Materializações por Avatares e patamares descendentes

Sai Baba

Pergunta:

Querido amigo e mentor, bom dia.

Ainda sobre o assunto avatares (Jesus, Sai Baba e outros). Sai Baba fazia materializações em ouro aos seus seguidores, havendo inúmeros videos mostrando esta façanha e isso foi um dos grandes motivos do ocidente o tacharem de charlatão. Essa materialização de objetos em ouro com foto dele e às vezes com o rosto dele em relevo nos objetos, é da mesma maneira técnica/ciencia das materializações espiritas, com uso do ectoplasma? As materializações e milagres executados pelo mestre Jesus eram com a mesma técnica/ciencia das materializacoes de Sai Baba ou das materializacoes mediúnicas espiritas?

Desde já, grato pela atenção de sempre.

Acabei de assistir ao novo video de seu bate-papo com o amigo Fredi Jon sobre Karma, muitíssimo enriquecedor assim como os demais videos já disponibilizados.

Após refletir sobre o video do Karma surgiuram perguntas:

  1. Assim que O Nucleo Central Cosmico emitiu você, você “caiu”em Marte?
  2. Sabe em que determinado momento ou devido a qual fato, que houve a determinação de que iria vir para a Terra? O que lhe provocou vir pra cá e execer sua missão aqui (pois você me disse que voltará para seu lugar de origem após sua proxima encarnação (onde morrerás como criança para desintoxicar-se)?
  3. Todos que são de fora vieram pra praticar alguma coisa ou para aprender? E depois disso voltar ao seu planeta de origem e de lá evoluidamente ambienteado seguir em patamar melhor já que foi cumprida missão na Terra?

Estou querendo entender o qeu faz espiritos estando em patamar “melhor” descer para este patarmar “pior” do planeta Terra, já que muitos contatados dizem que nossos amigos cósmicos falam que este planeta é belo e coisa e tal…

Forte abraço estimado e querido amigo de sempre!!!

Abraços,
Mantuano

Resposta:

Prezado Mantuano,

Com certeza as materializações desses Avatares faziam pouco uso do ectoplasma físico humano, pois ele é susceptível de interferências tóxicas e, no caso deles, são como as dos extraterrestres, isentas desses fluídos humanos.

  1. Sim, eu cai em meu planeta.
  2. Após ter vivido muitos anos lá e tendo conseguido um grande progresso pessoal e planetário. A junta governamental e espiritual de lá, vendo qua aqui iria necessitar de entidades que viessem construir novos patamares de progresso técnico, físico e espiritual, fui consultado, e há milhares de anos atrás decidimos nascer na Atlântida e após, fomos para os continentes, tendo tido várias e multiformes reencarnações em vários países, contudo, me foram dadas oportunidades de voltar pra lá para tomar fôlego, o que foi feito em várias ocasiões.
  3. Não. Muitos “de fora” vieram para cá enxotados e com experiência, mesmo negativa em seus locais de origem, vieram dar exemplos e vivenciarem seu outro lado da moeda, aqui entre os necessitados.

Quem já está em patamar elevado, não teme descer pois sabe, que retornará um dia às suas origens. O valor maior é o amor ao próximo e a sua contribuição, mesmo sacrificante e com o risco da perda de degraus elevados conseguidos à custa de muito desprendimento, descem, vivem, ensinam a viver, ajudam no progresso local com novas invenções tecnológicas, na ciência, na medicina, nas artes, enfim na Sociedade humana, para depois retornarem ao seu Núcleo, não sem antes, passarem por uma rígida desintoxicação, física, mental e espiritual.

Abraços,
DYezzi::.

Anúncios

Notas Finais

Domingos YezziO presente volume que ora coloco a público reflete aquilo que os Seres Extraterrestres Pensam e Esperam da Humanidade, através dos contatos diretos que formaram comigo desde de minha tenra infância. O que eles desejam é uma humanidade terrestre  mais conhecedora de si própria e mais entrosada com a fenomenologia e as energias que a rodeiam e assim conhecendo, se situe em patamares vibratórios mais elevados e em consonância com seres mais evoluídos técnica e espiritualmente, proporcionando-lhes maior ensejo de manterem contato direto sem causar a esta humanidade choques e traumas psicológicos pelos medos, tabus, e preconceitos que dominam, justamente plea falta de conhecimento e desinformação, ou informação deturpada. Assim como os aborígenas temem o contato com o homem civilizado, quando este contato ocorre fortuitamente causa àquele aborígena mais males do que bem.

Espero ter conseguido esclarecer um pouco mais este assunto o qual sera mais esmiuçado nos volumes que se seguirão.

Mensagem Universal

Vejam Amigos.
Vejam Senhores.
Vejam meus Jovens.
Vejam o nosso Mundo.
Vejam o nosso Cosmo.

São redomas, espirais,
dínamos, reatores,
bombas, urânio, nitrogênio, supersônicos,
o polo dieternizado,
satélites ionizados,
discos, Discos Voadores
de Marte e todo Sistema,
a presença do radar
e da energia nuclear.

Vejam também o passado.
Sáurios anti-diluvianos
de há mais de milhares de anos,
estão todos desvendados.
Esfinges desmascaradas
galáxias estranguladas.

Sabem o que é isso meus jovens?
Isso é a cultura!
Cultura sem culto nenhum.
Culto? … Culto a ídolos pra quê?
A cultura nos superou.
Eis aí meus caros jovens.
Nosso Cosmo de tudo repleto!
Agora uma pergunta:
Que é que falta para ser completo?

Falta paz – Oceano de bondade.
Falta Amor – Apanágio da deidade.
Falta União – Única felicidade.
Faltam Sorrisos – Reflexos de espontaneidade.

Falta em nossos corações
um céu mais fluorescente.
Falta um mundo diferente
com arpejos de doçura
com celestial ambiente.

A tudo saciamos; conforto, sabor material.
Isso é tudo muito natural.
Pois vivemos em um mundo
onde encontramos só duendes,
invejas maquiavélicas,
onde tudo nos enerva.

O homem desde o primate
respira uma atmosfera de medo.
Receia perder a vida, seus bens,
receia perder o amor, seu ar para respirar,
mas nada sabe conservar.
Receia perder uma situação que suspeito não merecer.
O homem receia tudo.
Por medo mata, rouba e mente.
Por medo calunia, bajula, é descrente.
Por medo se humilha, se vinga e odeia.
Por medo é infinitamente desgraçado.

O medo cultiva:
a discriminação, a desconfiança,
o preconceito, a insegurança.
O medo alucina!
Anula qualquer sentimento,
desagrega sensibilidades.
O medo acima de tudo,
favorece a inveja e a vingança.
O medo com tudo isso,
só nos traz infelicidade.

É impossível criar no mundo
Condições de vida em que,
para viver dignamente,
o homem não precisasse sucumbir à corrupção,
aceitar desigualdades
aceitar humilhação.

É impossível, pois o homem
vive eternamente pronto
ao ataque ou à defesa.
O homem, meus caros jovens,
afia eternamente suas garras
para melhor rasgar as carnes
e sentimentos alheios.

O homem é belicoso e mau.
Fecha todos os seus dedos, para,
melhor poder reter
no côncavo das suas mãos
tudo quanto possa recusar
ao próximo, aos seus irmãos.

É impossível criar no mundo
as condições de que falei.
Pois, para isso meus jovens,
Precisaríamos tudo recomeçar.
Mas podemos e devemos
criar dentro de nós mesmos,
em nosso peito, em nosso curacao
um templo de essências fraternas
que se expandam sem barreiras.

Criar grupos uníssonos,
corajosos, bem dispostos,
que exijam de nós mesmos,
compreensão e tolerância,
para fazermos da Terra
um futuro para isso.

Criar harmonização
para estarmos preparados
para enfrentarmos a tranformação
que o Fim desse ciclo nos trará.

Hajam, mexam-se, sejam versáteis.
Não fiquem atolados nas trincheiras,
trincheiras e conflitos mentais.
Se orientem por mentes mais fortes,
mentes mais amplas e abertas.
E, se não puderem agir por si somente,
concentrem-se no Amor, no “Amai-vos uns aos Outros”.

Sois livres, inteligentes,
mas, nunca se esqueçam de
que, sempre mais ali adiante
haverá alguém atolado e,
sem meios de sair,
de sua própria trincheira.

A esse alguém, caros jovens,

deveis dar o beijo fraterno,
o amor despreconceituoso,
a permuta de sentimentos,
pois, esse alguém meus amigos,
também tem para vos dar,
Amor, Sabedoria e Humildade,
mas, estando atolado,
ou melhor, aturdido, confuso,
não sabe como agir.
Terminando caros jovens.
Saibam que não existe
mérito mais louvável
ao deixarem lhes oscular as mãos,
aqueles que desejam receber
o benefício do perdão.

Apenas mais um conselho:
Tenham idéias ou ideais sadios
para que possam produzir
frutos viçosos numa unidade global,
num todo humano, mental e sideral.

Nada existe de mais piegas
do que tumultuações, hipocrisias.
Sejam sempre irmãos
sem se deixarem poluir pelo menos em suas mentes.
Enfim sedes como um grande Coral
que, reunido ou disperso,
possa produzir vibrantes Harmonias,
difundindo cores, sons e sinfonias.

Assinatura de Ludwig Maria Van Beethoven
Ludwig Maria Van Beethoven

Captado em 17.01.78 às 23:30h

Esclarecimentos

Eu que fui violinista e diretor de orquestra sinfônica durante 10 anos após a captação desta mensagem pela minha saudosa esposa, sempre via em livros e em capas de livros, a assinatura de Beethoven que é completamente diferente desta que vai na mensagem. Estranhei e como analiso tudo antes de aceitar, perguntei à entidade de Beethoven o que estava acontecendo e se era ele mesmo quem estava nos mandando a mensagem, não me lembrando que eu possuía, há muitos anos antes, uma cópia do seu famoso testamento – O Testamento de Helgiustadt, que me fora dado por um amigo: Ao que a Entidade do grande gênio respondeu:

“Procure aí nos seus guardados que você vai encontrar uma cópia do meu testamento, e aproveito para lembrar a você que um artista tem no mínimo três tipos de assinaturas, uma para assinar ‘seus papagaios’ (muitas promissórias), e outra para seu autógrafo e outra pessoal, particular, íntima, esta que vai aqui é a minha assinatura particular.”

Eu nada pude falar e naquele momento fiquei sabendo que Beethoven se chamava Ludwig Maria Van Beethoven, e a assinatura era idêntica.

Meditações Para o Terceiro Milênio – Psicoscopia

Hoje, excepcionalmente vou abrir espaço nesta coluna para um texto da maior importância e significação, escrito pelo amadíssimo amigo e milenar irmão no ano de 1965, irmão esse que atualmente tem a sua estrutura energética atômica humanizada e humanizada em “habitat” na forma física do preclaríssimo Dr. Domingos Yezzi, residente na capital de São Paulo onde também atua como primeiro violinista de orquestras sinfônicas. Fala sobre temas do mundo do futuro, como o psicoscópo e mentografia. Este é o oitavo artigo de uma serie que ao seu término estará formando excelente apostila sem nada custar ao leitor – aluno a não ser a aquisição do seu exemplar de O Estado de Goiás na banca da sua preferência na capital ou no interior. Eis abaixo e em próxima edição o texto a que me refiro: PSICOSCOPIA.

“Psicoscopia”: Termo criado por mim em função de um aparelho denominado psicoscópio, existente apenas no campo astral (espiritual), descrito pelo espírito de André Luiz, através do médium Francisco Cândido Xavier, em seu livro “Mecanismos da Mediunidade”. Tal aparelho astral, conforme André Luiz, é utilizado pelas entidades médicas para exames psicofísicos de pessoas vivas, sãs ou doentes, às quais, por qualquer motivo, seja de cunho médico ou de estudos analíticos espirituais, tenham que ser submetidas a um exame minucioso, abrangendo todo comportamento celular do perispírito. Desta forma, todo o conjunto psicossomático de um indivíduo, fica exposto em todos os seus pormenores, quando submetido a um exame através do psicoscópio, ou seja, pela psicoscopia.

Ainda conforme descrição de André Luiz, o exame é feito da seguinte maneira: As entidades médicas espirituais, ao visitarem um lar com intenções de submeterem uma pessoa a tal exame, ligam o psicoscópio astral na tomada de energia sutil ou quintescenciada, da qual, se utilizará para funcionar. As entidades colocam o aparelho sobre o corpo da pessoa que se acende totalmente pondo à mostra todos os músculos, glândulas, veias, todos os órgãos internos enfim o corpo humano e toda sua constituição, até o cérebro, abrangendo o corpo astral, que é o perispírito todos os seus órgãos paralelos são expostos em segundos, como se fossem submetidos a um exame radiográfico, com uma diferença, que na psicoscopia, as entidades podem acompanhar ‘in loco” todo o movimento celular e dos organismos de defesa (anticorpos) e bem como, dos agentes causadores das possíveis anomalias e desequilíbrios psicossomáticos do paciente. Podem diagnosticar as causas, mesmo sendo estas de origem perispirituais do passado ou do presente emocionais ou físicas. assim, com esse maravilhoso aparelho, as entidades podem medicar interferindo magneticamente através de induções várias, corrigir os “circuitos” perispirituais e obtendo assim a correspondente regeneração das células físicas. Podem as entidades através de médiuns curadores indicarem o tratamento adequado se assim for necessário.

Baseado nessas possibilidades e propriedades desse aparelho, que eu, pessoalmente acredito existir no campo astral, e que futuramente poderá vir a existir no campo físico dependendo de uma séria pesquisa dos “experts” em eletrônica e em cibernética e bem como, se possível de um entrosamento intuitivo ou indutivo entre eles e os “experts” inventores do aparelho no campo espiritual, e aqui fica a minha sugestão.

Escrevi este trabalho, extraindo excertos da publicação de André Luiz , sem contudo, copiar “ipses literis” o que ele divulgou, servindo apenas da essência do conteúdo daquele trabalho para composição destas minhas idéias, as quais foram vertidas para o papel na tentativa de “ radiografar psicoscopicamente” o organismo ou o conjunto físico espiritual humano no seu viver quotidiano e que passa por mil e uma situações e induções quer vindas do próprio campo ou espaço físico, quer vindas do campo astral ou espaço espiritual.

Mais atualmente, no campo no qual me especializei, através de extenuantes pesquisas vivenciais de mais de 30 anos, que é o campo cósmico ou Extra-terrestre, em contato com seres vivos de outros planetas, os quais queiram ou não os chamados céticos, atuam direta ou indiretamente sobre o comportamento do ser humano da Terra quer se situe este ser humano no espaço físico ou no espaço espiritual.

Atualmente na Terra, o homem vive buscando os aperfeiçoamentos médico-ciêntíficos que lhe permitam maior longevidade ou, pelo menos lhe assegurem órgãos físicos mais perfeitos que permitam a ele viver a sua irremediável velhice com maior lucidez e menos dificuldade. No curso das atuais doações de órgãos, implantes e transplantes que são feitos ainda com grandes riscos, tanto para os doadores e mais ainda para os receptores.

Os problemas das rejeições nos receptores, já é sobejamente conhecido através dos noticiários médicos e pelos órgãos de comunicação em geral. Por isso vou ater-me aos problemas dos doadores, mais propriamente daqueles que doam seus órgãos ainda em vida para que os mesmos sejam extraídos após a sua morte. E, é aqui que começam os problemas ou dilemas pois nem sempre há tempo suficiente para a espera da confirmação da morte física ou morte clínica para que um órgão seja extraído a tempo de não se deteriorar. Ocorrendo vez por outra grandes falhas daqueles que tem sob sua responsabilidade o dever de atestar a morte, tornando um grave problema das confirmações da morte física ou morte clínica como é denominada.

Não só para aquelas pessoas que são doadoras de órgãos e sua morte, tenha ocorrido naturalmente ou acidentalmente, mas principalmente para aquelas pessoas doadoras ou não que são portadoras de doenças nervosas ou psíquicas e que permanecem durante um bom lapso de tempo em estado de vida vegetativa, em estado de catalepsia, confundindo os médicos que atestam sua morte prematuramente sem que a mesma tenha realmente ocorrido provocando assim as dezenas ou centenas de casos de enterramento de pessoas ainda vivas ou a extirpação de seus órgãos doados com seu físico ainda vivo. Além do que entrando agora na casuística eminentemente espiritual, teríamos os problemas dos espíritos arraigados, ou melhor, imantados à matéria e que não conseguem se desprender do corpo inerte, durante um bom tempo após a morte real deste. São presas através de suas próprias produções mentais negativas formam poderosos fios magnéticos que as permite sentir todas as sensações de uma pessoa viva. Consequentemente, se forem doadoras teriam que ser ajudadas em seu desligamento para que seus órgãos doados, fossem extirpados convenientemente, isentos então de qualquer vibração negativa que o espírito em desespero descarregaria sobre ele.

O psicoscópio se inventado entre nos, poderia detectar através de profunda análise que proporcionaria ao chegar as radiações auricas emitidas pelo corpo ainda vivo ou pelo espírito ainda preso ao cadáver. A tonalidade das cores, as reações mais íntimas físicas, mentais e espirituais indicariam com precisão, se o espírito já estaria ou não desligado ou em vias de se desligar do corpo, e, em caso de premente necessidade ajudaria ou facilitaria seu desligamento, permitindo assim, que a junta médica pudesse extrair a tempo os órgãos a serem doados. E ainda conforme as cores emitidas e as demais reações constatadas e mais, tudo aquilo que se pudesse enxergar através da transparência e luminosidade que o psicoscópio provocaria no corpo, seria esquadrinhado, dando visão total da situação pré e pós mortem. Há o problema da voltagem!

Mas, o cérebro espiritual emissor (mentor), gradua o pensamento e a expressão, de acordo com a capacidade do cérebro humano receptor e do ambiente que o cerca, ajustando-se-lhes às possibilidades, tanto quanto o técnico de eletricidade controla a projeção de energia, segundo a rede dos elementos receptivos.

Cada elemento recebe de conformidade com a estrutura que lhe é própria.

A lâmpada em cujo bojo se faz luz, arroja-se de si mesmos os fotônios, que são elementos vivos da Natureza, a vibrarem no “espaço físico”, através dos movimentos que lhe são peculiares, e a alma, em cuja intimidade se processa a idéia irradiante, lança fora de si os princípios espirituais, condensados na força ponderável e múltipla do pensamento, princípios esses com que influímos no “espaço mental”. Os mundos atuam uns sobre os outros pelas irradiações que despendem e as almas influenciam-se mutuamente, por intermédio dos agentes mentais que produzem.

Assim como existem valiosas observações alusivas à química da matéria densa, relacionando-lhe as unidades atômicas, o campo da mente oferece largas possibilidades ao estudo de suas combinações. Pensamentos de crueldade, revolta, tristeza, amor, compreensão, esperança ou alegria, além dos centros especiais que governam a cabeça, o rosto, os olhos, os ouvidos, e os membros, em conjunto com os centros da fala, da linguagem, da visão, da audição, da memória, da escrita, do paladar, da deglutição, do tato, do olfato, do registro de calor e frio, da dor, do equilíbrio muscular, da comunhão com os valores internos da mente, da ligação com o mundo exterior, da imaginação, do gosto estético, dos variados estímulos artísticos e tantas outras quantas sejam as aquisições da experiência acumulada pelo ser que conquista a própria individualidade, passo a passo e esforço a esforço, inalterando-a pelo trabalho constante para a sublimação integral, a face de todas as vias de progresso e aprimoramento que o mundo lhe possa oferecer através das inúmeras romagens no seio da matéria ao longo de todo o espaço de tempo que lhe aprouver, já que para a centelha, o tempo não se torna obstáculo.

A onda mental possui determinados coeficientes de força na concentração silenciosa, no verbo exteriorizado ou na palavra escrita, tendo natureza diferenciada, com características e pesos próprios, adensando a alma ou sutilizando-a, além de lhe definirem as qualidades magnéticas.

Somos naturalmente vítimas ou beneficiários de nossas próprias criações, segundo as correntes mentais que projetamos, escravizando-nos a compromissos com a retaguarda de nossas experiências ou libertando-nos para a vanguarda do progresso, conforme nossas deliberações e atividades, em harmonia ou em desarmonia com as leis cósmicas imutáveis.

Temos então, o fenômeno da perfeita assimilação de correntes mentais que preside habitualmente, a quase todos os fatos mediúnicos. Para a clareza de raciocínio comparemos a organização humana, ou seja, o corpo humano e a sua alma, a um aparelho receptor, quais os que conhecemos nos domínios da radiofonia. A emissão mental oriunda do cérebro espiritual (Mentor) condensando-lhe o pensamento, envolve toda a organização psíquica e corpórea, em profusão de raios que lhe alcançam o campo interior, primeiramente pelos poros, que são miríades de antenas às quais essa emissão adquire o aspecto de impressões fracas e indecisas.

Essas impressões apoiam-se nos centros (chakras) do corpo espiritual (perispírito), que funcionam à guisa de condensadores, atingem, de imediato, os cabos do sistema nervoso, a desempenharem o papel de preciosas, bobinas de indução, acumulando-se ai num átimo e reconstituindo-se, automaticamente, no cérebro, onde possuímos centenas de centros motores, semelhante a milagroso teclado de eletroimãs, ligados uns aos outros e em cujos fulcros dinâmicos, se processam as ações e as reações mentais, que determinam vibrações criativas, através do pensamento ou da palavra, considerando-se o encéfalo como poderosa estação emissora e receptora e a boca por valioso alto-falante.

Tais estímulos se expressam ainda pelo mecanismo das mãos e dos pés ou pelas impressões dos sentidos e dos órgãos que trabalham na feição de guindastes e condutores, transformadores e analistas, sob o comando direto da mente.

O Martírio de Jesus de Nazareth

São Paulo – Semana Santa de abril de 1995

Dedicado às minhas Queridas Conceição e Regiane

O que aqui vai descrito, foi captado pelo processo que denominei de mentografia, que nos permite assistir as cenas que se passaram há milhares de anos atras (quase uma psicometria), nos permite visualizar os mínimos detalhes dos fatos como se naquela época estivéssemos vivendo, ao mesmo tempo que vamos escrevendo ou descrevendo os acontecimentos. Não é igual a psicografia porque este é um processo mecânico, automático, no qual o médium não participa do que está ocorrendo apenas escreve sem vontade própria, sua mão é dirigida pela entidade comunicante.

Na mentografia, além de ser um processo de escrita direta a longas distâncias Inter-Vivos, nós, os médiuns, ou intermediários, participam de tudo, utilizando-se da Telepatia, da Psicometria, da Incorporação Inter-Vivos, da Materialização Inter-Vivos, da Projeção do Duplo-Etérico às longas Distâncias (Viagens astrais) e outros fenômenos.

Acredito que grande parte daqueles que lerão estas páginas e se afinarem com seu conteúdo, com certeza, serão os remanescentes reencarnados da Atlântida da época de Antúlio de Mah-á-Etel que na linguagem atlante quer dizer: Antúlio da Estrela Platinada (Vênus) de há 50 mil anos atrás naquele imenso continente hoje submerso no Oceano Atlântico entre as Américas e as Ilhas Caribes. Hoje, milhares como nós reencarnados e outras milhares ainda no Espaço, desencarnados, mas que vieram seguindo os passos do Grande Mestre Jesus que, naquela época já era um grande líder espiritual programando suas futuras reencarnações através dos tempos e suas missões sempre em defesa do Bem, dos fracos e dos humildes, e que com sabedoria, humildade e mansidão haveria de nos deixar grandes exemplos, principalmente em sua reencarnação como Jesus de Nazaré. Esse grande contigente que poderá estar em sintonia com o que aqui vai descrito, fez e faz parte daquele Clã de espíritos abnegados, missionários mentalistas, amantes do Bem e da Grande Harmonia Cósmica que para Terra vieram oriundos do planeta Vênus, planeta já evoluído naquela época principalmente no que se refere à evolução espiritual, com uma população, uma humanidade bondosa, pacífica, contrária visceralmente à belicosidade e que ainda não mede esforços em sacrificar a própria vida pelos seus semelhantes mesmo que estes não sejam do seu planeta. Haja visto, os grandes e importantes pacifistas de vários países aqui na Terra que soubemos, com certeza, serem eles de origem venusiana, mesmo que isto lhes custe milhares de anos de sofrimentos físicos, morais, espirituais, psíquicos e venham a prendê-los através do karma num planeta e uma humanidade embrutecida como a terrestre.

Esta imensa dedicação humanistica por parte da humanidade venusiana tem lhe custado um altíssimo preço, pois muitos de seus líderes espirituais, outrora livres pensadores quando lá viviam, acabam permanecendo na Terra por dezenas e centenas de reencarnações de prova e de resgate, pois tendo eles grande força mental acabam atingindo seus algozes através da magia e assim pagam por fazerem mal uso dos seus conhecimentos, que os desciam dos objetivos e ideais traçados há milênios. Jesus conseguiu refrear essas forças mentais e perdoar aqueles que o perseguiram. Foi, talvez entre alguns outros uma exceção.

Milhares dos antigos habitantes dos antigos continentes da Lemúria e da Atlântida, antes desses continentes submergirem, eles subiram para o planalto em busca de outras terras e lá deram origem às civilizações de grandes pensadores, hermetistas, humanistas, mentalistas, magos, pacifistas e outros, mais ligados as áreas do psiquismo humano e foram pioneiros entre os Vedas anteriores ao povo Hindu, posteriormente, entre os Hindus, entre os Tibetanos, entre os Egípcios, os Chineses, os Astecas, Toltecas, Maias, os Incas, os Druídas que por sua vez lideravam os Celtas. Enfim, povos que predominantemente se apegavam à magia, a feitiçaria, entre os Ciganos povo nômade que teve sua origem na Índia e se espalhou pelo mundo conservando seus antigos costumes e é claro, entre as raças pós-diluvianas que foram os Babilônios, os Assírios, os Macedônios e outros que se mesclaram com os reencarnados oriundos da estrela Capela e que formaram as raças do Oriente Médio, os assim chamados arianos e israelitas que redundaram na formação de uma humanidade técnica e mentalmente mais arrojada dando ensejo à miscigenação racial para a acolhida do nascimento da ramificação genética que faria brotar o Mestre-dos-Mestres, Jesus.

Após todo esse tempo e toda essa miscigenação racial e a redistribuição de espíritos pelos quatro cantos do globo, bem como a fusão com outros espíritos belicosos vindos do Capela (o famoso paraíso perdido da raça adâmica) os quais pela sua índole e cupidez, empáfia, malignidade, perversidade, etc., etc., também deram origem à povos guerreiros, conquistadores, usurpadores, vilipendiadores das raças e respectivos conhecimentos, pode Jesus programar seu renascimento de há dois mil anos atrás em Belém na Judéia, e que depois também foi acolhido entre os Essênios que faziam parte daquele seu antigo clã da Atlântida.

Há também a outra parte dos que lerem estes relatos que não concordará com o seu conteúdo por falta da afinidade e da sintonia fina com os fatos e também porque os seus dogmas, preconceitos e fanatismo de toda a sorte inclusive o religioso, não conseguirá admitir ou entender que o Espírito de Jesus é um espírito humano como todos os nossos espíritos ou o espírito de cada um de nós.

Acreditem se quiserem, uma vez Ele nos disse através da telepatia e projeção de sua imagem dentro do astral ou psicosfera de nossa casa de Ribeirão Pires: “- Os seres humanos necessitam sempre temer ou acreditar em algo maior que eles, algo sobre-humano, algo sobrenatural, por isso colocam a mim dentro de uma redoma cósmica de onde eu não possa sair, para que eles dêem vazão às suas faltas através de adorações e promessas, esquecendo-se eles que eu fui e sou ser humano e quero estar junto ao ser humano, meu trabalho no planeta de onde vim e na Terra sempre foi em prol do ser humano. Preciso dialogar com o ser humano e gosto de ser visto como tal, por isso, eles e suas religiões não admitem que eu e outras entidades elevadas possamos descer e entrar em contato com os seres humanos através de outros seres humanos. É uma questão de sintonia e nivelamento de vibrações e isto eu faço sempre. Não gosto de situar-me num pedestal. Sou o que sou hoje, graças a ajuda de outros seres humanos de uma grandeza de alma infinita, sem a qual o Cristo tanto apregoado não existiria; entre estes seres maravilhosos está o aparelho que capta hoje estas linhas (minha esposa), o seu companheiro, sua filha e dezenas de outros”.

Para mim que agora estou compilando aquilo que nos fora dito há anos atrás, é uma dádiva muito especial poder comentar e escrever sobre o Grande Mestre, mas para isto tenho que reportar-me aos “porquês” de sermos nós em fazê-lo e tentar explicar como isto foi possível e através de quais dons e fenômenos conseguimos fazê-lo.

Só após o nosso desenvolvimento psíquico, mediúnico e o desenvolvimento das faculdades paranormais como: a psicometria, as projeções do duplo-etérico (viagens astrais), (saídas fora do corpo conscientes), desdobramentos (saídas do corpo inconscientes (durante o sono mas com lembranças do que ocorreu), (não se trata neste caso, de sonho, que, tenho para ele uma explicação à parte), e ainda outros fenômenos tais como, a vidência, a clarividência, a audição astral, a visão das cores áuricas ou aurividência e etc. Todos esses desenvolvimentos ocorrem no decorrer do tempo e exigem uma dose de sacrifício pessoal muito grande, além de regimes alimentares afim de tornarem o físico se não mais leve, pelo menos mais liberto para transitar ou permitir que seu perispírito transite mais livremente entre os campos físicos e astrais ou entre a fisiosfera (crosta terrestre) e as psicosferas (campos espirituais).

O perispírito liberto do físico e com sua mente já preparada para todos os eventos que lhe surgirem, ou seja, isto eqüivale a dizer que ele tem obrigatoriamente que estar isento dos medos, preconceitos e tabus, dos religiosíssimos de todo o tipo, da obtusidade própria, da falta de cultura espiritual, das mazelas kármicas que o inibiriam para qualquer propósito mais elevado, principalmente aquele de poder avistar-se e dialogar com entidades mais elevadas, entre estas a figura luminosa do Grande Mestre Jesus e outros avatares de outros orbes, ou de outras regiões cósmico-siderais.

Somente após longo treinamento desde a infância e com a ajuda de grandes entidades e do nosso Mestre Jesus, pudemos voltar gradativamente ao passado longínquo de nossas origens. Tudo está registrado em nossa extensa “fita magnética” ou “video-fita”, que fazem parte dos registros akáshicos siderais, mas há a necessidade de se ter conhecimento e a mente aberta para adentrarmos cada fase desses registros a sem barreira de tempo e de espaço.

Voltando ao início da vinda de Jesus para a Terra, Ele próprio nos mostrou com imagens mais nítidas que uma TV moderna que Ele fora Cristi-ien, Governador Geral do Planeta Vênus, portanto Jesus é de origem venuziana. Mostrou-nos sua esposa lá em Vênus naquela época, a belíssima Mah-hára que posteriormente, milhares de anos depois viria a ser sua amada de coração Maria Madalena que o ajudaria, da sua maneira, a levar a cabo sua missão. Hoje tenho o privilégio de ter esses espírito como minha Amada, instrutora e protetora espiritual.

Em Vênus foi feita uma reunião entre as Entidades Espirituais de lá e os Engenheiros Siderais mais os líderes vivos do planeta, entre eles Cristi-ien, Mah-Hára, Maria, José e outros que muito mais tarde acompanhariam a Jesus, decidiram que após o desencarne de todos lá em Vênus viriam para a Terra, na época para os continentes da Lemúria e Atlântida até o apogeu da civilização lá reinante, e ao chegar o declínio e sua conseqüente submersão, esses espíritos subiriam e reencarnariam em outros continentes para juntarem-se em nova plêiade de pensadores e humanistas visando sempre a evangelização dos povos que seriam exilados vindo de outras constelações e trariam uma enorme soma de revoltados, negativos e belicosos. Isso foi levando milhares de anos, com centenas de sucessivas reencarnações daquelas que se propunham auxiliar, e durante todo esses tempo as modificações telúricas foram ocorrendo na Terra, movimentação da crosta, dilúvios, guerras longas e fratricidas.

Jesus e sua clã, ou melhor, Cristi-ien e sua gente foram nascendo, morrendo e reencarnando em várias regiões do planeta, principalmente nas regiões compostas por astrais místicos tais como: a antiga Índia, o Tibete, o Egito, o Alto Oriente onde se inclui a China, a Mongólia, a Ásia Central, o Japão e etc., até que faltando mais ou menos dois mil anos para o fim do novo ciclo terrestre teria que nascer o Avatar Jesus e sua Clã mística.

Eu e minha clã, originamos do planeta Marte, após aquela decisão sideral, viemos nos juntar com os venusianos aqui na Terra, também a partir da Lemuria e da Atlântida, com uma diferença, o povo de Vênus que é essencialmente mentalista, amante da paz e do silêncio restringiu-se à mística, à cabalística, ao amor ao próximo e as causas humanitárias. O povo marciano, igualmente muito evoluído e mais afeito às novas invenções, um povo mais lépido, mais “elétrico” e é claro com “estopim mais curto”, veio também em ajuda aos venusianos amparando-os nas inovações técnicas, contudo serem os marcianos também amantes da paz, do amor ao próximo, do silêncio, tinham e ainda tem mais propensão às defesas físicas através da tecnologia e aparatos bélicos, a música, as artes, aos esportes etc…. Enquanto o venusiano trava a sua batalha silenciosa através dos poderes mentais e da magia, o marciano, muitas vezes extravasou e ainda agora, com menos freqüência, a sua batalha no “tete-a-tete”, no corpo-a-corpo.

Por isso, na época de Jesus, Ele sempre preferiu escolher para estar ao seu lado, pessoas cuja índole fosse mais próxima a índole venusiana, os mansos de coração, como ele os chamava e ao perguntar-lhe “porque Ele com os poderes que tinha não petrificou aqueles que O fustigavam, transformando-os em estátuas para serem contempladas pelas futuras gerações, como lição, para que jamais esquecessem”, Ele respondeu-me: meu querido, eu dizia também que deviam amar uns aos outros e que eu não viera para mudar a Lei, nem a Lei dos homens, nem a Lei de Deus, porém, não me era proibido não sofrer dor; pois eu sabia, e a experiência do tempo milenar em que vivi na Terra ensinou-me como isentar-me o mais possível da dor física, afastando do meu corpo físico o meu espírito e com ele o duplo-etérico que é o agente da dor. Porém, nem sempre isso era totalmente possível devido a falta de concentração interior e o burburinho da turba um tanto enlouquecida ou tomada pela sanha malévola dos fanáticos sacerdotes-políticos e os açoites e estacadas dos carrascos.   Eu sabia também que não seria a minha dor ou meu sofrimento físico que iriam permitir a redenção da humanidade, pois, antes de mim naquele mesmo lugar, dezenas de pessoas foram sacrificadas tanto ou mais que eu, e muitos, aos milhares, seriam ainda sacrificados em meu nome, em guerras e outros acontecimentos nas centenas de anos que se seguiram à minha morte. Portanto, a redenção da humanidade seria feita através dos ensinamentos deixados como coluna mestra da moral, da espiritualidade e do novo comportamento social humano, e foi isso que tentei fazer!

Foi quando assintosamente respondi: “- Ah! se eu estivesse por lá naqueles momentos!(fiquei sabendo que me encontrava na Grécia no momento da crucificação de Jesus). Ao que o Mestre respondeu: “- Eu agradeço ao Pai por você não ter estado lá, pois se estivesse, você poderia ter desviado os acontecimentos para pior, eu não cumpriria o que vim fazer, você acumularia outras culpas e a missão de todos nós estaria arruinada. Esta missão, como você sabe, foi programada há milênios atrás fora do ambiente terráqueo por todos nós em conjunto com os Engenheiros Siderais com vistas à doutrinação e elevação do padrão mental e espiritual da imensa população de exilados de outros orbes que seriam enviados para a Terra, planeta relativamente novo e como forte potencial para o desenvolvimento de novas criaturas já em grau de inteligência avançada. E como os Engenheiros Siderais sabem por experiência em milhares de outros planetas nesta e noutras galáxias, que a maior parte desses espíritos exilados passam de planeta para planeta sem se modificarem, pois entram no circulo vicioso do desamor, do mal e todas as vicissitudes imagináveis e inimagináveis e retornam a estaca zero a despeito do sofrimento a que se sujeitam e mesmo com ensinamentos e sofrimentos de outrem por eles. Por isso, há milênios já estão sendo preparados os locais de nova acolhida para eles em outros locais do Universo e, logicamente, outros espíritos se sacrificarão por eles lá a onde se alojarem. Assim é Deus, assim é o progresso e a evolução dos seres que habitam os milhões de mundos criados e que forem sendo formados.

Sempre haverá chance para todos, porém, o tempo de estagnação e de demora na evolução é por conta de cada um desses espíritos. Poderíamos denomina-los de espíritos afeitos a colonização de orbes e humanidades em evolução, e, como colonizadores que são, pagam seu preço para isso, completou o Mestre. 15/4/95

Nestes dias da chamada “semana santa”, vê-se por todos os meios de comunicação milhares de pessoas revivendo os dias de martírio de Jesus de Nazaré, em alguns locais com a encenação parecida com a que ocorreu há dois mil anos atras. Muitos revivem na própria carne deixado-se chicotear física e moralmente. Há milhares entre essas pessoas cheias de boa fé que tentam lembrar a atual humanidade os ensinamentos do Mestre, mesmo dentro dos dogmas, preconceitos e fanatismo.

  • Aqui faço um adendo, apenas para mostrar que muitos que seguiram Jesus e não são do planeta Dele, hoje se encontram reencarnados no Brasil para futura missão nos dias das transformações finais, alguns conseguimos detectar através da psicometria, é o caso de Marcos o Evangelista, hoje um dileto amigo, outros, sabemos que fizeram parte mas, não nos foi dado saber seus nomes ainda a que são induzidas por suas religiões e crenças. O livre arbítrio continua a prevalecer, pois Jesus nada pediu a respeito e nem deixou algo escrito de seu próprio punho sobre o que Ele fez ou disse, o ser humano sempre culposo reflete grupalmente a sua consciência negativa e de arrependimento de última hora. Porém, há também entre milhares de pessoas aquelas que revivem tudo com escárnio, sadismo, maldade belicosa e maligna e tiram proveito e lucros de toda a sorte, sobre aqueles acontecimentos, deixando bem claro que para eles a lição de nada serviu, continuam aguardando o Messias para eliminá-lo novamente. Mas, o Núcleo Central é magnânimo e vai continuar lhes dando as chances de redenção através dos séculos vindouros, porém, o preço a pagar lhes será alto.

Minha esposa querida que há vinte e oito meses está acamada, em estado quase vegetativo, digo quase, porque ela não se levanta, fala pouco, ouve tudo, enxerga bem, raciocina como criança, não faz suas necessidades fisiológicas sem ajuda e emagrece como se estivesse secando, o que me faz chorar e me lamentar como criança, viveu e participou verdadeiramente naqueles dias de martírio do Querido Mestre e hoje, no leito como se quisesse se auto punir de algo que ficou em seu espirito sofre silenciosa e expurga de si e principalmente de nós as toxinas das nossas mazelas milenares.

Pelo que me foi permitido saber através do fenômeno da psicometria, ela sempre foi mulher em todas as reencarnações na Terra e mesmo em Vênus, por isso, mesmo doente e como quase todo o gênero feminino ainda conserva aquela “pitada” de ciúme e sofre ao ver e sentir que não pode estar por inteira comigo e mais ainda quando alguma outra mulher se aproxima de mim. Isto eu não posso evitar pois é próprio dela. Mas, o que tem isto a ver com este capitulo sobre o Amado Mestre, tem muito, pois ela na época Dele também sentia por Ele a mesma coisa e ainda pelo que nós aqui particularmente sabemos ela que foi ou teria sido um grande amor da vida Dele, então, dentro deste contexto, faz parte do Seu Martírio, também! Um martírio que eu passei e estou passando com muita honra apesar das inconveniências. As mulheres, ou melhor dizendo, o gênero feminino de todos os reinos da Natureza são os seres que mais sabem amar o homem e também são os que mais sabem odiá-lo e odiar aos demais seres quando não conseguem atingir os seus objetivos. Deus – O Núcleo Central Cósmico quando gerou o gênero feminino o dotou de todas as qualidades e imperfeições mais que ao homem. Por isso elas são geradoras também e os homens, ou gêneros masculinos, são unicamente reprodutores. A mulher por ser geradora é a célula-mater da espécie humana e por isso, torna-se martírio, vive em constante martírio e é martirizadora.

Ao meu ver o gênero feminino é a Benção Divina materializada. Consequentemente, pelo que pude deduzir no transcorrer dos meus contatos com o Mestre, Ele além de ter sido martirizado fisicamente, martirizado emocionalmente pois amou muito a humanidade e amou silenciosamente, porém intensamente seu antigo amor e companheira Venusiana Mah-hára que, posteriormente seria a pedra moral de sua missão na Terra, Maria Madalena, hoje um grande espirito que também tem martírio. Martírio, porque sofre na carne, na mente e no espirito o que Ele veio sofrendo. Se apenas sofresse não teria importância mas, não posso vê-la sofrer e nem a minha Querida Filha ou meu Querido genro. Na verdade não posso ver ninguém sofrer, e sem demagogia religiosa, não poderia presenciar nosso Mestre sofrer, com certeza eu interviria com a força nem que fosse para sacrificar minha própria vida. Atualmente, talvez, eu agisse diferentemente!

Mas o Pai, O Núcleo Central Cósmico, através das Inteligências que O compõe, programa tudo com antecipação e dentro das possibilidades normais sem exceder-se, deu a proteção ao Divino Mestre. Digo sem exceder-me pois, o Mestre Jesus nasceu como ser humano comum filho de ventre de mulher, feito de carne e osso, com dores e sentimentos iguais a todos os mortais, poderia ter sido liquidado mesmo antes de dar os primeiros passos.

O Pai Celestial, não o fez vir com uma couraça de aço ou com exercito super armado a fim de que ele pudesse ser defendido e pudesse romper barreiras que iria enfrentar. Contudo, deu-lhe uma proteção indireta, desviando seus caminhos dos caminhos dos seus algozes enquanto era necessário fazê-lo. Haja visto, milhares de crianças mortas a mando de Herodes, em seu lugar, outras milhares mortas antes por Moisés à caminho do deserto em direção a Terra prometida, isso três mil anos antes. Iluminou Seu caminho assim como o caminho daqueles que O queriam ver nascer. É o caso da famosa estrela de Belém que se movimentava nos céus guiando os três reis magos e outros seguidores daquele que seria o Mestre dos Mestres. Conforme fui informado, aquilo era uma nave de Vênus que veio acompanhar o nascimento aqui na Terra de seu Cristi-ien e estava repleta de lideres daquele planeta.

Após todo aquele martírio que Jesus passara, antes de seu desencarne ficou no ar toda a vibração emitida por Ele. Toda a Terra, mas principalmente a região onde Ele se encontrava, foi como que alterada por aquela vibração toda; a Natureza se transformou, o tempo mudou, nuvens foram atraídas pelo intenso magnetismo reinante. Seu corpo foi envolto num simples sudário de linho que depois ficou impregnado como se uma intensa radiação, registrando todas as marcas do Seu suplicio. O corpo desapareceu como por encanto e conforme sou informado, o pessoal de Vênus de dentro de uma nave que pairava a grande altura se incumbiu de pulveriza-lo através de aparelhos com raios desintegradores (a guisa de composição da temida bomba de neutrons que só destroi o físico humano ou outros físicos) fazendo-o desaparecer de sob o manto de linho e sugando as partículas para dentro de um recipiente no interior da nave e, assim, acabando com todos os vestígios humanos de Jesus que poderiam também serem disputados pelos mesquinhos e fanáticos seres humanos e suas seitas, principalmente pela magia negra. Assim, como foram outros objetos que sobraram de Sua missão aqui na Terra, tais como o madeiro da cruz, o cálice da Santa Ceia (o chamado Graal) e outros, inclusive o santo sudário que hoje é motivo de disputa entre a igreja, a ciência e os fiéis. Imagine o leitor se o corpo de Jesus tivesse permanecido em seu sepulcro!

Portanto, o martírio de Jesus de Nazaré foi a pedra angular da filosofia e da religião na Terra. Esse martírio rompeu todas as barreiras físicas, morais, espirituais, mentais, de fisiosfera e de todas as psicosferas planetárias. Houve uma reação de todas forças, negativas, neutras e positivas desta periferia da Via Láctea.

Jesus de Nazaré e Seus feitos foram uma espécie de espelho refratário para a humanidade da Terra e dos demais planetas de nosso sistema solar. Nesse espelho, todos viram refletidas suas falhas e seus acertos, grandes e pequenos, do passado do presente e do futuro. Ninguém, após a vinda Dele, poderá alegar inocência ou ingenuidade a respeito do que é o Bem e ou que é o Mal. O Karma da Terra e de cada habitante foi reforçado, a Lei Universal e seus códigos ficaram mais claros para todos, além do que, sobre essas leis paira a Justiça Divina e não a corrupta e inócua justiça dos homens.

O que Ele mui sabiamente dizia e previa através de suas parábolas, já vem ocorrendo há muito tempo. O mundo caminha para seu estertor que já se aproxima céleremente. Os dois sóis previstos no Apocalipse e o fim da “Babilônia” aproximam-se. A Besta virá dos céus e não será um homem, dizemos nós.

Talvez o mundo não escape de uma terceira conflagração, mesmo com tudo aquilo que Mestre deixou como lição ao ser humano de dois mil anos para cá. Todas lideranças siderais e cósmicas, pelo que eu sei, estão empenhadas para que não ocorra uma terceira grande guerra, mas, as toxinas do planeta Terra estão tão acumuladas e o ser humano tão desumano que poderá haver a necessidade de uma drenagem dessas toxinas através da dor coletiva. Essa drenagem ocorrerá mesmo sem a terceira guerra mundial, pois o gigantesco planeta Sidérius se aproxima e mudará as orbitas dos planetas dos seus movimentos atuais, aí então prevalecerá o que diz o Apocalipse: “E o céu desaparecerá”!

A missão do Grande Mestre Venusiano Cristi-ien foi preparar as milenares gerações que se seguiriam após a Lemúria e Atlântida para o advento final do assim chamado fim dos tempos que agora está bem próximo. Apenas mais uns poucos anos. Sim, porque mesmo a Lemúria, a Atlântida, Sodoma e Gomôrra terem desaparecidos com todas as suas raças e civilizações, dilúvios e hecatombes várias terem ocorrido de 50.000 (cinqüenta mil) anos para cá, ainda assim, não era o fim dos tempos porque não houve mudanças radicais em nosso Sistema Solar e o planeta Terra ora se inclinava em seu eixo, para um lado ou para outro permanecendo na atual posição no espaço.

Agora não. O Sistema solar em seu todo está se transformando numa Super Nova, ou seja, para quem o olhar ou avistar de fora ele estará inchando para logo explodir e se transformar em dois novos sistemas solares eqüidistantes um do outro, tendo o nosso Sol líder de um sistema e o planeta Júpiter como líder do outro. Sidérius o gigantesco planeta que se aproxima passará entre os dois, ou melhor, obrigará o nosso sistema solar a se transformar em dois. O planeta Terra sairá de sua atual órbita solar, rolará no espaço, atrás do seu sol, com ele levará milhões e milhões de vidas. Não haverá como até então, mudanças apenas climáticas e raciais mas sim, planetárias para dar inicio a uma Novas Era, Novos Tempos, encerrando um gigantesco tempo sideral ao qual viemos pertencendo.

Como Ele mesmo, o Mestre, previra, o Joio será separado do Trigo e todas as gerações que compuseram a humanidade atual da Terra e de outros planetas do nosso sistema solar, em fase de evolução, tiveram suas oportunidades de progresso e espiritualização. Se não aproveitarem, recomeçarão do ponto de partida, noutras regiões siderais e em nova ambientação provando assim que até a paciência Divina tem seu limite.

O mestre Jesus veio várias vezes, em centenas de reencarnações, em muitas delas se sacrificando como na sua última missão de Jesus de Nazaré para nos transmitir isso tudo. Felizes aqueles que O compreenderam, pois lhes será reservada a famosa Terra Prometida. Para os que não O compreenderam ou não quiseram compreender, terão seu “habitat” condizente com a sua índole e vocação. Para isto foi o Martírio de Jesus de Nazaré.

Foi necessário esse martírio?. Ele e as altas Entidades Espirituais dizem que sim, pois tinha que haver uma marca indelével, uma passagem inesquecível para a humanidade que seria gerada dois mil anos após.

Houve um enorme trabalho das Entidades Siderais Reencarnacionistas na formação milenar, antes do nascimento Dele, daquilo que eu chamo de “Meridiano Genético”, fruto do Grande Plano Sideral e Cósmico, pelo qual a herança genética resultaria como meta final na geração de um ser especial, hiper-sensivel como Jesus de Nazaré que não se juntaria com mulher alguma, nem com sua própria mãe e nem geraria filho algum. O Meridiano Genético começaria para Ele e terminaria com Ele. Daí o seu Martírio, aparentemente desumano e aparentemente abandonado a sua própria sorte.

Vale a pena lembrar que muitos mártires houveram na Terra e que também foram crucificados, entre eles o famoso Spartacus que foi considerado posteriormente pelo mundo comunista como primeiro “proletário sindicalista” , mas no entanto, não teve a vida regrada e espiritualizada como a Dele e nem a mesma sabedoria e amor pela humanidade, e muito menos a visão de Avatar Clarividente como Ele tinha.

Neste momento (26/04/95), minha Querida Esposa Conceição, Sua antiga discípula Mah-hára, passa um martírio hospitalar doloroso através de agulhas, seringas bisturis, um processo que hoje completa vinte meses, similar ou pior que o Dele, pois pertence ela ao mesmo Meridiano Genético Espiritual, e como Ele, aceita tudo passivamente, pacificamente, nos dando um exemplo de uma grandiosidade espiritual só percebida e vivida por seres de Alta Hierarquia e, eu pessoalmente torno-me tão pequenino frente a ela e a Ele que não tenho outra saída senão a de chorar, chorar copiosamente como um ser ínfimo e de me envergonhar das minhas fragilidades humanas e se pudesse seria reduzido a pó aos Seus pés.

Por isso, este capitulo e tudo o mais que fiz de bom nesta e em minhas vidas passadas, dedico a essa maravilhosa criatura, esse anjo de amor e bondade que Jesus permitiu me acompanhasse durante todos esses milênios pois Ele sabia que eu iria precisar de alguém ao meu lado que fosse mais forte, mais nobre e mais elevado espiritualmente que eu, que essa minha Querida companheira de todas as horas, Minha Esposa Conceição Aparecida Yezzi, para a qual peço a Ele remeter toda a Sua Energia Cósmico Sideral Restauradora, para que Ela se restabeleça, volte a andar e juntos, possamos passar às massas todo o conhecimento que em nossas almas antigas está armazenado e o amor que em nossos corações está palpitando e que juntados ao Dele possam ainda, a tempo reconduzir muita gente ao caminho do Bem e da Verdadeira, assim como a Minha Querida Filha Regianne (Sara) outro Anjo que me acompanha e sofre por mim, sem que eu mereça tanta consideração; tudo é dedicado a Ela também, e agora ao Paulo meu estimado genro, e a minha netinha Giulia.

Tenho certeza de que Jesus lá nas Alturas onde Ele se encontra, está saudoso e martirizado por ter deixado um anjo maravilhoso como esta Minha Amada, aqui na Terra, mas assim mesmo peço a Ele que não a leve de mim, que permita que eu ainda seja capaz de fazê-la feliz e aí então, sim Ela poderá estar ao lado Dele tendo cumprido sua árdua missão aqui na Terra que foi a de me acompanhar e zelar por minha alma e por milhões de pessoas.

O Núcleo Central Cósmico – Deus, através dos Seus Engenheiros Siderais, em um dos quais espero me tornar um dia, mesmo que esteja longínquo esse dia, faz tudo certo, tudo é regido por Leis Naturais, tudo é planificado com margem de exatidão impressionante, que deixa o ser humano comum da Terra abismado, perplexo é sem atinar com a Consciência Maior. Pensa que pode fazer o que bem quer sem que nada lhe aconteça de volta. O choque de retorno é inevitável e como dizia muito bem O Mestre: – “A semeadura é livre mas a colheita é obrigatória”.

Eu devo estar colhendo o que plantei! E, apesar de ter o privilégio de saber muita coisa e estar em contato ininterrupto com seres vivos de outros planetas através das “aberturas” paranormais ou mediúnicas e com Entidades Elevadas da Terra e ainda com dezenas de tipos diferentes de seres Elementais, estou um tanto revoltado e inconformado com o que Minha Querida está passando. Olho-a e choro. Choro e olho-a. Não encontro uma saída de conforto espiritual e mental para o meu ego, apesar de se me apresentarem várias saídas, todas teóricas, mas só de teoria não se pode viver!

O que é bom para os outros pode não ser bom para mim e vice-versa. Por isso, comprovadamente o exemplo dado pelo Grande Mestre serviu, serve e servirá enquanto este ciclo planetário durar que, a dor física é a forma natural que o corpo humano encontrou para expulsar as toxinas dele próprio e principalmente do perispírito que por sua vez as expurga da alma e permite a esta se desprender sem apego as coisas e causas da matéria, libertando-se assim para vôos mais altos em direção de Volta a Fonte Criadora, ao Núcleo Central Cósmico – Deus.

O Mestre pessoalmente não precisava padecer aquele martírio tão doloroso mas, tornou-se passivo a ele assim como Minha Querida o faz agora, porque ambas são almas afins, almas gêmeas e necessitam estarem juntas na Eternidade. Sei que um dia perderei este meu Anjo, quer no físico, quer no Páramo Celestial, pois ela voará com certeza muito mais alto que eu, mas resta-me o consolo de saber que fui considerado pelo Criador quando[1] colocou-a há milênios ao meu lado.

Jesus provou que tudo é perene neste mundo.

Ninguém precisa ou deve apegar-se demasiadamente ao mundo da terceira dimensão, deve sim, conservar o instinto de autodefesa, deve zelar pelo seu vaso de carne e osso que é o corpo, que lhe foi presenteado pelas Entidades Reencarnacionistas e pelos seus ancestrais que zelando pelo corpo deles mantiveram firme o Meridiano Genético para ele nascer da forma como nasceu. Se for perfeito, é porque seu perispírito fez jús a essa perfeição e se não for perfeito é porque tem que passar por uma drenagem de alguma toxina que o iria prejudicar mais ainda no futuro.

Tudo o que Jesus de Nazaré tinha que fazer na Terra parecia obedecer a uma matemática coerente, racional onde o número 12 e seus múltiplos tinham e têm vibração definitiva. Os números múltiplos de 12 são o nº 3, e nº 4 o nº 6 e o nº 9. Então vejamos a titulo de curiosidade esta minha simples pesquisa:

12 são o número de planetas que compõem o nosso sistema solar (três ainda não detectados pela ciência)

12 são as constelações que no Zodíaco exercem influencia na Terra.

12 são os signos correspondentes na Astrologia que são regidos pelo Zodíaco.

12 meses formam o ano terrestre.

12 horas formam o tempo do dia.

12 horas formam o tempo da noite.

12 são os meridianos que formam o dia.

12 são os meridianos da noite.

12 são os trabalhos de Hércules, na mitologia grega.

12 são os Cavaleiros da Tavola Redonda, do Rei Arthur.

12 são os números de sons da Música.

12 são o número de cores correspondentes aos 12 sons.

12 são os “chakras” ou vórtices do campo psíquico.

12 são os “plexos” do corpo humano.

12 são os meridianos do corpo humano catalogados pela medicina chinesa.

12 foram os Ministros do Governo do Brasil Novo que em 25/03/95 (na Semana Santa!), a medida de nº 168 foi aprovada por 39 deputados, numero: 3 + 9 = 12.

12 é o total formado pelas 4 estações climáticas na Terra ou seja 3 meses de primavera, 3 meses de verão, 3 meses de outono e 3 meses de inverno: 3 + 3 + 3 + 3 = 12 ou seja 3 x 4 = 12.

12 são as tribos de Israel que no capitulo 7 do apocalipse de João menciona os 144 mil “selados” ou escolhidos para permanecerem na Terra. Decompondo-se este número 144 ÷ 12 tribos = 12 mil “selados”.

12 é o número que compunha os membros da família direta de Jesus, assim distribuídos:

José com a primeira mulher Débora:

por ordem alfabética os seguintes 5 filhos e irmãos de Jesus:

Cleófas
Eliezer
Jacob
Judas
Matias

José com a segunda mulher Maria:

por ordem de nascimento, os seguintes 6 filhos e irmãos de Jesus:

Andréa (Homem)
Efraim
Elizabete
Hannah
Jesus
José

12 portanto, foram os familiares irmãos de Jesus mais Maria que foi mãe que gerou Jesus.

12 apóstolos foram os escolhidos por Jesus, cada um representado um planeta, uma constelação do Zodíaco e um signo da astrologia.

12ª jornada da Via Sacra – a Caminho da Cruz, morre Jesus,- [ com 33 anos ou 3 x 3 = 9 ou 3 + 3 = 6 + 3 { nº do 3º planeta Terra } ou 3 x 3 x 3 = 27 = 2 + 7= 9 ]

24 é o número de anciãos mencionado no Apocalipse de João capítulo 5 versículo 8 (24, número divisível por 12 e etc.,)

Portanto, Jesus estava circunscrito a uma matemática sideral que rege o nosso sistema solar e principalmente a Terra e a sua humanidade, senão vejamos mais um pouco dessa lógica sideral que eu analisei, ainda sobre a ronda do nº 12 e seus múltiplos, seus enigmas e influencias:

Conforme a Ciência da Astronomia e a futura ciência da Astrologia informam, o Sol leva 25.920 anos na sua passagem pelas 12 constelações do Zodíaco e consequentemente também pelos 12 Signos Astrologicos. Em cada ano, portanto cada 12 meses, passa pelas 12 constelações e 12 signos que segundo a Astrologia exercem influencias várias, positivas ou negativas sobre os seres humanos, os quais são: Áries, Touro, Gêmeos, Câncer, Leão, Virgem, Libra, Escorpião, Sagitário, Capricórnio, Aquário e Peixes.

E eu sou informado que o nosso sistema solar é formado por 12 planetas e que os Magos da Babilônia e Jesus já sabiam disso, por isso, o Mestre escolhera 12 apóstolos, cada um representando uma constelação, um signo e um planeta, três tipos de influencias que somadas e decompostas ficam 3 x 12 = 36 = 3 + 6 = 9[2] . Os planetas que formam o nosso sistema solar são : Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Äga (ainda não descoberto), Urano, Oswen (ainda não descoberto), Netuno, Plutão e Fesp (ainda não descoberto).

Os três planetas ainda não descobertos levam o nome que seus próprios habitantes dão a eles, conforme sou informado.

Como o Sol percorre o Zodíaco nos seus 360º (graus) decompondo-se o nº 360 temos: 3 + 6 + 0 = 9. Este percurso é portanto para cada ano = 12 meses. Atrasa-se 50 segundos em cada ano ou l (um) grau em cada 72 anos, decompondo-se o nº 72, temos 7 + 2 = 9. Isso faz com ele mude de signo com intervalos aproximados de mais ou menos 2.160 anos, decompondo-se o nº 2.160, temos: 2 + 1 + 6 + 0 = 9. Leva pois 25.920 anos para percorrer em sua passagem pelas 12 constelações e 12 signos do Zodíaco, decompondo-se em multiplicação esses números, temos: 2.160 x 12 = 25.920. Decompondo-se em multiplicação também 25.920, temos: 2 + 5 + 9 + 2 + 0 = 18 = 1 + 8 = 9.

Aqui entram dados importantes que incidem na sobrevivência e na permanência do homem sobre o planeta Terra, dificultando-lhe assim as viagens espaciais, caso não haja proteção e compensações vibratórias adequadas.

Comparando-se o homem (microcosmo) com o Universo (macrocosmo), temos: Conforme a Ciência, o homem respira 18 (1 + 8) = 9 vezes por minuto. Multiplicando-se 18 por 60 minutos, temos: 18 x 60 = 1.080 que multiplicando-se 24 horas, temos: 1.080 x 24 = 25.920 vezes por dia, exatamente o percurso que o Sol leva em sua passagem pelas 12 constelações do Zodíaco.

Lembrando que o ano na Terra é de 12 meses e, se dividirmos os 360 graus em que o Sol percorre todo o Zodíaco por 12, temos: 360 ÷ 12 = 30 que seria a quantidade exata de dias de cada mês, decompondo-se os nº 360 e 30, temos : 3 + 6 + 0 = 9; 3 + 0 = 3, e 3 + 9 = 12. No caso de dias estou desprezando as frações de 30 que dariam mais 5 dias do calendário terrestre atual. O correto seria ter o nosso calendário terrestre com 30 dias para cada mês e não 28,29,30 e 31 como até agora; ocorre porém que a contagem terrestre dos dias baseia-se no movimento de translação da Terra em torno do Sol, que dá 365 dias, daí a pequena diferença.

O povo Maia se utilizava em seu calendário de 30 dias para cada mês, baseava-se portanto, no movimento do Sol e não no movimento da Terra.

Se ao invés de decompormos o nº 365, multiplicássemos ele por ele mesmo, temos: 3 x 6 x 0 = 18 que é igual a 1+ 9 = 9 ou 360 x 360 = 1296000 = 1 + 2 + 9 + 6 + 0 + 0 = a 18 = 1+ 8 = 9 = ou 9 x 3 que é o nº do planeta Terra na posição do sistema solar, ou seja, a Terra é o 3º planeta do sistema solar = 27 = 2 + 7= 9 ou 2 x 7= 14 = 1 + 4 = 5 que a diferença entre o nº de quantidade de dias entre a contagem do calendário Maia e o atual calendário em uso. Assim como o nº 360 é o número de graus de uma circunferência.

Se multiplicássemos o nº 2.160 decomposto por 12, temos: 2 x 1 x 6 x 0 = 12 = 1 + 2 = 3 x 12 = 36 = 3 + 6 = 9, ou 3 x 6 = 18 = 1+ 8 = 9.

A Constelação de Sagitário, signo no qual me orgulho de ter nascido é o nono signo do Zodíaco ou signo nº 9 dentro dos 12 signos da Astrologia, decompondo-se esses dois números, temos: 9 +1+ 2 =12 = 1 + 2 = 3 sempre múltiplo de 12!

Penso que com a demonstração acima Jesus não nasceu por acaso no 12º mês do ano terrestre, no dia 25 que decompondo-se é igual a 1 x 2 = 3 x 2= 6 x 5 = 30 = 3 x 0 = 3, ainda o número do planeta Terra! Ele também não escolheu por acaso 12 apóstolos que além do nº 3, é o número da quantidade de planetas do nosso sistema solar que cada um representava e que com Ele, Jesus representando o Sol perfaz a quantidade de 13 astros do nosso sistema solar número este também ligado a magia, ao azar, a cabala como sendo um número diabólico no qual também são baseados os números de jogos de azar da loteria, dos cósmicos e um número que quase todo o ser humano por tradição e também crendice teme e procura desviar-se espavorido. Os americanos a temem tanto que evitam de numerar seus edifícios de apartamentos ou de comércio, com o número 13; exemplificando se o edifício tiver 15 andares a numeração pula do 12º para 14º e assim por diante.

Paganini, que diziam ter parte com o diabo, o que não é verdade! Ele mesmo, hoje ainda desencarnado, nos diz telepática e textualmente que isso não é verdade mas, que ele apenas se aproveitava, para granjear mais fama e popularidade, desse jargão popular, compôs seu 13º Capricho para violino-solo dando-lhe tal conotação melódica que esse capricho é denominado de “o gargalhar sarcástico e zombeteiro do diabo”! Mas Paganini mesmo nos diz que, se o populacho e fanáticos da época tivessem um pouco de senso de observação, notariam que ele só tocava ou preferia tocar no seu violino “Garnérius del Gesú” ou seja Guarnério de Jesus, cujo símbolo no seu interior, marca do liutáio (artífice produtor de violinos) era e é uma cruz! (ver capítulo sobre Paganini)

Quem ler a biografia de Wagner outro grande compositor da música clássica (este de origem venusiana), fez hinos ao planeta Vênus, verá o quanto sua vida foi regida pelo misterioso nº 13!

Com esta singela demonstração desde Jesus a Wagner quis eu dar uma pálida pincelada numerológica e dizer aos leitores que todos somos frutos de uma Alta Matemática Cósmica, Racional, Exata, Divina, que é elaborada no Núcleo Central Cósmico Deus, de onde todos nós originamos!

SP 30/04/95 às 10h31

[hr]

[1] Obs: No momento da edição deste livro quero deixar registrado que Minha Querida Esposa foi para junto do Mestre dos Mestres em 19/03/96

[2] Aqui cabe uma observação: o número 3, o número 6 e o número 9 estão sempre presentes em quase tudo o que se relaciona com os temas siderais ou cósmicos. Talvez porque a Terra seja o terceiro planeta do nosso Sistema Solar e o seu movimento no espaço e tudo que girar é ternário, ou seja 3 por 4 ou 6 por 8. Quem for músico sabe.

Antúlio de Maha-Ettel da Atlântida

Mapa de Atlântida
Mapa de Atlântida

Era o nome de Jesus na Atlântida, continente hoje submerso.

Há cinqüenta mil anos atras Ele era um grande sábio, líder daquele povo.

Antúlio de Maha-Etél quer dizer na linguagem dos Atlantes: Antúlio da Vênus Platinada, que significa a origem do Seu Espírito Venusiano.

Esta revelação foi captada por minha esposa C. A. Yezzi na noite de 07/janeiro/1989, às zero hora e quinze minutos, tendo como fundo musical as melodias de Elgar, outro venusiano, Dream Children nº 2.

D.Yezzi

SPaulo, 07/01/89

Meus 53 Anos de Existência

Sonetos Ensaio em Versos Livres

02/ XII/ 88 às 3 horas da madrugada

I

Neste lindo dia do ano trinta e cinco
Vim a este mundo conturbado,
Países em guerra, estavam uns cinco
E meu pequeno intestino, “colerizado”

Nasci de apenas seis meses
Contados sempre como nove
Uma colite que matava as vezes
Da vida quase me demove

Mas um farmacêutico, alma nobre,
Me fixou nesta dura vida de pobre
E assim eu disse: Aqui eu fico!

Ele ajudou a diminuir nossa aflição
Suavizou, na minha mãe, seu coração
Honras à ele aqui eu dedico.

II

Fiz as maiores traquinagens
Pois era vivo, inteligente e astuto
Era um pestinha, diga-se de passagem,
Mas amava a vida sem ser bruto
Tinha quase a certeza em mim
De que algo aqui era diferente
Não conseguia, nem que quisesse, ser ruim.
Com dois anos, já parecia ser experiente

Minha saudosa mãe, no astral que o diga!
Pois corria atrás de mim sem fadiga
E eu quando pressentia, ficava amarelo
Muita “correiada” e cabos de vassouras
Nas minhas costas, como tesouradas
Pareciam balas, como voavam aqueles chinelos!

III

Cresci, criei juízo e responsabilidade
Via e vivia os sofrimentos dos meus pais,
Quisera dar a eles muita felicidade
Mas nossa pobreza era dura demais.

Meu querido pai com esta idade
Trabalhava mais que o Sol no firmamento,
E eu passava minha rápida mocidade
Adquirindo assim meu próprio refinamento

Vieram seguidamente mais irmãos
Paralelamente aumentava minha ilusão,
Mais miséria, mais lutas sem resultado

O tempo foi passando mais rápido
Nós continuávamos pobres e sob farrapo,
Com formaturas e trabalho mal remunerado

IV

Muitas desilusões e muito choro
Meu velho trabalhava e era explorado
Minha mãe sofria p’ra cachorro
E nós, quase todos sempre pelados…

Agora mais maduro e consciente
Após ter feito quase tudo na vida
Menos roubar ou matar, coisa indecente!
Como aquelas poderosas mãos me deram guarida!

Nenhum filho, famoso ou comum, jamais
Pagará os enormes sacrifícios de seus pais
Nem esperem de seu filho receber

Um Viva!, a todos que me ajudaram
Por mim tudo o que se sacrificaram,
A viver, e até aqui chegar a aprender.

V

E o que depender de mim se fará
Conhecimento, amor e fraternidade
Nada que depender de mim faltará
Inclui-se aqui as bênçãos da caridade

Mil, milhares de anos vi passarem
Meu espírito jamais se esquecerá daqueles tempos
E se for preciso retorno entre os que se salvarem
Muito tenho feito p’ra não desperdiçar os momentos

Se Deus assim considerar
E a Lei Kármica compartilhar
Haverei de semear muito mais

Pois 53 anos nada são neste universo
Para aqueles cuja genialidade do reverso
Não permite desanimar, desistir jamais!

VI

Meu eterno agradecimento fraternal
À Conceição, minha amada esposa querida
À Regianne minha dileta filha universal
Que em seus corações me deram guarida

A meus pais queridos, sempre amados
Que sem esperar nada, me acalentaram
E na Terra, nos Céus deixaram firmados
Sua missão, a fibra que demonstraram

Com o mais profundo zelo e amor
Nas minhas exigências e sem rancor
De alguém não preparado p’ra ser pai

Mesmo assim, unidos, sempre formaram
Comigo, um grandioso triângulo armaram
Para que a vida não tivesse tantos ais.

Duplo Soneto a Duas Mãos

(Versos Livres)

I

Luz divina que num dezembro baixou à Terra
Uma chama cósmica que ainda brilha
Deus dos sons, nesta pequenina esfera
Wagner, com orgulho o venerava e o elegia
Irmão, Mestre com profunda admiração
Grandiosa, majestática e arguta inteligência
Musicalmente inovadora, revolucionária com satisfação
Arranjava na escala seus sons sem indulgência,
Reclamavam os entendidos, os “de bom ouvido”, de sua época
Irascível, sem sua acústica disfarçava-se de déspota
Amava a vida, a humanidade e a sua música
Vivia as torturas de sua surdez como ninguém
Aglutinava sentimentos de tristezas sem vintém,
Nunca ouvindo grande parte dessa sua música

II

Buscava a perfeição e improvisava sons ao seu piano
Enxergava e ouvia interiormente os sons na pauta
Esbravejava por não poder ouvi-los com seus tímpanos
Tentava se alegrar mas sua mente incauta
Harmonizava, instrumentava, adágios que tocava
Ornamentava com seus “grupettos” famosos
Vocalizava as canções que bem cantava
Extremoso que era só, ganhava invejosos
Ninguém jamais chegará a seus pés Beethoven!
Gênio vindo de uma esfera onde só se ouvem
Especiais melodias, sinfonias cósmicas-siderais
Não poderia deixar este mundo tão cedo
Individualizou sua música universal, sem medo
Ouvindo as cores dos sons espirituais

S. Paulo 22 de novembro de 1988 (dia da música)
Para o aniversário de Beethoven a 16 de Dezembro de 1988
1:30 horas da madrugada e em homenagem à Santa Cecília nossa terna Companheira, padroeira da Música.