

Tudo o que Jesus de Nazaré tinha que fazer na Terra parecia obedecer a uma matemática coerente, racional onde o número 12 e seus múltiplos tinham e têm vibração definitiva. Os números múltiplos de 12 são o nº 3, e nº 4 o nº 6 e o nº 9. Então vejamos a titulo de curiosidade esta minha simples pesquisa:

12 são o número de planetas que compõem o nosso sistema solar (três ainda não detectados pela ciência)

12 são as constelações que no Zodíaco exercem influencia na Terra.

12 são os signos correspondentes na Astrologia que são regidos pelo Zodíaco.

12 meses formam o ano terrestre.

12 horas formam o tempo do dia.

12 horas formam o tempo da noite.

12 são os meridianos que formam o dia.

12 são os meridianos da noite.

12 são os trabalhos de Hércules, na mitologia grega.

12 são os Cavaleiros da Tavola Redonda, do Rei Arthur.

12 são os números de sons da Música.

12 são o número de cores correspondentes aos 12 sons.

12 são os “chakras” ou vórtices do campo psíquico.

12 são os “plexos” do corpo humano.

12 são os meridianos do corpo humano catalogados pela medicina chinesa.

12 foram os Ministros do Governo do Brasil Novo que em 25/03/95 (na Semana Santa!), a medida de nº 168 foi aprovada por 39 deputados, numero: 3 + 9 = 12.

12 é o total formado pelas 4 estações climáticas na Terra ou seja 3 meses de primavera, 3 meses de verão, 3 meses de outono e 3 meses de inverno: 3 + 3 + 3 + 3 = 12 ou seja 3 x 4 = 12.

12 são as tribos de Israel que no capitulo 7 do apocalipse de João menciona os 144 mil “selados” ou escolhidos para permanecerem na Terra. Decompondo-se este número 144 ÷ 12 tribos = 12 mil “selados”.

12 é o número que compunha os membros da família direta de Jesus, assim distribuídos:

José com a primeira mulher Débora:

por ordem alfabética os seguintes 5 filhos e irmãos de Jesus:

Cleófas
Eliezer
Jacob
Judas
Matias

José com a segunda mulher Maria:

por ordem de nascimento, os seguintes 6 filhos e irmãos de Jesus:

Andréa (Homem)
Efraim
Elizabete
Hannah
Jesus
José

12 portanto, foram os familiares irmãos de Jesus mais Maria que foi mãe que gerou Jesus.

12 apóstolos foram os escolhidos por Jesus, cada um representado um planeta, uma constelação do Zodíaco e um signo da astrologia.

12ª jornada da Via Sacra – a Caminho da Cruz, morre Jesus,- [ com 33 anos ou 3 x 3 = 9 ou 3 + 3 = 6 + 3 { nº do 3º planeta Terra } ou 3 x 3 x 3 = 27 = 2 + 7= 9 ]

24 é o número de anciãos mencionado no Apocalipse de João capítulo 5 versículo 8 (24, número divisível por 12 e etc.,)

Portanto, Jesus estava circunscrito a uma matemática sideral que rege o nosso sistema solar e principalmente a Terra e a sua humanidade, senão vejamos mais um pouco dessa lógica sideral que eu analisei, ainda sobre a ronda do nº 12 e seus múltiplos, seus enigmas e influencias:

Conforme a Ciência da Astronomia e a futura ciência da Astrologia informam, o Sol leva 25.920 anos na sua passagem pelas 12 constelações do Zodíaco e consequentemente também pelos 12 Signos Astrologicos. Em cada ano, portanto cada 12 meses, passa pelas 12 constelações e 12 signos que segundo a Astrologia exercem influencias várias, positivas ou negativas sobre os seres humanos, os quais são: Áries, Touro, Gêmeos, Câncer, Leão, Virgem, Libra, Escorpião, Sagitário, Capricórnio, Aquário e Peixes.

E eu sou informado que o nosso sistema solar é formado por 12 planetas e que os Magos da Babilônia e Jesus já sabiam disso, por isso, o Mestre escolhera 12 apóstolos, cada um representando uma constelação, um signo e um planeta, três tipos de influencias que somadas e decompostas ficam 3 x 12 = 36 = 3 + 6 = 9[2] . Os planetas que formam o nosso sistema solar são : Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Äga (ainda não descoberto), Urano, Oswen (ainda não descoberto), Netuno, Plutão e Fesp (ainda não descoberto).

Os três planetas ainda não descobertos levam o nome que seus próprios habitantes dão a eles, conforme sou informado.

Como o Sol percorre o Zodíaco nos seus 360º (graus) decompondo-se o nº 360 temos: 3 + 6 + 0 = 9. Este percurso é portanto para cada ano = 12 meses. Atrasa-se 50 segundos em cada ano ou l (um) grau em cada 72 anos, decompondo-se o nº 72, temos 7 + 2 = 9. Isso faz com ele mude de signo com intervalos aproximados de mais ou menos 2.160 anos, decompondo-se o nº 2.160, temos: 2 + 1 + 6 + 0 = 9. Leva pois 25.920 anos para percorrer em sua passagem pelas 12 constelações e 12 signos do Zodíaco, decompondo-se em multiplicação esses números, temos: 2.160 x 12 = 25.920. Decompondo-se em multiplicação também 25.920, temos: 2 + 5 + 9 + 2 + 0 = 18 = 1 + 8 = 9.

Aqui entram dados importantes que incidem na sobrevivência e na permanência do homem sobre o planeta Terra, dificultando-lhe assim as viagens espaciais, caso não haja proteção e compensações vibratórias adequadas.

Comparando-se o homem (microcosmo) com o Universo (macrocosmo), temos: Conforme a Ciência, o homem respira 18 (1 + 8) = 9 vezes por minuto. Multiplicando-se 18 por 60 minutos, temos: 18 x 60 = 1.080 que multiplicando-se 24 horas, temos: 1.080 x 24 = 25.920 vezes por dia, exatamente o percurso que o Sol leva em sua passagem pelas 12 constelações do Zodíaco.

Lembrando que o ano na Terra é de 12 meses e, se dividirmos os 360 graus em que o Sol percorre todo o Zodíaco por 12, temos: 360 ÷ 12 = 30 que seria a quantidade exata de dias de cada mês, decompondo-se os nº 360 e 30, temos : 3 + 6 + 0 = 9; 3 + 0 = 3, e 3 + 9 = 12. No caso de dias estou desprezando as frações de 30 que dariam mais 5 dias do calendário terrestre atual. O correto seria ter o nosso calendário terrestre com 30 dias para cada mês e não 28,29,30 e 31 como até agora; ocorre porém que a contagem terrestre dos dias baseia-se no movimento de translação da Terra em torno do Sol, que dá 365 dias, daí a pequena diferença.

O povo Maia se utilizava em seu calendário de 30 dias para cada mês, baseava-se portanto, no movimento do Sol e não no movimento da Terra.

Se ao invés de decompormos o nº 365, multiplicássemos ele por ele mesmo, temos: 3 x 6 x 0 = 18 que é igual a 1+ 9 = 9 ou 360 x 360 = 1296000 = 1 + 2 + 9 + 6 + 0 + 0 = a 18 = 1+ 8 = 9 = ou 9 x 3 que é o nº do planeta Terra na posição do sistema solar, ou seja, a Terra é o 3º planeta do sistema solar = 27 = 2 + 7= 9 ou 2 x 7= 14 = 1 + 4 = 5 que a diferença entre o nº de quantidade de dias entre a contagem do calendário Maia e o atual calendário em uso. Assim como o nº 360 é o número de graus de uma circunferência.

Se multiplicássemos o nº 2.160 decomposto por 12, temos: 2 x 1 x 6 x 0 = 12 = 1 + 2 = 3 x 12 = 36 = 3 + 6 = 9, ou 3 x 6 = 18 = 1+ 8 = 9.

A Constelação de Sagitário, signo no qual me orgulho de ter nascido é o nono signo do Zodíaco ou signo nº 9 dentro dos 12 signos da Astrologia, decompondo-se esses dois números, temos: 9 +1+ 2 =12 = 1 + 2 = 3 sempre múltiplo de 12!

Penso que com a demonstração acima Jesus não nasceu por acaso no 12º mês do ano terrestre, no dia 25 que decompondo-se é igual a 1 x 2 = 3 x 2= 6 x 5 = 30 = 3 x 0 = 3, ainda o número do planeta Terra! Ele também não escolheu por acaso 12 apóstolos que além do nº 3, é o número da quantidade de planetas do nosso sistema solar que cada um representava e que com Ele, Jesus representando o Sol perfaz a quantidade de 13 astros do nosso sistema solar número este também ligado a magia, ao azar, a cabala como sendo um número diabólico no qual também são baseados os números de jogos de azar da loteria, dos cósmicos e um número que quase todo o ser humano por tradição e também crendice teme e procura desviar-se espavorido. Os americanos a temem tanto que evitam de numerar seus edifícios de apartamentos ou de comércio, com o número 13; exemplificando se o edifício tiver 15 andares a numeração pula do 12º para 14º e assim por diante.

Paganini, que diziam ter parte com o diabo, o que não é verdade! Ele mesmo, hoje ainda desencarnado, nos diz telepática e textualmente que isso não é verdade mas, que ele apenas se aproveitava, para granjear mais fama e popularidade, desse jargão popular, compôs seu 13º Capricho para violino-solo dando-lhe tal conotação melódica que esse capricho é denominado de “o gargalhar sarcástico e zombeteiro do diabo”! Mas Paganini mesmo nos diz que, se o populacho e fanáticos da época tivessem um pouco de senso de observação, notariam que ele só tocava ou preferia tocar no seu violino “Garnérius del Gesú” ou seja Guarnério de Jesus, cujo símbolo no seu interior, marca do liutáio (artífice produtor de violinos) era e é uma cruz! (ver capítulo sobre Paganini)

Quem ler a biografia de Wagner outro grande compositor da música clássica (este de origem venusiana), fez hinos ao planeta Vênus, verá o quanto sua vida foi regida pelo misterioso nº 13!

Com esta singela demonstração desde Jesus a Wagner quis eu dar uma pálida pincelada numerológica e dizer aos leitores que todos somos frutos de uma Alta Matemática Cósmica, Racional, Exata, Divina, que é elaborada no Núcleo Central Cósmico Deus, de onde todos nós originamos!

SP 30/04/95 às 10h31

[hr]

[1] Obs: No momento da edição deste livro quero deixar registrado que Minha Querida Esposa foi para junto do Mestre dos Mestres em 19/03/96

[2] Aqui cabe uma observação: o número 3, o número 6 e o número 9 estão sempre presentes em quase tudo o que se relaciona com os temas siderais ou cósmicos. Talvez porque a Terra seja o terceiro planeta do nosso Sistema Solar e o seu movimento no espaço e tudo que girar é ternário, ou seja 3 por 4 ou 6 por 8. Quem for músico sabe.

O Cérebro, Uma Caixa de Segredos

ENFOQUE DIRETO SOBRE ANOMALIAS PSÍQUICAS E PSICOLÓGICAS, INCLUINDO SUGESTÕES PARA TERAPIAS DO HOMOSSEXUALISMO

Escrito em 1984. Revisado e Copilado em 21-3-93 no aniversário de I. S. Bach.

Desde os meus oito anos de idade venho vivenciando uma gama enorme de fenomenologia espiritualista, mentalista e cerebral. Após ter passado aqueles momentos tão reais, porém, difíceis de serem acreditados por mim ou por quem quer que seja, passei a estudá-los. A princípio em mim mesmo, e após com as entidades que se me apresentavam e indicavam o que eu deveria ir fazendo.

Muita leitura, muita freqüência em um único Centro espirita, do qual mais tarde as mediunidades(1), pude sentir de perto do que realmente se tratava e não contente com isso, enquanto paralelamente seguia cursando as escolas normais da vida para minha formação profissional e individual, incluindo escola superior de música, violino, harmonia, composição etc. Fiz vários cursos de parapsicologia para tentar unir a ciência com o transcendental, pude então isentar-me do tradicional animismo e assim poder deixar fluir sobre mim a vibração Superior que provinha de um cérebro muito poderoso que me acompanha há milênios desde o meu planeta de origem e que na minha atual reencarnação prontificou-se a ajudar-me nas várias missões de final de século e de ciclo deste planeta Terra.

Portanto, estou nisto há mais de quarenta e oito anos(2) estudando o psiquismo humano no trato com entidades espirituais da Terra, as quais, denomino de extraterrenas, e com seres vivos de outros planetas, os assim chamados Extraterrestres.

Para conhecer bem o psiquismo humano e sua parte física-emocional, obriguei-me a freqüentar também as rodas de amigos médicos em quase todas as áreas da medicina geral, alopática, homeopática, cirúrgica e medicina natural, ou alternativa, tudo isso sempre impulsionado pelas entidades espirituais superiores, apenas para conhecer e poder discorrer e saber do que poderia ou não discorrer, falar e até ajudar dentro dos meus limites.

Dentro destas minhas pesquisas pessoais e através da mediunidade de psicometria minha e de minha esposa pude rever no tempo e no espaço algumas de minhas passagens pela vida no planeta Terra, ou seja, algumas de minhas reencarnações , nos registros da minha “fita magnética astral, ou seja meu perispírito, que armazena informações eternas e que compõem os Registros Akáshikos universais, consta varias vidas como médico, astrônomo, astrólogo, mago, índio, lavrador, cigano, e muitas outras e as vezes repetidas que contribuíram para a minha formação espiritual, mental e cerebral que trago para os dias atuais.

Neste meu trabalho procuro traduzir o que pensam e como agem todas as entidades espirituais e extraterrestres nesse campo da medicina psicossomática, abrangendo a psicologia, a psiquiatria, a medicina geral e outros ramos, com o intuito de levar aos estudiosos e praticantes bem como aos enfermos e seus familiares, algum conhecimento extracurricular, paralelo aos conhecimentos já praticados pela medicina comum que os acompanha, via de regra, os postulados de Hipócrates, Jung, Freud e de outros mestres.

É sabido nos meios mentalistas e espiritualistas que a causa de quase todas as doenças tem sua origem no perispírito, que é o agente kármico de quase toda a patologia física humana e principalmente, aquelas de caráter psicossomático. Separando-se alguns casos de traumas extremos causados por acidentes ou atos provocados pelo ser humano sobre si próprio, os quais, mesmo assim, detectei que são de fundo kármico e que mereceriam um capítulo a parte, os demais como frisei, são de causas espirituais e grande parte de origem remota no túnel do tempo e que causam sobre o perispírito uma gama enorme de toxinas perniciosas que são exaladas através do físico ou são, por assim dizer expurgadas dolorosamente quase sempre pelas partes mais vitais do organismo, e desta forma, possibilitando ao corpo astral desintoxicar-lhe sua ascensão a patamares mais elevados na sua trajetória de progresso espiritual e planetário.

Esse processo além de doloroso é lento e gradativo absorvendo-lhe dezenas ou centenas de reencarnações até que esteja pronto para assumir tarefas prazeirosas, isentas de dor expiação, uma só vida é muito pouco para que um espírito adoentado, em curto-circuito perispiritual possa eliminar suas mazelas. Isto se não houverem novas quedas conseqüentes de reincidências negativas produzidas por ele ou por outrem sobre ele, quer no astral ou quando reencarnado. Não há nada que se compare com a memória espiritual, nem mesmo a memória física, a cerebral, mesmo que está última seja o dispositivo humano mais completo e mais avançado que qual quer outro dispositivo moderno e mais sofisticado como os computadores de última geração já inventados pelo homem.

É através da memória espiritual que é uma micro-célula dos Registros Akáshikos ou Memória Cósmico Sideral, que o espírito busco os dados para recomposição de seus estágios em reencarnações ou mesmo de seus estágios nas psicosferas ou campos astrais onde se situará até novo reencarne. Daí adivirão as pulsações para composição do novo feito, da busca de pais patrocinadores de sua reencarnação, se não houver a ligação kármica compulsória entre eles; pois se houver não haverá busca mas sim comprometimento e a reencarnação se dará obrigatoriamente; busca também da ramificação ou cadeia genética, `a qual. ele se ligará e terá que encaixar-se temporariamente até o expurgo de suas mazelas, que permitirá também a demonstração ao mundo visível de seus dons ou dotes de genialidade em todas as áreas de sua afinidade e que vivenciará ou, a contrário, exporá toda sua imbecilidade e carências.

Por isso, os seres humanos desconhecedores dessas leis e de seus detalhes não devem pensar que tudo ocorre por mero acaso, mas, há um grande trabalho científico espiritual reencarnacionista por parte das Entidades responsáveis, por traz de cada reencarne ou desencarne. Nada é por acaso! Eu chamo a isso de Meridiano Genético, pois, vamos encontrar em todos os quadrantes do mundo pessoas nascidas com as mesmas características físicas, ou características similares, quer na estética, na mental, na cerebral, no comportamento social, nos trajetos e em muitos outros fatores, sem contudo, terem qualquer relação de parentesco ou consangüínea. É, justamente, através dessa memória espiritual que nunca se apaga, ao contrário, se acumula sempre através dos séculos, em camadas sobrepostas e ou canais específicos para cada centelha ou ser, que se formam em quantidades infinitas, que me vi ou me revi em dezenas de minhas reencarnações, passadas na Lemúria, na Atlântida, na Índia, no Antigo Egito, na Grécia e em outras dezenas de localidades, e até no meu planeta de origem. E em muitas dessas reencarnações como médico neurocirurgião, mago, cientista, índio americano, sacerdote mentalista e outras; pude rever quando médico em muitas ocasiões fazendo trepanações e abrindo a caixa craniana de pacientes portadores de males psicóticos, loucuras, traumas psicológicos, arritmia cerebral, tumores, a ver se encontrava alguma distorção cerebral visível, causadoras desses males; contudo, afora as lesões físicas como tumores e traumatismo craniano provenientes de quedas ou pancadas decorrentes de conflitos ou guerras, nada encontrava, ao contrário, encontrava isto sim, os cérebros intactos, perfeitos, com todos os fatores físicos em seus devidos lugares, demonstrando claramente que aquelas dissintonias (fora desintonia) ou descompassos cerebrais não tinham suas causas no físico ou na massa encefálica e sim adviriam elas de causas inconsistentes, transcendentais, espirituais, que me obrigavam a longos e extensos estudos através dos tempos.

Pude perceber também que a vesícula, órgão adensado ao fígado era e é um dos co-produtores de algumas sindromes psicossomáticas apesar de aparentemente a vesícula nada ter a ver com o cérebro e a mente , mas, está profundamente ligada ao perispírito que através dela bloqueia ou desbloqueia pelos hormônios que ela produz ou deixa de produzir, seus traumas e síndromes psíquicas várias.

O corpo humano é um mini universo em equilíbrio quando funcionando bem, e o perispírito seu coordenador quando também está equilibrado. Quase sempre um está descompensado quando o outro também está. Para citar um exemplo comparativo dentro da outra área que conheço bem, a música, eu diria que o corpo humano quando bem equilibrado e consequentemente bem formado, seria como um piano bem afinado e, o perispírito também quando bem equilibrado e bem formado seria como um exímio concertista virtuoso. Ambos bem afinados entre si só iria acontecer um bom concerto, um ótimo espetáculo, porém, se o piano estiver desafinado, nem o maior técnica de execução exercida pelo pianista o livrará de um vexame, e, se for ao contrário, o piano afinado e o executante for um péssimo concertista, de nada valerão as lindas partituras a sua frente, o fracasso será total.

Por isso, ambos, o físico e o perispírito devem estar bem, estando em equilíbrio um com o outro e consigo próprio. E, no caso dessas patologias, o físico já nasce desarmonizado devido a herança celular que colhem no seu Meridiano Genético e o espírito também está em desarmonia devido as heranças que herdou para si próprio dos seus registros perispirituais e akáshikos, resultando portanto nas piores e mais complicadas disfunções psicossomáticas do conjunto psicofísico humano ou seja corpo, mente e perispírito; dai surgirem desde os primórdios da civilização de um planeta como a Terra as mais desconsertantes patologias humanas entre elas a loucura inofensiva, a loucura agressiva, psicoses, esquisofrenias, síndromes de vários graus, arritmias cerebrais, paralisias cerebrais, tumores benignos e malignos, disfunções da glândulas principais do cérebro, a hipófise, a pineal, a pituitária, a tireóide, disfunções no hipotálamo que é um centro captador de ondas externas e ponto principal de contato entre o cérebro físico e o cérebro perispiritual. Vem também as anomalias provenientes da demasiada circulação sangüínea ou hipertensão a baixa circulação ou hipotensão que resultam em muita ou pouca oxigenação no cérebro respectivamente causando distorções ou desequilíbrios na alimentação das células e centros nervosos da massa encefálica como um todo.

Com os últimos avanços da ciência, descobriu-se anomalias na produção da química do interior do cérebro, anomalias nos neurocondutores e nos espaços cimáticos entre os neurônios cerebrais, levando a ciência medica e psicossomática a acreditar que sanados esses problemas estariam também sanados as patologias cerebrais e mentais. Mas não é bem assim!

Não devemos esquecer a patologia das febres de causas várias, surtos de meningite e outros que submetem a cérebro a um desequilíbrio elétrico e celular intenso ocasionando-lhe lesões irreversíveis e levando muitas vezes o paciente à morte.

O problema da genética é realmente importantíssimo como mencionei acima, e junto a esse problema há outro muito sério que são os cruzamentos ou casamentos consangüíneos realizações entre indivíduos possuidores de fatores RH opostos que causam as mais graves distorções cerebrais tais como o mongolismo, e outras síndromes, porém, o fundo ou a causa ou ainda, o agente principal é sempre o perispírito, ele é aquele executante exímio artesão ou não que vai saber ou não manipular as “teclas celulares ou genéticas” de seu instrumento que é o físico.

Por isso, a música é uma das terapias mais importantes na cura completa ou na eliminação gradativa dessas toxinas físico-espirituais e consequentemente, dessas patologias humanas. A medicina alopática se utiliza de drogas maciças, poderosas que inibem o paciente causando-lhe mais mal do que bem, além de se utilizar de métodos rudimentares como descargas elétricas, que causam ao doente pavor ou dependência química em relação aos remédios.

Como então promover-se a cura dessas patologias ou sua gradativa amenização sem se utilizar desses métodos e processos tradicionais que além de antigos são dolorosos e prejudiciais ao conjunto psicossomático humano? Primeiramente, temos que saber como funciona a assimilação das correntes mentais e para tanto, interpolo aqui um trecho de um artigo meu publicado em 1963 denominado “psicoscopia” e que dá uma pequena noção sobre o assunto, apesar dele ser um tanto complexo.

A meu ver, o processo de cura deve ser iniciado quando o problema for detectado cedo, quando o feto estiver ainda intra-uterino, ou seja, dentro do útero materno, através de passes magnéticos sobre a mãe e sobre o feto, pelo sistema de ativação dos plexos e chakras. Por indução hipnótica sobre a mãe fazer com que o feto e o espírito reencarnante iniciem o processo de restruturação das correntes mentais. A mãe deve dialogar verbal e mentalmente com o espírito reencarnante através do feto imprimindo-lhe suas forças mentais corretivas(3). O tratamento deve ser acompanhado de fundo musical positivo e suave. Nada de música triste e mórbida, ao contrário, a música deve conter pulsações rítmicas constantes, sem serem barulhentas afim de atingir os ouvidos do feto e do espírito e nessas pulsações controladas e compassadas as correntes cerebrais, aos poucos, irão se normalizando e a química de cérebro entrará em ação(4). A medicação homeopática e através de ervas e da flora (florais de Bach, etc..), pelo estômago da mãe e, após o nascimento diretamente ao recém nascido, serão de grande valia.

A cromoterapia, ou seja o uso dos vários matizes de cores através de lâmpadas luminosas sobre os plexos e chakras da mãe e do feto, e após sobre o recém nascido ativará os centros nervosos em “todos os sentidos”(3).

Todo psicólogo e psiquiatra terão que incluir em seus curriculuns os processos de trabalho como a hipnoterapia, a musicoterapia e a cromoterapia a radiestesia, a sonoterapia e a psicoscopia, esta última, pelo menos na parte teórica, já que ainda não existe fabricado o “psicoscópio”.

Todo esse método utilizado hoje deverá ser substituído gradativamente a médio e longo prazo por esse método mental espiritualista sugerido por mim, acima.

Portanto, quase todos os males físicos vem do espírito, que se for convenientemente trabalhado se harmonizará consigo próprio enquanto estiver se preparando para nascer, harmonizando-se também com o físico através do feto quando for gerado.

As mães e pais deverão participar desses processos recebendo as induções magnéticas quer sejam estas de forma natural através de passes e ambientação apropriada, quer sejam através de aparelhamentos indutores sofisticados que apressarão o processo de cura, porém a meu ver, o contato pessoal entre o psicólogo, o psiquiatra, os pacientes e os pais é mais aconselhado e é o que melhores resultados dará. E nesse processo personalizado também deverá entrar obrigatoriamente o concurso de médiuns de desobecessão, com vidência, clarividência aurividência, psicometria e até de incorporação para poderem receber a assistência dos especialistas espirituais que estão sempre prontos a colaborar.

Em questão de alguns anos essas patologias psicossomáticas serão erradicadas da humanidade terrestre, que abrigará novos corpos e espíritos mais bem harmonizados entre si, com a comunidade e com a Natureza. Mas é necessário que se inicie já esse processo pois, com o advento da aproximação do gigantesco planeta Sidérius, o psiquismo humano será acelerado de tal forma que fugirá ao controle do mais hábil especialista.

A tempo, lembro ainda que, durante o processo de cura, tanto as mães como os filhos pacientes deverão demonstrar suas aptidões e tendências, deverão ser condicionados a uma alimentação balanceada na qual os produtos possuam propriedades estimulativas e naturais e supram as carências energéticas que esses pacientes apresentam.

Mas haverá aquela pergunta: E os que já se encontram pelo mundo portadores de loucuras irreversíveis, criminosos em potencial, portadores de tipos de síndromes várias, psicóticos, maníacos, fóbicos e outras patologias mentais ou psicossomáticas que superlotam os manicômios judiciários, manicômios clínicos, cadeias, hospitais, clinicas de tratamentos, freqüentadores de consultórios psicológicos e psiquiatricos, o que fazer com eles? Há tratamento possível, e que vale a pena ser feito? Milhões de reais ou dólares são gastos sem resultados.

Eu diria que para esses casos aquele ditador alemão pensou ter encontrado uma solução final, que seria o extermínio total desse infelizes. Mas esse não é o meu lema e nem acho que essa é seja a solução adequada. (até porque novos karmas poderão ser produzidos). Teremos que fazer uma triagem para separar os perigosos dos mais mansos, os que possuem lesões cerebrais diretas ou seja, físicas nestes casos fazer as trepanações e cirurgia adequadas e após, o tratamento indicado anteriormente deve ser ministrado.

Em todos os casos que eu e minha esposa examinamos à distância, através da mediunidade de psicometria e pelas viagens astrais que fizemos até os núcleos de tratamentos desses doentes, pudemos constatar que na maioria dos casos além da hereditariedade genética, havia ou há, a defasagem ou desequilíbrio do eixo perpendicular que um espírito reencarnado com seu físico, ou seja, na maior parte tiveram um karma psíquico muito forte que os levou a ultrapassar a barreira zero, ou seja, a barreira que separa uma reencarnação das anteriores.

Nestes casos o espírito vem para o presente como se vivesse em tempos (5)memoráveis ficando em distonia com seu tempo presente, passando a agir, a viver, a falar e a cometer os mesmos atos ou desatinos de quando vivia em suas outras matérias. Ou seja, perdem eles a noção de espaço e tempo. Um exemplo típico: Muitos desequilibrados mentais e que como já disse, se seus cérebros fossem abertos estariam intactos, vivem hoje, dizendo que são Napoleão ou que são Maria Antonieta, etc.

Analisando esses casos pelos processo que já mencionei, constatamos que muito deles são reencarnações de soldados franceses que serviram com orgulho aquele ditador francês, trouxeram para o seu ego toda aquela vivência, a qual, ultrapassada a barreira zero passam a vive-la no momento atual como se vivessem naquela época quando também foram suas vítimas.

Ora, nestes casos e em outros, teria que se fazer a retrogradação (regressão) de memória através a indução hipnótica, faze-lo voltar ao útero da mãe de forma hipotética e lá “reencaixá-los na nova reencarnação” trazendo-os gradativamente ao momento atual com sua nova personalidade e novas características herdadas dos novos pais, os quais, podem ser antigos pais ou companheiros dele e assim faze-lo vir gradativamente vivendo e vivenciando suas novas jornadas.

Essa terapia poderá ser feita em grupo, grupo este que já seria selecionado pela triagem que constatou suas aptidões e tendências.

Assim, deverá ser feito com cada caso isoladamente, de per si, de acordo com a patologia apresentada em cada um.

Na paralisia cerebral, que demonstra um total desligamento do espírito reencarnado com seu novo cérebro, sua nova situação, tem-se que tomar outros cuidados, contudo, com os mesmos ditames e dedicação que se utilizou nos anteriores. Só que aqui a mediunidade de psicometria e de incorporação entram na primeira fase. Isto porque essa patogenia transforma esses pacientes em uma espécie de residência-turistica-viva onde os espíritos obsessores maldosos, negativos, zombeteiros ou inofensivos mas, todos sem exceção, igualmente doentes, fazem o seu “trotoit” ou o “vai e vem” para extensão de suas vontades e mazelas, inclusive fazendo de milhares de outros pacientes os tais “canecos-vivos”, “chamines-ambulantes”, ou “laboratório-carnal de experimentação de drogas de dependência” ou ainda, extensões-vivas de seus descontroles sexuais em vida e que conservam latente após o desencarne.

Pois sendo a morte apenas uma passagem para uma vida mais ativa e ultra-sensível, porém, sem a matéria carnal para dar vazão a essas toxinas agrupadas e continuamente alimentadas pelo espírito, essas entidades doentias não se apercebendo na maior parte dos casos de que já estão “mortos”, dão continuidade às suas afinidades justamente sobre aqueles que lhes abrem os canais psíquicos de entrosamento “graciosamente’ já que todos somos “médiuns” ou intermediários naturais entre os dois campos.

O concurso da mediunidade de cura aqui se faz necessário pois é a única instrumentação que a humanidade possui, desde, seus primórdios, para tratamento, contudo e cura de todas esses pacientes sejam eles do físico-vivo ou do perispírito que seria o físico-enegético. Porém, os dogmas, os preconceitos, a fanatismo religioso, a ciência ortodoxa incrédula, atrasaram e acumularam essas mazelas durante esses milhares de anos que nos precederam.

Agora compete aqueles que estão entrosados nesses conhecimentos promulgarem os estudos e pesquisas diretas nessas áreas sem mais delongas.

Acrescento ainda, a guisa de esclarecimento que durante as viagens astrais que eu e minha esposa fizemos, chamados que fomos ao mais baixo nível astralino às regiões das furnas, cavernas e desfiladeiros tenebrosos; nos deparamos, nós e a equipe de socorristas espirituais à qual seguimos, com espíritos que já não possuíam mais as características humanoides ou seja, cabeça tronco e membros, mas sim, apenas na massa disforme no centro da qual brilhavam dois olhos suplicantes e pensamentos lancinantes de perdão e de pedido de socorro à Deus, à Jesus ou a amigos para que o tirassem dali, daquela situação sofredora.

Os socorristas, então unidos de uma espécie de caçamba, dessas que se usam em construções civis, colocavam aquilo que sobrou de um perispírito totalmente deformado e o levavam às regiões mais próximas à crosta terrestre para prolongado tratamento espiritual.    Ficávamos sabendo então que nestes casos o indivíduo teria que passar por uma série de renascimentos-de-prova vindo a ser até parecido com animais até que conseguisse formar suas novas características humanas e à base de muito sofrimento e desencarnes abruptos lograssem obter um corpo humano com muitos defeitos e muitas doenças e, após, até centenas de anos atingissem um corpo mais ou menos perfeito, pois dependeria de suas pulsações mentais e da ajuda de entidades especializadas em reencarnação o sucesso dele conseguir reviver no seio da raça humana.

É claro que se nestes casos toda e qualquer tentativa de ajuda é válida; porém, antes dele voltar a ser um ser humano dezenas de psicólogos e psiquiatras mesmo se utilizando dos meios que expus acima já terão desanimado!

Por isso, a Natureza é sempre sábia e dá ao ser oportunidades infinitas de se recompor e galgar degraus mais elevados e, lenta e gradativamente se aproximar do Núcleo Central Cósmico-Deus!

As aberrações que o ser humano consciente comete contra seu próprio corpo ou contra o corpo de outrem, custam-lhe muito caro depois da morte física, isto sem contar as que ele comete já desencarnado habitando as regiões umbralinas conscientemente.

É chegado o momento em que todo psicólogo, psiquiatra, médicos de todas as áreas e até os “médiuns” terão por obrigação e meta conhecerem o funcionamento dos plexos e chakras que são vórtices de entrada e de saída das energias físicas e espirituais, elétricas e magnéticas, são os principais pontos de equilíbrio do ser, juntados aos respectivos meridianos nervosos tão bem conhecidos pela medicina oriental milenar, na acupuntura e no “do-in”.

Outro ponto importante a ser lembrado e que poderá auxiliar em muito ao tratamento psicossomático, é a técnica de afastamento do Duplo-Etérico do corpo humano. Sendo o duplo-etérico o agente principal da dor, afastando-se ele o corpo entra em letargia permitindo todo e qualquer trabalho sobre os centros nervosos e sistema nervoso central, deixando o paciente à mercê do seu psicólogo ou psicanalista ou médicos em geral.

Aproveito aqui para entrar num assunto sobre o qual sou muito inquirido durante as palestras que faço. Esse assunto é por demais delicado e ao mesmo tempo abrange toda a sociedade humana e a vem conturbando a séculos sem que ninguém de alguma explicação das causas e origens e formas de tratamento, que são os casos de homossexualismo no homem e na mulher, os travestis, os transexuais, os hermafroditas, etc.

Apesar de que de uns tempos para cá a psicologia, a psiquiatria, as religiões de modo geral tentam, a sua maneira, suavizar o problema, porém sem nada conseguirem pois os casos aumentam assustadoramente enveredando para o campo das drogas-de-dependência, causando uma ruptura nos conceitos da sociedade como um todo, rupturas no convívio familiar e recentemente originando até grupo de extermínio desses indivíduos, não se sabendo até agora com quais intenções, se por vingança, se por pseudo proteção a sociedade, ou se esses grupos são formados por fanáticos desta ou daquela seita ou outro movimento qualquer. A verdade é que o problema está assumindo proporções incontroláveis que, só a concientização humana poderá saná-lo ou amenizá-lo.

Durante as nossas pesquisas astrais, eu e minha esposa, a equipe espiritual e a extraterrestre que nos acompanhou, nos detivemos várias vezes em estudar o assunto, e a conclusão não poderia ser outra: – o fundo, ou as causas dessas distorções fisiológicas e que passam a ser patologias também, devido ao desequilíbrio que causam ao ser humano e ao seu “habitat”, é sempre o perispírito; ele é o agente precursor e detonador dessas anomalias.

E por que anomalias? São anomalias porque o ser humano inicialmente se originou composto de dois sexos opostos e procriadores, o masculino e o feminino, não existe o terceiro sexo como muitos querem afirmar, o que existe são distorções de origem karmica-espiritual que transforma o ser humano antes tido como normal em suas primórdios relações sexuais para fins de procriação, em um ser híbrido que pende para um lado oposto ao seu, sob um título mágico de “opção sexual” quando na verdade o que está ocorrendo com ele é uma fuga do seu “status quo” que por força kármica está sendo imposta a ele por ele próprio, e não por Deus como se imagina. Ou seja, o seu estado atual seria o de ser como ele foi gerado, homem ou mulher, mas no seu interior impera as vontades e tendências da sua vida anterior quando portava o sexo oposto ao seu. Desta forma, quem tenha sido mulher nas vidas anteriores ou na vida imediatamente anterior que é a que vai influenciar, e por motivos vários, entre eles o de ter feito mau uso de seu organismo e consequentemente o sexo, ou de ter extraído vantagens ilícitas e humilhado os homens ou as mulheres, ou por motivos de sua nova missão, ter optado por ser homem agora, ou por achar que por ter sido mulher sempre ficou em desvantagens na sociedade e em relação ao homem, enfim, por mil e uma razões que a própria razão desconhece, lhe são concedidos pais que vão gera-lo homem, porém, sua antiga condição o faz pulsar sobre o feto dentro do útero materno as vontades e as tendências femininas e até o sentido de amor maternal e, mesmo que a genética (aquele piano que mencionei anteriormente) lhe forneça o sexo masculino, este não terá na primeira reencarnação aquela força viril que se haveria de esperar dele, pois as suas pulsações e sua “cópia” perispiritual no astral só podiam transmitir ou pulsar, o que continham? E qual era o seu conteúdo? Continham tudo de mulher, principalmente as energias hormonais. Então ele nasce! Todos gritam é homem! É macho! Era o que eu esperava diz o pai, bem se fosse mulher eu teria gostado mais, diz a mãe. Ouvindo isso ele já se sente “meio-a-meio”, ou seja dividido. No decorrer do seu crescimento seus impulsos femininos anteriores começam a falar mais alto que ele, sua mãe que queria interiormente uma menina e já o castrará dentro do útero começa a criá-lo e a tratá-lo como uma menininha, seus trejeitos vão se sublinhando, na roda dos amiguinhos de escola ele já pende mais para o lado das meninas do que dos meninos. Cresce com toda aquela herança contrária ao que ele viera fazer. Quando na juventude onde os hormônios masculinos deveriam mostrar-se mais à tona, ao contrário, escondem-se e são dominados pelas vontades e tendências femininas. E o que são essas vontades e tendências? São aquelas de gostar do mesmo sexo, no caso do exemplo, gostar de homens. (O mesmo se dá com as lésbicas em número e grau). E em ambos os casos voltam a Terra e se reencontram com antigos amores que permaneceram com o sexo que estavam antes de renascerem, ai vem o amor entre eles novamente, só que agora estão em sexos “idênticos”.

A sociedade grita: – que aberração! O pai quer mandar afogar o filho! O filho entra em luta com ele mesmo, afinal é a vergonha de sua família! Todos riem e caçoam dele. Ele não vê outro remédio, junta-se a outros e que agora são chamados “grupo de risco” pois acha que só assim poderá satisfazer seu ego, ou juntar-se ao seu amor e vão viver sua vida como um casal “extracurricular!” sem contudo, viverem cem por cento como queriam, pois o que lhes serve de “homem” também vem travando uma árdua luta consigo mesmo e com a sociedade. Ele adora, ama aquela criatura “híbrida”! O que fazer então? Aqueles que tem posses entram e saem dos consultórios de psicólogos e psiquiatras sem qualquer resultado e os que não tem dinheiro lançam-se na vida como travestis, em teatros, casas noturnas, e outros diretamente na prostituição a céu aberto e dai para a queda total é um pulo. Lá se vai sua missão! Terá que retornar para poder recomeçar tudo novamente, só que agora já carrega em sua alma muitos desapontamentos, muitos vícios, muita degeneração, os quais, no Espaço vão excluí-lo por um bom tempo de uma nova reencarnação imediata!

Isto vem ocorrendo no mundo inteiro, desde quando o mundo é mundo, mas agora com mais evidência pois é chegado o momento do “vamos ver” ou “ do pega-pra-capar” como se diz na gíria. Tudo vem aflorando de forma espantosa também nas outras anomalias como frisei anteriormente. E o que fazer também?

No que diz respeito ao tratamento, fazer tudo aquilo que mencionei para os casos psicossomáticos mas, dando mais evidência na regressão-de-memória através da hipnose e sonoterapia, fazendo o indivíduo retornar ao útero da mãe e vir conduzindo-o à nova realidade de seu sexo atual, e leva-lo a complementar sua missão. Assim deverá ser feito com o “homem” e com a “mulher” em todos os quadrantes da Terra. Porém, desde já advirto, que com a passagem do gigantesco planeta Sidérius tudo mudará de seu atual lugar, até o nosso planeta Terra que terá um novo “habitat” que abrigará um novo ser humano com características bem diferentes das atuais e, tudo indica que esse novo ser será assexuado, tendo seu sistema de procriação à maneira de outros planetas evoluídos, através do poder de aglutinação genética e celular da mente.

Portanto, o tratamento nestes casos, é aquele que mencionei; mais compreensão, amor e carinho, sobre tudo levar aos envolvidos os quais, forçosamente tenho que chamar de pacientes, pois o são e tem uma sintomática patológica, queiram ou não admitir, a conhecerem e a entenderem as causas de seus problemas e como eles próprios poderão ajudarem-se a si próprios e aos demais do seu convívio social, compreendendo bem as razões técnico-espirituais e assim não viverem se culpando ou culpando a Deus. A Natureza tem suas aberrações mas também tem suas razões e nos fornece as soluções.

Outros casos muito sérios são os epiléticos que devem ser tratados da mesma forma. Tivemos a oportunidade de analisá-los através da vidência, da psicometria e detectamos indivíduos muito endividados espiritualmente e consequentemente seu corpo astral deveras intoxicado e, além de portarem a arritmia cerebral “vimos e sentimos” muitas entidades espirituais negativas vampirizando-lhes o tônus vital, além de os espancarem no lado astral, no momento do auge do ataque epilético gritando-lhes ameaças e cobrando-lhes alguma dívida. Portanto, afastadas essas criaturas através da mediunidade de incorporação e feita a regressão de memória até sua penúltima reencarnação acrescidas de passes magnéticos, musicoterapia, cromoterapia etc., em médio espaço de tempo esses indivíduos poderão viver normalmente.

Não quero dizer com isso que nos casos graves e gravíssimos não se deva fazer uso de medicamentos atenuantes que atuem diretamente no sistema nervoso central. É claro que nesses casos se faz necessário seu uso, porém, em doses reduzidas ou homeopáticas (homeopáticas nos dois sentidos), para pré-indução e alteração do estado patológico agressivo e de rejeição desses pacientes a qualquer aproximação. Mas tudo deve ser feito harmoniosamente sem contra-agressão ou invasão do “status-kármico” do indivíduo. Por isso, o emprego do mediunismo é primordial porque ai haverá a assistência de Entidades Espirituais experientes e ligados diretamente a cada caso.

Cada psicóloga, cada psiquiatra, cada médico clínico ou neurocirurgião deverá ser um canal aberto à coleta das informações advindas do lado espiritual. Penso que ainda haverá tempo para se poder por em prática a curto prazo esse conceito de tratamento psicossomático.

Não podemos esquecer que, na maior parte das vezes, aquilo que para um especialista parece ser um distúrbio psíquico, mental ou cerebral, é na verdade um estado de pré-desenvolvimento mediúnico que causa distorções nas correntes cerebrais e que são acusadas no eletroencefalograma levando-o a cometer erros de julgamento fazendo-o introduzir no paciente uma carga medicamentosa que nada tem a ver com o caso!

[hr]

(1) Tais como: Incorporação, Vidência, psicografia, Psicometria, Aurividência, Audição Mediunica, emuito mais Intuição e mais tarde e a Telepatia, Desdobramento e Projeção do Duplo-Etérico (Viagens astrais)
(2) Tempo calculado durante digitação original
(3) O que passar pelas seis sentidos da mãe passa também pelos seis sentidos do feto.
(4) Bem como o mais recente estudo que é a “Terapia de Toque”
(5) E respondo o planeta também desalinhado ou fora do seu eixo.

O Karma

“Dedico este capitulo a todos aqueles que de forma direta ou indireta ajudaram-me ou obrigaram-me a raciocinar com lógica sobre o karma, quer sejam eles encarnados ou não, aos seres extraterrestres e principalmente àqueles do planeta de onde vim”.

03/10/94, às 16:30h

O que é o karma (do sânscrito), ou ainda a Lei de Causas e Efeitos, ou Destino, ou Maktub (o assim estava escrito) dos árabes e muçulmanos ou eu digo – “ Ai de Ti ou Feliz de Ti no dia em que o teu passado encontrar o teu presente”!? Como o karma é produzido? É possível desfazê-lo se ele já é uma determinação prévia, ou seja, se ele já uma Lei Cósmica-Sideral e foge ao domínio do ser humano comum e das entidades espirituais?

Como as milhões de Leis que foram criando, sendo geradas no Universo Sideral à medida que este ia sendo formado nas galáxias, sistemas solares, planetas, planetóides, satélites naturais que são regidos pela Lei da Gravidade, Lei da Inércia, Lei da Sístole e da Diástole, Lei da Luz e das Sombras e milhões de outras, o karma, que é um termo extraído do Sânscrito e que significa Ação e Reação, Causas e Efeitos, e, no final das contas Destino, foi criado a partir da geração física do ser humano nos planetas em evolução como a Terra.

“A cada ação mental ou não, do ser humano há uma reação diametralmente oposta a ela e que inapelavelmente atinge o seu produtor ou espirito ou cérebro emissor inicial.”

A ação mental se dá quando o indivíduo ou ser racional emite um pensamento positivo ou não sobre outro ou sobre qualquer coisa. E, a ação oposta se dá quando o indivíduo racional reage mentalmente positivo ou negativo com formas estereotipadas de pensamento tentando combater ou mesmo atingir ou ainda se defender da emissão de seu oponente.

Estas formas pensamentos variam de conformidade com o grau de conhecimento e de intelecto tanto do emissor inicial (ação) e do reagente (reação). E, ao emitir um pensamento o cérebro produtor cria, cristaliza mesmo, a forma daquilo que deseja à ourem, ou seja, se é um pensamento negativo de vingança por exemplo, e o autor deseja eliminar seu desafeto, constatei a saída de ondas mentais em forma de punhais, balas de armas de fogo, armadilhas mil, mãos fechadas em forma de socos, mãos abertas em forma de bofetadas, raios de cores sanguinolentas que seguem em vertiginosa velocidade em direção ao coração a cabeça ou o corpo da pessoa visada e em direção do seu lar e sobre todos os membros de sua família.

Constatei também que quando a pessoa visada tem firmeza de pensamento, busca a elevação mental ela forma uma couraça protetora bem luminosa em toda a extensão do seu conjunto psicossomático ou seja corpo físico e perispírito que o protege desintegrando a onda maléfica que se for muito potente retorna ao seu emissor levando à ele tudo o que ele desejou ao outro e, é engrossado o feixe ondulatório por outras mentes maldosas que também desejam pega-lo.

Vi também que quando os demais membros da família da pessoa visada igualmente são elevadas mesmo sendo crianças contam com a ajuda de seus mentores (anjos de guarda), a onda mental negativa retorna em grupo ao seu emissor desguarnecido em suas defesas e aberto para colher sua próprias produções mentais, suas maquinações. Vez por outra essas ondas negativas quando não conseguem desarmonizar o psicossomatismo das pessoas visadas, atingem os animais da casa, que como um pára-raios sucumbem no lugar delas.

Mas, quando essas pessoas possuem uma sólida formação mental-espiritual até os animais existentes no lar são protegidos pelas auras positivas envolventes e por alguns elementais ou crianças espirituais que zelam por eles. Por isso, aquele ditado que diz que “quem está com Deus está protegido”, aqui se aplica muito bem. Bem como aquele outro; “quem não deve não teme”, também cai muito bem.

A Lei do karma se desfaz quando os envolvidos, vitima ou algoz, ao invés de se vingarem mutuamente um ao outro, emitem pensamentos e sentimos de perdão sincero, e o algoz aceita o perdão e também se perdoa a si próprio. O circulo karmático vicioso prosseguirá se qualquer uma das partes não estar convicta de que perdoou, ou foi perdoado ou se perdoou.

Portanto, de nada valerá um dizer – Eu te perdôo!, se aquele que precisa do perdão não se perdoar, Continuará ele em espirito com a sua consciência dizendo – “Mea Culpa, Mea Máxima Culpa”, e reencarnará com o propósito de receber em vida o dano que causou ao outro, seja dano físico, moral ou espiritual e só se contentará quando for punido por aquele que foi ofendido, causando portanto, mais dano àquele se o mesmo revidar ou por outro qualquer que cruze o seu caminho.

O karma é um produto da Consciência humana mas regido por Leis Cósmicas. Mesmo quando esta consciência destroi a Natureza, em todos os seus reinos, animal, vegetal, mineral, gasoso, aquático, a Natureza se volta contra ela (a consciência no ser humano), fazendo seu físico ou mesmo seu espirito sofrer os danos diretos que causou em si próprio, por exemplo : alguém perecendo sob uma arvore que cai, ou foi picado ou mordido por um animal, perecendo sob uma pedra, ou soterrado, ou afogado ou qualquer outro “aparente” acidente, Aqui cabe a frase do Mestre Jesus – “Quem com ferro fere com ferro será ferido”, ou quase – “Olho pôr olho, dente pôr dente”, digo quase porque esta lei dos judeus antigos preconiza a vingança pura e simples sem o racional ou sentimental, mas no fundo, a Natureza, Deus, ou como eu e os Ets. chamamos O Núcleo Central Cósmico, exerce as Suas Leis sobre os indivíduos uma espécie de vingança passiva de uns contra os outros ou deles contra eles próprios. Essa é a Lei do Atavismo kármico!

Nos planetas evoluídos espiritual e tecnicamente não existe o karma porque a ação interferencial não é produzida. Nos planetas só tecnicamente evoluídos, seus cientistas conseguem amenizar o karma da doença interferindo e corrigindo no genes do indivíduo, porém, nem sempre conseguem corrigir naquilo que advém de acidentes fortuitos.

Mesmo um ser evoluído tecnicamente quando visita outro planeta mais inferior e lá pratica arbitrariedades, tais como: raptos, exames físicos em seus habitantes contra a vontade destes, como se estes fossem animais mais inferiores, causando-lhes traumas físicos, psíquicos, sociais, causando acidentes, pânicos propositais, interferindo na vida animal, sacrificando mesmo algumas espécies, está sujeito a Lei kármica Universal e mais tarde ou mais cedo o que ele praticou volta-se contra ele, esteja ele onde estiver.

Atualmente, está havendo muita interferência de seres de outros planetas, evoluídos apenas tecnicamente, nos cérebros humanos da população terrestre, introduzindo nos cérebros de alguns “escolhidos”, colocando-lhes micro aparelhos à guisa de transmissores (implantes), fazendo com que estas pessoas sem consentirem sirvam-lhes de “olhos” e de “ouvidos” entre os terrestres, e quase sempre causando-lhes todo o tipo de incomodo e desarmonias psicofísicas e sociais, nestes casos, os seres que assim procedem, estão sujeitos a todas as sanções da Lei do karma e elas os atingirão com certeza, pois, os Engenheiros Siderais estão de olho neles e mesmo que passem os milênios, eles um dia reencarnarão em missão de prova no planeta dentro do qual produziram as anomalias e lá as colherão em si próprios e chorarão de saudades do seu “paraíso” perdido, como veio a ocorrer com os exilados de Capela e de outros orbes aqui na terra.

A minha frase – “Ai de ti ou feliz de ti quando o teu passado encontrar o teu presente”, sintetiza esse atavismo kármico e tenta explicar que o karma a despeito do que a maioria da humanidade pensa, principalmente as comunidades ligadas ao espiritismo, ao espiritualismo, ao esoterismo e as seitas mentalistas, não resulta ou abrange apenas as ações positivas e neutras e suas conseqüências, isto vale dizer que só recebem benefícios, tudo dá certo para ele, em tudo que coloca a mão ou interfere vira ouro, ou é bem quisto em todos os lugares, ou ainda aquele que sempre “ficou em cima do muro”, sempre quis ficar neutro sem definição de posicionamento tem seus karmas, ou seja, é kármico também o destino dessas pessoas.

Na Terra tudo é kármico, tudo tem um determinismo por ser este planeta, um planeta de expiação e aqui se paga altos preços por sermos réus, sermos bons ou ficarmos neutros. É claro que tudo é relativo e tem seu peso e sua medida, mas, nada escapa desse determinismo devido o ser humano terrestre não ter padrão de conduta racional e uma moral elevada.

Dentro da Terra, devido a várias circunstancias de alta toxidade astral, mental, espiritual e ambiental, a própria Natureza acaba tendo o seu karma, o seu determinismo, haja visto, as hecatombes as desarmonias do eco-sistema em todos os quadrantes do planeta. Mas o “pivot” principal de tudo isso, seja negativo, neutro ou positivo é o ser humano terrestre que desde tempos imemoriais “cutuca a onça com vara curta” no dizer popular, ou seja, é o autor das ações primarias contra ele próprio, contra seu semelhante e contra seu próprio planeta, e após tantos milênios de desarmonização geral, entre guerras e outras mazelas de todo tipo, as respostas ou reações do planeta no seu todo psicofísico, estão chegando avassaladoras em forma de doenças graves e terminais como a AIDS e a Ebola que estão dizimando coletividades inteiras de forma quase irreversível.

Isso é kármico ? Claro que é, pois, mesmo sendo essas doenças altamente contagiosas, transmissíveis até pelo ar, elas só atingiram aqueles que de uma forma ou de outra, no passado ou agora no presente tenham contribuído para o aparecimento delas, e estejam se situando karmicamente ao alcance dos seus tentáculos. Não há o acaso.

Mas, nos tempos atuais toda a humanidade está sujeita a esse drama, pois o “habitat” terrestre está quase totalmente contaminado, bem como, as psicosferas que o rodeiam exalam miasmas deletérios o que torna mais difícil sua reciclagem geral, além do que todas as esferas naturais que o compõem, nas florestas, em terra, no mar e no ar estão sendo progressivamente aniquiladas.

O que o grande Mestre Jesus dizia há 2000 anos: – “Ajuda-te que te ajudarei ”, foi esquecido, foi menosprezado pelos terráqueos que agora terão que assumir suas conseqüentes ondas de retorno, ou choque drásticos através da dor.

Alguém perguntará: – “mas não há inocentes que possam escapar dessa dizimação”? Toda a humanidade é culpada pelo que vem ocorrendo ?

A resposta seria sim. O planeta Terra está saturado e sua humanidade também. Há necessidade de uma drenagem da toxidade reinante e ao mesmo tempo uma paralisação por algumas dezenas ou centenas de anos dessa produção incessante de desarmonização, caso contrário, o planeta e o sistema solar não resistirão e haverá um desequilíbrio total do planeta e parcial do sistema com conseqüências imprevisíveis.

A camada de ozônio se desfazendo da atmosfera terrestre, doenças avançando, o tóxico e a bebida dominando o psiquismo humano, ameaças de conflitos beligerantes entre os povos, a cobiça, a sanha do poder, as religiões em choque, os fanáticos provocando atentados avassaladores, o crime sem motivo aparente e os acidentes nas estradas mundiais dizimando inocentes (aparentemente), destruição total do eco sistema mundial aumenta assustadoramente, o mar, o ar, e a terra, quase totalmente contaminados por poluentes os mais terríveis, os quais estão exterminando a flora, a fauna aquática e até o seu teor de sal, ou seja, uma das maiores fontes de alimentação humana.

Assim, a Terra candidata-se a retornar a Era dos Gases Metanos e dos grandes e monstruosos animais pré-históricos e a ser um dos planetas mais inabitáveis do nosso sistema solar, durante inicialmente por mais de 500/ 800 anos futuros. E não será preciso que seres de outras planetas mais avançados nos alertem desse futuro, quase certo, do planeta Terra, basta que raciocinemos sobre a desmensurada conduta do terráqueo sobre o controle, sobre a produção dos poluentes anti-naturais que joga sobre seu próprio “habitat”, para concluirmos que logo não haverá mais campo para a habitabilidade deste sofrido planeta.

O planeta Terra já está, irremediavelmente, comprometido karmicamente com as gerações futuras a curto prazo, isto é, aquelas gerações que assim mesmo tentam um renascimento na crosta terrestre; sem mencionarmos todo o comprometimento, também kármico com as gerações que no Astral ou Psicosferas terrestres ficam no aguardo da melhoria do “habitat” para poderem reencarnar.

Por que comprometimento kármico e os estragos e desarmonias incidem sobre a parte física, geológica do planeta?

E’ kármico porque vai atingir o que chamo de “meridiano genético” do ser humano, conseqüêntemente, chegando a desarmonizar-lhe o psiquismo, e todo o conjunto psicossomático com mutações irreversíveis, causando-lhe (talvez para melhor) sensíveis alterações fisico-biológicas que se ocorressem hoje elas seriam classificadas de aberrações da Natureza.

Por exemplo: toda essa tendência atual do ser humano pender para o homossexualismo masculino e feminino, e que ele chama de terceiro sexo para desculpar-se frente a Sociedade, pode resultar uma mutação futura na qual as futuras gerações serão assexuadas, ou seja nascerão sem os órgãos genitais, como em planetas mais evoluídos, porém, até chegar lá, haverá muitas aberrações fisiológicas no ser humano. As drogas, incrementadas violentamente poderão distorcer-lhe o cérebro físico e o cérebro perispiritual, ou seja, todo o conjunto psicossomático, além dos sistemas linfáticos, circulatórios, hormonais, endócrinos, auditivos, respiratórios, esqueléticos, musculares, etc., etc., causando-lhe sérias desarmonias nesses primeiros 500 anos de readaptação às nossas condições habitacionais que irão se formando lenta e gradativamente no novo planeta Terra.

Traduzido em várias línguas como sendo o Destino. O karma é na realidade o fatalismo embutido dentro de cada ser humano que no seu subconsciente o tem registrado e nem ele mesmo sabe o porque, mas reconhece que algo funesto ou benéfico vai ocorrer um dia e que terá que se ajudar para evitar ou para fazer ocorrer. O que não se pode fazer é entrar-se no karma alheio pois corre-se o risco de atrairmos para nós os “miasmas” psíquicos desses karmas, aumentando-lhes o potencial degenerador e piorando as situações alheias ou as nossas. Quando positivadas podemos e devemos procurar interferir na tentativa de ajudarmos na eliminação daqueles miasmas negativos, na cura de uma doença, na ajuda psíquica ou material, com conselhos e ajudas sociais para minorar o karma alheio e bem como o nosso. Mas tomar as dores inconseqüentemente como inocentes ou ingênuos úteis, não, pois seremos levados para o fundo por aquele que esta se afogando em seu karma, e em desespero, sem noção do que faz, nos envolverá momentaneamente mas que poderá marcar nossas vidas e aumentar nossos khármas porque algumas ações poderão ser tornadas por nós inadvertidamente que resultarão em novos khármas ramificados, um verdadeiro “moto perpetuum” psicossomático.

Os extraterrestres, muito sábios, olham, assistem e acompanham-nos em tudo a distância e só interferem naquilo que lhes for permitido universalmente, caso contrário, tornam-se aparentemente frios e calculistas, dando-nos a impressão que não estão ligando para nada e que só pensam neles. Porém, eles, com visão mais profunda que as nossas, sabem e são “instruídos” para não interferirem em karma alheio, mesmo que quem eles pretendem ajudar seja um deles reencarnado na Terra. Já houve muitos casos de interferência externa que surtiu muito sofrimento para alguns extraterrestres desde os primórdios da Terra.

Por isso a Lei Kármica é uma lei quase personalizada que se forma em torno do ser humano tenha ele consciência ou não, seja ele rústico ou politizado, atrasado ou adiantado física ou espiritualmente, e se torna uma lei coletiva quando a somatória dessas individualizações funde-se e busca o dreno coletivo para expurgo de suas toxinas. Torna-se branda quando o ser está em busca constante de sua evolução e sabe perdoar e perdoar-se permanentemente.

A Lei do Perdão é uma das únicas Leis Universais que conseguem interferir e até interromper a Lei Kármica, pois ambas são reflexos da produção mental, espiritual e do sentimento interior de cada ser humano.

Vou aqui tentar explicar como a Lei Kármica funciona na pratica da vida quotidiana dentro do planeta, na crosta e nas psicosferas, e em outros planetas quando seus habitantes entram em relacionamento com o “habitat” terrestre e, dentro do que me foi dado conhecer, a Lei Kármica entre os próprios seres extraterrestres.

Partindo do principio que no planeta Terra não existe o acaso, a não ser em rarissimas expiações e nestes casos, produzidas, por espíritos que aqui reencarnariam, ou melhor, encarnam pela primeira vez o que também já é uma exceção pois os que aqui nascem, o fazem por prova ou atavismo kármico ou em novas missões são portanto espíritos quase sempre muito antigos, independentemente do grau de evolução, muitos deles recomeçando do zero.

Desde um natimorto até uma morte acidental ou criminosa são reações kármicas, apenas o suicídio que apesar de ter as causas com conotações kármicas, as reações podem ser evitadas se o espirito tiver forças e acreditar nele mesmo. E são vários os tipos de suicídio, ou seja o suicídio lento e gradativo, que é o apego à vícios vários, como, o álcool, o fumo, as drogas e outros tipos de ingestão conscientes ou o suicídio rápido e abrupto que é o extermínio da própria vida antes do tempo previsto. Portanto, se há tempo previsto é porque o suicídio não está incluído nele.

Sabe-se nos meios espiritualistas que o espirito com tendências suicidas é de difícil recuperação, é como se ele trouxesse dentro de si um tipo de bactéria ou miasma deformativo de sua personalidade que o leva de reencarnação em reencarnação em fuga constante de suas responsabilidades para com a vida, para com a sociedade e para com o mundo e, nessas fugas apela para o suicídio e para cada suicídio que comete vai peregrinar por regiões umbralinas de grande sofrimento e autopunição, mesmo assim lhe são dadas novas oportunidades de vida progressista e duradoura mas, falha quase sempre e traz consigo como apêndices simbióticos, ou seja, como se lhe aproveitassem os mesmos fluídos e miasmas que exala, espíritos seus inimigos dos quais ele tenta fugir sempre os quais, muitas vezes foram também compungidos por ele ao suicídio também.

Desta forma, o circulo vicioso negativo fica formado e as entidades reencarnacionistas que os protegem e auxiliam tem enormes trabalhos de longos anos, perdidos apenas num átimo de insensatez momentânea. É claro que nesse tempo progressista e duradouro lhe é “contabilizado” o tempo que ele “deixou de viver” em vidas que ele cometeu o suicídio, ou seja, se ele contava em vida anterior com tempo previsto de vida de 80 anos e cometeu o suicídio aos 40, deixou de viver ou encurtou 40 , neste caso, o seu tempo natural de vida nesta encarnação seria também de 40 anos; sem cometer suicídio, desencarnando por distúrbios físicos. Cada caso é um caso e pelo que sou informado, todas são estudados nos mínimos detalhes e por isso há as exceções que aparentemente fogem às regras.

Os chamados khármas coletivos quando desencarna muita gente ao mesmo tempo, tais como terremotos, bombardeios em tempo de guerra ou não, desastres com aviões ou navios, atentados monstruosos (ultimamente em voga), e outros, todos estão previstos na Lei Kharmica pois, todas as pessoas envolvidas estavam, por assim dizer, marcadas para estarem juntas naquele momento terrível pois alguma ação conjunta produziram em seu passado, ou contra a Natureza ou contra outras pessoas. “E, o seu passado encontrou o seu presente” alterando-lhes os sinais algébricos cósmicos de positivo para negativo fazendo-os colherem o que plantaram. Não existe o acaso, o que existe é o atavismo kármico e o fator surpresa é importantíssimo para que os resultados ou reações sejam conclusivas.

No caso de uma ação assassina como os atentados ou assassinatos coletivos (extermínios), ou outras ações mal intencionadas, as reações são implacáveis, e o retorno daquelas ações voltam a colher seus semeadores, no tempo e no espaço, na primeira oportunidade, e nenhuma força superior ou inferior os livrará do “choque de retorno”.

Portanto, o que esta acontecendo hoje é o mesmo que aconteceu ontem, no passado remoto, um “moto-perpetuo” sem fim, alterando-se apenas os personagens, seus corpos. O algoz de ontem é a vitima de hoje e assim pelos séculos afora até que suas consciências despertem para o perdão reciproco e para si próprio e, não havendo o perdão, terminado o ciclo planetário, esses personagens seguem habitando mundos inferiores onde reiniciarão suas vidas do ponto zero, através de sofrimentos inenarráveis até que sejam expelidos de seus perispiritos as toxinas acumuladas da recrudescência maligna. “Deus tarda mais não falta “, diz o ditado popular, e realmente assim acontece.

Na verdade, o que entra de acontecimento novo entre essas facções viciadas em todo o tipo de malefício é a presença de avatares como um Jesus, que baixam suas elevadíssimas vibrações para, entre elas darem exemplos e ensinamentos de renuncia, amor fraternal coletivo e desapego às coisas da matéria, justamente para tentar impulsiona-las em direção ao Espirito, ao transcendental, a Deus. Contudo, esse sacrifício resulta em grande sofrimento desses Iluminados, sofrimento esse que gera novas facções, novos conflitos ideológicos, novos khármas compulsivos que duram gerações e mais gerações vindo a se acalmar com a limpeza espiritual do planeta onde esses acontecimentos ocorrerem.

De onde se conclui que a lei do karma num planeta em evolução está em tudo e em todos, mesmo até no reino mineral, vegetal, aquático e gasoso e sobre tudo no reino psiquico-espiritual.

A cada mínima ação, mesmo uma ação infinitesimal, (veja-se as ações e reações dos microorganismos, tais como, miasmas, bactérias, protozoários e etc., que, reagem a medicação formando um campo de defesa e se tornando imunes a ela) isto significa que as leis cósmico-siderais vão sendo formadas à cada ação e a cada reação e não se trata de punição divina, mas sim de um mecanismo Universal Natural.

Dou um exemplo simples e palpável: “Jogando-se uma pedra sobre a extensão de um lago, fazendo-a ricochetear sobre as águas uma, duas, três vezes ou mais, formar-se aí naturalmente uma nova lei, ou seja, a outra pedra que for atirada se obedecidos o mesmo angulo, o mesmo impulso e as águas forem as mesmas em estado de movimentação ou inércia, esta pedra fará o mesmo movimento de ricocheteamento da anterior.

Assim como existem leis mecânicas e de aerodinâmicas para um simples vôo de uma mosca, de um pássaro ou ave maior, num avião, um foguete, dentro e fora da atmosfera terrestre, e etc. E muitas vezes o formato do inseto poderia contrariar as leis de aerodinâmica descobertas pelo homem porém, não contraria as Leis Universais, pois se o primeiro inseto “agiu, reagiu e voou”, o segundo e os seguintes farão o mesmo.

E’ o exemplo simples da pedra que mencionei. Entram aqui vários fatores ligados ao “habitat” inicial que reage ao receber sobre si vibrações de outros leis desde quando era um simples microcosmo e veio forjando novas leis interiores que também se inter-reagem dando campo ao nascimento de seres viventes e bem como aos seres inanimados de todas os reinos incluindo-se os da atmosferas, a qual, também é formada após ações e reações do futuro planeta em relação ao seu sol.

Desta forma O Núcleo Central Cósmico – Deus – se manifesta desde o infinitesimal núcleo da formação das galáxias, poeiras cósmicas, sois (estrelas) planetas, quasars (buracos negros), cometas, asteróides, planetoides, meteoros, meteoritos, enfim, tudo o que há no Universo Visível (sideral) e invisível (cósmico). Nada escapa as leis naturais de formação e existência, as quais, dão origem ou dão como resultado as Leis de Causa e Efeito, ou karma, dentro de cada habitat. As centelhas vão sendo geradas e lançadas naturalmente, indiscriminadamente, para todos os locais do Universo, sem tempo e sem espaço, perto ou distante e assim, os mundos vão se formando e com eles seus “habitats” e dentro destes, seus habitantes, adequados as necessidades e de acordo com essas necessidades surgem as ações e logo a seguir surgem também as reações, gerando mutações de todas as maneiras podendo haver um aglutinação separada de negativos e outra de positivos ou as duas juntas no mesmo local do Universo. Não esquecendo que o Neutro também é gerado disso tudo e tem suas leis próprias.

Portanto, as Leis Universais que dão origem as leis kharmicas circunscritas a cada planeta ou região no Espaço são resultado do equilíbrio de forças contrastantes entre si que autônoma e sistematicamente se corrigem com as causas e efeitos, as ações e reações produzidas por mentes humanas ou espirituais, físicas ou transcendentais, não havendo nunca o efeito sem causa, em qualquer região do Universo.

Sou conhecedor de que mentes poderosas, tecnicamente evoluídas, podem retardar o efeito, protelando o choque de retorno sobre suas humanidades, As vezes por milhares de anos, porém não indefinidamente, não de forma perpétua pois, chegará sempre o momento da sua “colheita obrigatória” quando essas próprias mentes guindadas por forças espirituais mais poderosas que sua tecnologia, serão obrigadas a se esporem as reações das causas que provocaram há tempos atrás, mesmo que esses tempos possam parecer uma eternidade para seres de planetas mais inferiores cujo tempo de vida útil é mais curto, planetas estes que aquelas mentes outrora poderosas tecnologicamente, porém não espiritualizadas, terão que habitar para se reciclarem e distribuir conhecimentos.

Quando me refiro as ações e reações Universais que ocorrem também e principalmente sem a intervenção humana ou da sua tecnologia, dou como exemplo o nascer e o por do Sol e a influência da Lua e dos astros na vida natural do planeta Terra.

Ao nascer, o Sol com seus raios fulgurantes e penetrantes, “liquidam” com todos os agentes das sombras, da humidade, fazendo brotar outros agentes da luz e do calor.

Ao se pôr, o Sol da ensejo ao reaparecimento daqueles agentes e de outros que só sobrevivem na noite, auxiliados pelos raios frios da Lua, os quais, influenciam as mentes e espíritos afeitos aos momentos lúgubres, bucólicos e mesmo às mentes doentias ou lunáticas que cultuam os miasmas do magnetismo lânguido sub-repticiamente longe do calor e dos raios solares diretos.

Quantas ações e reações advém desse período de vinte e quatro horas na terra?

Quantas “mortes” e “renascimentos”, quanto determinismo kármico atávico e quanta onda de choque de retorno são produzidas naturalmente, “vitimando”, “punindo”. vidas, seres e personagens desde o micro ao macrocosmo físico e espiritual em todos os quadrantes e psicosferas da Terra ocorrem com aceitação e a anuência de todos os envolvido?

Só o ser humano, dito como ser racional, se rebela e contraria esses ditames fazendo aumentar ainda mais as ações e reações sobre si mesmo!

Então o que é o karma, senão fruto do equilíbrio, da harmonização, do desequilíbrio, da desarmonização, do positivismo, do neutralismo e do negativismo que ocorre sobre tudo o que existe no Universo e conseqüentemente, dentro de cada planeta e suas respectivas psicosferas!

Alguém perguntará: – “como se dá então a premonição, a clarividência, a profecia e outras adivinhações se, como explico o karma é o determinismo, fruto de ações e reações que já se passaram, ou seja, já é o resultado efetivo dos fatos” ?

Eu respondo :- Ocorre que nos registros etéricos astrais também denominados de “registros akáshicos”, ficam arquivadas todas as ações e reações de cada indivíduo ou ser e de toda coletividade de seres físicos e espirituais, viventes na fisiosfera “crosta terrestre” e nas psicosferas ou mundos paralelos de todo o Universo, ações que já passaram e que estejam ocorrendo.

Forma-se então no Cosmo um gigantesco arquivo de resultados imutáveis, os quais poderão ser consultados “ad-eternum” através do fenômeno ou dom da psicometria no que tange ao passado e ao presente, quanto ao futuro, esses mesmos arquivos akásicos fornecem dados equacionados extraídos da somatória do sensitivo, seja ele vidente, clarividente, premonitor ou profeta, a visão do que possivelmente acontecerá se determinadas ações continuarem sendo mantidas no mesmo teor e objetivismo.

Por exemplo; Se o ser humano terrestre continuar com a sua índole belicosa, e beligerante sem que por si só altere essa conduta, fatalmente nos tempos atuais próximos terá como resultante uma guerra total, global, com exterminação da vida sobre o planeta. O mesmo ocorrerá se esse mesmo ser não alterar seus conceitos de vida, mudando seus objetivos, acabando com sua insensata ganância e a busca de lucros fáceis sem se preocupar com o eco-sistema do planeta e essa desenfreada poluição ambiental.

Qualquer que seja o sensitivo, que é um ser especial sintonizado com os registros akáshicos poderá predizer antevendo esses acontecimentos funestos.

Porém, há os casos especialissimos que obedecem um “programa” pré estabelecido por ele próprio e as entidades superiores do planeta ou sistema solar ao qual pertence esse planeta os Engenheiros Siderais, o caso de um Jesus, por exemplo, cuja vinda a Terra vinha sendo profetizada milhares de anos antes.

Neste caso os profetas ou clarividentes sintonizados com os registros akáshicos “consultam” esses “programas” pré estabelecidos pelo Alto e a margem de erro é mínima.

Já nos casos da belicosidade podem errar muito, devido haver a possibilidade de mudanças das ações belicosas iniciais do ser humano ou ainda, haver interferências de entidades superiores ou de extraterrestres positivos visando salvaguardar a vida de seus prepostos aqui na Terra.

Assim, também se dá nas vidências pessoais ou particulares ou ainda individuais para o ser humano comum, ou seja, quando ele recorre a um vidente ou cartomante seria, para indagar sobre seu futuro ou suas vidas passadas.

Nesses casos, fica a disposição do vidente uma micro-milionésima parte daqueles gigantescos registros akáshicos, mas mesmo assim com grande margem de erro no tocante aquilo que não foi programado antecipadamente por ele e seus superiores no astral e com mínima margem de erro para aquilo que fora programado e que neste caso pode ser chamado de karma, destino ou determinismo. Se faz necessária uma sensibilidade bem apurada do sensitivo para entrar na sintonia exata e não cometer enganos ridículos e até fatais para sua carreira, que poderá ser interrompida com o bloqueio de seus dons mediúnicos.

Portanto, o karma sendo a Lei de Causa e Efeito, havendo a causa, o efeito é quase que irreversível transformando-se em determinismo e se é determinismo os resultados são matemáticos e podem ser captados, lidos, profetizados, centenas ou milhares de anos antes que aconteçam, podendo ate sofrerem alterações, também estas previstas com antecedência ou não, ou não sofrerem as alterações devido aos entraves provocados pelas próprias ações ou causas, estas não alterações também podem ser previstas com antecipação.

Para os seres humanos mortais e que vivem em planetas inferiores como a Terra o karma circunscreve-se ao passado e presente. Para as entidades espirituais já evoluídas, após seu desligamento do físico perecível não haverá mais passado, presente e futuro, mas, tudo fica transformado em Eterno Presente, e a entidade tem possibilidade de passar de um para outro instantaneamente, sem qualquer barreira a não ser a falta de conhecimento.

O mesmo ocorrendo com os seres extraterrestres bem evoluídos, que apesar de serem seres vivos habitando outros planetas, tem o conhecimento suficiente para viajarem no tempo e no espaço instantaneamente.

O karma é como se fosse uma linha de vara de pescar, a qual, o homem tem a liberdade para lança-la para onde quiser e sempre trazer coisas boas, mas que quase sempre a lança em locais errados e em momentos incertos e acaba se enrolando com a própria linha, levando mais tempo para desenroscar-se do que lança-la!

Mas, há também o karma compulsivo que ;é produzido pelo próprio ser sobre ele mesmo, por vezes entidades vingadoras, seus algozes, e a maior parte das vezes por uma deficiência ou miasma cerebral físico e espiritual que o abriga a cometer o suicídio em vidas sucessivas ou, para fugir às responsabilidades, pânico da próprio vida, desgostos interiores milenares, que o faz peregrinar pelas regiões abissais dos suicidas e danificar seu próximo físico sem que haja possibilidade de uma intervenção superior, já que ele próprio escolhe por livre arbítrio, e por falta de conscientização e de conhecimento espiritual sobre os atos e as conseqüências oriundas desses atos.

Com o advento da psicanálise, psicologia e agora, da parapsicologia, há um maior controle e prevenção desses casos, porém, o karma continua a existir e a ser registrado nos Registros Akáshicos.

Todo o ser humano com características acima, deve ser vigiado, amparado diuturnamente por seus médicos físicos, por seus parentes e durante a noite pelas entidades que se responsabilizaram pelo caso, pois durante o sono, esses seres humanos tendenciosos retornam ou são atraídos por seus algozes ou por amigos e companheiros do mesmo sofrimento, assim como outros viciados, a conviverem por algumas horas naquele antigo ambiente deletério a fim de matarem a “saudade” mutua existente entre eles, lembranças de alguma divida não resgatada ou não são utilizados como instrumentos psíquicos para atingirem outros encarnados com a mesma “vocação”, quando então , retornando ao corpo que está dormindo trazem consigo todos os miasmas daquele antigo ambiente astralino, e o saudosismo masoquista de por fim a sua nova vida através do suicídio ou, fazendo outros suicidarem-se, atingindo vingativamente de forma indireta seus familiares ou amigos para puní-los de algo que ele acha que foram coniventes ou, levando ao vício, ao mesmo vício, que estejam passando. Não se contentam em sofrer sozinhos. Por isso, são atos karmicos, que eu denomino de karma compulsivo.

Outro ângulo que deve ser analisado e comentado sobre a Lei de Ação e Reação em reposta a muitas perguntas que recebi é o seguinte Jesus o maior dos sábios que surgiram na face da Terra disse uma frase que consta dos evangelhos que é a seguinte : – “Se alguém lhe bater numa das faces do rosto, ofereça a outra face “- Até a onde consiste aí a nossa lei de defesa pessoal, moral etc. ?, neste caso, se reagirmos haverá a lei kármica contra nós? O que realmente quis dizer?

Eu tento expor dentro daquilo que me foi explicado por Entidades Vivas Superiores de outros planetas, mais evoluídos que o nosso: Primeiramente, Jesus era pelo gesto da não reação justamente pensando em proteger o ofendido pela quebra da lei kármica naquele momento, ou seja, como ninguém sabe o que fez no passado remoto, em reencarnações anteriores, poderia, se reagisse, entrar num circulo vicioso e é o que realmente vem acontecendo apesar dos seus sábios conselhos, de, ao defender-se provocar novas ações e reações que o prenderia junto ao seu algoz pelas dezenas ou centenas de anos seguintes e, a não reação do ofendido dá margens ao perdão espontâneo e evita novas descargas de ódio, raiva, vingança, mortes físicas, morais e perispirituais, sim porque o perispírito também “morre” do lado de lá para vir reencarnar-se cumprir a lei do karma com seus resgates compulsórios, irreversíveis.

Ele quis dizer que se o perdão e o amor incondicional ao próximo nos livraria do choque de retorno. E aí as perguntas continuam: Mas, frente a uma arma de fogo, ou outro tipo de arma, a um assalto, etc., deveríamos nos deixar matar, ser assaltados? E as respostas que eu recebo, explicativas são estas : Jesus não disse que deveríamos suicidarmo-nos! É necessário que saibamos que quando recebemos um corpo físico temos que zelar por ele e pelo do nosso próximo, caso nossa ação seja exigida.

Portanto, se for em defesa do nosso patrimônio carnal, devemos reagir e nos defender e ir em defesa daqueles que estão sob a nossa guarda ou que no momento precisarem de nós, caso contrario, entraremos ou cairemos na lei do karma cometendo o suicídio involuntário, encurtando nossa vida antes do tempo normal previsto, e neste caso, é claro, as reações ou choques de retornos no Astral serão mais brandos contra nós mas, existirão e desses choques, se não estivermos preparados para o perdão, geraremos novas reações contra os algozes, pois advirão dai reencontros kármicos futuros onde procuraremos então revidar “caçando” durante as vidas e mesmo no Astral aquele ou aqueles que nos ocasionarem danos irreparáveis.

E se não defendermos outros que correm riscos a nossa frente, a Lei do Karma nos apanha pela falha de omissão. Neste caso, não nos perdoaremos futuramente, bem como aquele que foi atacado também não nos perdoará pela nossa omissão, fora nossos familiares e os familiares dele, amigos e a sociedade em si. Em ambos os casos “pecamos” por não reagir e por não defender! E sendo assim o que fazer?

Respondo agora por mim: – Não havendo karma contra mim ou contra aquele que tentarei defender, as ações dos algozes não encontrarão eco, ou seja, a bala da arma do agressor não atingirá o alvo, sua arma não disparará, o atentado não terá efeito danosos e assim por diante. Mas se o agressor voltar a atacar, ou se sentirmos que ele nos atingirá inapelavelmente. Neste caso é obrigatório de nossa parte nos defendermos e a quem nos pede socorro. Se tivermos uma arma, a usaremos em defesa pessoal ou em defesa de outrem, tirando a vida, ferindo, alijando o agressor, sem sombra de dúvidas! O mesmo ocorre com os profissionais da policia e da defesa da sociedade. Eles estão ali para isso e devem cumprir sua missão.

Mas não advirão reações devido a isso?

Sim e não! Vai depender muito da mente de cada um, a qual, deve estar preparada para essas funções de defesa, auto defesa, caso contrario, o “Mea Culpa” predominará em sua consciência pessoal espiritual que o levara a querer resgatar algo que não deve! Além da mentalidade vingativa do agressor que continuará vibrando negativamente contra aqueles que o impediram de cometer aqueles atos criminosos. Criminoso é sempre criminoso e só, o conhecimento, só a espiritualização quebrará esse circulo vicioso que tende a brotar dessas contendas.

Porém, com todos esses riscos, eu pessoalmente, mesmo conhecendo tudo o que conheço da parte espiritual, cósmica e sideral, não teria dúvidas em usar os meios mais drásticos de defesa que estivessem as minhas mãos, mesmo que tivesse que tirar a vida do agressor. O resto ficaria por conta das Entidades Superiores em terem que aparar as arestas de um possível reação negativa contraria.

Essa Lei do karma tem tantos meandros que é meramente difícil mas, não impossível de explicá-los todos. Mas para o bom entendedor meia palavra ou o pouco que estou penetrando basta para que ele equalize, em todos os sentidos e para cada momento de sua vida, as soluções ou anti-soluções, se assim posso chamar, para que ele racionalmente não resvale em reações dolosas e dolorosas tanto para seu físico como para seu perispírito ou seu conjunto psicossomático. A cada ação uma reação em sentido contrario no mesmo valor, assim é a lei do karma.

Portanto, volto a frisar, a Lei de Causa e Efeito, Lei do karma, Lei de Ação e Reação ou o que Moisés quis enfatizar chamando de Olho por Olho Dente por Dente, é uma Lei só, mas, uma lei natural, onde cada coisa, cada ser, cada planeta, cada galáxia, do micro ao macrocosmo produz sobre si mesmo sem determinismo, sem destino, o “assim estava escrito” ou “maktub” dos povos maometanos muçulmanos, e somente a conscientização do ser, ou a alteração ou mutação natural de tudo no Universo poderá altera-la, mudando seu curso e amenizando seu choque de retorno.

Deus ou Núcleo Central Cósmico concorre apenas, e não determina, dá ao Universo a ambientação que propicia o funcionamento dos fenômenos de sístole e diástole, de luz e sombra do positivo neutro e do negativo, da expansão ou retração dos Corpos no Espaço e no Tempo, na Inércia ou no Movimento, no Passado, Presente e Futuro que constituem o Eterno Presente, a Manifestação do Não Manifestado, o Cósmico e o Sideral e tudo o mais, cabendo a Centelha, que se origina desse Núcleo Central Cósmico e administração, por assim dizer, do equilíbrio, da harmonização consciente dessas ações e reações.

Não há interferência Divina direta na Lei do karma, mas sim uma anuência a existência do Livre Arbítrio de tudo o que existe no Universo!

O mesmo se pode dizer em relação as doenças, umas passageiras, outras de período curto, outras no período longo. As indolores, as doloridas fisicamente, as de efeito moral e as mortes físicas rápidas, lentas e sofridas, acidentais ou criminosas. Todas elas, todos os casos sem exceção, as causas são sempre espirituais e karmáticas, mesmo que a medicina é a ciência geral convencional digam que não!

O ser humano sempre teve o seu passado, suas centenas de reencarnações, principalmente os da Terra, são rarissimas os espíritos com uma única encarnação! Se é a primeira dele no planeta Terra com certeza matemática ele vem expatriado, expulso ou requisitado de outros orbes mais adiantado ou mais atrasados que a Terra, por conseguinte, já traz em si mesmo a “folha corrida” ou prontuário kármico, que o submeterá as provas relativas aos seus antigos atos ou ações por mais remotas que elas possam ter existido. Jamais se apagarão!, boas ou mas. Isto ocorre porque estamos no limiar do terceiro milênio e não na formação do planeta. Se fosse naquela ocasião sim, poderiam encontrar os milhares de trogloditas ou “homo-sápiens” com sua primeira encarnação, atentem os leitores para o termo, estou dizendo encarnação para eles e não reencarnação que condiz mais com os tempos atuais de fim de século e do ciclo.

O Núcleo Central Cósmico – Deus – concede, ao invés de permitir, que entidades superiores, portanto mais elevadas espiritualmente, possam intervir em favor de seus protegidos, reencarnados ou não, a fim de tentarem amenizar o karma, protelando, desviando os detalhes pré-traçados em troca de outros comprometimentos mais positivos que permitem a restauração dos registros akáshicos com ações renovadoras que funcionam algebricamente, ou seja, sinais iguais soma-se, diferentes se o maior for positivo, se o maior for negativo tudo vira negativo, ou tudo vira positivo.

Vou utilizar-me aqui de expressão quase que irreverente, quase uma heresia para aqueles que ainda compreenderam o conteúdo do Núcleo Central Cósmico – Deus -, digo quase porque o que aqui menciono é o que realmente ocorre se verdadeiramente usarmos a lógica, ou seja : “um doente terminal arrependido de suas faltas pede de última hora piedade, perdão, faz mil e uma promessas que nunca fez e nunca teve pelos outros durante sua vida toda, e Deus, como respondesse diz a ele com voz elevadíssima, suavíssima, bondosíssima : – “Tudo bem, você está perdoado, a piedade que agora você pede lhe é concedida, aceito suas promessas, porém, … vai morrer assim mesmo!… E vai desfrutar das suas afinidades no Umbral até que expurgue de si mesmo as toxinas e aprenda a harmonizar o que você desarmonizou e distinga o positivo, do neutro e do negativo!

Esse é o karma, essa é a Lei de Ação e Reação, Lei de Causa e Efeito, do Olho pôr Olho, Dente pôr Dente, do Assim Estava Escrito, do “A cada um de acordo com suas obras”! ou do “Ai de Ti ou Feliz de Ti quando o Teu Passado encontrar o Teu Presente”!

D.Yezzi, S. Paulo

A Mãe Solteira

A mãe solteira, essa mulher mágica grandiosa que amando ou não seu futuro filho, faz das tripas coração para sobreviver sob as avalanches de problemas, dúvidas, incertezas, inseguranças, abandono, falta de carinho, solidão e sem vislumbres positivos quanto ao seu futuro e ao futuro do seu bebê.

Muitas se desesperam por se verem caídas em desgraça, por pensarem que até Deus as tenha abandonado naqueles terríveis nove meses que permanece com seu filho em seu ventre, outras pensam em suicídio, aborto, muitas os cometem tresloucadamente, outras resignadas e firmes decidem seguir na caminhada com firmeza e renuncias mil por não deixarem faltar nada ao seu ente querido que vai nascer.

A estas me dirijo principalmente e àquelas também, pois cada uma vive de sua maneira seu universo e o sentem da forma que o seu nível de conhecimento lhes permite ver e sentir. Ambas, as mais fraquejantes e as mais fortes, as mais pobres e até as mais ricas, são sem dúvida alguma grandes heroinas da humanidade e infelizmente poucas reconhecem o dom Divino que é o ato de por no mundo um novo ser.

Desconhecem sua trajetória kármica do passado longínquo e muito menos o seu presente e o seu futuro, por isso, dentem-se desamparadas pela sociedade e por Deus, mas na verdade, elas estão recebendo um presente dos Céus pela dádiva de poderem ser mães e darem o seu corpo para a formação de um novo corpinho para ser o altar de carne de um novo espírito que teria forçosamente que vir a nascer por ela e só por ela se desenvolver.

Portanto, essas heroínas anônimas, devem se sentir predestinadas por Deus para serem as portadoras da luz Divina que, por meios diferentes ou linhas tortas colocam no mundo novos seres que poderão servir de grandes esteios familiares e grandes bases para o próprio futuro delas mesmas suas mães sofredoras. Esses seres muitas vezes e as vezes raras brotam para serem ao mesmo tempo o amparo de suas próprias mães ou as âncoras que farão com que elas trilhem novos caminhos para o Alto e para seu equilíbrio espiritual e físico, chamando-as às responsabilidades para um novo viver sadio e objetivo com vistas na desintoxicação dos seus perispíritos cheios de culpas e mazelas ou leva-las pelo esforço e dedicação material a alimentarem em si próprias, o conceito da verdadeira mãe que é aquela que não só da luz mas se dedica a criação e a educação daquele espírito que veio através dela e portanto necessita dele para seu caminhar na vida.

Entretanto há aquelas mães solteiras que apenas dão seu corpo para dar a luz ao novo espírito, são as chamadas parideiras compulsórias, ou seja, aquelas mulheres que servem ao Criador para pôr espíritos no mundo que só poderiam vir através delas utilizando-se do seu sistema genético e que seriam rejeitados por outras ou pelo mundo se elas não existem. São portanto, abençoadas da mesma forma, pois estão contribuindo para o renascimento de almas que virão para cumprirem sua missão entre os vivos entre a humanidade e na sociedade da qual participarão.

Muitas dessas almas são de graus elevados e como já foi constatado historicamente, passam a ser heróis famosos e desbravadores de novos caminhos, levando a humanidade a novos descobrimentos, a novos conceitos de sabedoria e de resgate kármico coletivo. Desta forma, sem a existência da mãe solteira, esses personagens não existiriam, e devemos à elas grandes feitos da humanidade, grandes exemplos de humildade, dedicação, resignação, sofrimento, abnegação amor expontâneo e heroísmo.

Abençoadas sejam todas as mães solteiras que se apegam aos seus filhos mesmo sabedoras de que eles são portadores de defeitos físicos irreparáveis ou de defeitos mentais que muitas das vezes os levam a cometerem crimes hediondos e até a matarem suas próprias mães, conseqüência do forte peso kármico que entrelaça seus destinos.

Abençoadas também aquelas mães solteiras que conseguem fazer de seus filhos grandes homens ou homens e mulheres comuns, mas honestos e batalhadores e que por sua vez, colocarão no mundo outros seres que darão orgulho a suas avos que outrora foram estas mães solteiras.

Abençoadas as mães solteiras que apenas parideiras colocam no mundo seres que alegrarão outras famílias sendo delas o esteio, a base de sua união familiar e darão também enorme contribuição a humanidade, positiva ou negativamente. O importante é que esses seres teriam que vir ao mundo e só poderiam vir através dessas mães, abnegadas e sofredoras, que por nove longos meses os carregaram em seu ventre, aqueles que elas pensaram em rejeitar e expulsar sem dó nem piedade e não o fazendo resgataram com esses mesmos seres e com a humanidade, grande parte de suas dívidas kármicas.

A mãe solteira, por ser quem são, mulheres sós e abandonadas pela sorte, são a meu ver dignas dos maiores elogios e são as maiores heroínas da humanidade, que Deus pôs no mundo e cumpriram seus deveres a custa de muita dor, suor e lágrimas.